quarta-feira, setembro 23, 2020

    Tag: Xenofobia

    blank

    Paulo Teixeira: Solidariedade aos haitianos

    Portugueses, alemães, italianos, japoneses podem. Haitianos não podem? Por Paulo Teixeira Do Limpinho e Cheiroso Libaneses, franceses, espanhóis também construíram este país. Haitianos não? Argentinos, gregos, coreanos, cada nação um legado, uma contribuição, uma cultura, muito mais do que uma gastronomia. Haitianos, por que não? São índios os que jogam pedras? São índios os que disparam? São Carajás, Bororos, Xavantes, Pataxós? Leia Também Os cotistas desagradecidos De quem são filhos os que não toleram imigrantes, os que semeiam e espalham sementes de ódio e xenofobia? Xenofobia no Brasil? Sério? Que os crimes sejam investigados, punidos e nunca mais repetidos. E que aqueles que cultivam a intolerância e o ódio nas redes e nas ruas percebam sua parcela de responsabilidade em atos de violência como o atentado aos seis haitianos baleados em São Paulo na primeira semana de agosto. A construção da cidadania, a construção do respeito e de uma nação dependem também ...

    Leia mais
    blank

    A bomba é ‘caseira’ e o tiro é de ‘chumbinho’

    O ódio inoculado há anos na população é um dos grandes responsáveis pela escalada da intolerância, do racismo e da xenofobia que estamos assistindo no Brasil. O atentando contra o Instituto Lula e a agressão contra os haitianos em São Paulo são manifestações do mesmo tipo de irracionalidade. Os dois acontecimentos me concernem pessoalmente. Há dois anos, como professor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA, pesquiso a presença dos haitianos no Brasil. Há quatro, faço parte da equipe de colaboradores do Instituto Lula. A versão da grande imprensa sobre a “bomba caseira” lançada no Instituto foi uma tentativa canhestra de minimizar a gravidade do atentado. Em qualquer país democrático, a imprensa daria ampla cobertura e repercussão ao “episódio”, em vez de diminuí-lo ou ocultá-lo como fizeram alguns veículos de comunicação. Não vi nenhum editorial condenando o gesto, cuja dimensão simbólica atingiu em cheio não só o Instituto como ...

    Leia mais
    blank

    Haitianos são atacados com tiros de chumbinho no Centro de São Paulo

    Seis haitianos foram baleados com tiros de chumbinho no sábado (1º), na Rua do Glicério, no centro da capital paulista, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. As vítimas foram atingidas na altura do quadril e das pernas e não correm riscos, embora dois deles ainda estejam com as balas alojadas. O padre Paulo Parisi, responsável pela Paróquia Nossa Senhora da Paz, que recebe os imigrantes na Rua do Glicério, informou que ainda não sabe se os atiradores agiram por xenofobia ou por vingança, já que um haitiano teria recuperado a bolsa de uma mulher que havia sido assaltada no Glicério e devolvido a ela. A Secretaria da Segurança Pública (SSP) confirmou que há um boletim de ocorrência sobre o ataque registrado, mas não tinha mais informações sobre o caso.   Dois dos feridos devem passar por cirurgia nesta segunda-feira (10). Uma das vítimas, que foi atingida na virilha, ...

    Leia mais
    blank

    O vídeo com o agressor do haitiano mostra que a saída de Marcelo Tas foi uma benção para o CQC.

    “Parem o mundo”, escreveu um internauta ontem no Twitter. “O DCM como fonte do CQC? Parem o mundo.” Por Paulo Nogueira, do DCM Também estranhei ao saber que o CQC nos usara no vídeo em que um repórter fez educadamente com um boçal desvairado o que ele fizera selvagemente com um frentista haitiano. Minha lembrança mais vívida do CQC foi uma abjeta caçada empreendida contra Genoino com a ajuda de uma criança. Mas então, agora no Facebook, um outro internauta matou a charada. “O careca não está mais lá.” Pronto. Agora estava tudo esclarecido. A saída de Marcelo Tas abriu a perspectiva de fazer conteúdo interessante num programa tolo, reacionário e sem público. O vídeo do doente – seu nome é Daniel Barbosa — é uma prova disso. Conteúdo bom e surpreendente sempre traz recompensas: a reportagem, feita com autoridade por Juliano Dip, viralizou nas redes sociais. Muitas pessoas se sentiram ...

    Leia mais
    blank

    Agressor de frentista haitiano faz ameaças após ser triturado pelo CQC

    No último sábado, o Blog denunciou que o fanático de ultradireita Daniel Barbosa Amorim,  que agrediu verbalmente frentista haitiano que trabalha em um post de gasolina da cidade gaúcha de Canoas, cumpriu pena de prisão por furto, entre outras complicações com a lei. A informação foi passada em entrevista a esta página pelo escrivão de Porto Alegre Leonel Radde, quem, após assistir a vídeo da agressão que se espalhou como fogo na internet, lavrou um boletim de ocorrência no 20º Distrito Policial da capital gaúcha. Amorim é, também, “administrador” do grupo fascista “Revoltados On Line”, segundo informação postada por esse grupo em seu perfil no Facebook. Na última segunda-feira, o programa humorístico da Band Custe o Que Custar (CQC) fez um excelente trabalho jornalístico ao ir ao Rio Grande do Sul entrevistar o frentista agredido e, também, o ex-presidiário Daniel Barbosa Amorim. Para quem não assistiu ao programa, vale a ...

    Leia mais
    blank

    “É preciso reagir aos nazistas”

    Jornalista Fernando Brito comenta o vídeo em que "um imbecil que, estupidamente, vai provocar e humilhar um frentista de posto de gasolina que abastece um carro, em Porto Alegre", simplesmente por ser haitiano; "Estamos permitindo que este comportamento fascista se espalhe, sem reação", diz Comecei muito mal o dia, lendo o Diário do Centro do Mundo. Não pelo site, obvio, que é muito bom, mas pela matéria – com o vídeo que reproduzo ao final com um imbecil que, estupidamente, vai provocar e humilhar um frentista de posto de gasolina que abastece um carro, em Porto Alegre. A razão? O trabalhador é haitiano. É de embrulhar o estômago, mesmo sabendo que a notícia já circula há dois dias. Danem-se os que me acharem “políticamente incorreto”, mas este sujeito, além do devido processo judicial, deveria ser posto a correr, depois de ouvir uns desaforos daqueles bem “incorretos”. O avô ou bisavô deste personagem ...

    Leia mais
    blank

    Para além da tragédia: Mostra em SP explora paraísos coloridos e misticismo vudu do Haiti

    “O Haiti é um país invisível”, disse o escritor Eduardo Galeano (1940-2015) em um discurso em frente à Biblioteca Nacional de Montevidéu em 2011 para reforçar que a ilha caribenha só era lembrada pelas sucessivas catástrofes que acometeram a sua história. Na contracorrente da narrativa trágica, a mostra “Haiti - Vida e Arte”, em cartaz na Galeria Olido, no centro de São Paulo, explora com 80 obras o lado positivo — e colorido — do país, ressaltando a importância da cultura vudu para a emancipação do povo haitiano, a primeira nação a se tornar independente da história da América Latina. “Por todos os lugares, há pessoas que acham que os haitianos não têm muita capacidade de reflexão. Mas nós temos muita imaginação e diversidade em nossa pintura. E nós levamos ao Brasil a alma imaginativa de nossa arte”, afirmou em entrevista a Opera Mundi Emmanuel Saincilus, um dos quase 30 artistas ...

    Leia mais
    blank

    O racismo dos filhos de imigrantes no Brasil contra os haitianos

    É estarrecedor. Netos e bisnetos de imigrantes torcendo o nariz para a imigração haitiana. Ainda mais no Brasil. Ainda mais no Rio Grande do Sul. Durante a semana, ao apoiar o acolhimento aos caribenhos, ouvi de tudo. “Ignorante, mal-informado, mal-intencionado.” Senti vergonha de ler o que li e de ouvir o que ouvi. Não por mim. Estou acostumado às críticas. Senti vergonha pelo passado. Talvez porque conheça bem duas histórias. De Túlio Milman, no Zero Hora do DCM A primeira é do Haiti contemporâneo. Estive lá duas vezes na condição de jornalista. Em 1995, pensei: “Impossível piorar”. Quando voltei, em 2009, vi que eu estava errado assim que desembarquei em Porto Príncipe. A segunda história que conheço bem é a da minha família – a mesma das famílias de milhões de gaúchos. Imigrantes miseráveis, sem dinheiro e cheios de esperança que cruzaram o mar e o mundo em busca de uma nova ...

    Leia mais
    Foto: Flávio Florido

    Nojo de imigrantes pobres? Saiba que isso tem cura

    Recebi a doce postagem abaixo em minha página no Facebook. O texto em que estava esse comentário era sobre o naufrágio e morte de milhares de africanos que tentam cruzar o Mar Mediterrâneo em direção à Europa. A foto e o sobrenome foram cortados para não expor o rapaz: Foto: Flávio Florido   Por Leonardo Sakamoto, no Blog do Sakamoto Lucas, meu amigo, Entendo que você deva assistir na TV, ouvir de amigos e da família ou mesmo escutar na escola que imigrantes em geral, ou haitianos especificamente, são um “peso'' para a nossa sociedade. Ou que sua presença é um dos motivos que levam à sobrecarga dos sistemas de atendimento de saúde, educação e assistência social. E que eles roubam os empregos de brasileiros. Leia também:  Os cotistas desagradecidos Os avós daqueles que desprezam nordestinos eram os nordestinos da Europa Racismo à moda da casa ‘Os ...

    Leia mais
    blank

    Imigrantes haitianos fundam associação com o apoio da CSP-Conlutas

    Neste domingo, 1º de fevereiro, trabalhadores e trabalhadoras do Haiti radicados no Brasil fundaram uma associação para lutar por seus direitos. A assembleia de fundação da USIH (União Social dos Imigrantes Haitianos) ocorreu na sede da Apeoesp, na capital paulista, e contou com cerca de 50 pessoas. "Reunimos os haitianos para organizar a nossa luta para resolver problemas de trabalho, discriminação, a falta de documentos, o genocídio que sofre os negros nesse país, porque também somos negros", explicou Fedo Bacoua, eleito secretário-geral da nova entidade. O dirigente da nova associação, que está há um ano e meio no país, afirma que a ideia da entidade veio da constatação das sérias dificuldades vividas pelos seus conterrâneos no Brasil. "Passamos muitas vezes no Glicério, vemos os haitianos dormindo na rua, quando chove eles não tem onde entrar, muitas vezes não têm o que comer, então pensamos no que fazer para ajudá-los", relata. ...

    Leia mais
    blank

    OAB rende moção de aplauso às seccionais que combatem o preconceito

    Durante sessão ordinária do Conselho Federal da OAB realizada nesta segunda-feira (3), o Plenário da entidade aprovou, à unanimidade, moções de aplauso a todas as seccionais da Ordem que derem ampla publicidade a campanhas que combatam o preconceito de qualquer natureza, caso da discriminação contra nordestinos e nortistas verificada após as eleições. O presidente da entidade, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, destacou os casos das seccionais pernambucana, maranhense e baiana. “Fica aqui registrado, por iniciativa do Plenário, nosso voto de aplauso à OAB Pernambuco e à OAB Maranhão pelo sucesso nas campanhas de combate ao preconceito. Lembro a seccional baiana também, que criou um canal específico para denúncias. A OAB, enquanto voz do cidadão, não aceitará declarações de discriminação, sejam elas regionais, raciais ou sob qualquer outra razão”, apontou Marcus Vinicius. No último dia 27 de outubro, após o resultado das eleições para presidente da República, a OAB Nacional publicou nota ...

    Leia mais
    blank

    “Um dia eu estava andando e um homem chegou do nada e me deu um tapa. O que você quer aqui seu preto africano? Volta para o seu País!”

    "Um dia eu estava andando na Afonso Pena e um homem chegou do nada e me deu um tapa. O que você quer aqui seu preto africano? Volta para o seu País!”, lembra Jovani Nkakata Miguel, de 25 anos, sobre a descoberta do preconceito em Campo Grande. O angolano vive no Brasil há cinco anos e relata situações que parecem coisa de filme, mas não são. Incomodado com a xenofobia e o racismo, ele enviou uma mensagem ao Lado B sugerindo colocar o assunto em pauta. Os momentos que ele lembra ter passado na cidade são tão absurdos e atrasados que fica até difícil acreditar. Jovani é negro e quando escolheu Campo Grande não esperava ver tanto preconceito, seja ele velado ou escancarado. Ele diz que, como em todo o lugar, há exceções no comportamento entre os campo-grandenses. Mas das cidades que já conheceu, como Rio de Janeiro ou Florianópolis, aqui é onde ...

    Leia mais
    lobao

    Gustavo Castañon: Não se iludam, eles não vão desistir do Brasil

    á roeram a corda a bem sucedida com papai Fifa e Lobão. O que fariam lá fora, hein? Eles não vão desistir do Brasil por Gustavo Castañon Preparem-se para a continuação da luta, companheiros, não se desarmem: essas fascistas que rasgaram a fantasia nas suas timelines não vão desistir do Brasil. Não vão para Miami porque o máximo que conseguiriam lá seria lavar pratos. Não vão para a Europa, aonde nem isso conseguiriam. Não. Aqui é o paraíso deles. Em que país da Europa eles poderiam pagar a carga tributária que pagam no Brasil, e ainda dizer que ela é alta? Onde lá poderiam pagar menos impostos que os pobres? Eles só gostam de ir para a Europa para fazer turismo. Não gostam de limpar a própria privada. Como disse o Aécio, muitos deles nunca fizeram nem sua própria cama. Como suportariam uma vida aonde precisam limpar a própria casa ...

    Leia mais
    blank

    Como denunciar os crimes de discriminação

    As discriminações contra nordestinos durante as eleições presidenciais são consideradas crime nos artigos 286 e 287 do Código Penal. Saiba como denunciar; é simples As discriminações contra os nordestinos durante as eleições presidenciais são considerados crime nos artigos 286 e 287 do Código Penal. E qualquer um pode denunciar.Para mobilizar e facilitar o trabalho de reunir essas manifestações de ódio e preconceito pelo Facebook, Twitter e demais redes sociais, um grupo criou o site Esses Nordestinos. A página reúne as postagens e fornece dicas de como denunciar diretamente para o Ministério Público Federal. “Enviar prints de manifestações xenofóbicas para este tumblr ajuda a expor o problema e gerar discussão, mas se você quer dar um passo adiante e fazer com que os autores das mensagens respondam por suas palavras, considere fazer uma denúncia formal no site do Ministério Público Federal”, explica o portal. Sem burocracia, é fácil fazer as denúncias. ...

    Leia mais
    blank

    “Mainardi demonstra ignorância e arrogância quando critica o Nordeste”, diz Hulk

    Em sua conta no Instagram, jogador paraibano respondeu às ofensas do jornalista em relação ao Nordeste Nesta terça-feira (28), o jogador paraibano Hulk utilizou seu perfil no Instagram para responder às críticas do jornalista Diogo Mainardi ao Nordeste. Segundo o atleta, que atualmente joga pelo clube russo Zenit St. Petesburg, “Mainardi demostra ignorância e arrogância quando critica o Nordeste”. O colunista da GloboNews integrou o coro preconceituoso contra os nordestinos após a confirmação da reeleição de Dilma Rousseff (PT). Na noite de domingo (28), durante o programa Manhattan Connection, ele teceu comentários bastante discriminatórios sobre a região. “Essa eleição é a prova de que o Brasil ficou no passado. Não é Bolsa Família, não é marquetagem. O Nordeste sempre foi retrógrado, sempre foi governista, sempre foi bovino, sempre foi subalterno durante a ditadura militar, depois com o reinado do PFL e agora com o PT. É uma região atrasada, pouco educada, pouco construída, que tem ...

    Leia mais
    blank

    MPF no Paraná recebe denúncias de racismo e preconceito depois das eleições

    O Ministério Público Federal no Paraná recebeu 49 denúncias entre domingo, dia da eleição, e esta segunda-feira (26) sobre discriminação étnico-racial. A maioria, segundo o MPF, faz referência negativa a nordestinos. São comentários e postagens feitas no Facebook que devem ser apuradas pelos procuradores competentes em cada área correlata. Em todos os estados do Nordeste, a presidente Dilma Roussef do PT teve a preferência percentual dos eleitores. Depois da definição do resultado na noite de domingo (26), manifestações preconceituosas contra a população da região invadiram as redes sociais. O MPF ressalta que essas 49 denúncias no estado são relativas somente ao levantamento feito no site da instituição e que outras reclamações formais podem ter sido feitas. Nem todas as denúncias são procedentes. Elas dependem de apuração e investigação. Um balanço completo pode ser divulgado nos próximos dias. Desde que foi confirmada a reeleição, a SaferNet, organização que acompanha crimes virtuais, ...

    Leia mais
    blank

    Os sete mitos das eleições 2014

    Mais perenes do que qualquer partido ou movimento político, algumas ideias sobre o que move os eleitores se repetem a cada eleição. No entanto, dados e detalhamentos das votações desafiam esse senso comum. O Estadão Dados analisou 7 erros mais repetidos JOSÉ ROBERTO DE TOLEDO, DANIEL BRAMATTI, DANIEL TRIELLI, DIEGO RABATONE, LUCAS DE ABREU MAIA E RODRIGO BURGARELLi Mito 1 Foi o Nordeste que elegeu Dilma Petista não teve menos de 40% dos votos em nenhuma das 5 regiões do Brasil É claro que o desempenho de Dilma Rousseff (PT) no Nordeste foi crucial para sua vitória: a petista teve 20 milhões de votos no 2.º turno, equivalente a 72% do total de votos válidos na região. Mas a presidente reeleita obteve um apoio razoável em todas as cinco regiões. O menor porcentual de votos válidos foi no Sul: o apoio de 41% dos eleitores que escolheram um candidato. A ...

    Leia mais
    blank

    Ana Moser: “Profundamente ENVERGONHADA com o papelão de alguns atletas do meu vôlei”

    A reeleição da presidente Dilma, neste domingo, gerou uma série de comentários nas redes sociais. Muitas pessoas comemoravam a vitória do PT, enquanto outras escolheram criticar. Houve até quem apelasse para o preconceito contra nordestinos, região onde a presidente teve a maioria de seus votos. Após ler diversos comentários deste tipo escrito por colegas do vôlei, a ex-jogadora Ana Moser criticou a postura deles. “Profundamente ENVERGONHADA com o papelão de alguns atletas do meu voleibol. Espalham o ódio, preconceito e falta de respeito pela democracia. Não é competição, é eleição. Não se veste de camisa de torcida, se toma um lado antes e depois o mesmo. Falta maturidade e bom senso político. Entraram no clima de Fla x Flu sem saber muito jogar o jogo”, escreveu ela em seu Twitter. Sem fugir dos questionamentos de seus seguidores, Ana Moser disse a quem estava se dirigindo. “Vi Sheilla, Nalbert e acho ...

    Leia mais
    oab

    OAB: ofendido por discriminação e xenofobia na internet pode entrar com uma representação no Ministério Público Federal

    Discriminação e xenofobia A OAB repudiou nesta segunda-feira (27) as manifestações de discriminação contra nordestinos e nortistas após a eleição presidencial ocorrida no domingo (26). “O Brasil é uma nação plural, tolerante e respeitosa. Essas manifestações preconceituosas contra nordestinos e nortistas advêm de uma minoria e merecem ser repudiadas pela sociedade brasileira”, afirmou o presidente nacional da Ordem, Marcus Vinicius Furtado Coêlho. As redes sociais foram invadidas por comentários preconceituosos e racistas após a reeleição da presidente Dilma Rousseff. A OAB, como voz constitucional do cidadão, repudia de forma veemente essas manifestações, contrárias ao conceito exposto na Carta Maior da construção de uma sociedade justa, solidária e fraterna. O cidadão que se sentir ofendido ou que testemunhe atos de preconceito pode entrar com uma representação no Ministério Público Federal. O procedimento pode ser feito pela internet, neste link.  http://cidadao.mpf.mp.br/…/formularios/formulario-eletronico Esses tipos de comentários preconceituosos se enquadram na lei lei 7.716/1989 ...

    Leia mais
    blank

    Xenofobia se converte em agressões contra imigrantes haitianos

    Desde julho, 13 trabalhadores do Haiti denunciaram espancamentos sofridos dentro de empresas em que trabalhavam, em Curitiba Felippe Aníbal – Gazeta do Povo O tórax do haitiano Mau­­rice*, de 26 anos, ainda dói quando faz movimentos bruscos. Há pouco mais de um mês, ele foi espancado até perder os sentidos, por dois colegas de trabalho. As agressões ocorreram dentro da cerealista da qual eram empregados. O rapaz foi surrado depois de pedir que parassem de lhe ofender por sua cor e condição de migrante. Além de, por mais de um mês, ter sido chamado diariamente de “escravo” e de “macaco”, aguentava colegas que lhe atiravam bananas, como forma de ofendê-lo. Mais do que os ferimentos físicos, é a dor do preconceito que incomoda o haitiano. “Eu falava pra eles: ‘Você é meu irmão. Sou humano igual a você, criado pelo mesmo Deus’. Mas me bateram, bateram e ninguém separou”, disse ...

    Leia mais
    Página 5 de 6 1 4 5 6

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist