sexta-feira, janeiro 22, 2021

Tag: Racismo no Mundo

A Itália e a campanha da xenofobia

A ultradireita italiana, as vésperas das eleições políticas, enxerga na imigração o mal do país Por Angela Giuffrida, Da Carta Capital    O atentado de Macerata contra os imigrantes provoca o repúdio de uma manifestação de 30 mil pessoas (Fabio Falcioni/Ropi/ZUMA Press/fotoarena) Pape Diaw, nascido no Senegal, chegou em Florença (centro da Itália) para estudar engenharia no fim dos anos 1970. Parte de um grupo de 15 estudantes africanos, ele causou curiosidade entre seus colegas italianos e na comunidade em geral, mas nunca enfrentou racismo. “Lembro que andava pela rua e as pessoas pediam para tirar fotos”, observou ele. “Éramos vistos como uma novidade, mas nunca fomos insultados. Quando íamos processar nossas licenças de residência, os policiais nos ofereciam café. Sim, a Itália pode estar atrás (de outros países) no que se refere à mentalidade, mas fomos bem recebidos.” Outros tempos. Diante das eleições nacionais em 4 de ...

Leia mais
Foto: Joakim Kleven

Clipe romântico vira alvo de racismo e ameaças de morte no youtube

A cantora norueguesa Sophie Elise, de 22 anos, passou a receber ameaças de mortes, ataques racistas e promessas de violação sexual após gravar o clipe de “All Your Friends”, que acompanha sua nova balada pop descartável. Tudo porque, no vídeo romântico, aparece namorando um jovem negro, interpretado pelo ator Kingsford Siayor, de origem ganesa. O conteúdo ofensivo ocupou praticamente toda a área de comentários do vídeo no YouTube. Foto: Joakim Kleven no Pipoca Moderna Em entrevista para a BBC, ela revelou que teme pela própria vida e tem evitado sair de casa. E a paranoia reflete o fato de que “apesar de estarmos em 2017, esse tipo de coisa ainda acontece”. “Eu sou uma pessoa pública na Noruega há cerca de seis anos, então estou acostumada a receber comentários odiosos”, disse Sophie. “Mas eu realmente não achei que as pessoas se importariam com a cor do ...

Leia mais
SAO PAULO CADERNO 2/ CINEMA Cena do filme Eu não sou seu negro, de Raoul Peck FOTO DIVULGACAO

‘Eu Não Sou Seu Negro’ faz retrato sem retoque do racismo de ontem e hoje

Precisão histórica e olhar crítico para contradições da sociedade americana marcam o filme Por Luiz Carlos Merten Do Estadão Raoul Peck pode não ser uma personalidade midiática, um autor pop como Quentin Tarantino ou Lars Von Trier, mas ele está marcando presença na Berlinale com dois filmes e uma intensa participação em debates e encontros. Sua grande preocupação tem sido evitar que se fale ao mesmo tempo sobre a ficção O Jovem Karl Marx e o documentário Eu Não Sou Seu Negro, indicado para o Oscar da categoria. Peck só concede entrevistas para falar separadamente de cada filme. Cabe ao interlocutor relacionar os dois. Por enquanto, só um está estreando no Brasil, nesta quinta, 16, e é o documentário. Ambos demoraram em torno de dez anos para se viabilizar. “No caso de Eu Não Sou Seu Negro, foi o período que demorei para adquirir os direitos de James Baldwin, mas, na ...

Leia mais

Preso japonês que tumultuou votação anti racismo

Durante votação sobre lei anti discriminação, um cidadão foi preso por tumultuar a sessão. "Protejam os japoneses" - gritava no Portal Mie Durante a discussão sobre a instauração da lei que oprimirá discursos com linguagem de incitação de ódio referente à discriminação de etnias, um homem foi detido após causar um grande tumulto na Câmara Municipal da cidade de Osaka. “Proteja os direitos dos japoneses”, gritava Matsumura Kazunori (50) após arremessar 2 cápsulas plásticas contendo tinta em direção ao presidente da câmara. Matsumura estava sentado na área destinada aos cidadãos que queiram assistir às reuniões, e veio com a intenção de impedir que esta lei fosse aprovada durante a votação dos vereadores. Matsumura disse que soube do tema através de noticiários locais e pela internet, e admitiu ter obstruído o procedimento da câmara com sua atitude intencional. leia também: Racismo à moda da casa Apesar do tumulto, a lei foi aprovada pelo voto ...

Leia mais

Monoprix taxé de racisme pour ses emballages de chocolats

Ces emballages de tablettes de chocolat de la gamme Monoprix Gourmet sont taxés de racisme. Par Francetv info Un homme noir pour illustrer une tablette de chocolat noir. Une femme à la peau un peu plus claire sur celle du chocolat au lait. Et pour celle du chocolat blanc... des carrés de chocolat blanc. Les photos d'illustration utilisées par Monoprix sur les nouveaux emballages de ses tablettes de chocolat de la gamme Gourmet ont fait polémique, mercredi 13 mai, sur Twitter. Beaucoup de "twittos" ont relayé la photo de ces visuels, dénonçant un "racisme ordinaire" digne du "bon vieux temps des colonies". L'enseigne n'avait "aucune intention de heurter" Interpellé par de nombreux internautes, le groupe a fini par réagir. Il a présenté ses "excuses", a assuré qu'il n'avait "aucune intention de heurter" et expliqué qu'il était "en train de faire évoluer ce pack". Leia também: Monoprix acusada de racismo por sua embalagem chocolates

Leia mais

Monoprix acusada de racismo por sua embalagem chocolates

Um homem negro para ilustrar uma barra de chocolate escuro. Uma mulher de pele um pouco mais clara no que de chocolate ao leite. E a do chocolate branco ... quadrados de chocolate branco . As imagens ilustrativas usadas pela Monoprix, empresa de alimentação francesa, em novas embalagens para suas barras de chocolate na gama Gourmet gerou controvérsia no twitter. Os twitters que denunciavam o racismo utilizavam as fotos dos chocolates com dizeres: "um racismo cotidiano" digno dos "bons velhos tempos das colónias. " A empresa disse de "não tinha intenção de ofender " Questionado por muitos usuários , o grupo finalmente reagiu . Ele apresentou suas "desculpas " a certeza de que ele "não tinha intenção de ofender " e explicou que estava " tentando mudar este pacote. "

Leia mais

Universidade de Oklahoma expulsa dois estudantes por crime de racismo

O presidente da Universidade de Oklahoma, no sul dos Estados Unidos, David Boren, anunciou em comunicado a expulsão de dois estudantes identificados em um vídeo liderando um canto racista  Os alunos são membros de uma das maiores fraternidades (comunidade estudantil) a Sigma Alpha Epsilon. Os nomes não foram divulgados. no Paraíba Boren disse que a expulsão foi decidida pelo fato de os alunos criarem "ambiente hostil de aprendizado para os outros", e que a expulsão vai ajudar os alunos a perceber que "é errado usar as palavras para ferir, ameaçar, e excluir outras pessoas". A universidade já tinha anunciado na segunda-feira (9) expulsar do campus uma de suas maiores fraternidades. No vídeo de 10 segundos publicado no domingo e reproduzido pelos meios de comunicação, os alunos num ônibus gritavam juntos, usando linguagem ofensiva referindo-se a negros e jurando nunca admiti-los na fraternidade. Após o anúncio, os pais dos estudantes que moravam ...

Leia mais

Moisés Mendes: racismo e apatia no metrô de Paris

Por que as pessoas ficaram passivas, enquanto os ingleses racistas ofendiam um jovem negro? por Moisés Mendes no ZH Onde foi parar a empatia, essa virtude que o australiano Roman Kznaric tenta revigorar com suas pregações contra o egoísmo? Li a entrevista que a colega Maria Rita Horn fez aqui na ZH com o filósofo que nos provoca a tentar assimilar da forma mais profunda possível o que os outros sentem. Li e fiquei querendo mais. Empatia é a identificação com o drama, a alegria ou simplesmente a cara, a voz ou o silêncio de quem vemos a nossa frente, na vizinhança, no trabalho ou numa reportagem sobre as misérias distantes lá dos haitianos. Ou pode ser, quem sabe, nossa identificação com as indiferenças, as nossas e as dos outros. Kznaric pretende que se melhore o mundo interagindo mais com quem pouco conhecemos. Defende, na sua biblioteca humana, que alguém pegue, ao invés ...

Leia mais

‘Me senti perdido’, diz vítima de racismo de torcedores do Chelsea

Ele foi impedido de entrar no metrô de Paris por fãs do time inglês. 'Espero que o caso gere uma verdadeira conscientização', afirmou. No G1 Souleymane, vítima do incidente racista protagonizado por torcedores do Chelsea no metrô de Paris, disse nesta sexta-feira (20) em entrevista à AFP que estava "orgulhoso" da repercussão do caso e esperava uma "conscientização" da sociedade. "Muitas pessoas de cor enfrentam este tipo de incidentes. Isso precisa parar", sentenciou o franco-mauritano de 33 anos, que não quer divulgar o sobrenome para evitar expor sua família. O incidente foi flagrado em um vídeo gravado na última terça-feira, poucas horas antes da partida do Chelsea contra o Paris Saint-Germain, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. Nas imagens, divulgadas no site do jornal "The Guardian", é possível ver um grupo de torcedores dos "Blues" empurrando com força duas vezes um homem negro que tentava subir no vagão ...

Leia mais

Sequestro na Austália: Contra o racismo, australianos dão lição de solidariedade nas redes sociais

Em meio a uma das maiores crises de segurança dos últimos anos, os australianos estão dando uma lição de solidariedade nas redes sociais. no Brasil Post  por  Gabriela Bazzo Por meio da hashtag #illridewithyou, usuários do Twitter estão oferecendo companhia no transporte público e até mesmo carona para membros da comunidade islâmica na Austrália. A iniciativa pretende inibir atos hostis contra muçulmanos. Desde as primeiras horas desta segunda (15) - noite de domingo pelo horário de Brasília - um homem mantém reféns dentro de um café no centro financeiro de Sidney, maior cidade do país. Ainda não foram divulgadas as motivações do sequestro, nem a identidade do criminoso, mas imagens de TV mostram uma bandeira preta com dizeres em árabe sendo exibida por meio da vidraça do estabelecimento.

Leia mais

5 Filmes que mostram o problema do racismo no mundo

Que tal ficar por dentro dos filmes que trazem reflexões sobre o racismo? Veja abaixo filmes o que trazem reflexões sobre o problema do racismo no mundo. Por Auris Sousa no SindMetal Quanto Vale ou é Por Quilo? O filme desenha um painel de duas épocas aparentemente distintas, mas, no fundo, semelhantes na manutenção de uma perversa dinâmica sócio-econômica, embalada pela corrupção impune, pela violência e pelas enormes diferenças sociais. Faz analogia entre o antigo comércio de escravos e a atual exploração da miséria pelo marketing social, que forma uma solidariedade de fachada. 12 Anos de Escravidão Baseado em fatos reais, 12 Anos de Escravidão (2013) retrata a chocante história real de Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor), um homem livre que é sequestrado e forçado por a trabalhar durante 12 anos, até conseguir a liberdade com a ajuda de um advogado. O filme chocou as plateias com seu retrato cruel do racismo e do ...

Leia mais
Para pesquisadora, mito de ‘país tolerante’ silencia debate sobre racismo na Holanda

Para pesquisadora, mito de ‘país tolerante’ silencia debate sobre racismo na Holanda

Carolina de Assis Patricia Schor, da Universidade de Utrecht, condena tradição natalina holandesa do “Zwarte Piet” e faz paralelo com Brasil: negro só aparece como subalterno O debate sobre a herança colonial e o racismo na Holanda é reaceso a cada ano nos meses de novembro e dezembro, quando o personagem Zwarte Piet, ou “Pedro Preto”, aparece nas vitrines de lojas decoradas para o Natal em todo o país. De acordo com o folclore holandês, os Zwarte Piets são os ajudantes do Sinterklaas, ou São Nicolau, figura análoga ao Papai Noel. Nas paradas natalinas realizadas em várias cidades, o personagem é encarnado por pessoas brancas, que fazem uso de “blackface” (maquiagem que cobre o rosto de negro) batom vermelho que realça os lábios, perucas de cabelos crespos e brincos de argola dourados. Se grande parte da população holandesa não vê problema na representação do Zwarte Piet, por outro lado, ele ...

Leia mais
Milhares marcham em Nova York contra racismo nos EUA

Milhares marcham em Nova York contra racismo nos EUA

Manifestantes chegam para o embarque na barca em Staten Island Ferry, Lower Manhattan O reverendo Al Sharpton liderou milhares de ativistas em uma marcha pacífica através da Staten Island no sábado, para protestar contra o racismo e a morte de Eric Garner, no mês passado após ser detido pela polícia de Nova York com um golpe de estrangulamento proibido. Os manifestantes viajaram de ônibus e balsa para se juntarem à manifestação por Garner, um homem negro, de 43 anos, pai de seis filhos, cuja morte se tornou parte de um debate nacional mais amplo, sobre como a polícia dos Estados Unidos utiliza a força, especialmente em pessoas que não são brancas. – Se você pode fazer isso com ele, então pode fazer com qualquer cidadão, e nós não vamos ficar calados enquanto isso acontece – disse Shrapton em um discurso antes do início da manifestação contra o racismo, na Igreja Mt. Sinai United ...

Leia mais

Comentários racistas de radialista causam polêmica na Argentina

O Instituto Nacional contra a Discriminação, a Xenofobia e o Racismo (Inadi) da Argentina condenou nesta quarta-feira os insultos racistas proferidos por um radialista contra o colombiano Teófilo Gutiérrez, do River Plate, em plena transmissão de uma partida disputada no último domingo. Alberto Raimundi, comentarista da Radio Revolución desencadeou uma grande polêmica ao chamar o atacante de "negro de merda". "Que os torcedores do River me desculpem. Estou de saco cheio deste cara, para mim, é um negro de merda, que tem uma sorte incrível", disse o radialista depois do gol de empate marcado por Gutiérrez, na partida que terminou com o placar de 1 a 1, pela primeira rodada do Campeonato Argentino de primeira divisão. "Me dá raiva que caras como este, uma mau caráter, tenham esta sorte", acrescentou. Os comentários racistas geraram inúmeras reações nas redes sociais, com vários torcedores do River defendendo o jogador, que também postou ...

Leia mais
Imigrantes africanos trabalham como escravos na Itália

Imigrantes africanos trabalham como escravos na Itália

Enquanto os italianos e turistas viajam em férias, não muito longe das praias mais bonitas do litoral da península, são colhidos tomates, melões e melancias, por milhares de imigrantes africanos ou da Europa de Leste. O tomate que os italianos levam para casa, por exemplo, é provável que seja resultado de condições de trabalho e de vida inaceitáveis. Trata-se de seres humanos, que por um punhado de euros, são forçados a viver em barracos improvisados, sem instalações sanitárias, cuidados de saúde, eletricidade e desprovidos de dinheiro. E se tudo isso não fosse suficiente, ainda passam por ameaças constantes. Os ingredientes reais destes pratos são histórias, esperanças, medos e suor de homens que viajaram 18 horas atravessando o mar fugindo da fome e da guerra para procurar a virtude e conhecimento, mas acabam encontrando desumanidade. "Eles abrem os estábulos, e nos fecham ali dentro", disse Mohammad, 65 anos de idade. "Eu ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist