quarta-feira, novembro 25, 2020

    Tag: esportes

    Cam Newton usa camiseta com frase de Martin Luther King antes de jogo

    O quarterback do Carolina Panthers Cam Newton entrou na onda dos protestos de Charlotte ao usar uma camisa com uma frase do notório ativista dos direitos humanos Martin Luther King Jr., antes da partida do seu time neste sábado. no UOL O atual melhor jogador da NFL, a liga de futebol americano, roubou a cena no aquecimento pré-jogo com uma camiseta preta com uma frase de Martin Luther King nas costas, com os dizeres "Injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todo lugar." O posicionamento de Newton dentro de campo veio cinco dias depois que um homem negro, Keith Scott, foi baleado e morto por um policial negro em Charlotte. As manifestações têm sido constantes há quase uma semana na cidade da Carolina do Norte, e houve presença reforçada de policiais do lado de fora do estádio dos Panthers, onde manifestantes realizavam um ato enquanto torcedores chegavam ...

    Leia mais
    LONDON, ENGLAND - SEPTEMBER 21: John Heitinga of Everton wears rainbow-coloured shoe laces as part of a campaign against homophobia in football before the Barclays Premier League match between West Ham United and Everton at the Boleyn Ground on September 21, 2013 in London, England. (Photo by Ian Walton/Getty Images)

    Itália e a sexualidade escondida no ‘esporte de macho’

    “A Itália ainda é um país homofóbico e racista, de certa maneira. Nós estamos longe da liberdade presente atualmente em outros lugares, como Estados Unidos e Inglaterra. Nós precisávamos ensinar respeito ao próximo na escola”, disse Giovanni Licchello, único ex-jogador de futebol assumidamente gay na Itália, ao Gazzebra. por Murillo Moret, do Gazzebra no ESPN O pensamento em agosto de 2008, quando a revista GQ foi às bancas com uma entrevista com jogadores da Fiorentina, era bastante parecido com o atual: no esporte, hostilidade. Em resposta às falas dos atletas, a antiga deputada pelo Partido Democrata Paola Concia declarou que é "impossível um jogador dizer que é homossexual, e os atletas da Viola falaram claramente porque o mundo do futebol e os torcedores são 'machos' e homofóbicos". Participaram desta conversa no vestiário florentino Marco Donadel, Giampaolo Pazzini, Alessandro Gamberini e Sebástien Frey. Os dois primeiros afirmaram que, provavelmente, nunca encontraram um gay no futebol. O zagueiro ...

    Leia mais

    Ricardo de Oliveira conquista primeiro ouro do Brasil nas Paralimpíadas

    O Brasil ganhou a primeira medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos 2016. Ricardo Costa de Oliveira conquistou o ouro no salto em distância na categoria T11 (cego total). do EBC O brasileiro venceu no último salto, quando alcançou a marca de 6 metros e 52 centímetros. A prata ficou com o norte americano Lex Gillete que saltou 6 metros e 44 centímetos. Bronze para o ucraniano Ruslan Katyshev com 6 metros e 20 centímetros.

    Leia mais

    Usain Bolt posta foto ao lado da namorada com mensagem de amor

    Após passar por uma "saia justa" nos Jogos Olímpicos 2016, ao ter fotos íntimas reveladas na internet ao lado de uma brasileira, o velocista jamaicano Usain Bolt parece ter superado o escândalo de vez. Há 5 dias, a impressa internacional revelou que, apesar da crise com a namorada Kasi Bennett, por conta do vazamento das fotos e tantas notícias sobre o término do casal, os dois estariam juntos. no Catraca Livre Para provar que o amor entre eles ainda está firme e, de quebra, provocar a imprensa que noticiou um possível rompimento, Bolt postou em sua conta do Instagram uma foto ao lado de sua amada, com quem está junto por volta de dois anos, com a seguinte mensagem: "If you believe what you read, them you don't know us" ("Se você acredita no que lê, então você não nos conhece". A imagem recebeu mais de 54 mil likes cerca de ...

    Leia mais

    Janeth Arcain: ‘Esporte me fez superar preconceito racial e de gênero’

    Ex-jogadora de basquete competiu em quatro Olimpíadas, ganhando medalhas em duas delas. Em 2016, a ex-atleta também participou do maior evento esportivo do mundo, mas fora das quadras, como prefeita da Vila Olímpica. Janeth Arcain desenvolve projetos para levar esporte e inclusão social a jovens de baixa renda. no Nações Unidas Janeth Arcain foi a prefeita da Vila Olímpica dos Jogos Rio 2016. Foto: ONU Mulheres / Gustavo Stephan Janeth Arcain já participou de quatro Olimpíadas como jogadora da seleção brasileira de basquete. Em duas delas, trouxe medalhas para o Brasil. Em 2008, em Pequim, ela participou novamente do maior evento esportivo do mundo, mas desta vez como representante da candidatura do Rio de Janeiro ao posto de sede dos Jogos Olímpicos. Oito anos depois, ela se tornaria prefeita da Vila Olímpica da Rio 2016. Em entrevista exclusiva ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Janeth conta como o esporte ...

    Leia mais

    Capacitismo não tem fim. Sanidade editorial, sim

    A revista Vogue, preferida pela classe A e B para contemplar as ofertas fashions de Milão, Paris e New York, acaba de apresentar ao mundo a maior campanha capacitista já publicada no século XXI.  Não é a primeira vez que a revista se envolve em campanhas polêmicas: fez outubro rosa para falar de câncer, sem mulheres de câncer e matéria com crianças em poses sensuais com direito à denúncia ao MPF. Direitos Humanos e respeito à dor alheia não é o forte da revista, pois como antropóloga eu achava que devia ler de tudo, e confesso, gosto de moda, e amo a blogueira de beleza da Vogue, Vic Ceridono, que eu li por anos, mas deixei de comprar a revista na absurda matéria fotográfica de Vogue Kids: me deu vômito. por Luíse Bello no Think Olga  Agora, a revista faz uma matéria sobre Jogos Paralímpicos sem os atletas, com artistas globais ...

    Leia mais
    RIO DE JANEIRO, BRAZIL - AUGUST 18: Isaquias Queiroz dos Santos of Brazil celebrates after winning bronze in the Men's Canoe Single 200m Final at the Lagoa Stadium on Day 13 of the 2016 Rio Olympic Games on August 18, 2016 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Mike Ehrmann/Getty Images)

    Isaquias será o porta-bandeira do Brasil na cerimônia de encerramento da Rio 2016

    O maior medalhista do Brasil em uma única Olimpíada, com duas pratas e um bronze, Isaquias Queiroz, de 22 anos, vai ser o porta-bandeira do País na cerimônia de encerramento do evento, que acontece amanhã (21), a partir das 20h no Maracanã, no Rio. Do Brasil Post A informação foi confirmada no início da tarde deste sábado (20) e encheu de alegria o baiano. Antes mesmo de conquistar as medalhas e o carinho de todos os brasileiros, Isaquias já sonhava em ser porta-bandeira no encerramento. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o canoísta compartilhou o desejo: "Espero carregar a bandeira do Brasil na cerimônia de encerramento da Olimpíada. Mas, para isso, preciso estar com as três medalhas no peito e ser um dos grandes nomes dos Jogos. Espero voltar para casa com dever cumprido. Eu gosto de festa, pra caramba, e quero fazer a minha no Rio." Dito ...

    Leia mais

    28 atletas mostram que a Rio 2016 foi a Olimpíada dos cabelos crespos

    A Olimpíada Rio 2016 teve momentos maravilhosos de representatividade. por Ana Júlia Gennadi e Elizabeth Costa no HuffPost Brasil Teve pedido de casamento lésbico e gay. Teve nordestino levando prata e negra periférica levando ouro. Teve também mulheres arrasado nos esportes e quebrando vários tabus, como falar de menstruação e dar lindas respostas feministas a algumas situações onde o machismo tentou prevalecer. Dentro de todas estas maravilhas, também está o poder dos cabelos crespos dos atletas negros. Assumir o crespo não é algo simples, mas sim um ato político. O padrão dos cabelos liso ainda pressiona socialmente que tem o cabelo crespo e faz com que as pessoas sejam pressionadas, desde crianças, a odiarem seus cachos e seus crespinhos. Por isso, o HuffPost Brasil separou 28 atletas, mulheres e homens, com cabelos crespos belíssimos em diversos penteados como afro, black power, trancinhas ou dreadlocks: 1. Brittney Griner - basquete, EUA Reprodução/ instagram 2; DeAndre Jordan - basquete, EUA Reprodução/ instagram 3. Ellia Green - rugby, Austrália Reprodução/ ...

    Leia mais

    Caster Semenya deixa preconceito e rivais para trás e conquista ouro nos 800m

    Depois de ter de passar por testes para comprovar ser mulher em 2009, sul-africana coroa carreira com primeiro título olímpico, com tempo de 1m55s28 e recorde Por Edgard Maciel de Sá, Fabrício Marques, Helena Rebello e Marcos Guerra no O Globo Caster Semenya se destaca no pelotão da final dos 800m rasos. Não por causa do seu corpo musculoso, e sim por ser inalcançável. Neste sábado, a sul-africana, que sofreu com acusações de ser homem, virou de vez a página dos questionamentos e conquistou o ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro. Com o tempo de 1m55s28, ela quebrou o recorde de seu país e superou com sobras Francine Niyonsaba, de Burundi (1m56s49). A queniana Margaret Wambui completou o pódio (1m56s89). - O sonho se tornou realidade. Eu dediquei minha vida a isso. Sabia o que eu queria. Depois de trabalhar duro, você ganha a medalha. É tudo foco e saber ...

    Leia mais
    2016 Rio Olympics - Athletics - Final - Men's 200m Final - Olympic Stadium - Rio de Janeiro, Brazil - 18/08/2016. Usain Bolt (JAM) of Jamaica leads on his way to winning the gold. REUTERS/Fabrizio Bensch FOR EDITORIAL USE ONLY. NOT FOR SALE FOR MARKETING OR ADVERTISING CAMPAIGNS.

    Usain Bolt: 9 curiosidades sobre os 9 ouros do mito em Olimpíadas

    A lenda jamaicana do atletismo diz ter se despedido dos Jogos no Rio de Janeiro no Terra Usain Bolt conquistou na noite de sexta-feira o que ele alega ser seu último ouro olímpico. No revezamento 4x100 m, se tornou tricampeão em três provas, sendo ouro nos 100 m, 200 m e 4x100 m em 2008, 2012 e 2016. A despedida perfeita para o maior e mais veloz corredor de todos os tempos. O que resta para se contar sobre as participações olímpicas de Bolt? Existem histórias além dos ouros? Existem. Abaixo, o LANCE! separou nove curiosidades sobre as campanhas olímpicas que renderam nove ouros ao raio: Correu menos de 8 minutos olímpicos  Bolt corre as provas mais curtas do atletismo. Assim, o tempo que passa realmente disputando provas é muito baixo. Somando suas quatro participações olímpicas (ele disputou as eliminatórias dos 200 m em 2004), ele não correu nem sete ...

    Leia mais

    Samia Yusuf Omar a atleta somali que morreu cruzando o Mediterrâneo por um sonho olímpico

    A corredora somali Samia Yusuf Omar não faz parte do primeiro time de refugiados que estreou nesta Olimpíada no Rio. Em 2012, tentou cruzar o Mediterrâneo em um bote de borracha, que naufragou. Determinada, tinha atravessado o deserto rumo à Líbia e tentava chegar à Itália, em busca de um técnico. Seu sonho era continuar treinando e correndo. no BBC Samia participou da Olimpíada de Pequim em 2008, representando seu país nos 200 metros rasos. Com a escalada dos conflitos e o avanço da pobreza na Somália, porém, manter os treinos e mesmo ter o que comer se tornou impossível. Partiu rumo à perigosa e longa jornada para a Europa. Agora sua história de superação e tragédia virou livro em quadrinhos e ganhou o mundo. "Espero que este livro mostre às pessoas que refugiados não são apenas números", disse à BBC Brasil o ilustrador alemão Reinhard Kleist, autor de Der ...

    Leia mais

    Rio 2016: Simone Manuel calls out police brutality after historic Olympic swimming victory

    Rio 2016: Simone Manuel calls out police brutality after historic Olympic swimming victory By Vox Simone Manuel defied America’s racist swimming history in 52:70 seconds Thursday night when she became the first African-American woman to win any individual medal in swimming, let alone the gold. Manuel tied for first place, setting an Olympic record with Canadian swimmer Penny Oleksiak. But Manuel also recognized that her historic victory is inextricably tied to the fight for justice against police violence in the country she represents. "It means a lot, especially with what is going on in the world today, some of the issues of police brutality," Manuel said to reporters after her gold medal performance. "This win hopefully brings hope and change to some of the issues that are going on. My color comes with the territory." Indeed, for many people of color, the Olympics are an opportunity to show they’re the ...

    Leia mais

    Única, poderosa, absoluta

    Espetacular! no HuffPost Brasil A incrível Simone Bailes, ouro na ginástica artística, colocou seu nome na história mundial da ginástica e ainda maravilhosa fez uma ressalva sobre as comparações com os homens. Única, poderosa, absoluta: “Não sou o próximo Usain Bolt ou Michael Phelps. Eu sou a primeira Simone Biles.” Na perfomance da tarde desta quinta-feira (11), a maior campeão da história da modalidade mostrou técnica, flexibilidade e agilidade com perfeição.  

    Leia mais

    Rafaela Silva namora há três anos uma ex-judoca: ‘Agora eu me realizo nela’

    Não foi apenas a medalha de ouro e a glória olímpica que o judô deu para Rafaela Silva: o esporte também lhe trouxe um amor. Foi também no Instituto Reação, onde treina, que ela conheceu Thamara Cezar, com quem comemora três anos de namoro no próximo dia 27. no Extra Na hora da conquista da medalha, na última segunda-feira, Thamara estava longe da família de Rafaela porque prefere assistir às lutas afastada, e por isso as duas ainda não se viram. Mas a moça conta o que falou para a namorada quando conversaram pelo telefone, logo após o ouro: — Disse que ela era [email protected]$% e que tinha conseguido o que queria. Campeã sul-americana de judô duas vezes antes de encerrar a carreira , ela se derrete ao falar da amada: — Agora eu me realizo nela, a acompanho sempre nas lutas e treinos. Nos perfis da medalhista nas redes ...

    Leia mais

    O dia em que o judo venceu o racismo

    Depois de ter sofrido uma onda de críticas e comentários racistas quando foi precocemente eliminada nos jogos de Londres, em 2012, a judoca Rafaela Silva venceu muito mais que o ouro neste Rio 2016. no TSF É brasileira, é negra, tem 24 anos e é a nova campeã olímpica de judo. Rafaela Silva conquistou esta segunda-feira a medalha de ouro na categoria de -57 kg, na qual Telma Monteiro trouxe o bronze para Portugal. Venceu todas as cinco atletas que encontrou. Na final, derrotou a número um do ranking mundial, a mongol Sumiya Dorjsuren. Foi o esperado dia de glória de Rafaela Silva. A judoca não só ganhou o primeiro ouro para o Brasil nestes Jogos Olímpicos como fez história, ao tornar-se na primeira mulher brasileira a ser campeã mundial e olímpica de judo. Era uma vez na favela É conhecida pela "fome de competir", mas o caminho até ao ...

    Leia mais

    Com pose inspirada em Bolt, a jovem Toni-Ann Williams é a 1ª jamaicana da ginástica em Jogos

    Nascida nos Estados Unidos, Toni-Ann Williams decide representar suas origens e espera inspirar algum crescimento da modalidade esportiva na terra de seus pais Por Amanda Kestelman e Marcos Guerra, do Globo Esporte  Pela primeira vez na história, a bandeira jamaicana foi representada no tablado de ginástica artística dos Jogos Olímpicos. Tradicional e vitoriosa nas pistas de atletismo, a nação rompeu mais uma barreira e trouxe para a Rio 2016 uma representante que difere dos velocistas não só pela modalidade. Basta falar com Toni-Ann Williams para o seu sotaque entregar que se trata de uma jovem nascida nos Estados Unidos. Com origem familiar forte na Jamaica, ela decidiu, há cinco anos, que tentaria representar o país no Rio de Janeiro. - Estou muito feliz por representar a Jamaica. Espero que as crianças de lá vejam que podem tentar a ginástica também. Quando tinha 15 anos e visitei minha família no país, ...

    Leia mais

    A ”papa-ouros” chegou: Simone Biles brilha e brigará por cinco títulos no Rio

    Aos 19 anos, fenômeno dos Estados Unidos confirma expectativa e tem atuação de gala na classificatória da ginástica, liderando em três aparelhos e no individual geral por Amanda Kestelman, João Gabriel Rodrigues e Marcos Guerra, do Globo Esporte  Guarde esse nome: Simone Biles. Você vai ouvir falar dela nas próximas semanas e, muito provavelmente, nos próximos anos. Se trata de uma gigante de apenas 1,45m que talvez tenha tido a atuação mais impressionante desde a abertura dos Jogos do Rio de Janeiro. Uma ginasta que tem técnica, talento e soma uma tranquilidade impressionante. Em sua estreia olímpica, confirmou a enorme expectativa que foi criada ao seu redor. Sem sentir pressão alguma, ainda brindou a torcida com sua série de solo ao som de música brasileira: Mas Que Nada, de Sérgio Mendes. E Simone, mais do que nunca, se reafirmou como candidata a ''papa-ouros'' da ginástica artística. A americana se credenciou na ...

    Leia mais

    Delegação de refugiados formada por atletas imigrantes estreia no Rio

    Eles vão competir pela bandeira olímpica e não pela de seus países. Saiba mais sobre os dez atletas dessa delegação. Por Marcos Uchôa, do Jornal Hoje Falta uma semana para o começo da Olimpíada do Rio. Na próxima sexta-feira (5), tem abertura no Maracanã e o Rio de Janeiro já está no clima dos jogos. Mais 30 voos chegam nesta sexta (29) trazendo atletas de várias partes do mundo. Entre eles, estava uma equipe muito especial: a de atletas refugiados que vão disputar atletismo. A segunda metade da delegação de refugiados chegou nesta sexta. São cinco atletas, todos corredores. Os três homens e as duas mulheres só viraram atletas no último ano. Eles são do Sudão do Sul, mas fugiram ainda crianças de uma longa guerra de independência, seguida de uma guerra civil que ainda não acabou. As duas atletas, Anjelina e Rose, fazem coro ao dizer como é especial ...

    Leia mais

    Africanos prometem dominar provas de longas distâncias no atletismo do Rio-2016

    Nas provas de longa distância, etíopes e quenianos costumam bagunçar o mapa-múndi e colocar o continente africano no centro das atenções em Jogos Olímpicos. Na opinião do técnico Ricardo D’Angelo, do Clube de Atletismo BM&F Bovespa, fatores como a altitude de várias cidades, o potencial genético e a cultura esportiva explicam o bom desempenho dos africanos. Por Belo Horizonte Do Hoje em Dia A etíope Genzebe Dibaba é um dos nomes em evidência. Irmã de Tirunesh Dibaba, tricampeã olímpica, e de Ejegayehu Dibaba, prata em Atenas, ela é a atual recordista mundial dos 1.500 metros com 3min50s07, marca estabelecida no Mundial de Pequim-2015. Genzebe tentará escrever seu nome na história dos Jogos nos 5.000 metros no qual conquistou bronze em Pequim. Sobre sua trajetória recente, no entanto, paira uma dúvida. Seu técnico, o somali Jama Aden, foi preso no mês passado acusado de administrar substâncias dopantes a seus atletas. A também ...

    Leia mais

    Chester Williams, campeão mundial de rugby na África do Sul esteve em Curitiba para o tour da tocha

    Campeão mundial de rugby na África do Sul, Chester Williams é exemplo contra o apartheid e sua história virou filme. Ele esteve em Curitiba para o tour da tocha Por Fernando Araújo no Globo Esporte O ex-jogador de rugby, Chester Williams, está acostumado a grandes emoções. Em sua trajetória tem um título mundial pela seleção da África do Sul vencendo barreiras internas que vão além do esporte e que foram inspiração para o então presidente Nelson Mandela. A saga do jogador e do presidente se transformaram no filme Invictus, de Clint Eastwood, ampliando sua importância como um dos destaques na luta contra o racismo. Nesta semana, Chester Williams esteve em Curitiba para participar do revezamento da tocha olímpica, que foi outra grande emoção. Ele conta ter sentido felicidade próxima à quando foi o primeiro negro a levantar uma taça de campeão por um time de rugby da África do Sul. - ...

    Leia mais
    Página 2 de 32 1 2 3 32

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist