Tag: artigos e reflexões

    blank

    Esquerda exclui minorias de debate “promissor” sobre a nação Brasileira

    NÃO VEJO NADA DE NOVO nem de promissor em um projeto de nação no qual as minorias, que formam mais de 50% da população brasileira, estão representadas por apenas duas pessoas em um universo de 217. Por Ana Maria Gonçalves Do The Intercept Encabeçado pelo ex-ministro da Economia Antônio Carlos Bresser Pereira, o Projeto Brasil Nação já foi assinado por milhares de pessoas. Lançado no último dia 27 de abril, nas dependências do Centro Estudantil 11 de Agosto, da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco (USP), ele foi elaborado por um grupo de convidados de diversas áreas que se reuniram durante mais de três meses. As primeiras assinaturas, 217 no total, são dos que eles chamam de “signatários originais”, que participaram das reuniões ou que foram convidados por estes, entre os quais não há nenhum indígena e apenas dois negros*. O que não é novidade, aliás: a esquerda continua ...

    Leia mais
    Foto: Chip Somodevilla/Getty Images

    Michelle e Obama, o filme

    Por Tulio Custódio, do Medium    Assisti apenas recentemente o filme sobre início da história de romance entre Michelle e Obama. Belo filme. Bem, não sou nenhum crítico de cinema para comentar extensamente — e tenho certeza que há bons artigos sobre o filme, mas que admito não li todos. O filme, porém, me despertou uma dimensão sensível sobre negros e afetividade: a comunicação. É um filme todo estruturado em diálogo, e boa parte dele — apesar de curto, cerca de 1h30min — é de conversas entre Michelle e Obama. Ela advogada associada de um escritório; ele, estagiário associado. A beleza do diálogo é que ele estabelece algo, de modo sutil, muito difícil de vermos representado no cinema: humanidades negras. Isso: o diálogo nesse filme serve para nos conectarmos com um mundo próprio de troca entre dois sujeitos, duas subjetividades, ali colocadas na troca ...

    Leia mais
    blank

    Em pleno 2017, negros são amarrados em poste de Comunidade Quilombola

    É difícil de acreditar que em pleno ano de 2017, os descendentes de escravos ainda sofrem as mesmas agressões que os seus antepassados. Não foi somente em nosso passado, por mais distante que pareça, que os nossos irmãos e irmãs negros(as) eram amarrados nos postes para serem agredidos e humilhados das formas mais violentas e cruéis que o homem pode criar. Apesar das décadas de lutas para a busca de seus direitos, a história ainda é banhada de sangue: sangue da luta por justiça e liberdade. Por Ediel Rangel Do Pragmatismo Politico A Comunidade Quilombola Marobá dos Teixeira, no coração do Vale do Jequitinhonha, na cidade de Almenara (MG), ainda luta para ter o reconhecimento e regularização de suas terras, expropriadas por coronéis nas décadas de 1930 e mantida por eles até a primeira década do ano 2000. Os resquícios do coronelismo, presentes ainda no Vale, não aceitam a retomada das ...

    Leia mais
    Reprodução/ Facebook/ortrun

    A mulatice intelectual e o racismo no Brasil

    Um dos maiores entraves para a erradicação do racismo contra os pretos no Brasil, não são os “mulatos”, ou miscigenados biológicos. Reprodução/ Facebook/ortrun Por Marcos Romão Do Mama Press Um dos grandes entraves para a eliminação, mesmo que pequena do racismo sorrateiro brasileiro, é  sim, a mulatice intelectual dominante no campo da ideias,  que pouco depois da Abolição da Escravidão, criou ideologias para controle das massas negras. A partir da criação do modernismo em 1922, passando pela bossa nova e tropicalismo, reinventou esse tal de cordial, misturado e malandro “brasileiro”, de Darcy Ribeiro, João Ubaldo e Gilberto Freire entre outros, em que se transformou um fictício ser brasileiro “moreno”, não racista na forma e cruel ariano racista nas ideias, do nosso imaginário e mentalizado “Povo Brasileiro”. Essas gentes, que somos todos nós, lavamos com jatos de ácido sulfúrico, a pele preta mental do Brasil. Subjugando e mantendo numa sociedade ...

    Leia mais
    blank

    A memória da escravatura é “dolorosa de se ver” e não cabe numa vitrine

    Exposição do museu de Arqueologia associa-se a um projecto que quer resgatar das colecções de museus, arquivos e bibliotecas de Lisboa testemunhos do tráfico de escravos, em que Portugal teve um papel central durante 400 anos. Por lucinda canelas Do Publico É de ferro maciço, fria, rugosa, pesada. O fecho parece uma cavilha ou uma chave tosca. Sabemos que foi feita para prender seres humanos, o que já de si é muito mau, mas tudo piora quando nos sugerem que a imaginemos colocada no pescoço de uma criança ou de um adulto que poderia ter ainda algemas nos pulsos e grilhetas nos pés. “Como é que se vive assim? Como é que se dorme?”, pergunta a arqueóloga Ana Isabel Santos, enquanto vai tirando das caixas estes objectos que dominam a exposição com que o Museu Nacional de Arqueologia (MNA) se associa a Testemunhos da Escravatura. Memória Africana, um projecto do Gabinete de ...

    Leia mais
    blank

    Sobre Reggie

    Por Tulio Custódio Do Medium Bem, todo mundo conectado no lançamento da série “Dear White People” no Netflix. O filme, que já fora um estouro quando lançado (se não me engano em 2014), agora ganhou vida com sequência mais aprofundada da vida dos personagens, e situações após o fatídico episódio da festa com blackface. Não tenho nada a comentar de valor para além dos que textos e posts sobre o tema já trouxeram. A riqueza do seriado nos tópicos, detalhes e grandezas de roteiro, tudo. Essa série é mindblowing em muitos aspectos, e tenho certeza que reverberará por algum tempo, na esteira de outras seriados como black-ish, Atlanta, Empire, Boondocks, entre outros tão potente sem sua mensagem e potencial catártico e de identificação. Apenas queria fazer um comentário sobre Reggie. Ou melhor, “aos Reggies” que existem ...

    Leia mais
    blank

    Revelações da genética sobre quilombos brasileiros

    Em SP, análise de cromossomos mostra forte papel de homens mestiços, na instalação dos redutos de resistência ao escravismo. Entre as mulheres, há presença minoritária de índias Por Peter Moon No Outras Palavras A maior concentração de remanescentes de quilombos no Estado de São Paulo fica no Vale do Ribeira. São dezenas de comunidades que, estima-se, foram criadas na primeira metade do século 19. Antigos quilombos são hoje bairros das cidades de Eldorado e Iporanga, cerca de 220 quilômetros a sudoeste da capital paulista. Nessas comunidades, teve início em 2000 uma das mais aprofundadas pesquisas de genética de populações em desenvolvimento no Brasil. “As comunidades que estudamos são verdadeiras relíquias do processo de miscigenação da população brasileira. Conseguimos resgatar a história genética de quatro a cinco gerações de membros daqueles remanescentes de quilombos”, disse a geneticista Lilian Kimura. O trabalho resultou na publicação de artigos científicos, dos quais o mais recente ...

    Leia mais
    blank

    Navegando pelo legado do povo negro na história de Chapadinha, Maranhão, Brasil

    Como negro nascido e crescido em Chapadinha – MA, venho experienciando conhecimento por histórias, pela tradição oral, acadêmica e virtual de outrxs negrxs. Na minha busca por nossas histórias (afrochapadinhenses), tento filtrar o que existe dentro das referências bibliográficas da História da minha cidade e me deparo com uma História de pretxs que por décadas vem sendo esquecida ou que simplesmente é citada aqui e acolá de forma muito rasa, sem muita importância. Durante toda minha vida escolar (do jardim ao Ensino Médio) em Chapadinha – MA, aprendi uma História superficial do município, como um conto que não possui muitos fatos e tudo é muito romantizado; isso me fez mergulhar num rio profundo de dúvidas e porquês. Por Lucca Adetokunbo Do Enviado para o Portal Geledés Conhecer a história e cultura da sua terra e dos seus ancestrais é primordial para a construção identitária de um sujeito. Uma criança negra que está ...

    Leia mais
    blank

    Eugenia: como movimento para criar seres humanos ‘melhores’ nos EUA influenciou Hitler

    A uma hora de Nova York, no vilarejo de Cold Spring Harbour, há um laboratório de investigação genética que foi fundado em 1890, pouco depois de Charles Darwin publicar a teoria de evolução e seleção natural. Por Peter Lang-Stanton e Steven Jackson, da BBC  A logomarca do programa de eugenia dizia: 'Eugenia é a direção própria da evolução humana. Como uma árvore, retira seus materiais de muitas fontes e os organiza em uma unidade harmoniosa' O guia do local explica que, "entre o final do século 19 e o começo do século 20, havia uma tendência de reprodução seletiva. Se um humano era considerado indigno de transmitir sua hereditariedade a gerações futuras, era esterilizado contra sua vontade". "Felizmente, essa prática já não é aceitável, mas nós somos muito honestos sobre essa parte da nossa história. Falando sobre os erros do passado se pode aprender a adotar práticas melhores no futuro", ...

    Leia mais
    Foto: Marcio Isensee e Sá

    Acadêmicas Indignas!!!

    Faz algum tempo que sentimos uma inquietação de compartilhar um sentimento que assombra nossa vida acadêmica e acreditamos ser o sentimento de muitas outras pessoas desta geração que viram na educação uma possibilidade de mudanças estruturais no interior da suas famílias. Quem é essa juventude negra e pobre que chegou ao ensino superior? O que mudou? Foto: Marcio Isensee e Sá Do Coletivo Café das Pretas Enviado para o Portal Geledés Constantemente temos a sensação de estarmos brincando de sermos acadêmicas e o submundo da nossa realidade familiar nos espera. Uma sensação autodestrutiva de culpa por ter saído dali e não conseguir mudar as estruturas dos que ficaram lá. Um sofá novo, uma conta de energia paga, uma dentadura para a mãe, brinquedos para as crianças. Isso não são mudanças estruturais! Não são!! Não são!! Cadê o que a educação prometeu? Certa vez uma amiga disse: “Vi ...

    Leia mais
    blank

    Eurocentrismo, relativismo e reducionismo: como se livrar do “ismo”

    Cornel West escolheu estas falas de Valery e Fanon como epigrafe de uma de suas palestras (as que estão na imagem). Qualquer estudante de ensino médio pode ter uma boa ideia sobre o que seria seu discurso a partir da leitura dos fragmentos: uma crítica ao eurocentrismo do discurso de Valery, acompanhada do desvelamento da exploração e silenciamento dos povos periféricos oprimidos. Pois bem, não é isso que o autor faz. Por Marcos Carvalho Lopes Do Filosofia Pop Primeiramente ele chama atenção para a força retórica do trecho dos dois autores, ponderando que seu poder advém justamente do exagero dramático que toma meias-verdades como Verdades absolutas. Ora, tanto o discurso de Valéry quanto o discurso de Fanon se sustentam na descrição de uma Europa monolítica, coesa e unificada: se o poeta francês argumenta que este consenso fornece um sentido positivo e civilizador; o filósofo negro da Martinica caminha na direção contrária, ...

    Leia mais
    blank

    Um regresso ao passado em Gorée. Não em nosso nome

    No decorrer da sua visita de Estado ao Senegal ocorrida na passada semana, achou por bem o Sr. Presidente da República visitar a ilha de Gorée, um antigo entreposto nas rotas atlânticas do tráfico de escravos. A carga simbólica do lugar tem aumentado nos últimos anos, devido às visitas de proeminentes figuras de Estado e do meio eclesiástico que aí escolheram pedir perdão pelo envolvimento histórico das comunidades que representam no tráfico e/ou escravização de seres humanos. E é sobejamente conhecida a complexidade política, ética e performativa de que se revestem atos públicos desta natureza. Mas, ao contrário destas figuras, e apesar das expectativas que o anúncio da sua visita criou, o Presidente escolheu não reconhecer em Gorée a longa e sinuosa história da responsabilidade portuguesa no comércio e escravização de africanos, nem as outras formas de opressão que em nome do país foram praticadas e legalmente sustentadas nas colónias ...

    Leia mais
    blank

    O doce sabor do privilégio

    Estive recentemente em um desses clubes chiques a beira da Lagoa Rodrigo de Freitas. Era a minha primeira vez no clube. A impressão que senti após alguns momentos de circulação, mesmo sendo tratado com cortesia pelos funcionários, foi uma combinação de deslumbre e desconforto, como se a qualquer momento fosse ser desmascarado como alguém que não deveria estar ali. Mas o dia estava lindo, a vista convidativa e o calor ameno do sol matinal acariciava o meu rosto. Relaxei, sentei a beira da Lagoa, tirei umas fotos e saquei um livro para desfrutar algumas horas de leitura diante daquela paisagem deslumbrante. Mas o incômodo já tinha se instalado. PorAtila Roque em seu blog   Não consegui parar de pensar no desconforto inicial. O que tinha provocado esse sentimento de deslocamento? Afinal, não era a minha primeira vez em espaços de elite, estou bem acostumado a ser o único em certos ...

    Leia mais
    David Schaffer/Caiaimage/Getty Images

    Adoecimento de estudantes negros e o papel da psicologia

    Tenho me deparado com inúmeros relatos, tanto de pessoas negras bem próximas a mim na universidade onde estudo como também de estudantes negros distantes ao qual nos conectamos através do mundo virtual, e todos eles trazem o mesmo discurso de fracasso diante do sofrimento e a incapacidade de conseguir encontrar algo que fuja ou transcenda essa realidade imersa em dor. E as poucas narrativas que fogem desta realidade sufocante, são vistas como pessoas negras'embranquecidas' por muitos militantes que julgam que ser negro é essencialmente militar e sofrer, tendo muitas vezes sua negritude questionada quando isto não está em evidência. Por Mayara Santiago para o Portal Geledés  Com toda certeza o racismo nos dilacera historicamente e molda um caminho pré-estabelecido socialmente através de raça e classe no Brasil, segundo Ângela Davis: 'O enorme espaço que o trabalho ocupa hoje na vida das mulheres negras reproduz um padrão estabelecido durante os primeiros ...

    Leia mais
    blank

    Cidade e desigualdades: uma perspectiva de raça e gênero

    Apesar das várias formas que a arquitetura e o urbanismo manifestam-se no dia-a-dia das pessoas, a profissão ainda é vista pela sociedade como atividade técnica. O debate sobre arquitetura, portanto, é visto como um tópico sobre o qual apenas os profissionais têm conhecimento, voz e interesse para opinar. Isso acontece, dentre várias razões, porque teóricos da área – que discursam de uma maneira acessível, sem o vocabulário técnico profissional – ainda têm pouca visibilidade. Neste esforço para humanizar a profissão e trazê-la para perto das pessoas, do cotidiano e das preocupações sociais, alguns nomes se destacam. Do Caurs Joice Berth é uma dessas pessoas. Arquiteta e urbanista de formação e pós-graduada em Direito Urbanístico pela PUC-MG, ela atuou na área de Regularização Fundiária e trabalha hoje como colunista do site Justificando, da revista Carta Capital, onde escreve sobre questões raciais, feminismo negro e direito à cidade. Para Joice, questões de ...

    Leia mais
    Foto: João Godinho

    É uma luta necessária banir o fascismo da sociedade brasileira

    Registro o meu repúdio ao ocorrido no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, em 3 de abril passado, quando, a convite do presidente Luiz Mairovitch, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) proferiu uma palestra, após cancelamento de outra na sede paulista da Hebraica por solicitação de um abaixo-assinado com mais de 2.600 assinaturas da comunidade judaica. Foto: João Godinho Por Fátima Oliveira Enviado para o Portal Geledés Jair Bolsonaro é misógino, homofóbico, racista e fascista confesso; não é polêmico, como alguns dizem por aí, é indubitavelmente um fascista! Ou alguém imaginava que ele faria uma declaração de amor ao povo brasileiro? Sem novidades, pois o fascismo é, de cabo a rabo, perseguição à democracia, desde o nascedouro. A comunidade judaica no mundo, incluindo o Brasil, não é um bloco monolítico! Basta avaliar que a Hebraica de São Paulo cancelou a palestra do referido deputado, mas a do Rio de Janeiro não atendeu ...

    Leia mais
    Foto: Rafael Stedile

    Padre critica machismo, homofobia e Bolsonaro e ganha as redes sociais

    Padre fez discurso corajoso contra o ódio em pregação que marcou o primeiro dia da Quaresma para os católicos (vídeo). Julio Lancellotti criticou duramente a cultura do estupro, o machismo, a homofobia e o deputado Jair Bolsonaro Foto: Rafael Stedile Do Pragmatismo Politico O padre Julio Lancellotti fez um discurso histórico no último domingo (5), em São Paulo, durante a pregação que marcou o primeiro dia da Quaresma para os católicos (vídeo abaixo). O religioso criticou duramente a cultura do estupro, o machismo e a homofobia, além de chamar a atenção para a necessidade de nos voltarmos para os mais pobres e necessitados. “Defendam os fracos, não aceitem a covardia contra os pobres e os pequenos”, afirmou. No Facebook, o vídeo com a pregação de Julio Lancellotti foi visto mais de 150 mil vezes até o fechamento desta nota e recebeu milhares de comentários elogiosos. Ao ...

    Leia mais
    Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

    Os Palhaços e a lição dos Negros de Jaú

    Eliane Cantanhêde entrevistou para “O Estado de S. Paulo”, em 11 de dezembro de 2016, o general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, e perguntou-lhe se era viável a candidatura de Bolsonaro a presidente da República. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados Por Edson Lopes Cardoso Do Brado Negro A resposta do general, afirmou Cantanhêde, não era direta, mas dizia muito: “Bolsonaro, a exemplo do (Donald) Trump, fala e se comporta contra essa exacerbação sem sentido do tal politicamente correto”. Como se viu na palestra na sede da Hebraica, no Rio de Janeiro, no dia 3 de abril, essa condição necessária do presidenciável (voltar-se contra o politicamente correto) se expressa pela repulsa, aversão e execração de negros, indígenas, mulheres, homossexuais, entre outras identidades. Não sei até onde podemos dimensionar, em termos eleitorais, o alcance e apoio à pregação racista, machista, homofóbica e xenófoba de Bolsonaro. A fala de ...

    Leia mais
    blank

    “É no trato com os índios que o Brasil se revela”, diz cineasta

    Em entrevista a Maria Rita Kehl, diretor do documentário 'Martírio', Vincent Carelli, fala sobre a resistência dos Guarani-Kayowá Por Felipe Milanez Do Carta Capital No dia 13 de abril, estreia em São Paulo o documentário longa-metragem Martírio, dirigido por Vincent Carelli e co-dirigido por Ernesto de Carvalho e Tita. Trata-se de um filme extraordinário, que o Brasil precisa ver e um filme para indignar Brasília. O filme também será projetado em Brasília, em 25 de abril, durante o Acampamento Terra Livre, organizado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB). O acampamento deve reunir ao menos 1500 indígenas de todo o Brasil, em uma luta conjunta e unificada contra as medidas anti-indígenas que tem sido conduzidas pelo governo de Michel Temer. Entre elas, o desmonte da Funai, a paralisação das demarcações e uma série de ações classificadas pelos indígenas como “genocidas”. Segundo as palavras de Dinamam Tuxa, liderança da APIB: “uma ...

    Leia mais
    blank

    O sofrimento psíquico dos negros e a importância do psicólogo negro enquanto reparador

    Ainda que a sociedade brasileira seja composta em sua maioria por pessoas negras, o racismo ainda acontece de maneira frequente, seja de forma velada ou até mesmo de forma mais explícita. Por Diogo Salviano, do Academia do Psicólogo Essa é uma vivência bastante comum entre pessoas negras no Brasil, e que por outro lado, é pouco compreendida ou percebida por pessoas não negras, visto questões como a falta de contato com essa realidade, não ter experienciado o racismo, a crença de que o racismo não existe entre outras situações. Antes de iniciarmos a discussão sobre o sofrimento psíquico de pessoas negras expostas ao racismo e como psicólogos negros podem contribuir com a reparação desse sofrimento, é importante contextualizar esse racismo vivenciado pela população negra em nosso país. Assim, já trabalhamos uma das questões apontadas acima e nos aproximamos do contato com essa realidade. Destruição cultural e desumanização Sabe-se que a população negra, ...

    Leia mais
    Página 20 de 25 1 19 20 21 25

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist