terça-feira, agosto 4, 2020

    Tag: Senegal

    Imagem retirada do site RAP MAIS

    Rapper Akon anuncia contrato de R$ 31 bilhões para construir “Wakanda” na África

    Akon garantiu um contrato de US$ 6 bilhões, cerca de R$ 31,2 bi, para construir sua cidade temática de sua própria criptomoeda no Senegal, relata o PRWeb. O cantor americano senegalês assinou um contrato com a empresa de engenharia e consultoria dos Estados Unidos, KE International, no início deste mês. A KE International recebeu US$ 4 bilhões iniciais dos investidores e os utilizará para concluir a primeira e a segunda fases da construção. Espera-se que a primeira fase seja concluída até o final de 2023. Ela incluirá a construção de estradas, um campus do Hospital Hamptons, Hamptons Mall, uma delegacia, uma estação de tratamento de resíduos, uma escola e uma usina. A Fase 2 terminará em 2029 e se concentrará na integração de negócios para rodar na criptomoeda AKOIN da Akon. Também haverá parques, um estádio, universidades e um complexo industrial. Os parceiros da Akon City incluem o empresário e ...

    Leia mais
    Musée des Civilisations Noires à Dakar – ©Beijing Institute of Architectural Design

    Senegal inaugura Museu das Civilizações Negras, com 14.000m².

    Inaugurado o ” Museu das Civilizações Negras” em Dacar, Senegal, o “Musée des Civilisations Noires”. O edifício está equipado com uma área funcional de mais de 14.000 m². É sem dúvida o maior museu na África Ocidental. Viena – Enviado por Christiane Kassama Tradução Marcos Romão, no Mamapress Composto por salas de exposições, salas de conferências, escritórios administrativos, um centro multiuso, auditório, etc., é o Museu dedicado ao desenvolvimento das civilizações negras na África, começando com Núbia, o antigo Egito, Etiópia etc … Criado com o apoio da China, o museu é um sonho dos anos 60. De 1 a 24 de abril de 1966 , Dacar, a capital senegalesa, foi “ocupada por 2.000 artistas de países africanos, da diáspora africana e hóspedes de todo o mundo Africano. Eles participaram do primeiro Festival Mundial das Artes Negras – nègres Festival des Arts. Durante o festival, valores e realizações culturais dos negros ...

    Leia mais
    O cientista líder da equipe senegalesa, Amadou Alpha Sall, participou de coletiva com o professor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, Paolo Zanotto, na manhã desta sexta-feira (8)

    Pesquisadores do Brasil e Senegal trabalham por teste rápido para zika

    Cientistas do Pasteur de Senegal estão em SP para ajudar no combate ao vírus Por STELLA BORGES, do O GLOBO  Pesquisadores do Instituto Pasteur de Dakar, no Senegal, que participaram ativamente do combate ao surto de Ebola na África, estão em São Paulo para ajudar cientistas brasileiros no combate ao vírus zika, transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti. O grupo chegou à capital paulista nesta semana para se juntar à Rede Zika, criada há cerca de um mês por cientistas, professores e alunos de instituições e laboratórios para investigar o vírus e o aumento no número de casos de microcefalia e da síndrome de Guillain-Barré no país. Liderados por Amadou Alpha Sall, renomado especialista em epidemia e controles virais, os senegaleses têm o desafio de treinar pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e ajudá-los na implantação de um teste rápido e eficaz para diagnosticar a doença, feito por sorologia. Durante o ...

    Leia mais
    blank

    Os caminhos de Nafissatou Dia Diouf

    Nafissatou Dia Diouf é um dos mais fortes nomes da literatura contemporânea no Senegal. Inovadora, a jovem autora vem quebrando as estruturas da literatura africana das últimas décadas e criando um novo estilo, de contexto urbano, marcado pelo humor e pelo feminismo. Antes de completar 40 anos arrecadou prêmios de peso como o Prix du jeune écrivain francofone, Prix Francomania au Canada e o Prix de la Fondation Senghor para romance e poesia, entre outros – muitos conquistados ainda em seus vinte e poucos anos. Nafissatou, em entrevista exclusiva ao Afreaka, fala sobre literatura contemporânea, feminismo e dualidade cultural, revelando o caminho de suas escolhas estéticas e temáticas. Do Afreaka Por que a literatura? Na verdade não posso dizer que foi eu quem escolhi. Quando comecei a escrever, eu nem sabia que estava fazendo literatura. Foi algo que se impôs sozinho na minha vida, como uma vontade. Quando eu era pequena, ...

    Leia mais
    blank

    Djlapao e as joias Dos Africanos

    Para chegar até o vilarejo de Djilapao da cidade de Zinguinchor, capital da região sul do Senegal, é preciso atravessar o rio Casamance em uma viagem que dura pouco menos de duas horas. O destino final é uma das ilhas abraçadas pelos mangues do rio. Moram ali não mais que 30 famílias, que vivem da pesca e da agricultura de subsistência, sobretudo do arroz. A impressão ao conhecer a ilha é ter descoberto um pequeno pedaço de paraíso, onde a palavra ‘orgânico’ parece ter seu sentido completado. O vilarejo é uma representação das joias existentes nos confins africanos. Do Afreaka   Visitar os povoados mais afastados é um dos meios de entrar em contato profundo com a cultura local. É o momento em que diferenças e semelhanças ficam à flor da pele, trazendo da experiência os mais significativos momentos de aprendizagem. Cada vila parece ter um quê de especial, que ...

    Leia mais
    blank

    L’Ecole des Sables: o “chão” da dança contemporânea africana

    Pés descalços no chão de areia. O calor senegalês prepara os corpos para a agitada rotina de treinamentos que os alunos da Ecole des Sables (escola de areia, em português) enfrentam. A escola de dança que fica a aproximadamente 200 metros do mar, é fruto das interconexões que marcam a África contemporânea. Situada em uma ilha de pescadores – repleta de Baobás – chamada Towbab Dialaw, a 50 quilômetros de Dakar, no Senegal, a Ecole foi fundada pela coreógrafa Germaine Acogny em 1998. Por Rosa Couto no Afreaka Com o intuito de ser um centro de treinamento profissional aberto para dançarinos da África e do mundo todo, sua estrutura básica é composta por dois estúdios de dança, tendo o principal deles 400m² de chão coberto por areia. Além dos estúdios, a escola possui 3 vilas com um total de 24 casas, nas quais ficam alojados alunos e visitantes, além de salas ...

    Leia mais
    Pixabay

    Plano de aula: Viajando pela África através de Brincadeiras Infanto-Juvenis

    Este é um plano de aula vencedor do I Concurso de Planos de Aula do Portal Geledés, aplicando a Lei 10.639/03   Plano de aula: Viajando pela África através de Brincadeiras Infanto-Juvenis Pixabay Professora: Carmem Dolores Alves Escola:  Municipal Educador Paulo Freire Disciplinas: Língua Portuguesa, Geografia e Artes     Turma: 5º ano C Cidade: Recife          Estado: Pernambuco Componente Curricular: A LEI 10.639/2003 OBJETIVO: Promover uma reflexão acerca da África através de intercâmbio literário entre os estudantes da Escola Municipal Educador Paulo Freire (Brasil) e a Escola Tutune, da República Democrática de São Tomé e Príncipe (África). CONTEÚDOS: Continente Africano; Aspectos socioeconômicos e culturais da República Democrática de São Tomé e Príncipe; Leitura do texto narrativo africano NDULE NDULE Noções básicas dos conceitos de Inferência e Intertextualidade; Produção textual a partir da releitura do referido texto narrativo africano. METODOLOGIA:  Aplicação de atividades dentro de uma perspectiva transdisciplinar, que contempla vivências ...

    Leia mais
    blank

    Paranaguá inicia “Ecos da Negritude” visando todo o Litoral do Paraná

    Com a presença do cônsul do Senegal para o Paraná e Santa Catarina, o sociólogo Ozeil Moura dos Santos, a Prefeitura de Paranaguá, deu início, na sexta-feira (16), ao projeto Ecos da Negritude. O projeto tem a meta ambiciosa de resgatar a história e valorizar a cultura dos negros em todo o Litoral do Paraná, começando por Paranaguá. De acordo com a prefeitura, Paranaguá tem 37% da sua população entre pardos e negros. No lançamento, o prefeito lembrou que a Ilha dos Valadares foi ponto de parada e quarentena para muitos negros escravizados. “Poucos sabem, mas havia em Paranaguá, um grupo chamado ‘Sociedade de Redenção Paranaguense’, que conseguiu, segundo conta-se, 74 cartas de alforria, constituindo-se num dos primeiros e mais atuantes grupos abolicionistas do Paraná e contribuindo para o fim dessa prática abominável”, disse. O cônsul do Senegal fez uma palestra sobre o histórico do Portal Africano, de Curitiba, fazendo ...

    Leia mais
    iStockphoto

    Plano de Aula – Fábulas africanas para uma cultura de paz

    Queres que te conte mais? Fábulas africanas para uma cultura de paz. iStockphoto As fábulas cativam ouvintes de todas as gerações. Com histórias que poderiam acontecer a qualquer um de nós Em África, a maneira tradicional de contra histórias ainda é muito importante. É uma forma preciosa de mediação e preservação cultural. A maior parte de nós ainda se lembra das histórias de tempos remotos que os nossos pais ou avós nos contavam. O senegalês Ndiaye Ibrahima também. As dez histórias que ele nos relata nesta série do “Learning by Ear - Aprender de Ouvido” foram-lhe contadas pela sua avó e tentam fomentar o entendimento mútuo e a coexistência pacífica. Os animais desempenham um papel importante nestas fábulas – o grande e o pequeno, o forte e o fraco, o corajoso e o cobarde. Juntem-se ao leão, à hiena e ao pombo, ao elefante, à cobra ...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site Galileu)

    Cheikh Anta Diop

    Cheikh Anta Diop, nascido em 29 de dezembro de 1923 em Thieytou, falecido em 7 de fevereiro de 1986 em Dakar, foi um historiador e antropólogo senegalês. Em seus estudos, elae enfatizou a contribuição da África e, em particular, da África negra, à cultura e à civilização mundiais. Hoje suas teses são contestadas e pouco retomadas na comunidade científica ocidental. O Homem e sua Obra Cheikh Anta Diop nasceu em 29 de dezembro de 1923 em Thieytou, na região de Diourbel (Senegal). Sua família era de origem aristocrática wolof. Aos 23 anos foi para Paris, a fim de estudar física e química, mas interessou-se também pela história e pelas ciências sociais. Seguiu, em particular, os cursos de Gaston Bachelard e de Frédéric Joliot Curie. Adotou um ponto de vista especificamente africano diante da visão de certos autores da época, segundo a qual os africanos são povos sem passado. Em 1951, sob ...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site Revista Galileu)

    Léopold Sédar Senghor

    Senghor era de família aristocrática. O pai, serere, era um rico comerciante de nobre descendência; a mãe era peul (ou fulani) povo de pastores nômades. Sua infância, em Joal, a aldeia senegalesa onde nasceu, foi sem maiores problemas. O menino Léopold estudou na missão católica de Ngazobil e completou seus estudos secundários no Lycée Van Vollenhoven. Ganhou uma bolsa de estudos e foi para Paris, sendo o primeiro africano a obter o título de "agregé" numa universidade francesa. Os anos de estudo em Paris são fundamentais para o surgimento do movimento da Negritude, resultante do encontro do senegalês Léopold Sédar Senghor com o martinicano Aimé Césaire e com Léon Gontran Damas, da Guiana Francesa. Sua carreira na França, foi brilhante. Em 1936 foi professor em Tours, mais tarde em Paris. Durante a II Guerra, foi feito prisioneiro pelos nazistas. Na oportunidade, aprendeu alemão e escreveu poemas que depois foram publicados ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist