terça-feira, julho 14, 2020

    Tag: Afro-americanos e suas lutas

    (Foto: Charles Rex Arbogast / AP)

    Manifestantes negros interrompem comício racista de Trump em Chicago

    A interrupção do comício eleitoral de Trump, em Chicago, aconteceu alguns dias antes da votação primária do Partido Republicano nesta próxima terça-feira (14), decisiva para a nomeação republicana. Alguns manifestantes carregavam cartazes em apoio a Bernie Sanders. Também acontece na mesma semana em que Trump, do lado republicano, e Bernie Sanders pelo lado democrata, venceram as eleições primárias no estado de Michigan, o primeiro estado importante do velho coração industrial norteamericano, chamado Rust Belt (Cinturão da Ferrugem), onde se incluem os estados de Ohio, Illinois, Wisconsin, Michigan e Pensilvânia. Veja aqui: Dezenas de imigrantes mexicanos participaram da ação nesta sexta-feira, em repúdio às persistentes mensagens de Trump de que um de seus primeiros objetivos é construir um muro na fronteira com o México financiado com o dinheiro dos mexicanos. Segundo a rede CNN, a mexicana Maria Hernandez, parte do grupo, declarou que inúmeros membros da comunidade negra e latina estão ...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site HuffPost)

    Estas 6 pessoas estão revolucionando a representatividade negra nos EUA

    Em fevereiro, o HuffPost Black Voices mostrou homens e mulheres negros que estão abrindo caminhos para um futuro melhor aos negros dos Estados Unidos. Como parte da nossa série Black Future Month (algo como Mês sobre o Futuro dos Negros), destacamos o trabalho de indivíduos que têm se esforçado para fazer deste mundo um lugar mais inclusivo para as futuras gerações. Para o episódio final da nossa série, reunimos aqui seis personalidades que estão produzindo plataformas inovadoras e ajudando a trazer uma melhor representação aos campos da arte e do entretenimento. Esperamos que você admire o trabalho desses indivíduos e participe da conversa online: #BlackFutureMonth. 1 Ryan Coogler | Diretor e co-fundador do 'Black Out For Human Rights' (Foto: Gabriel Olsen via Getty Images) Ryan Coogler é diretor, ativista e um contador de histórias incrível. Ele não só usa a sua plataforma como diretor para trazer histórias ...

    Leia mais
    Albert Woodfox, 2016 (Foto: © Marie-Anne Ventoura)

    Lia para manter minha sanidade mental, diz ex-Pantera Negra preso 45 anos numa solitária

    O ex-Pantera Negra Albert Woodfox afirmou nesta segunda-feira (22/02) que, durante o tempo em que permaneceu preso, no Estado da Louisiana, nos EUA, a leitura era um modo de “permanecer conectado com o mundo exterior” e essa conexão era única forma de não perder sanidade. Woodfox, que ficou preso por 45 anos em regime solitária, fez a declaração à emissora norte-americana Democracy Now!, na primeira entrevista que deu a um canal de televisão ou rádio após sair da prisão. “ era uma das ferramentas que nós usávamos para permanecer focados e conectados com o mundo exterior”, disse Woodfox, ao ser perguntado se ler era permitido durante a detenção. Ele especificou que costumava ler “livros de história e sobre Malcolm X”, além de obras de Martin Luther King, Frantz Fanon e James Baldwin. Woodfox foi libertado na última sexta-feira (19/02), dia em que completou 69 anos. Ele, a pessoa que passou mais ...

    Leia mais
    Barack Obama, o 44º presidente dos EUA (Foto: Alex Wong/Getty Images)

    Obama reúne ativistas do movimento negro para debater reforma da Justiça criminal dos EUA

    O presidente dos EUA, Barack Obama, reuniu vários ativistas do movimento negro norte-americano — principalmente da organização Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em tradução livre) — em um encontro na Casa Branca, na quinta-feira (18/02), para debater reformas na Justiça criminal do país. Britanny Packnett, do Black Lives Matter, e DeRay Mckesson, do mesmo movimento e co-fundador do We the Protestors e da Campanha Zero, estiveram na reunião, que também debateu a questão do uso da força policial. Além deles, participaram o pastor protestante e ativista de direitos civis Al Sharpton; Cornell Brooks, presidente do Naacp (Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor); o congressista John Lewis, democrata que representa o estado da Georgia, entre outros. Durante o encontro, Mckesson, que também é pré-candidato a prefeito de Baltimore, chegou a pedir ao presidente que considerasse o estabelecimento de um novo padrão para o uso da força pela polícia. ...

    Leia mais
    (Foto: Reprodução/ BBC)

    Americana de 106 anos dança de alegria em encontro com casal Obama

      Aos 106 anos, Virginia McLaurin realizou seu sonho de conhecer a Casa Branca, residência oficial do presidente dos Estados Unidos. McLaurin, que é negra, foi ciceroneada pelo casal Obama. Ela chegou a arriscar alguns passos de dança e disse estar muito feliz com a visita. "Nunca pensei que viveria para entrar na Casa Branca", afirmou. "Um presidente negro. E uma esposa negra. Estou muito feliz", acrescentou. McLaurin foi convidada pelo casal Obama para comemorar, segundo ela, a "história dos negros".

    Leia mais
    Albert Woodfox concede entrevista logo após ser solto (Foto: Bryn Stole / Reuters)

    Ex-Pantera Negra é libertado após 43 anos em solitária nos EUA

    Albert Woodfox, o detento mantido mais tempo em uma solitária nos EUA --43 anos-- foi libertado nesta sexta-feira (19), segundo confirmou o seu advogado de defesa. Woodfox, de 69 anos, era um dos Panteras Negras, grupo que militava por autodefesa dos negros contra o racismo e a violência policial, e tem o recorde de anos passados em isolamento em uma prisão americana. Na solitária desde 1972, acusado de ter participado do assassinato de um guarda prisional, Woodfox era o único membro do grupo de três prisioneiros condenados pelo crime que ainda estava detido. O trio, conhecido como Os Três de Angola, contava ainda com Robert King, que, depois de 29 anos na solitária, foi liberado em 2001, e Herman Wallace, que morreu poucos dias depois de ser solto, em outubro de 2013, após mais de 41 anos de isolamento. Woodfox estava preso na década de 1970 por assalto a mão armada ...

    Leia mais
    blank

    Ativista do Black Lives Matter anuncia pré-candidatura à Prefeitura de Baltimore

    DeRay Mckesson é um dos 13 pré-candidatos ao posto pelo partido Democrata; cidade teve fortes protestos por violência policial contra pessoas negras em 2015 no Opera Mundi O ativista do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em tradução livre) DeRay Mckesson anunciou nesta quarta-feira (03/02) sua pré-candidatura pelo partido Democrata à prefeitura da cidade de Baltimore, na costa leste dos Estados Unidos. “Eu não sou a solução para os desafios da nossa cidade — nenhum indivíduo sozinho o é. Mas juntos, com as ideias certas, a paixão certa, as pessoas certas, poderemos levar nossa cidade para uma nova direção”, escreveu Mckesson em seu blog no site Medium, onde anunciou a candidatura. O ativista também é um dos organizadores da iniciativa Campaign Zero (Campanha Zero) que luta pelo fim da violência policial nos EUA. Mckesson participou das manifestações que ocorreram em Ferguson, no Estado do Missouri, contra o assassinato do jovem negro Michael Brown ...

    Leia mais
    blank

    Livro conta história de Jeremiah G. Hamilton, primeiro milionário negro de Wall Street

    Jeremiah G. Hamilton, milionário que teve a vida retratada em "Prince of Darkness" por Rodolfo Lucena no Folha Armada de paus, pedras, cassetetes, tijolos, a multidão invadiu o Orfanato para Crianças Negras. Seus gritos de ódio vomitavam sangue: "Morte aos macacos!" Antes da invasão do prédio na Quinta Avenida de Nova York, entre as ruas 43 e 44, os funcionários conseguiram tirar do asilo as 233 crianças que eram atendidas lá. Furiosa por não encontrar suas vítimas, a massa tacou fogo no edifício, que queimou inteiro. Era o primeiro dia do Motim do Recrutamento (Draft Riots), que começou como revolta contra a convocação arbitrária de soldados para combater no Exército nortista, na Guerra Civil norte-americana, e se transformou em violência racial pura e simples. Na terça-feira, 14 de julho de 1863, a barbárie continuava. Hordas de brancos armados perseguiam, espancavam e matavam os negros que viam em seu caminho. Alguns grupos ...

    Leia mais
    blank

    Filme sobre revolta de escravos nos EUA é aplaudido de pé em Sundance

    Nate Parker usou mesmo nome do clássico 'The birth of a Nation', de D.W. Griffith no O Globo Em 1915, D.W. Griffith lançou o clássico do cinema mudo "O nascimento de uma Nação", que se tornaria um dos filmes mais controversos de todos os tempos por seu retrato estereotipado dos negros do Sul dos EUA e visão heróica da Ku Klux Klan. Um século depois, outro filme com o mesmo nome, mas uma história bem diferente, foi aplaudido de pé em sua premiére no Festival Sundance. O "Birth of a Naiton" de 2016 traz Nate Parker como roteirista, diretor e protagonista da história de Nat Turner, que liderou uma rebelião de escravos em 1831 na Virgínia. Segundo a "Variety", o filme recebeu os mais entuasiasmados aplausos até agora nesta edição de Sundance. "Fiz esse filme por um motivo: criar agentes de transformação", disse Parker numa entrevista coletiva após a exibição ...

    Leia mais
    blank

    Clooney se une às críticas por falta de diversidade no Oscar

    Em meio à polêmica pela falta de profissionais negros indicados ao Oscar pelo segundo ano consecutivo, o ator George Clooney se uniu nesta terça-feira às críticas feitas pelo diretor Spike Lee, que decidiu boicotar a cerimônia e, em comunicado enviado à revista Variety , afirmou que a Academia, como entidade, deve melhorar no futuro. "Há 10 anos, a Academia fazia um trabalho melhor. Havia mais afro-americanos indicados. Mas o problema não é quem são os indicados, mas quantas opções há disponíveis no cinema para as minorias, particularmente em filmes de qualidade", questiona o ator, vencedor de duas estatuetas. Clooney disse à Variety que Hollywood sempre passou por mudanças. Na década de 1930, exemplificou o ator, a maior parte das protagonistas eram mulheres. Atualmente, porém, é complicado para uma atriz de mais de 40 anos ter o papel principal de um filme. Além disso, ele destacou que, graças aos discursos de estrelas como Jennifer Lawrence ...

    Leia mais
    blank

    Jamie Foxx salva homem de carro em chamas

    Gente como a gente. Assim provou ser Jamie Foxx, de "Django Livre" (2012) e "Colateral" (2004). O ator salvou um homem de um carro em chamas em Los Angeles, EUA, nesta segunda-feira, 18. no Catraca Livre (Reprodução/Facebook/safetyforcitizens) O carro de Brett Kyle, 32, tombou próximo à casa de Foxx. Junto a um paramédico, o ator tirou o cinto de segurança do motorista e o arrastou para longe, a fim de protegê-lo em caso de o veículo explodir. No dia seguinte, Foxx publicou uma foto em seu Instagram com o pai do motorista. "Conheçam o pai do jovem de ontem à noite. Isso é tudo o que importa. A vida de um homem, um filho e irmão foi salva na noite passada. Deus abraçou a todos nós... não somos heróis, só pais felizes". Met the father of the young man from last night today. This is all that matters. That ...

    Leia mais
    Gregg DeGuire/WireImage

    Compositora e agora roteirista: Beyoncé vai escrever e protagonizar filme sobre escravidão

    Beyoncé já estrelou uma série de longa-metragens no passado – Dreamgirls, Obsessiva – todos muito bem recebidos pela crítica e grandes sucessos de bilheteria, e, aparentemente, ela pretende expandir ainda mais sua carreira no cinema em 2016. no Portal dos Famosos A hitmaker de Drunk in Love é uma das maiores, senão a maior, performers do mundo, mas ainda não é tão levada a sério nas telonas quanto deseja. E, desta vez, o projeto é ainda mais ambicioso: ela romantizará a poderosa história de , uma mulher negra vendida à escravidão por homens escoceses que precisou batalhar seu caminho até a liberdade novamente na corte inglesa. Saartje Baartman. De acordo com o The Mirror, Beyoncé já contratou um time de professores de teatro e roteiristas experientes para ajudá-la a trazer a trajetória de Baartman à realidade. Para completar, a cantora quer estrelar ela própria no filme como Saartjie, e um elenco de peso também pode estar encaminhado, mesmo que ...

    Leia mais
    blank

    30 Rare Portraits of African American Life in 1900

    Many American students have been taught about the landmark 1900 World’s Fair held for 7 months in Paris and attended by more than 48 million people. Far less known is the Exhibit of American Negroes, coordinated by three African American men — scholar W.E.B. Dubois, assistant librarian at the Library of Congress Daniel Murray, and lawyer Thomas Calloway. The purpose of the exhibit, which was housed at the World’s Fair, was to showcase African American life, achievement and contributions to society. Dubois described it as “an honest straightforward exhibit of a small nation of people, picturing their life and development without apology or gloss, and above all made by themselves. In a way this marks an era in the history of the Negroes of America.” Do Blackgirllonghair The exhibit included more than 500 photos as well as black scholarly work, official paperwork displaying black inventions and documentation on the progress ...

    Leia mais
    Rosa Parks reproduzindo a cena que mudou os rumos da História - Getty Images

    Há 60 anos, Rosa Parks se recusava a ceder lugar a um homem branco em ônibus

    Há 60 anos, a costureira Rosa Parks se tornou referência na luta antirracismo nos Estados Unidos. Na década de 50, em Montgomery, no Alabama, as leis de segregação racial ainda regiam a vida das pessoas. E era comum que uma mulher negra ficasse escondida e em segundo plano quando próxima de uma mulher ou homem branco em algum ambiente público ou até mesmo na rua. Mas em 1 de dezembro de 1955, Parks fez história. Naquela época, as primeiras filas dos ônibus eram, por lei, reservadas para passageiros brancos. Atrás ficavam os assentos permitidos para negros. Rosa Parks utilizava um desses ônibus para ir e voltar do trabalho. Neste dia, ela sentou-se em um dos lugares reservados aos brancos. Quando o motorista exigiu que ela e outros três negros se levantassem para dar lugar a brancos que haviam entrado no ônibus, Parks se negou a cumprir a ordem.Ela continuou sentada ...

    Leia mais
    blank

    Após morte de filho, pianista promove sessões de jazz em apartamento em NY

    O apartamento está apinhado de gente. Um padre estica o pescoço do fundo da cozinha. Ouve-sem inglês, francês, português, coreano. Ouve-se música. É domingo à tarde no extremo norte da ilha de Manhattan. na Folha O apartamento de Marjorie Eliot se tornou atração de Nova York com sessões dominicais de jazz que a pianista promove desde 1993. Os encontros são musicais, mas também espirituais e, ainda, politizados. A anfitriã não revela a idade, mas tem pique de adolescente. Ela abre a porta, recebe gente do mundo inteiro, pergunta como cada um vai. Arruma as cadeiras, aponta o banheiro e atende o telefone, que não para de tocar. Assim, Eliot enfrenta o dia da semana em que perdeu, em 1992, um de seus cinco filhos. A música, explica ela, a ajuda a encontrar "beleza na dor". Uma dor sem fim. Poucos meses atrás, a pianista perdeu o terceiro filho. "Há coisas ...

    Leia mais
    Tuíte veio acompanhado de uma foto dos dois jovens, ainda em preto e branco, e uma atual. (Fotos: The White House/Fotos Públicas)

    Casal Obama completa 23 anos de matrimônio

    O casal Barack e Michelle Obama completou 23 anos de casamento neste sábado (03) e a Casa Branca aproveitou a data para parabenizar o presidente e a primeira-dama norte-americanos. "Feliz aniversário, Potus e Flotus", escreveu na conta em referência à sigla em inglês que significa Presidente dos Estados Unidos e Primeira-Dama dos Estados Unidos. O tuíte veio acompanhado de uma foto dos dois jovens, ainda em preto e branco, e uma atual. A cerimônia de matrimônio ocorreu em 1992, quando ele tinha 31 anos e ela 28. Os dois são pais de duas meninas, Malia e Sasha. (ANSA)

    Leia mais
    blank

    Viola Davis é a primeira negra a ganhar o prêmio de melhor atriz no Emmy e faz discurso emocionante

    Viola Davis fez história durante a premiação do Emmy deste ano. Ela se tornou a primeira mulher negra a ganhar o prêmio de melhor atriz em série dramática em 67 anos de existência do prêmio. Por RAFAEL ALOI, do Papel Pop A atriz levou a estatueta pelo seu papel de protagonista na série “How To Get Away With Murder”. Viola Davis ficou surpresa e emocionadíssima com o prêmio e ao subir ao palco fez um forte discurso em que falou sobre a questão das mulheres negras em Hollywood. “Em meus sonhos e visões, eu via uma linha, e do outro lado da linha estavam campos verdes e floridos e lindas e belas mulheres brancas, que estendiam os braços para mim ao longo da linha, mas eu não poderia alcançá-las”, disse Viola Davis, citando Harriet Tubman. “Deixem-me dizer uma coisa: a única coisa que separa as mulheres de cor de qualquer outra ...

    Leia mais
    blank

    Hoje na História, nascia Jesse Owens, o homem que venceu o racismo

    Era 1934 e grande parte do mundo sofria a duras penas as consequências do nazismo. Em contrapartida, neste mesmo ano, Jesse Owens ajudava a mostrar, para quem quisesse ver, que havia algo errado nas teorias de Hitler a respeito da superioridade da raça ariana. E, na terra do “Führer”, Owens, o atleta negro e norte-americano, conquistava um total de quatro medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Berlim. por Rariana Pinheiro, no Diário da Manhã Ele foi o melhor nas corridas de 100 e 200 metros rasos, no salto em distância e no revezamento 4×100 metros. “É difícil imaginar como me sinto feliz. Pareceu-me que quando corria eu possuía asas. O entusiasmo esportivo dos espectadores alemães me causou profunda impressão, especialmente a atitude cavalheiresca da assistência. Podem dizer a todos que agradecemos a hospitalidade germânica”, disse emocionado o atleta ao final da primeira corrida. Mas, o mesmo ele não podia dizer do ...

    Leia mais
    (Foto: Imagem retirada do site NAACP)

    LDF Statement on the Passing of Model Social Justice Advocate Lynn Walker Huntley

    The NAACP Legal Defense and Educational Fund (LDF) deeply mourns the passing of Lynn Huntley.  Ms. Huntley was an accomplished civil rights lawyer, a beloved member of the LDF family, a tireless advocate for racial justice and key architect of philanthropic support for civil rights and social justice. Although Ms. Walker Huntley is known to many for her illustrious career in philanthropy, her early career was forged as a civil rights lawyer at the LDF, joining Elaine Jones – who became a lifelong friend who became a lifelong friend and later LDF's 4th Director-Counsel – among a cadre of brilliant young woman attorneys in LDF’s Columbus Circle offices. It was fitting that Ms. Walker Huntley would follow in the footsteps of Judge Constance Baker Motley, the exceptional former LDF litigator for whom Ms. Walker Huntley clerked on the Southern District of New York. Ms. Walker Huntley’s litigation docket spanned cases involving prison ...

    Leia mais
    Página 5 de 14 1 4 5 6 14

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist