terça-feira, janeiro 26, 2021

Tag: #memoriatemcor

Coalizão Negra por Direitos

Manifesto Luto em Luta por João Pedro

Manifesto Luto em luta por João Pedro e todas pessoas negras vítimas da violência do Estado “Eles não mataram só o João, mataram o pai, uma mãe, uma irmãzinha de 5 anos” - Neilton Pinto, pai de João Pedro Mattos Pinto, 20 de maio de 2020. O que aconteceu com João Pedro tem nome: é genocídio. Por ser um jovem negro, seu corpo foi alvo fácil! Nosso manifesto é por João Pedro e também por todas as pessoas que estão na mira do genocídio! Não estamos, nem ficaremos calados diante do genocídio! Exigimos providências! Este crime bárbaro é mais um, que por comover todo país, torna-se símbolo da necropolítica colocada em prática pelo Estado brasileiro, capaz de manter violentas operações policiais em favelas e periferias mesmo em tempos da mais mortal pandemia que o país da viveu. Pedro e sua família obedeciam a orientação do Governador Witzel e dos organismos ...

Leia mais
Wilson Witzel (PSC) participa de reunião virtual com lideranças comunitárias, membros da Anistia Internacional e a deputada estadual Mônica Francisco (PSOL) — Foto: Divulgação/Imagens retiradas do site G1

Morte de João Pedro pode provocar mudanças no protocolo de atuação de policiais nas favelas do RJ, diz deputada

A morte de João Pedro Mattos Pinto, de 14 anos, durante uma operação conjunta das polícias Federal e Civil do RJ no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, Região Metropolitana do RJ, pode provocar uma mudança no protocolo de atuação de policiais nas favelas do estado. Essa foi a promessa feita pelo governador Wilson Witzel (PSC), durante uma reunião virtual com lideranças comunitárias, membros da Anistia Internacional e a deputada estadual Mônica Francisco (PSOL), na última terça-feira (19). O governo do estado confirmou o encontro e disse que irá encaminhar todas as demandas levantadas durante a reunião para os secretários de Polícia Militar, coronel Rogério Figueredo, e de Polícia Civil, Marcus Vinicius. Segundo Jurema Werneck, da Anistia Internacional, o governador precisa assumir o controle das polícias. "A Anistia quer entender que comportamento é esse, onde João Pedro foi morto quando foi anunciado que só havia crianças ali. Não é dever ...

Leia mais
(Foto: Geledés)

‘Gritamos que só tinha criança, e tacaram duas granadas e deram muitos tiros’, diz testemunha da morte de João Pedro

“A gente foi, deitou no chão, levantou a mão. Matheus começou a gritar que só tinha criança... Aí, eles tacaram duas granadas assim na porta da sala, que quem tava mais perto da porta era eu e João. Aí, eles deram muitos tiros nas janelas." Esse é o relato de um dos adolescentes que estavam na casa onde o menino João Pedro Mattos Pinto, de 14 anos, foi morto. João foi baleado na segunda-feira (18), durante uma operação da Polícia Federal com apoio da Polícia Civil no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. O amigo de João ainda acrescentou: "Assim, a gente saiu correndo pro quarto. Daí os policiais entraram, mandaram a gente deitar no chão e todo mundo calar a boca. As polícias deram tiro no Matheus enquanto ele levava João no carro pro helicóptero pegar ele." O corpo do menino foi enterrado na ...

Leia mais
drasko/ThinkStock/

Ode à bala perdida

Quando solta no mundo Atravessando paredes E muros Do cano de metal Observas a rotina Nunca conhecestes Condomínios e Bairros de luxo Nem sabe o cheiro Do hidratante Da pele da madame Celebram a tua indiferença Quando em aros perfeitos Já há muito Pinta alvos As negras peles Já a pressentem E nem famílias Nos dominicais passeios Escapam das investidas Pelotões verde-olivas De valor cínico e massacre Também ronda escolas E gosta de ensinar Lições de dor e sofrimento Alvejar Uniformes e estudantes Das manchas de sangue Nódoa irreparável De truculência Tem o poder De calar Vozes que insistem Em dizer: "A milícia está nua" E não há roupa Cristã ou conservadora Que tape suas impudicícias A vida estará presente! Na franca luta De nossos dias Ainda te dizem perdida No trottoir cego Rondas misteriosas Matagais e desaparecidos Alguém os viu?! Só a morte Em seu vagar absoluto Vendo de ...

Leia mais
Mayara Silva de Souza /Foto: arquivo pessoal

Não existem normas ou técnicas que salvam as Vidas Negras na prática

Tecnicamente é errado falar que adolescentes e jovens são presos, isso porque a Constituição Federal brasileira além de afirmar que estes são sujeitos de direitos que devem ser assegurados de maneira prioritária pelas famílias, sociedade e Estado, também determina que as pessoas com menos de 18 anos são penalmente imputáveis. Portanto, não podem receber tratamento igual ou mais gravoso que as pessoas adultas, mas podem ser apreendidos se forem responsabilizados por algum ato infracional contrário a legislação, o que não exclui ou diminui suas responsabilidades. A legislação determina que adolescentes e jovens podem ser internados em estabelecimentos educacionais: as chamadas de medidas socioeducativas. Entretanto, vemos que prática são frequentemente as notícias das graves violações de direitos dentro destes estabelecimentos, que teoricamente devem cumprir uma função de ressocialização. Ainda, os relatos vindos das famílias reforçam o entendimento que as condições para realização de visitas são iguais às condições do sistema prisional. ...

Leia mais
(Foto: Marta Azevedo)

Escalada homicida

Durou pouco, quase nada, o armistício na segurança pública do Rio de Janeiro em prol do enfrentamento à pandemia de Covid-19. Após a trégua extraoficial observada nas duas primeiras semanas de isolamento social, as mortes decorrentes da atuação policial retomaram a trajetória explosiva iniciada em 2018, com a intervenção federal liderada pelo general Braga Netto, hoje chefe da Casa Civil do Planalto, e intensificada no ano passado, primeiro de Wilson Witzel à frente do Palácio Guanabara. Levantamento do Observatório da Segurança RJ, projeto do CESeC, mostra que, de 15 de março (início das medidas de distanciamento) a 19 de maio, a polícia fluminense matou 69 pessoas, contra 72 no mesmo período de 2019. Se no primeiro mês da quarentena a letalidade policial caiu 82%, em abril e maio, o número de casos apavora. Em abril, houve 30 homicídios em operações policiais, 11 a mais que um ano antes. Este mês, ...

Leia mais
Bianca Santana (Foto: Caroline Lima)

Pandemia reforça que determinadas vidas não valem nada, diz escritora

A morte de João Pedro Matos Pinto, de 14 anos, baleado dentro da casa de seu tio em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, durante uma operação da Polícia Federal com apoio das polícias Civil e Militar fluminenses, é um reflexo do que a escritora Bianca Santana, doutora em ciência da informação e mestra em educação pela USP, classifica como um genocídio da população negra no Brasil. Integrante da Uneafro Brasil e da articulação da Coalizão Negra Por Direitos, Bianca participou da live Ao Vivo Em Casa promovida pela Folha nesta quarta-feira (20) e criticou duramente a ação policial no Rio. “Imagina o seu filho, dentro da sua casa, brincando com os primos, e o Estado brasileiro abrir a porta e atirar na sua criança. Não é acaso, não é bala perdida, não é violência. É uma política deliberada do Estado brasileiro”, afirma. “Há um genocídio em curso no Brasil. ...

Leia mais
Imagem: Reprodução/Facebook/OAB-SP

Nota da OAB-SP sobre a morte do jovem João Pedro no Complexo do Salgueiro

Nota de repúdio A OAB São Paulo, por meio de suas Comissões de Igualdade Racial e Direitos Infantojuvenis, vem manifestar sua mais profunda indignação, reprovação e repúdio pela ação da polícia federal e civil, no Complexo do Salgueiro, que causou a morte de João Pedro Mattos Pinto, uma criança negra de 14 anos por um tiro de fuzil, enquanto brincava na sala de sua casa, no último dia 18 de maio. Os detalhes sórdidos e a crueldade da atuação da polícia após João Pedro ser baleado estão sendo denunciados pelos familiares e noticiados na grande mídia. É absolutamente inadmissível que, em meio a essa crise pandêmica e à extrema necessidade de que as pessoas estejam em isolamento social, comunidades inteiras, e a família de João Pedro em particular, tenham que viver essa dramática situação. Infelizmente, para as pessoas que vivem nestas comunidades, os direitos e garantias fundamentais elencados nos artigos ...

Leia mais
Maria Carolina Trevisan (Foto: André Neves Sampaio)

Caso João Pedro: coronavírus e letalidade policial ameaçam população negra

Uma família em desespero procura o filho. Por cerca de 17 horas, madrugada adentro, parentes e amigos vasculharam hospitais do Rio de Janeiro atrás do menino. João Pedro Matos Pinto, de 14 anos, um adolescente negro, morador do Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo (região metropolitana do Rio), fora baleado durante uma ação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na tarde de segunda (18). "Ele não é bandido. Ele estava nessa casa brincando com os primos dele. Nós estamos desesperados procurando por ele", suplicava a professora Rafaela Lecn, mãe de João, em um vídeo, na madrugada. O menino levou um tiro de fuzil na barriga. Era estudante e evangélico. Estava em casa – como devem ficar todos os que buscam proteção contra a Covid-19 – com outros jovens e crianças. Jogava sinuca perto da piscina quando homens pularam o muro. A polícia invadiu a casa com granadas. "Mandaram a gente ...

Leia mais
Foto: Bruno Itan

Mesmo na quarentena, PM do Rio segue cobrando vidas na periferia

Nota Pública, Violência Institucional O assassinato do menino João Pedro Mattos, no contexto de uma ação conduzida pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, é mais um capítulo do que diversas organizações e movimentos sociais vêm chamando de “banho de sangue racista” provocado pela política de segurança do governador Wilson Witzel contra as periferias do Estado fluminense. A Conectas repudia fortemente a ação e presta solidariedade à família do adolescente. Com apenas 14 anos, João Pedro brincava ontem (18) com amigos e familiares em sua própria residência, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio, quando a PM invadiu o lugar em busca de supostos traficantes. Segundo relatam os jornais, o menino foi atingido na barriga por um tiro de fuzil. Socorrido pelo helicóptero da polícia, a família passou a madrugada em busca de informações sobre o paradeiro do garoto, até encontrar seu corpo na manhã desta terça-feira (19) no IML (Instituto ...

Leia mais
O adolescente João Pedro, morto após ser baleado em ação policial Foto: Reprodução/ redes sociais

João Pedro: Após horas tentando achar garoto baleado em ação policial no Salgueiro, em São Gonçalo, família localiza corpo em IML

Filho de uma professora de um colégio particular em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, e de um comerciante da Praia da Luz, bairro naquele mesmo município, o adolescente João Pedro Mattos Pinto, de 14 anos, foi atingido por um tiro de fuzil na barriga na tarde desta segunda-feira, durante uma operação policial no Complexo do Salgueiro. Ele foi levado do local por um helicóptero, mas a família não foi avisada para onde. Foram horas de agonia até que, na manhã desta terça-feira, o corpo de João Pedro foi localizado no Instituto Médico-Legal (IML) de São Gonçalo por parentes. Nesta terça-feira, agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) realizam uma nova operação no Salgueiro. Segundo parentes do menino, ele estava dentro de casa, na ilha de Itaoca, jogando sinuca com primos e colegas, perto da piscina, quando policiais invadiram a casa atirando. Ele teria sido deixado no local pelos ...

Leia mais
Polícia de operações especiais em uma favela no Rio de Janeiro (Foto: Dado Galdieri)

‘Licença para matar’: por trás do ano recorde de homicídios cometidos pela polícia no Rio

Rodrigo dos Santos, 16 anos, descia uma ladeira de motocicleta em velocidade, em uma favela do Rio de Janeiro, com uma mochila cheia de maconha, cocaína e pedras de crack nas costas, quando dois policiais apontaram seus fuzis para ele. O adolescente acelerou, com um amigo na garupa agarrado à sua cintura. Mas em segundos, a motocicleta tombou sob uma barragem de 38 balas disparadas pela polícia. Rodrigo morreu a caminho do hospital, sangrando de um ferimento de bala no braço — e mais três nas costas. A polícia jamais alegou que ele estivesse armado, e um dos policiais envolvidos, o sargento Sérgio Britto, participou da ação apesar de estar aguardando julgamento por homicídio, acusado de atirar em outro homem à queima-roupa, no pescoço. A morte de Rodrigo somou-se a um número recorde de homicídios cometidos pela polícia no Rio ano passado — 1.814 — um crescimento repentino, na casa ...

Leia mais
Débora Silva Maria Imagem: Arquivo pessoal

Débora, do Mães de Maio, luta por memória: “Meu filho morreu por ser preto”

No último domingo, Débora Maria da Silva completou 61 anos. Avisou às filhas e aos netos que não iria comemorar a chegada de mais um ano nem o Dia das Mães. Para a fundadora do movimento social Mães de Maio, da Baixada Santista, no litoral paulista, o mês é atravessado por sofrimento. "Eu sou leoa o ano inteiro. Mas maio é minha tortura", afirma. Desde 2006, Débora vive para honrar a memória de seu filho, o gari Edson Rogério Silva dos Santos, que foi uma das vítimas dos chamados "Crimes de Maio", ações atribuídas a grupos de extermínio em resposta a ataques do Primeiro Comando da Capital, o PCC, que deixaram o estado de São Paulo em choque. O movimento Mães de Maio, liderado por ela, surgiu naquele mesmo ano, depois que ela resolveu procurar outras mães que se reergueram para ir ao front da luta por justiça e para ...

Leia mais
David Nascimento

PM afasta 12 policiais por morte de rapaz que aguardava entrega de lanche em favela de SP

Imagens de câmera de segurança contrariaram versão dos oficiais. O corpo de David Nascimento dos Santos foi encontrado com sinais de espancamento e tiros no peito e cabeça Doze policiais militares de São Paulo foram afastados de suas funções por conta de investigação sobre a morte de David Nascimento dos Santos na última sexta-feira na favela de Areião, no bairro do Jaguaré, zona oeste da capital paulista. Os oficiais alegaram que atiraram em Santos, de 23 anos, para supostamente se defenderem de disparos feitos pelo rapaz. Vídeo do momento da abordagem, no entanto, contrariou a versão dos PMs. As imagens mostram a vítima desarmada e sendo colocada numa viatura da PM do 5° Batalhão de Operações Especiais (Baep), duas horas antes de seu corpo ser encontrado em comunidade vizinha. Segundo os oficiais, eles faziam a perseguição a pé de três homens que teriam se escondido após supostamente terem assaltado o ...

Leia mais
Foto: Joa Souza

Serviço em adutora suspende fornecimento de água em mais de 90 bairros de Salvador e na RMS

Uma adutora de água tratada do sistema de abastecimento de Salvador e região metropolitana, localizada na BR-324, rompeu nesta sexta-feira (27). O serviço de manutenção para corrigir o vazamento suspendeu, a partir de 12h, o fornecimento de água em 93 bairros da capital baiana, além de localidades em Simões Filho, Lauro de Freitas, São Francisco do Conde, Candeias, Madre de Deus, Conceição do Jacuípe, Amélia Rodrigues, Coração de Maria e Terra Nova. De acordo com a Embasa, o vazamento na adutora prejudica o fornecimento de água para algumas áreas e, se não for corrigido a tempo, pode vir a provocar um colapso na distribuição de água na capital baiana e em algumas cidades da região metropolitana. A estimativa é que o serviço seja concluído à meia-noite desta sexta, e o início da retomada gradativa do abastecimento ocorra com previsão de ...

Leia mais

“Toda e qualquer violação policial será alvo de nossa inquietude” diz Jesus dos Santos

Jesus dos Santos é co-deputado da Mandata da Bancada Ativista e membro das organizações Periferia é o Centro, Movimento Cultural das Periferias, Frente Favela Brasil e da Nova Frente Negra Brasileira. Santos encabeça a iniciativa “Abordagens Policiais - Perpetuação do Racismo Estrutural” que reúne 20 organizações para tratar dessa temática. Na última quinta-feira,12, ativistas de direitos humanos e parlamentares realizaram o 3°encontro da organização na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) para discutir o assunto. Como explica o ativista, nessa entrevista à coluna Geledés no debate, entre as intenções da organização está a potencialização das rede de denúncias sobre a violência policial; outra proposta é lançar uma campanha no Estado de São Paulo de combate a violência e de valorização à vida. Foto: Ingrid Felix Geledés - Qual a relevância de se debater as abordagens policiais neste momento junto aos parlamentares? Esse é o real papel ...

Leia mais

“O Brasil é um modo de violência racista” diz Luiz Eduardo Soares

Luiz Eduardo Soares é escritor, dramaturgo, antropólogo, cientista político e pós-doutor em Filosofia Política. Foi Secretário Nacional de Segurança Pública, Sub-Secretário de Segurança Pública e Coordenador de Segurança, Justiça e Cidadania do Estado do Rio de Janeiro, além de Secretário Municipal de Prevenção da Violência em Porto Alegre e Nova Iguaçu. É professor visitante da UFRJ, professor aposentado da UERJ e ex-professor do IUPERJ e da UNICAMP. Foto: Gabriel Sayad Luiz Eduardo é um dos maiores pesquisadores da violência policial no Brasil e uma das primeiras autoridades da Segurança Pública a fazer o corte racial nessa temática, destacando o impacto do racismo estrutural nas formações das polícias e em suas instituições, temática que aborda em dois de seus livros, Desmilitarizar; segurança pública e direitos humanos (Boitempo, 2019) e O Brasil e seu Duplo (Todavia, 2019). Nesta entrevista à coluna Geledés no debate, durante a campanha “Memória ...

Leia mais

Geledés-Instituto da Mulher Negra lança campanha contra genocídio

Em 21 de março de 1960, mais de 20 mil sul-africanos protestavam pacificamente contra a Lei de Passe, instaurada pelo regime segregacionista apartheid e que determinava a obrigatoriedade de negros portarem uma caderneta (um instrumento de controle estatal) na qual constava onde eles poderiam ir, a cor, a etnia e a profissão. Nesta data, a manifestação pacífica em Shaperville, província de Gautung, terminou em uma violenta repressão pelo Estado sul-africano que matou 69 pessoas e feriu 189. Em 1966, em memória às vítimas do massacre, a ONU determinou o 21 de março como o Dia Internacional contra a Discriminação Racial.  Geledés - Instituto da Mulher Negra em memória ao Dia Internacional de Discriminação Racial lança sua campanha de combate ao genocídio da juventude negra #Memóriatemcor, para sensibilizar o País contra a “naturalização” da matança de jovens negros. É um alerta máximo, um chamado para que brasileiras e brasileiros, independente de ...

Leia mais
Geledés

Criança morre após ser atingida por bala perdida dentro de casa em Salvador

Conforme Cicom, vítima tinha 11 anos e morreu após ser atingida por bala perdida, dentro de casa. PM disse que ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. No G1 Geledés Uma criança de 11 anos morreu após ser atingida por uma bala perdida dentro de casa, em Sussuarana, bairro de Salvador, na noite de domingo (15). As informações foram confirmadas pela Polícia Militar e também pelo Centro Centro Integrado de Comunicação (Cicom) da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). Segundo a PM, guarnições da Companhia de Patrulhamento Tático Móvel (Patamo) foram até a Rua Santíssima Trindade, após chamados, quando constataram a criança baleada, por volta das 23h. A vítima foi identificada como Dominique Oliveira da Silva. De acordo com o Cicom, a situação aconteceu durante uma troca de tiros do bairro. A família de Dominique, por sua vez, pontou que na hora do tiroteio, ...

Leia mais
Geledés

Após Paraisópolis, OEA pede que Brasil se solidarize com população negra

Em audiência feita no Haiti, na sexta-feira passada (6), representantes do governo brasileiro tiveram de ouvir, presencialmente, o depoimento da irmã de Dennys Guilherme dos Santos Franco, 16, um dos nove jovens mortos após uma ação policial em um baile funk na favela de Paraisópolis, em dezembro. Por Luís Adorno, do UOL Geledés   Fernanda dos Santos Garcia, 27, a irmã do jovem, afirmou que o Estado brasileiro arruinou sua vida para sempre. "Chegar na nossa casa e saber que eu nunca mais iria ver o meu irmão... Ele foi tratado com tanto amor, com tanta dificuldade, para um órgão do estado vir tirar a vida dele sem razão alguma", disse, com a voz embargada. O desabafo foi feito em audiência da CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos), da OEA (Organização dos Estados Americanos). Com representantes do governo federal à mesa, foi pedido, como ação mínima, ...

Leia mais
Página 10 de 14 1 9 10 11 14

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist