Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO), entidade fundada em 1988, com  longa trajetória na luta contra o racismo e suas múltiplas manifestações, comprometida com a cultura popular e de matriz africana, e defensora dos direitos da população pobre, negra e da  periferia, vem a público manifestar solidariedade ao GRES Vai Vai e a sua comunidade,  estendendo para todas agremiações carnavalescas e ao público folião paulistas, e também  externar seu profundo respeito ao Carnaval, como uma das mais expressivas manifestações da  cultura do povo brasileiro. 

A Vai Vai foi covardemente atacada pelo Sindicato dos Delegados da Polícia Civil e por  alguns deputados que se comportam cotidianamente como mercadores do ódio, pois se valem  dessa retórica para arregimentar seguidores e garantir seus currais eleitorais. Compreendemos  que a liberdade é o esteio fundamental para a arte cumprir seu objetivo precípuo de produzir  formas, objetos e obras que expressam beleza, crítica, alegria e sonhos; valorizar o lúdico, a  harmonia, a cultura; exprimir subjetividades contidas nas memórias individuais e coletivas. O  cerceamento, embaraço, assédio, garroteamento das manifestações culturais e artísticas, como  os desferidos contra a Vai Vai, merecem vigoroso repúdio de toda consciência democrática. 

No caso em tela, há um inequívoco agravante: o racismo. Incomodou muita gente ver  uma potente instituição negra, verdadeiro quilombo urbano, com forte poder mobilizador, levar à passarela uma mensagem crítica e altamente mobilizadora, ecoada por corpos negros nas  periferias do país, com o enredo “Capítulo 4, Versículo 3 – Da rua e do povo, o Hip-Hop – Um  manifesto paulistano”, baseado na obra Sobrevivendo no Inferno do Racionais MC’s que engaja  a periferia, retrata uma importante face do protesto negro, instituído pelo movimento hip-hop,  o qual foi homenageado pela Vai Vai.  

Importante destacar que as denúncias contidas na obra homenageada, as denúncias  proferidas pelo movimento hip-hop, pelos movimentos e juventudes negras, nas suas mais  diversas formas de expressão (cultural, política, intelectual), têm consonância com a realidade  concreta: muitas vezes a polícia leva terror, violência e morte à parcela pobre, preta, jovens das  periferias. Tomemos como exemplo a Operação Escudo, iniciada em 02 de fevereiro do ano  corrente, por ocasião do assassinato de um policial em Guarujá, até a data de hoje (17/02,  quinze dias de operação) que executou 27 pessoas, além de registros de abordagens violentas,  torturas e humilhações. Não há autorização na Lei e na Constituição para assassinatos,  pancadaria e invasão de domicílios.

A UNEGRO denuncia o caráter hediondo da tentativa de associar a Vai Vai com o crime  organizado, como represália à Escola. Setores da imprensa, da polícia e da elite paulistana  reproduzem o terror e a criminalização centenária do samba e dos sambistas pretos. Até finais  dos anos 60 do século passado, a polícia prendia batuqueiros no Centro de São Paulo (Praça da  Sé) e os obrigava a doar sangue para obterem liberdade. Vil tratamento narrado por Seu Nenê  da Vila Matilde, Toniquinho Batuqueiro, Hélio Bagunça, Mestre Feijoada, Seu Carlão do Peruche ,  em depoimento no “Samba e Cidadania para todos”, evento organizado pela UNEGRO nos finais  da década de 1990.  

A Vai Vai e o movimento hip-hop fazem jus às homenagens de amplas massas  paulistanas, que trabalham, estudam, rezam, pagam seus impostos, se expressam  culturalmente. A UNEGRO cerra fileira com as homenagens e conclama a manifestação popular  com o mesmo teor.  

Executiva Nacional da UNEGRO

+ sobre o tema

Iza faz show em live para anunciar gravidez: ‘Parece que o mundo já mudou de cor’

A cantora Iza está grávida de seu primeiro filho....

Foi a mobilização intensa da sociedade que manteve Brazão na prisão

Poucos episódios escancararam tanto a política fluminense quanto a...

Selo Sesc lança Relicário: Dona Ivone Lara (ao vivo no Sesc 1999)

No quinto lançamento de Relicário, projeto que resgata áudios...

para lembrar

Justiça condena segurança de supermercado por discriminação racial em abordagem

SENTENÇA Processo Digital nº: 1502711-79.2021.8.26.0320 Classe – Assunto: Ação Penal -...

Arquitetura no Brasil perpetua violência colonial, diz escritora Grada Kilomba

Na abertura da 35ª Bienal de São Paulo, numa...

Servidora suspeita de injúria racial durante show é exonerada em MS

Uma servidora, de 49 anos, foi afastada de suas...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da...
spot_imgspot_img

Polícia Civil de Alagoas prende homem por injúria racial e ameaça

A Polícia Civil, por meio da seção de capturas da Dracco, realizou nesta terça-feira (9), o cumprimento de um mandado de prisão contra um...

SP: Vigilante que sofreu racismo religioso no trabalho deve ser indenizado

Uma empresa de segurança e um shopping foram condenados a indenizar um funcionário que foi alvo de racismo religioso por colegas de trabalho. A...

Brasileiras denunciam racismo em palestra, em Harvard: ‘Tem piolho nas tranças?’

Duas brasileiras relataram ter sofrido racismo em uma das palestras da Brazil Conference no último sábado, na universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Naira...
-+=