quarta-feira, setembro 16, 2020

    Tag: Carnaval

    blank

    Aos 97 anos, Ruth de Souza é homenageada no carnaval carioca

    Ruth de Souza estreou no cinema em 1948, e já fez quase quarenta filmes. Em 1954 tornou-se a  primeira atriz brasileira indicada ao premio de melhor atriz num festival internacional de cinema, no Festival Veneza, por seu trabalho em  Sinhá Moça (1954). Ruth chegou a protagonizar um filme norte-americano, rodado no Brasil. Do Memórias Cinematográficas Ruth de Souza durante o desfile (Foto: Roberto Filho/Brazil News) Na noite de ontem, 02 de março, ela foi grande homenageada do desfile da Acadêmicos de Santa Cruz,do grupo de acesso, na Sapacuaí. O abre-alas da Acadêmico de Santa Cruz, quarta escola a entrar na avenida, exibia uma representação do Teatro Experimental do Negro (TEN), companhia teatral brasileira que funcionou entre 1944 e 1961 propondo a valorização social do negro e da cultura afro-brasileira, fundada por Abadias Nascimento. uth de Souza, que foi homenageada pela escola no enredo “Ruth de Souza – Senhora Liberdade, Abre as ...

    Leia mais
    blank

    Os 10 momentos mais politizados da história dos desfiles de escolas de samba do Rio

    Como a maior festa popular do país, o carnaval é naturalmente visto como espelho e metáfora das duras realidades sociais e políticas do Brasil. Não é por acaso, portanto, que tantos pensadores partam da festa para pensar as singularidades e profundidades da identidade brasileira. Tendo muitas de suas origens enraizadas na cultura africana e negra, e acontecendo em um país de tradição racista e escravocrata como o Brasil, pensar o carnaval separado da política é impossível. Racismo, exploração, escravidão, desigualdade e luta – todos esses são temas necessariamente presentes, direta ou indiretamente, nos carnavais e desfiles. Por Vitor Paiva, Do Hypesnese Desde seu início a festa já foi muitas vezes perseguida, censurada, reprimida, adiada, até cancelada – mas nunca foi vencida. E o mesmo já ocorreu em sua mais celebrada e reconhecida manifestação: o desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro. Se o desfile reúne agremiações, profissionais e participantes ...

    Leia mais
    blank

    De prostituta a passista e católica fervorosa: a história de Maria Lata D’Água, que sambava com 20 litros de água na cabeça

    Todo Carnaval, o desfile da Portela tinha o mesmo ritual. Como num número de mágica, a passista Maria exibia ao público uma lata de metal com capacidade para 20 litros, vazia. Por Luiza Franco, Da BBC News Brasil Há dois meses, Maria foi morar numa casa de repouso católica; aqui, posa para a BBC News Brasil na janela do seu quarto. (Foto: BBC NEWS BRASIL / LUIZA FRANCO) Um homem entrava na avenida com outras latas, estas cheias d'água, e enchia a de Maria, deixando apenas um espaço de quatro dedos. Ao som dos tamborins da bateria, Maria pegava a lata cheia d'água, colocava na cabeça, dava alguns passos para testar o equilíbrio e saía sambando, muitas vezes, descalça, avenida adentro. "Muita gente não sabe nem meu nome", diz à BBC News Brasil, aos 85 anos, Maria Mercedes Chaves, a Maria Lata D'Água, a famosa passista da Portela, ...

    Leia mais
    blank

    Compre de Negros: 5 marcas para usar no Carnaval

    Em sua coluna BlackGirlMagic, Stephanie Ribeiro indica marcas para você usar e se destacar nos blocos Por Stephanie Ribeiro, Do Marie Claire (Foto: Divulgação/ Victor Vieira) O Carnaval de 2019 chegou, são dias de festa, fantasias, brilho e ruas cheias, é hora de se preparar e pensar o que vestir e como se destacar nos diversos blocos que irão acontecer. Por isso fiz uma lista de cinco marcas com produtos incríveis que você poderá comprar para o carnaval e ainda fortalecer pessoas negras empreendedoras: 1 - ACORDA @useacorda O que encontrar: Criada pelas cariocas Luana Maria e Michelle Andrade, a marca tem como forte suas pochetes e atualmente criaram adereços de carnaval exclusivos. São incríveis, lindos, grandes, cheios de detalhes e ela ainda faz editoriais maravilhosos para mostrar seu trabalho. Cidade:  A marca é do Rio de Janeiro, mas atualmente contam com dois estoques: um no Rio ...

    Leia mais
    Foto: Cena do filme "Cara Gente Branca"

    Por um Carnaval livre de racismo; veja como denunciar

    Sexualização da mulher negra e piadas racistas são alguns exemplos de casos de discriminação que ocorrem durante a folia Por Rede Feminista de Juristas, do CatracaLivre  Foto: Cena do filme "Cara Gente Branca"   Por: Amanda Vitorino, Beatriz Rodrigues Yagui, Fernanda Cseh, Gabriela Biasi, Luana Pereira da Costa, Pamela Michelena e Talita Monteiro Maia, membras da Rede Feminista de Juristas O que é racismo? Racismo é o preconceito ou discriminação com base em raça, etnia e características físicas. É um comportamento social historicamente construído, motivo pelo qual não é possível falar em “racismo reverso” de negros contra brancos, por exemplo. Como é um comportamento e uma crença desenvolvido ao longo de séculos, reforçado por leis e Estados durante anos, o racismo é uma estrutura maior do que simplesmente uma discriminação pontual. O período escravocrata foi marcado por desigualdades e opressões cujas consequências perduram até hoje. Juridicamente, as pessoas ...

    Leia mais
    logo avivai

    Vai-Vai, como um quilombo cultural, mostra o que o povo negro é capaz de realizar

    Da diáspora africana ao racismo estrutural, a Vai-Vai entra na madruga deste sábado para domingo, às 1h45, no sambódromo em São Paulo, para contar a história da população negra, com o tema “O Quilombo do Futuro”. Aos 25 anos de carnaval, a Escola do Povo, como é carinhosamente chamada pela comunidade do Bixiga, exalta o povo negro com homenagens dos carnavalescos Hernani Siqueira e Roberto Monteiro. A vereadora carioca Marielle Franco será homenagiada pela escola de samba VAI-VAI (Foto: PSOL/Reprodução.) Na quarta alegoria, intitulada “Sim, nós Podemos!”, a narrativa é baseada no conceito do movimento "afrofuturismo", com a presença de importantes representantes da comunidade negra brasileira, entre eles , Nilza Raci, coordenadora do Geledés -Instituto da Mulher Negra, os filósofos Silvio de Almeida e Djamila Ribeiro, a deputada estadual Erica Malunguinho, o reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, José Vicente, a executiva Rachel Maia, entre outros. ...

    Leia mais
    Concentração do bloco Ilú Obá de Min, em 2018 Eduardo Knapp:Folhapress

    Criei um exército de armas harmônicas, diz presidente do bloco Ilú Obá de Min

    Criado em 2005, bloco de Carnaval reúne 450 mulheres na bateria e trabalha com as culturas de matriz africana e afro-brasileira por Mônica Bergamo no Folha de São Paulo Concentração do bloco Ilú Obá de Min, em 2018 Eduardo Knapp:Folhapress “Meu pai era militar e queria que eu fosse dessa área. Mas ele deve estar feliz de ver onde estou hoje, porque eu criei um exército. Um exército feminino e com armas mais harmônicas ”, diz Beth Beli, 50, uma das regentes do bloco de Carnaval Ilú Obá de Min, cuja bateria é formada por 450 mulheres. O cortejo é a espinha dorsal da associação paulistana sem fins lucrativos Ilú Obá de Min - Educação, Cultura e Arte Negra, criada em 2004, e que é presidida por Beth. A entidade tem como base o trabalho com as culturas de matriz africana e afro-brasileira e a mulher. ...

    Leia mais
    Ricardo Nunes / Divulgação Vivo Rio

    Leci Brandão puxa enredo político de show para Mangueira que reuniu Chico Buarque e Maria Bethânia no Rio

    Cantora e compositora carioca que festejará 75 anos de vida ativista em setembro, a cidadã brasileira Leci Brandão da Silva encarna a mais perfeita tradução política do enredo da Mangueira na presente edição do show idealizado para arrecadar fundos para ajudar a escola verde-e-rosa a pôr o Carnaval na avenida neste ano de 2019. Por Mauro Ferreira, do G1 Ricardo Nunes / Divulgação Vivo Rio Na noite de ontem, 19 de fevereiro, a dignidade de Leci ombreou a majestade de Chico Buarque de Mangueira, outra entidade verde-e-rosa, no palco da casa Vivo Rio. Tanto que o público se levantou e ovacionou de pé a artista após Leci cantar O bêbado e a equilibrista (João Bosco e Aldir Blanc, 1979). "Leci! Leci!", gritou o público antes de reforçar o coro com um sonoro "Ele não". Atento aos sinais, o público entendeu que a aguçada consciência social do canto de ...

    Leia mais
    Thaís Rodrigues é diretora de surdo na Acadêmicos da Rocinha, toca o instrumento na Unidos da Tijuca e comanda a bateria da Feitiço do Rio Foto: Leo Martins / EXTRA

    Carnaval do Rio terá a primeira mulher como mestre de bateria

    Ela mede 1,62m e pesa 50kg, mas vira uma gigante quando está à frente dos cem ritmistas da escola de samba Feitiço do Rio. Thaís Rodrigues, de 30 anos, promete roubar a cena no carnaval carioca ao desempenhar uma função historicamente delegada aos homens: a de mestre de bateria. Por Pedro Zuazo, do Extra  Thaís Rodrigues é diretora de surdo na Acadêmicos da Rocinha, toca o instrumento na Unidos da Tijuca e comanda a bateria da Feitiço do Rio Foto: Leo Martins / EXTRA Thaís será empossada neste domingo como mestre da Bateria Feiticeira. A escola, que disputará a Série E do carnaval, vai desfilar no dia 9 de março, na Estrada Intendente Magalhães, em Campinho, na Zona Norte. Criada em uma família envolvida com o mundo carnavalesco, Thaís passou a frequentar os ensaios da Acadêmicos da Rocinha em 2003. Levada por um tio a um evento ...

    Leia mais
    Marielle está mais viva do que nunca! (Foto: © SPUTNIK / PAULA MAGALHÃES)

    Mangueira anuncia samba-enredo em homenagem à Marielle e mulheres que lutaram por direitos

      A Mangueira anunciou para 2019 um samba-enredo que homenageia Marielle Franco e outras mulheres que batalharam por direitos ao longo da história brasileira. Há referência na música à Dandara dos Palmares, guerreira negra que lutava contra a escravidão, e Luíza Mahin, líder de revoltas pelos direitos dos negros na Bahia. “Eu quero o país que não tá no retrato”, diz o samba. Confira a letra abaixo. "Canção para ninar gente grande" “Brasil, meu nego deixa eu te contar; A história que a história não conta; O avesso do mesmo lugar; Na luta é que a gente se encontra. Brasil, meu dengo a Mangueira chegou; Com versos que o livro apagou; Desde 1500, tem mais invasão do que descobrimento. Tem sangue retinto, pisado; Atrás do herói emoldurado. Mulheres, tamoios, mulatos; Eu quero o país que não tá no retrato. Brasil, o teu nome é Dandara; Tua cara é de Cariri; Não ...

    Leia mais
    blank

    Youtuber aos 93 anos, Nelson Sargento brinca sobre seu celular velho: ‘Só liga e recebe chamada’

    Há um povoado de frases avulsas no cérebro de Nelson Sargento. Diariamente, dezenas de máximas pessoais brotam sob os parcos fios da careca negra. Os pensamentos sempre cortam o silêncio. “Se a vaidade soubesse quantos adeptos tem, talvez ela fosse vaidosa também”, divaga o sambista de 93 anos, com orgulho das tiradas instantâneas. Mesmo aquilo que ainda gera dúvida serve de inspiração para as reflexões. no EXTRA por Gustavo Cunha — A internet é a nova janela das fofoqueiras da cidade — sentencia ele, um zero à esquerda quando o assunto é rede social. Nelson Sargento testa smartphone Foto: EXTRA / Gustavo Cunha Facebook? Twitter? Instagram? WhatsApp? Nada disso faz muito sentido para o baluarte mangueirense, dono de um dinossáurico celular flip. “Meu telefone sem-vergonha só liga e recebe chamada. Às vezes, nem isso faz, porque enguiça. Quero um aparelho inteligente agora!”, protesta, bem-humorado. [caption id="attachment_129784" ...

    Leia mais
    Foto Luciane Reis

    Na disputa da PM baiana com Igor Kannário, quem sofre são os jovens negros

    O carnaval de Salvador vem registrando desde 2012 uma redução dos números de crimes. Segundo a Secretaria de Comunicação do Estado (Secom), o carnaval de 2012 teve uma queda de 16% no número dos delitos. Em 2012 no circuito Dodô (Barra/Ondina) foram registrados 73 casos de roubo, 14 a menos que em 2011 onde foram registradas 87 ocorrências. Os casos de furtos também diminuíram sendo 611 furtos contra 731, o mesmo para lesões corporais onde foram registradas 91 situações de agressão enquanto em 2011 foram registrados 138 casos. Por Henrique Oliveira enviado para o Portal Geledés  Foto Luciane Reis Em 2014 a Secretaria de Segurança Pública divulgou que houve uma redução de 29% dos casos de lesões corporais, furtos reduziram em 40% e o roubo 28%. E no ano passado (2017), as lesões corporais reduziram em 44% quando comparado com o ano de 2016.   E quais ...

    Leia mais
    blank

    Carta de Repúdio ao black face no Festival de Marchinhas de Ubatuba

    Carta de Repúdio ao black face no Festival de Marchinhas de Ubatuba Por Matê da Luz Do GGN (Photo: Brittany Jones-Cooper)   O Coletivo Afrobrasilidades – Articulação Negra de Ubatuba – vem por meio desta carta apresentar sua indignação e repúdio ao black face apresentado pelos artistas Julio Mendes e Claudia Gil durante o Festival de Marchinhas Carnavalescas de 2018. A apresentação de duas músicas, pela dupla, inscritas no evento contou com essa “performance” historicamente opressora e racista e, como se não bastasse, o corpo de jurados do festival  premiou  uma delas como melhor fantasia dentre as demais apresentadas. Diante de tal situação, que mais uma vez coloca o negro enquanto ser ridicularizado, como elemento à margem da sociedade, carregado de chacota, estereótipos e demais estigmas de um país que viveu séculos de escravidão, nós, ativistas desse movimento negro, nos colocamos perante a Fundação de Arte e ...

    Leia mais
    blank

    Vestir a “Globeleza” deixa Nu o mito da democracia racial

    Quando os carros alegóricos entraram na avenida os confetes, sprays, brilhos e ritmos das marchinhas do carnaval se harmonizaram com os passos da “mulata” global que sambava ao som da marchinha que a homenageia: "Na tela da TV, no meio desse povo, a gente vai se ver na Globo". por Dina Alves no Facebook A vinheta da “Mulata Globeleza” foi criada na década de 1990, por Hans Donner, designer alemão e funcionário da emissora. A modelo, dançarina e cantora, Valeria Valenssa foi símbolo carnavalesco até 2004, seguida pelas outras dançarinas e passistas Giane Carvalho, Aline Prado, Nayara Justino e a atual Erika Moura. Diferente das vinhetas anteriores, a organização Globo modificou a vinheta e a personagem símbolo do carnaval, no ano passado (2017). A justificativa para a mudança foi a de que “o Brasil é um país rico em muitas culturas e, portanto, a vinheta vai representar todas as culturas e ...

    Leia mais
    ISTOC

    7 fantasias para não usar neste Carnaval

    Fantasias de índios, ciganos ou homens vestidos de mulher são muito comuns principalmente no período do Carnaval. Mas você já parou para pensar que esse tipo de vestimenta pode ser machista e preconceituosa, além de se apropriar da cultura de povos marginalizados? No vídeo abaixo, o Catraca Livre listou sete fantasias para você NÃO usar durante a folia. Assista: Do Catraca Livre  1 - Homem vestido de mulher Os homens vestidos de mulher (e até mesmo de noiva) estão por todas as cidades do país no Carnaval. Mas por que está errado? Além de ser machista e desrespeitoso com as próprias mulheres, essa “moda” é preconceituosa contra as pessoas trans e apenas reforça os estereótipos de gênero. 2- Índio ou índia A fantasia de índio ou índia representa uma cultura ampla e diversa, e não apenas um indivíduo, construído no Carnaval de forma estereotipada. De que adianta usar um cocar para curtir o bloco enquanto a população ...

    Leia mais
    blank

    Passistas se unem contra machismo e racismo no Carnaval

    Projeto 'Samba, pretinha' dá voz à mulher no samba Do Bar de Batom Reprodução / Facebook Samba, pretinha Além de campanhas nas ruas, no WhatsApp, blocos engajados e fantasias girl power, mais uma iniciativa para combater o machismo no Carnaval está sendo idealizado por passistas cariocas. É o projeto Samba, pretinha, que completa dois anos de sucesso e engajamento contra o preconceito de gênero e de raça na folia. Larissa Neves, Mirna Moreira, Rafaela Dias e Sabrina Ginga são os nomes das idealizadoras da ação. Todas são passistas da Salgueiro e universitárias - de psicologia, medicina, educação física e ciências sociais, respectivamente. Por meio de palestras em escolas municipais e quadras de escolas de samba, o objetivo das ativistas é dar voz a todas as passistas e debater o papel da mulher no samba. Tudo começou quando Mirna sofreu ataques racistas nas redes sociais. A partir daí, as amigas decidiram que era o momento de agir. Elas começaram então uma roda de conversa dentro da Salgueiro para debater o assunto ...

    Leia mais
    blank

    Salvador terá postos fixo e móvel para denúncias de racismo no carnaval

    Posto fixo irá operar na sede no Procon, no centro da capital baiana, das 14h às 22h. Do G1 Unidade móvel irá circular pelos circuitos da folia (Foto: Divulgação / Sepromi) Carnaval de Salvador terá um posto fixo e outro móvel para denúncia de casos de racismo. As unidades serão coordenadas pelo Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, que pertence à Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade Racial. O posto fixo irá funcionar na sede do Procon, na Rua Carlos Gomes, centro da capital baiana. Os atendimentos irão ocorrer entre os dias 8 e 13 de fevereiro (quinta a terça), das 14h às 22h. Além das denúncias de casos de racismo, o local também irá oferecer orientação jurídica aos foliões. Já o posto móvel irá circular pelos carnavais de bairros e principais circuitos da festa. No equipamento, serão oferecidas ...

    Leia mais
    blank

    Presidente do Olodum critica ausência do bloco afro no Réveillon de Salvador: “Não se justifica

    O presidente do bloco afro Olodum, João Jorge, criticou a grade montada pela Prefeitura de Salvador para a festa de Réveillon 2018 e a ausência de representantes da matriz africana na celebração. Ao todo, 23 atrações farão parte dos festejos. Em entrevista à Rádio Metrópole nesta sexta-feira (8), durante o Jornal da Cidade 2ª Edição, Jorge afirmou que a falta da banda "não se justifica". Por  Matheus Simoni , do Metro1 Foto: Luiza Leão/ Metropress "Para ser uma cidade da música, ela tem que ser generosa, principalmente com quem quer mostrar seu trabalho", afirmou o dirigente do bloco. "Se a festa do Réveillon é para nós, é uma coisa. Se é para nós e os outros, é outra coisa. Se é para todo mundo, tem que ser para todo mundo. O povo da Bahia sempre viu o Olodum como uma coisa sua. Não é dessa diretoria e nem da outra. O povo se identifica ...

    Leia mais
    blank

    Crivella passará, o carnaval fica

    Corte provocará demissão de quase 50 mil serralheiros, laminadores, ferreiros, costureiras, bordadeiras, coreógrafos, designers, pintores, entre tantos outros profissionais POR LUIZ CARLOS PRESTES FILHO, do O Globo ‘Que lucra o povo com o carnaval? É lamentável erro estimular em nome do poder público, e à custa de seus cofres, as mais reprováveis manifestações de incultura, licença, luxúria e corrupção, vividas no carnaval. Todos conhecem o grande número de crimes contra a honra, contra os costumes e contra a vida que, infelizmente, se verificam durante as festas carnavalescas”. As palavras acima perecem ser do prefeito Marcelo Crivella. Não são. Foi o vereador paulistano Camilo Aschar que proferiu as mesmas em 31 de janeiro de 1949. Mas bem que o atual mandatário do Rio de Janeiro poderia copiar e colar este texto para justificar a sua decisão de romper com a tradição de apoio ao carnaval carioca, estabelecida pelo poder público desde ...

    Leia mais
    blank

    Escolas de Samba do Rio anunciam suspensão de desfiles no carnaval 2018

    A Liesa informou, através de nota oficial, anunciou a suspensão dos desfiles do Carnaval 2018. A medida se deve ao corte de 50% da subvenção anunciado na segunda-feira (12) pelo prefeito Marcelo Crivella. Segue a nota, divulgada após a reunião plenária realizada na noite desta quarta-feira: Do Radio Arquibancada Foi com surpresa que as Escolas de Samba do Grupo Especial da LIESA tomaram conhecimento da decisão do Exmo. Sr. Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro de reduzir em 50% (cinquenta por cento) o apoio financeiro para a produção dos Desfiles do Carnaval de 2018. Considerando os enormes benefícios econômicos, financeiros, de geração de empregos e de renda, além da valorização da imagem da Cidade do Rio de Janeiro e do Brasil; Considerando, também, o aumento substancial de arrecadação de impostos e receitas diretas e indiretas proporcionadas durante o período de preparação e realização dos desfiles carnavalescos; Considerando, mais, que ...

    Leia mais
    Página 3 de 8 1 2 3 4 8

    Últimas Postagens

    blank
    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist