Tag: Olimpíada

    blank

    Rio 2016: a Olimpíada das mulheres

    A luta pela equidade se dá em múltiplos domínios. Nas Olimpíadas, a busca pela metade que nos cabe está acontecendo e vai continuar por Joanna Burigo, da Carta Capital  As Olimpíadas são uma fonte copiosa de símbolos que ajudam a ilustrar certas abstrações da teoria social. Entre críticas ao modelo de execução e questionamentos acerca do legado cabe um sem-fim de outras análises, como aquela que contrasta a recepção calorosa dada à delegação de refugiados na cerimônia de abertura do evento com o tratamento dado aos refugiados em geral, que revela a euforia cínica da sociedade do espetáculo. Tensões raciais, muito embora variedade étnica seja esperada visto que o evento é global, também podem ser articuladas ao ser levantado o histórico de proibições impostas a não-brancos no evento. (Proibições impostas por pessoas brancas, vale ressaltar o óbvio.) No quesito diversidade sexual, o maior número de atletas assumidamente lésbicas e gays da ...

    Leia mais
    blank

    ‘Estou menstruada’: Confissão ao vivo de nadadora sensação das redes quebra tabu na China

    Se competir em uma Olimpíada costuma ser estressante, a situação se dificulta para atletas menstruadas. Por Helier Cheung, da BBC  Fu Yuanhui, uma das estrelas da natação da China, se transformou em celebridade online depois de reagir com alegria ao perceber, durante uma entrevista ao vivo para a TV chinesa, que tinha conquistado uma medalha de bronze nos 100 m costas. "Fiquei em terceiro?!? Então não fui tão mal assim!", disse, surpresa, na entrevista. Agora, a atleta bem-humorada voltou a se destacar por quebrar um tabu em seu país: ela falou abertamente sobre menstruação, também ao vivo. No domingo, a China chegou em quarto lugar e ficou sem medalha no revezamento 4x100 m medley. Depois da prova, as companheiras de equipe Lu Ying, Shi Jinglin e Zhu Menghui foram entrevistadas, mas Fu não estava com o grupo. Logo se soube que Fu estava agachada atrás de um cartaz, encolhida de dor. ...

    Leia mais
    blank

    Americana e muçulmana, esgrimista dá passo contra o preconceito no Rio

    Ibtihaj Muhammad é a primeira dos Estados Unidos a competir nos Jogos com o hijab, véu muçulmano: "Tem sido uma bênção representar tantas pessoas que não têm voz" Por Zeca Azevedo, do Globo Esporte Imagine uma atleta que nunca tinha estado antes numa Olimpíada. Imagine uma atleta que, aos 30 anos, foi eliminada nas oitavas de final da modalidade que disputa e que não goza de grande popularidade. Isso numa delegação de um país que conta com 554 atletas. Agora imagine um batalhão de jornalistas a sua espera na zona mista, espera que durou uma hora sem ninguém arredar o pé de lá só para ouvir o que ela tinha a dizer. Palavras que o mundo esperava ouvir, ou deveria ouvir, principalmente na América do Norte. Esse foi cenário depois da derrota da esgrimista americana Ibtihaj Muhammad nas oitavas de final do sabre, e que nesta segunda-feira se tornou a ...

    Leia mais
    blank

    O atletismo tem uma nova campeã olímpica: Elaine Thompson vence os 100 metros rasos

    O Engenhão viu a primeira conquista olímpica de Elaine Thompson, jamaicana que estava voando nos mundiais e que acabou com a hegemônia de sua conterrânea, Shelly-Ann Fraser-Pryce , que ficou com o bronze. Os 100 metros rasos tem uma nova campeã olímpica. Por  Rodrigo Nascimento, do Torcedores  O Atletismo teve sua primeira noite de gala nos Jogos Olímpicos do Rio 2016: a final dos 100 metros rasos feminino foi incrível, e premiou desta vez a jamaicana Elaine Thompson, que agora é campeã olímpica, desbancando Shelly-Ann Fraser-Pryce, que era a grande favorita e havia conquistado o ouro em Pequim-08 e em Londres-2012. A disputa não foi fácil: Thompson tinha que superar a conterrânea Shelly-Ann Fraser-Pryce, que havia feito o mesmo tempo dela nas semifinais. Outra que ameaçava o ouro da jamaicana era a americana Tori Bowie, que também havia vencido uma das semifinais. Elaine Thompson cruzou a linha de chegada com ...

    Leia mais
    Foto: Getty Images

    Obama e Michelle discutem Olimpíada e presidente dos EUA lembra atleta negro que calou Hitler e nazistas

    O presidente dos EUA, Barack Obama, e sua mulher, Michelle, entraram no clima olímpico e resolveram divulgar um vídeo com suas memórias olímpicas favoritas! Do HuffPost Brasil "Se você pudesse competir em alguma modalidade, em qual seria?", pergunta Obama para Michelle. "Seria ginástica", responde ela, que afirma ainda que não foi feita para o esporte - ela mede cerca de 1,80m . "Mas elas são fenomenais". Já o esporte favorito do presidente é o atletismo. "A ginástica me deixa tenso", brinca. Mas quem surpreende no vídeo, desta vez, é o presidente. Quando questionado sobre qual o seu atleta olímpico favorito, Obama responde prontamente. "Jesse Owens, ainda que seja um pouquinho anterior à minha geração. Não apenas por ser o homem mais rápido do mundo, mas por ter conquistado o título em frente dos nazistas, mandando um sinal claro de que os EUA defendem a igualdade entre todos. Foi algo muito importante" ...

    Leia mais
    RIO DE JANEIRO, BRAZIL - AUGUST 07: Rebeca Andrade of Brazil reacts after competing in uneven bars during Women's qualification for Artistic Gymnastics on Day 2 of the Rio 2016 Olympic Games at the Rio Olympic Arena on August 7, 2016 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by David Ramos/Getty Images)

    Rebeca é ovacionada, e público não aceita a nota dos juízes na final da ginástica no solo

    Novamente ao som da Beyoncé, que já se tornou sua marca registrada, Rebeca Andrade lacrou na sua apresentação durante a final do solo da ginástica artística nesta quinta-feira (11). Em sua primeira grande competição, a atleta de apenas 17 anos ficou na 11ª posição na final do individual geral. Por Ana Beatriz Rosa, do HuffPost Brasil Ela foi ovacionada pelo público na Arena Olímpica e praticamente as 10 mil pessoas presentes levantaram para aplaudir a brasileira quando ela finalizou a sequência no solo. Porém, bastou sair a nota de 13.766 (o máximo é 20.000) para os juízes receberam uma sonora vaia dos fãs que queriam a ginasta na briga pelas primeiras colocações. Independentemente da nota, Rebeca é um símbolo de resistência. Vinda de uma infância pobre em Guarulhos, quando tinha apenas 6 anos ela descobriu o esporte. Mas a pequena faltava a muitos treinos e não tinha dinheiro para investir no sonho ...

    Leia mais
    blank

    Os 9 títulos mais machistas dos Jogos Olímpicos do Rio

    Listas de “gostosas”, “mulheres de” que ganham medalhas ou belezas loiras de olhos azuis” Reunimos os casos mais flagrantes de sexismo na cobertura da competição. Por CLARA FERRERO, do El Pais Simone Biles é a grande sensação da ginástica nestes Jogos Olímpicos. A nadadora Katinka Hosszu bateu o recorde mundial dos 400 metros e está cheia de ouros, e a norte-americana Katie Ledecky arrasou na piscina, conseguindo o primeiro lugar — e fazendo história — nos 400m livres. Apesar de nos Jogos Olímpicos de 2016quase 50% dos esportistas serem mulheres (45%, para sermos exatos) e dos impressionantes feitos esportivos que estão conseguindo, muitos meios de comunicação se negam a reconhecê-las como algo mais que um pedaço de carne. É o que afirma um estudo da Universidade de Cambridge que acaba de ser publicado e que afirma que a mídia trata de forma diferente a informação esportiva se (oh, que surpresa!) o protagonista é homem ...

    Leia mais
    blank

    Serena Williams perde, e Rio vê mais uma estrela número 1 fora da Olimpíada

    A Olimpíada do Rio de Janeiro definitivamente não sorriu aos melhores tenistas da atualidade. Depois de ver Novak Djokovic ser eliminado logo na estreia, foi a vez de Serena Williams, atual número um no ranking feminino, dar adeus aos Jogos. Nesta terça-feira, no Centro Olímpico de Tênis, a ucraniana Elina Svitolina venceu por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/3, e avançou às quartas de final da competição. Por José Ricardo Leite, do UOL Atual campeã olímpica, Serena, assim como Djoko, também já havia sido eliminada nas duplas, quando, ao lado da irmã Venus, foi derrotada no último domingo pelas tchecas Lucie Safarova e Barbora Strycova, também por 2 sets a 0. "É incrível, um momento superespecial, um dos maiores da minha vida. Parecia não real vencê-la, é uma campeã olímpica. Mas procurei controlar a emoção, para que não tomasse conta de mim, e pensar apenas em vencer ...

    Leia mais
    blank

    ‘A carne mais barata é a negra?’, dispara Elza Soares sobre ouro olímpico de Rafaela Silva

    Arrasadora na cerimônia de abertura da Olimpíada e símbolo de uma vida repleta de reviravoltas e superação, a cantora Elza Soares foi mais uma dentre milhões de brasileiros que se emocionaram com a medalha de ouro da judoca Rafaela Silva, conquistada nesta segunda-feira, a primeira do Time Brasil nos Jogos. Do  Extra  Elza comenta sobre ataques racistas sofridos por Rafaela após derrota em Londres 2012. Foto: Divulgação "Meu bem, muito feliz com seu sucesso! Qual o seu recado para os racistas? Conte comigo sempre, Elza", escreveu a lenda da MPB em seu Twitter. "A carne mais barata do mercado é a carne negra? Um selinho, Elza Soares", disparou em seguida a cantora, fazendo menção ao seu clássico "A carne". . @Rafaelasilvaa Meu bem, muito feliz com seu sucesso! Qual o seu recado para os racistas? Conte comigo sempre. Elza. #RafaelaResponde — Elza Soares (@ElzaSoares) 9 de agosto de 2016 . ...

    Leia mais
    blank

    Prefeitura penhora bens do Quilombo do Sacopã. Mais um efeito colateral da Olímpíadas contra negros e pobres da Cidade Maravilhosa

    Querem asfixiar o Quilombo do Sacopã enquanto o Rio Festeja as Olimpíadas. Por Marcos Romão, do Mamapress Não há coincidências. Quando os tubarões da especulação imobiliária atuam simultaneamente para aniquilar o primeiro Quilombo Urbano da Cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro. Quando pensávamos que já estava tudo bem, recebemos na Mamapress e da Rede Rádio Mamaterra, um pedido de socorro urgente do Quilombo do Sacopã, através de seu líder, Luiz Sacopã, de 73 anos, que nos informou da gravidade da situação. Semana passada o carro e os bens do septuagenário líder do Quilombo, Luiz Sacopã, foi penhorado por supostas dívidas caducadas de 30 anos atrás, pela secretaria de fazenda do município, o mesmo município que em 2012 reconheceu o Quilombo do Sacopã, como patrimônio cultural e físico a ser preservado e protegido pela própria prefeitura de Eduardo Paes. Envolvido com as Olimpíadas o prefeito não pode receber as lideranças do Quilombo para resolver ...

    Leia mais
    blank

    A luta pela paz e o espírito internacionalista das Olimpíadas

    O povo brasileiro tem “espírito olímpico”, basta ler sobre o orgulho que a abertura despertou em todos nós. O governo do interino ignora que o sentido internacionalista dos Jogos Olímpicos é a luta pela paz, pois desencadeou repressão generalizada sobre quem ouse bradar a insatisfação política com a conjuntura brasileira. Por Fátima Oliveira, do O Tempo  A postura do governo exibe ao mundo que era apenas um jogo de cena o simbolismo do garoto negro da Vila Olímpica da Mangueira, Jorge Gomes, de 14 anos, acender a “pira do povo” diante da igreja da Candelária, que há 23 anos foi o cenário de uma chacina que eliminou oito e feriu dezenas de jovens, a maioria negra! Sediar uma edição das Olimpíada é muita responsabilidade perante o mundo, que inclui manter acesa a chama do espírito olímpico, pois a tocha é o mais antigo símbolo dos jogos – acesa meses antes de ...

    Leia mais
    blank

    Olimpíada é aprofundamento do modelo militarizado de segurança

    Para diretor da Anistia Internacional, aumento da violência do Estado mostra que a sociedade dá carta branca à guerra contra jovens nas favelas por Marsílea Gombata , na Carta Capital  Treinamento de policiais militares para a implantação da UPP em Nova Brasília, comunidade do Rio O aumento de 103% no número de mortes causadas pela polícia na cidade do Rio de Janeiro de abril a junho, em comparação ao mesmo período de 2015, é um indicativo preocupante. Os números trazidos pela Anistia Internacional, com base em pesquisa do Instituto de Segurança Pública estadual, mostram que o maior legado dos Jogos Olímpicos, envoltos em polêmicas, falta de planejamento e violações de direitos humanos, é “o aprofundamento de um modelo militarizado de segurança pública”. O diagnóstico é do diretor executivo da Anistia Internacional, Átila Roque. Em entrevista aCartaCapital, ele lembra que a polícia matou 35 pessoas em abril, 40 em maio e 49 em junho no ...

    Leia mais
    blank

    No caminho do BRT: as histórias por trás do legado da Rio 2016

    Desde 2014, uma das obras consideradas como principal legado olímpico - a linha BRT Transcarioca - cruza o Rio de Janeiro, do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, à Barra da Tijuca, principal palco da Rio 2016. Por Camilla Costa, da BBC  O sistema de ônibus rápidos é uma ampliação do percurso original previsto no Dossiê de Candidatura para os Jogos, passa por 27 bairros da cidade e causou impacto na vida de milhares de pessoas. No caminho estão regiões tradicionais da zona norte da cidade, como a Penha, e favelas como a da Maré. E estão também comunidades que foram total ou parcialmente removidas para a construção tanto da Transcarioca como da linha Transolímpica - que liga os centros olímpicos da Barra e de Deodoro, mas que será de uso exclusivo de atletas, profissionais e turístas olímpicos até o fim de agosto. A BBC Brasil percorreu este ...

    Leia mais
    blank

    Rafaela Silva dá ao Brasil sua primeira medalha de ouro na Rio-2016

    Foi sangrando, foi tenso, mas foi a primeira medalha de ouro do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O ouro é de uma carioca, nascida em uma favela e que começou a lutar em um projeto social. Rafaela Silva é a nova campeã dos leves (57kg) do judô, após bater a mongol Sumiya Dorjsuren, atual líder do ranking mundial, nesta segunda-feira (08). Por Bruno Doro, do UOL  “Treinei muito depois de Londres porque não queria repetir o sofrimento. Depois da minha derrota, muita gente me criticou, disse que eu era uma vergonha para minha família, para meu país. E agora sou campeã olímpica", comentou após a conquista. "Para uma criança que saiu da comunidade com cinco anos e começou no judô por brincadeira é demais. Eu dedico a todo mundo", disse Rafaela. Rafaela Silva enfrenta Sumiya Dorjsuren, da Mongólia, na decisão do ouro no judôimagem: Toru Hanai/Reuters Com sua ...

    Leia mais
    TV personality Tom Daley arrives at the 26th annual Nickelodeon's Kids' Choice Awards on Saturday, March 23, 2013, in Los Angeles. (Photo by Jordan Strauss/Invision/AP)

    A saída do armário que liberou o muso dos Jogos do Rio

    Ele sofreu bullying na escola. Perdeu o pai aos 17 anos. Hoje, é um dos melhores atletas de saltos ornamentais do mundo, e o mais famoso deles. Seu nome é Tom Daley Por JUAN SANGUINO, do El Pais  Foi como uma briga de galos. Um dos "lutadores" é o cantor Sam Smith que, quando ganhou o Oscar em 2016, por sua música The Writing's On The Wall, do filme Spectre, proclamou-se "o primeiro ganhador do Oscar que já havia se assumido homossexual". Mas ele estava errado. No dia seguinte, o roteirista Dustin Lance Black, que havia ganhado em 2009, pelo roteiro de Milk (filme de Guus van Sant, de 2008), escreveu a Smith, pelo Twitter, uma mensagem de 140 caracteres que tinha dois pontos dramáticos bem marcados. "Fico surpreso que você não saiba quem eu sou, tendo em conta que não para de escrever mensagens para o meu namorado". Uau! E ...

    Leia mais
    blank

    Atletas lésbicas da Rio-2016 denunciam homofobia da torcida no futebol

    O constrangedor grito de “bicha” nos estádios do Brasil tem incomodado também as atletas do futebol feminino. Megan Rapinoe, meio-campista da seleção dos Estados Unidos, reclama do canto homofóbico nas partidas do futebol olímpico da Rio-2016. Da UOL “É pessoalmente doloroso”, lamenta a jogadora, que assume publicamente sua homossexualidade. “Creio que seja algo do comportamento coletivo que toma conta das pessoas um pouco”, conta ao jornal Los Angeles Times. O comportamento homofóbico dos torcedores já foi relatado em pelo menos duas partidas do futebol feminino olímpico, ambas disputadas na última quinta-feira (03). Uma foi entre Canadá e Zimbábue, em São Paulo. Rapinoe estava em campo na outra: a vitória dos EUA sobre a Nova Zelândia por 2 a 0, no Mineirão. Na ocasião, o “bicha” se misturou ao grito de “zika”, com o qual os brasileiros tentaram desconcentrar a goleira Hope Solo, que recentemente fez piada com o vírus nas ...

    Leia mais
    blank

    Com pose inspirada em Bolt, a jovem Toni-Ann Williams é a 1ª jamaicana da ginástica em Jogos

    Nascida nos Estados Unidos, Toni-Ann Williams decide representar suas origens e espera inspirar algum crescimento da modalidade esportiva na terra de seus pais Por Amanda Kestelman e Marcos Guerra, do Globo Esporte  Pela primeira vez na história, a bandeira jamaicana foi representada no tablado de ginástica artística dos Jogos Olímpicos. Tradicional e vitoriosa nas pistas de atletismo, a nação rompeu mais uma barreira e trouxe para a Rio 2016 uma representante que difere dos velocistas não só pela modalidade. Basta falar com Toni-Ann Williams para o seu sotaque entregar que se trata de uma jovem nascida nos Estados Unidos. Com origem familiar forte na Jamaica, ela decidiu, há cinco anos, que tentaria representar o país no Rio de Janeiro. - Estou muito feliz por representar a Jamaica. Espero que as crianças de lá vejam que podem tentar a ginástica também. Quando tinha 15 anos e visitei minha família no país, ...

    Leia mais
    Adriana Araujo of Brazil celebrates her points victory over Saida Khassenova of Kazakhstan during the women's Lightweight (60kg) boxing round of 16 of the 2012 London Olympic Games at the ExCel Arena August 5, 2012 in London. AFP PHOTO / Jack GUEZ (Photo credit should read JACK GUEZ/AFP/GettyImages)

    Com mais de 5 mil atletas, Rio 2016 é a Olimpíada mais feminina da história

    Os problemas de organização continuam, há uma tensão no ar e os australianos - coitados - ainda penam para conseguir sossego na Vila Olímpica. Por  Rafael Nardini, do HuffPost Brasil Mas quem é que disse que não há motivos para comemorar? A começar por nossa porta-bandeira, Yane Marques, a segunda mulher a carregar nossa bandeira na abertura dos Jogos. O mais importante até aqui é: a Rio 2016 é a Olimpíada mais feminina da história. As mulheres representam 45% dos atletas inscritos para os jogos, com 5.183 atletas. Em Londres, há quatro anos, eram 4.655 mulheres, 44,2% do total. As duas maiores potências olímpicas do planeta - que têm revezado a liderança no quadro de medalhas - já mostram uma predominância das mulheres. Na delegação dos Estados Unidos são 300 mulheres ante 261 homens, enquanto a China tem252 mulheres e 155 homens. Ainda que as atletas brasileiras cheguem com boas chances ...

    Leia mais
    blank

    “Os atletas negros deveriam boicotar a Olimpíada no Brasil”

    A advogada Deborah Peterson Small, referência em políticas contra drogas e direitos dos negros nos EUA, diz que o país é mais racista do que quer admitir Por THAIS LAZZERI, do Época  A advogada e ativista americana Deborah Peterson Small chegou ao Brasil há uma semana com a expectativa de ser acolhida pelo povo que exporta amor às tradições africanas nas publicidades para turistas. "Descobri um Brasil que não gosta de negros", diz. Um relato sucinto dos dias de Deborah em terras tupiniquins: em Salvador, num passeio à beira-mar, um homem desconhecido perguntou a Deborah quanto ela custava. "Ele imaginou que, por ser negra e estar numa praia, eu só poderia ser uma prostituta". Na comunidade do Alemão, no Rio de Janeiro, ela foi recepcionada por policiais armados e com a mão no gatilho. Num hotel em São Paulo, durante o café da manhã, respondeu a cinco funcionários a mesma pergunta: ...

    Leia mais
    blank

    Convidado para carregar a tocha olímpica, Alex rejeitou o convite

    Segundo informação divulgada no site da Gazeta do Povo, pelo blog Memória FC, o ex- jogador e atualmente comentarista dos canais ESPN, Alex, rejeitou o convite de carregar a tocha olímpica em sua cidade natal, Curitiba. Por André Frehse Ribas, do Torcedores.com O meia que participou da Olimpíada de Sidney, em 2000, explicou o motivo de não ter aceito o convite. “Motivo bem simples! Tinha  muita gente carregando a tocha que nada tem a ver com o esporte. Nunca foram atletas, nunca se envolveram em nada do esporte e não sabem a mínima necessidade que as modalidades possuem. Queriam aparecer com a tocha na mão, mas não sabem nem o que isso significa. Aí não quis participar disso” explicou Alex. Alex ficou marcado por suas passagens pelo Coritiba, Palmeiras, Cruzeiro e Fernebahce, além de sua sinceridade fora das quatro linhas.

    Leia mais
    Página 1 de 2 1 2

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist