Tag: Sexismo

    escritora-inglesa-laura-bates-de-26-ano

    Inglesa cria site para reunir relatos de sexismo, recebe oito mil posts e é ameaçada de morte

    T. estava em um encontro quando, lá pelas tantas, o casal começou a falar sobre carreira. Sem rodeios, seu "ficante" disse que o fato de ela trabalhar o incomodava. E completou afirmando que todo o investimento profissional de T. era um desperdício, já que mais cedo ou mais tarde ela viraria uma dona de casa, com filhos para tomar conta. Por: Isabela Noronha Diferentemente do que pode parecer, o encontro não aconteceu há muito tempo, quando ainda se acreditava que a única opção das mulheres era cuidar da casa, do marido e dos filhos. Foi há poucos meses. Mais espantoso ainda é que o caso de T. não é exceção. Prova disso é o site em que a história dela foi postada, o The Everyday Sexism Project (em inglês), que reúne relatos sobre sexismo, a discriminação baseada em gênero. No ar desde abril de 2012, o site já tem mais ...

    Leia mais
    luiza bairros 0104

    Mulheres analisam proposta de enfrentamento ao racismo e sexismo

    Convidadas pela SEPPIR, cerca de 50 especialistas estarão reunidas nesta quinta e sexta-feira (13 e 14/09) numa Oficina de Consulta, em Brasília   Analisar propostas e colher contribuições para consolidação de um plano de ações estratégicas para o enfrentamento ao racismo e ao sexismo e para a promoção da igualdade racial. Esse é o motivo da participação de cerca de 50 especialistas na Oficina de Consulta sobre Ações Integradas para Mulheres Negra, que a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) realiza nesta quinta e sexta-feira (13 e 14/09), em Brasília. A abertura do evento contará com a presença das ministras Luiza Bairros e Eleonora Menicucci, das Secretarias de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e de Políticas para as Mulheres, respectivamente. O início da oficina será às 9h, na Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), no Campus Universitário Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília (UNB). O ...

    Leia mais
    securedownload

    Nota de repúdio à publicidade sexista da Prudence

    A Marcha Mundial das Mulheres repudia o anúncio da empresa Preservativos Prudence, pertencente à campanha "Dieta do Sexo", por apologia ao estupro. A publicidade foi colocada na página da Prudence no Facebook no dia 16 de julho, e só hoje (30/07/12) retirada de circulação. Tal anúncio refere-se a uma "Dieta do Sexo", mostrando quantas calorias é possível perder praticando diferentes atos sexuais. Entre os atos citados, há dois polêmicos: "Tirando a roupa dela sem o consentimento dela: 190 cal" e "Abrindo o sutiã com uma mão,apanhando dela: 208 cal". Apesar da alegação de ambiguidade, o primeiro item não deixa dúvidas, pois menciona explicitamente se tratar de uma relação sexual não-consentida, e sexo sem consentimento é estupro. Pior que isso: a empresa sugere que sexo forçado (estupro) vale mais, pois gastam-se 190 calorias, do que sexo com consentimento (10 calorias). Veicular este tipo de publicidade, sobretudo em um contexto em que ...

    Leia mais
    luana fotoULF

    Trabalho doméstico: herança histórica do racismo e sexismo no Brasil

    É sabido que existem alguns pilares que estruturam as desigualdades no Brasil. Este quadro que vivenciamos tem fortes traços marcados por dois elementos centrais na temática de desigualdade: sexismo e racismo. Além, obviamente, de outros elementos estruturantes para esse quadro, como a opressão de classe e a violência da imposição da heteronormatividade. Por: Luana Natielle Basílio e Silva   Fonte: Feminismo.org

    Leia mais
    projeto rosa e azul

    Riley Maida, 4 anos questionando o sexismo da indústria de brinquedos (legendado)

    Para ativar legendas no YouTube, aperte no botão CC na barra do vídeo.   Riley Maida tem apenas 4 anos de idade e fez um questionamento que muitos pessoas já fizeram: Por que TUDO que é para meninas tem que ser cor-de-rosa? Por que meninas tem que se inspirar em princesas? Por que é tão difícil encontrar roupas de outras cores para meninas? Por que este sexismo das indústrias de produtos para crianças? Longe de mim criar aqui polêmicas feministas, mas eu nunca curti muito cor-de-rosa, princesas, etc. Minha filha, Rafaela, que hoje tem 16 anos também não era muito fã de bonecas e cores de menina (rosa, lilás) quando pequena, e para mim isto nunca fez a menor falta.   Texto: Mãe Digital

    Leia mais
    amnb

    Defesa intransigente do Eixo 9 “Enfrentamento do Racismo, Sexismo e Lesbofobia” na III CNPM

    A Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras propõe, neste documento1, uma introdução ao debate sobre as desigualdades sociais vivenciadas pelas mulheres em suas diferentes identidades de gênero, tendo em vista a III Conferências de Política para as Mulheres. As Conferências são instrumentos legítimos de construção de políticas públicas e os gestores são os responsáveis por programar e implementar essas políticas. Nesse sentido, buscamos contribuir para o fortalecimento das mulheres negras na garantia de seus direitos e de uma sociedade mais justa exigindo o cumprimento das políticas aprovadas no Eixo 9, da II Conferência de Política para as Mulheres. Contextualizando Dados disponibilizados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística revelam que, em 2010, o Brasil é um país habitado por uma população de 191 milhões de habitantes, sendo que a população negra soma 97 milhões de pessoas e, pela primeira vez, são maioria no Brasil. Entretanto... Levantamento feito pelo governo federal, com base em dados preliminares do Censo Demográfico de 2010, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ...

    Leia mais
    Instituto Patricia Galvo

    Racismo e sexismo na mídia: uma questão ainda em pauta

    Racismo e sexismo na mídia: uma questão ainda em pauta Rio de Janeiro, 29 de novembro a 1º de dezembro de 2011 Realização: Instituto Patrícia Galvão, Secretaria de Políticas para as Mulheres, Secretaria de Promoção de Políticas da Igualdade Racial, Fundação Ford e ONU Mulheres Assista à transmissão ao vivo por internet: acompanhe as exposições e participe dos debates acessando o link em http://www.agenciapatriciagalvao.org.br Ao longo do evento serão postadas notícias via Twitter e Facebook. PROGRAMAÇÃO 29 de novembro - 3ª feira 16h - Coquetel 17h - Mesa de abertura: Racismo e sexismo na mídia: uma questão ainda em pauta Jacira Vieira de Melo (Instituto Patrícia Galvão) Luiza Bairros (ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial) Tatau Godinho (subsecretária de Planejamento e Gestão da Secretaria de Políticas para as Mulheres) Nilcéa Freire (representante da Fundação Ford no Brasil) Maya L. Harris (vice-presidente da Fundação Ford para o ...

    Leia mais
    clip image0022

    A mulher que enfureceu a mídia

    Uma improvável "pesquisa de opinião" deste blog revelou um fato que não chega a ser surpreendente: não se encontra alma viva que não tenha tomado conhecimento da polêmica em torno da propaganda de lingerie da Hope na qual a "top model" Gisele Bündchen insinua oferta de sexo a um homem de forma a "compensá-lo" por bater seu "carro" e "estourar" o limite de seu cartão de crédito. Além da enorme repercussão do caso, a veiculação de tal propaganda aumentou exponencialmente – tanto na tevê aberta quando na tevê por assinatura – depois que a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), a mineira de Lavras Iriny Lopes, oficializou ao Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) um pedido de suspensão daquela peça publicitária, agindo em resposta a queixas que a Secretaria recebeu. Parece desnecessário especular sobre a causa do aumento da veiculação da peça. Trata-se de afirmação de independência ...

    Leia mais
    coimbra2

    Gisele e a política

    Ao solicitar ao Conar que suspenda os comerciais com a modelo, a SPM não conserta todo o sexismo que existe na propaganda brasileira. A questão é que esses vão além do "normal": assumem um tom pedagógico e apontam o "certo" e o "errado", mas deseducam. Por Marcos Coimbra No dia a dia, existem coisas importantes que são tratadas como insignificantes e coisas desimportantes que se tornam relevantes. Uma dessas acontece neste momento e diz respeito a uma simples campanha publicitária. Simples? Será mesmo que os comerciais sobre roupa íntima feminina estrelados por Gisele Bündchen, atualmente no ar, nada são além do que é normal na propaganda, uma empresa tentando vender seu produto? São, certamente, mais que isso, a medir pela polêmica que provocaram. Nem bem começou a veiculação, a Secretaria de Políticas para a Mulher (SPM) do governo federal oficiou ao Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) solicitando sua suspensão. O ...

    Leia mais
    O que fala esse corpo de mulher5

    O que fala esse corpo de mulher? Sexismo, (in)correção política e Gisele Hope

    Quando alguns personagens participam de determinadas discussões, inevitavelmente são vítimas de ataques que se repetem: sofrem de transtornos emocionais (recalque, inveja, ressentimento, ódio etc.), não possuem senso de humor, são desmedidos, são paranoicos pois veem o que não existe, são politicamente corretos. No debate acerca de uma campanha publicitária da marca de lingerie Hope, estrelada por Gisele Bündchen, contra as feministas, como previsível, foram desferidos todos esses ataques. É uma medíocre tática de desqualificação contra quem realiza uma crítica, mas que goza de um amplo apelo. por Fabiano Camilo * * * Começo pela contracrítica à (suposta) correção política dos enunciados feministas, que aparenta ser fundamentada e relevante. Afirmar que alguém é politicamente correto consiste, em geral, não apenas em uma reprovação, mas também em uma ofensa. Por conseguinte, quem adota uma atitude socialmente rotulada como politicamente correta, como a defesa de uma minoria, tende a não querer ser julgado ...

    Leia mais
    feminismo

    Feministas denunciam publicidade sexista em data comemorativa

    Exposição do corpo feminino de forma acentuada, mulheres mostradas apenas como frágeis, doces e românticas ou como simples objeto de desejo masculino. Esses são exemplos de situações sexistas observadas em alguns anúncios publicitários. O tema foi lembrado esta semana por organizações feministas por ocasião do Dia Internacional da Imagem da Mulher nos Meios de Comunicação – 14 de setembro. As cervejarias são uma das mais denunciadas por publicidade sexista. Em um documento publicado no sítio da Federação de Mulheres Progressistas, as feministas chamam a atenção para propagandas em que as mulheres aparecem como público exclusivo, mesmo que o produto seja para uso masculino e feminino. Outro caso de anúncio sexista é aquele em que a mulher é invisível, ou seja, a propaganda utiliza apenas o masculino para se referir aos dois gêneros. Leia também: EBC e ONU Mulheres comemoram 30 anos do programa Viva Maria Para elas, também são exemplos ...

    Leia mais
    racismo-sexismo-e-lesbofobia

    PDF: Pensar o Brasil para o Enfrentamento do Racismo, do Sexismo e da Lesbofobia

    Relatório Final do Grupo de Trabalho para Fortalecimento das Ações de Enfrentamento ao Racismo, Sexismo e Lesbofobia no II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres Integrantes do Grupo de Trabalho no âmbito do Comitê de Articulação e Monitoramento do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres. Secretaria de Políticas para as Mulheres/PR Lourdes Maria Bandeira Aparecida Gonçalves Sônia Malheiros Miguel Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial/PR Eloá Kátia Coelho – titular Renata Melo – suplente Secretaria de Direitos Humanos/PR Pedro Pontual – titular Luiza Borges de Oliveira – suplente Conselho Nacional dos Direitos da Mulher Ângela Maria de Lima Nascimento Articulação Nacional de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB) Marinalva de Santanna Liga Brasileira de Mulheres Lésbicas (LBL), posteriormente substituída por: Maria Goretti Gomes Liga Brasileira de Mulheres Lésbicas (LBL) Convidadas da sociedade civil Jurema Werneck Sueli Carneiro Vanda Menezes Verônica Lourenço Vilma Reis Wania Sant´anna Grupo de Trabalho instituído pela Portaria ...

    Leia mais
    sueli-werneck-bairros

    Mulheres negras conduzem debate para superação do racismo e sexismo no poder público

    Feministas negras especializadas em política, saúde, relações sociais e comunicação falam sobre os efeitos dos erros de gestão pública que perpetuam e acirram as desigualdades no Brasil. Em exposições simplificadas, traçam roteiro de boas práticas para a administração pública estadual Brasília (Brasil) - Voz, vez e protagonismo das mulheres negras. Essa foi a tônica do segundo dia (11/5) do Seminário e Oficina para Gestoras e Gestores de Promoção da Igualdade Racial e de Política para as Mulheres, promovido pelas Nações Unidas e governo brasileiro através do Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia. Evento se encerrou ontem (12/5), em Brasília, e tratou durante três dias do racismo e do sexismo institucionais na administração pública e as oportunidades de interface das dimensões de gênero e raça no processo de gestão das políticas públicas. Na primeira exposição da terça-feira (11/5), Luiza Bairros, secretária estadual de Promoção da Igualdade da Bahia, ...

    Leia mais
    seminario-sueli-jurema-luiza

    Seminário Identificação e Abordagem do Racismo e do Sexismo Institucionais Brasilia, 10 e 11 de maio

    Evento ocorre no âmbito do seminário "Identificação e Abordagem do Racismo e do Sexismo Institucionais", que será realizado em Brasília entre os dias 10 e 12 de maio A discussão dos temas racismo e sexismo institucionais nas esferas governamentais é marco essencial da Política para as Mulheres e da Política de Promoção da Igualdade Racial. Ambos assuntos estarão em debate no Seminário e Oficina para Gestoras e Gestores de Promoção da Igualdade Racial e Políticas para as Mulheres, que se inicia nesta segunda-feira (10/5), às 19h, em Brasília. A solenidade de abertura terá as presenças do coordenador residente das Nações Unidas no Brasil, Jorge Chediek, da ministra Nilcéa Freire, da Secretaria de Políticas para as Mulheres, e do ministro Eloi Ferreira de Araújo, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. O evento conta com a participação de gestoras, gestores e especialistas em políticas públicas de gênero e raça ...

    Leia mais
    Bruno

    Sexismo: Afirmando ter sido “mal interpretado”, Bruno pede desculpas às mulheres

    Depois de criar polêmica no final de semana ao perguntar "quem nunca saiu de mão com a mulher", Bruno pediu desculpas públicas nesta segunda-feira, Dia Internacional da Mulher. Segundo o goleiro do Flamengo, sua declaração sobre a briga entre o centroavante Adriano e sua noiva foi mal interpretada.   "Fui muito mal interpretado. O termo que usei talvez não foi o certo. Talvez, se eu usasse outro, seria a palavra correta. Peço desculpas a todos. Hoje é o dia das mulheres. Tenho filha, ela vai crescer e virar mulher um dia. Todas as mulheres do Brasil merecem respeito e carinho", desculpou-se o arqueiro.   A polêmica começou na sexta-feira, quando Adriano faltou ao treinamento por ter brigado com a noiva diante de outros jogadores do Flamengo, entre eles Bruno. Segundo a imprensa carioca, Joana Machado teria arremessado pedras em direção aos carros dos atletas e trocado agressões com o atacante. ...

    Leia mais
    homens-e-mulheres

    Mulheres Homens e Homens Mulheres

    Estou tentando entender quais são as diferenças entre homens e mulheres e quais dessas diferenças reforçam o sexismo e qual delas emancipam os gêneros. Sei que vou cometer excessos e isto assusta. Este mês teremos mulheres sendo reconhecidas no mundo todo. Já expressei minha opinião sobre a comemoração de "dia", mas sei que datas como esta servem para que não nos arranquem a última flor do nosso jardim e nada mais nos reste. Servem para continuarmos a luta para a conquista de todos os dias. Por: Sérgio São Bernardo Agora, precisamente sobre mulheres e homens, digo que não acredito em homens feministas, mas acredito na existência de mulheres machistas. Uma forma mimetizada de assumir parte do tipo de poder fundado em modelos de nossos algozes. O sindicalista faz isso com o empregado de seu sindicato; negros "classe A" fazem isso em relação a outros negros "classe B", ricos que foram ...

    Leia mais
    Página 6 de 6 1 5 6

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist