quarta-feira, setembro 16, 2020

    Tag: cinema negro

    Getty Images

    Spike Lee é tema de mostra de cinema em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília

    "Acorde! O Cinema de Spike Lee" é uma realização do Centro Cultural do Banco do Brasil por Víctor Aliaga no IGN Getty ImagesWS A partir de novembro, mês da conscientização negra, O Centro Cultural do Banco do Brasil irá realizar uma mostra de cinema especial dedicada a Spike Lee, renomado diretor e precursor do chamado "Novo Cinema Negro". Intitulada "Acorde! O cinema de Spike Lee", 23 longas -- entre eles os clássicos Faça a Coisa Certa (1989), Malcolm X (1992) e A Hora do Show (2000) -- e quatro clipes musicais do cineasta -- que dirigiu clipes de Eminem, Michael Jackson, Prince, Public Enemy e outros artistas -- serão exibidos nas cidades de São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. Os ingressos variam entre R$ 5 (meia-entrada) a R$ 10 (inteira) e algumas sessões serão gratuitas. Para conferir a programação completa, acesse o site oficial do CCBB. ...

    Leia mais
    blank

    No mês da Consciência Negra, Espaço Itaú de Cinema Augusta apresenta a Mostra Cinema Negro (de 5 a 11/11)

    Novembro está repleto de feriados e datas comemorativas. Na mais importante entre elas, há o Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro. Entretanto, desde o dia 1º costuma se ter por todo o país eventos culturais e atividades que buscam debater a posição do negro em uma sociedade ainda acometida por preconceitos e injustiças. Por Alex Gonçalves Do Cine Resenhas Foto: Reprodução/Cine Resenhas O cinema é uma bela arte para reflexão sobre o tema e o Espaço Itaú de Cinema cederá a partir desta segunda-feira, 5, uma de suas sessões diárias da Augusta para abrigar a Mostra Cinema Negro. Até domingo, 11, os espectadores terão acesso a um recorte de obras de destaque do último ano protagonizados e dirigidos por negros. Com o valor promocional de R$ 20 (R$ 10 a meia), a Mostra Cinema Negro começa com um filme nacional. Trata-se de “Temporada”, do ...

    Leia mais
    O Cineasta Spike Lee (Foto: AFP/Getty Images)

    Mostra ‘Acorde! O cinema de Spike Lee’ exibirá um recorte de 22 filmes e 4 videoclipes

    Em São Paulo – De 07 de novembro a 03 de dezembro de 2018, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), São Paulo, realiza a mostra ACORDE! O CINEMA DE SPIKE LEE que apresenta ao público um dos mais importantes cineastas contemporâneos. Com um cinema atual e um discurso inclusivo, Spike Lee aborda em sua filmografia uma visão particular da diversidade racial urbana. A mostra exibirá um recorte de 22 filmes e 4 videoclipes que representam diferentes momentos da carreira do cineasta. No Cultura Carta Campinas  O Cineasta Spike Lee (Foto: AFP/Getty Images) -’Acorde!’, essa expressão está presente em quase todos os filmes de Spike Lee. É um chamado para a ação, para a ruptura de um comportamento padronizado, geralmente declamado por um personagem secundário para o personagem central, frequentemente em uma visão subjetiva: o ator olha para a câmera e fala ‘Acorde!’ para a plateia do cinema. ...

    Leia mais
    blank

    Filmes atuais analisam a afirmação da identidade negra

    Djon África e A última abolição são exemplos de filmes que discutem a identidade racial Por Ricardo Daehn Do Correio Brasiliense  Djon África: estreitamento de laços entre Brasil e Portugal (foto: Terratreme Filmes/Divulgação) Logo na primeira cena da produção do filme Djon África, recém-lançado na cidade, o protagonista deixa o público inteirado do tema central, com a letra de uma música: “Toda a gente precisa de origem para ter uma missão”. É justamente atrás da curiosidade pela árvore genealógica — eternamente renegada — que Miguel (personagem de Miguel Moreira) chegará à realidade de Cabo Verde, buscando o encontro com o pai, um completo desconhecido. Claro que, no trajeto, vai esbarrar na dureza de um cotidiano embrutecido, também descrito na música de protesto que abre a fita: “O governo come e bebe até a última gota, e o povo vota — você dá o corpo ao trabalho para poder ...

    Leia mais
    Photo by Matt Kennedy : Marvel Studios

    Ryan Coogler é confirmado como diretor e roteirista de “Pantera Negra 2”

    Ryan Coogler (Creed: Nascido Para Lutar, Fruitvale Station: A Última Parada) assinou contrato para retornar como escritor e diretor na sequência de Pantera Negra, segundo o The Hollywood Reporter. no Loucos por Filmes Photo by Matt Kennedy : Marvel Studios A fonte observa que Coogler vai começar a escrever o roteiro no próximo ano com a produção prevista para começar no final de 2019 ou início de 2020. Atualmente, a Marvel não confirmou seus filmes para além de Vingadores 4, estreando em maio de 2019 e Homem-Aranha: Longe de Casa, datado para julho de 2019. Nesse meio tempo, Coogler está desenvolvendo Wrong Answer, um filme de drama onde ele dirigirá Michael B. Jordan pela quarta vez. Ele também é produtor da sequência Creed II, bem como da sequência de Space Jam. O fenômeno cultural global, Pantera Negra, dominou as bilheterias no começo do ano emergindo como ...

    Leia mais
    Vantoen Pereira Jr./Divulgação

    “Um filme para brasileiros”: Jeferson De e elenco falam sobre drama nacional com toques sobrenaturais (Visita ao set)

    M8 - Quando a Morte Socorre a Vida é o próximo filme do cineasta responsável pelo premiado drama Bróder e tem Corra! e Moonlight entre suas referências. Por João Vitor Figueira, do Adoro Cinema  Vantoen Pereira Jr./Divulgação Em uma manhã de sol ameno na cidade do Rio de Janeiro, uma não tão numerosa, mas intensa equipe de filmagem se organiza na rua de uma comunidade no bairro de Curicica. Perto de uma larga bandeira do Flamengo ostentada em uma janela, um morador, solitário, observa a movimentação pela rua, situada na Zona Oeste da cidade. Em determinado momento, alguém da equipe identifica o odor de algo queimando e logo percebe que, ao contrário de sua impressão inicial, não havia nenhum equipamento em curto-circuito. O que houve foi que alguém na vizinhança deixou uma panela de feijão no fogão por mais tempo do que o necessário. Perto dali fica ...

    Leia mais
    blank

    ‘Racismo mata todos os dias’, diz diretora que disputa vaga no Oscar

    Confira entrevista com a cineasta Camila de Moraes, gaúcha radicada em Salvador; indicados serão divulgados nesta terça (11) Por Laura Fernandes Do Correio24horas Foto: Reprodução/correio24horas Cotada para representar o Brasil no Oscar com o documentário O Caso do Homem Errado, a cineasta gaúcha radicada em Salvador Camila de Moraes, 31 anos, explica por que decidiu, 30 anos depois do fato real que inspirou o filme, contar a história de um operário negro executado por engano. “Por não aguentar mais saber de notícias de pessoas negras sendo executadas no Brasil e no mundo, achamos no audiovisual uma maneira de nos manifestar sobre o racismo que nos mata todos os dias”, afirma, em entrevista ao CORREIO. No bate-papo que pode ser lido na íntegra, logo abaixo, Camila fala sobre a indicação à premiação - cujo resultado será divulgado nesta terça-feira (11) - e conta que o interesse pelo cinema ...

    Leia mais
    Foto: Ierê Ferreira/ Reprodução Facebook

    Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbull: Pontes Históricas e Diaspóricas

    No calor da onda cinemanovista, o crítico e cineasta David Neves apresentou em 1965 a tese O cinema de assunto e autor negros no Brasil, na V Resenha do Cinema Latino-Americano em Gênova, na Itália. De modo pioneiro, David Neves debateu publicamente a presença negra no cinema brasileiro, indicando que negro sempre figurara como assunto, mas nunca como autor, de modo que o cinema de assunto negro era “quase sempre uma constante, quando não é um vício ou uma saída inevitável”.  E até o Cinema Novo o negro aparecia nas telas invariavelmente de duas formas: a partir da exploração comercial de imagens exóticas e racistas ou de modo indiferente e acidental na trama. Assim, o Cinema Novo teria inaugurado uma preocupação com a representação negra que fugisse das lógicas predominantes até então e que além disso, propusesse uma indissociação entre personagens negras e o ponto de vista do realizador do ...

    Leia mais
    Richard Shotwell:Inivsion:AP

    Barry Jenkins, diretor de ‘Moonlight’ lança 3º filme seguido sobre questões raciais

    'If Beale Street Could Talk' é uma adaptação do romance homônimo de Baldwin sobre um casal que enfrenta o racismo no Harlem (NY), no início dos anos 1970 no Notícia ao Minuto Richard Shotwell:Inivsion:AP Beale Street é o nome da rua de Nova Orleans em que nasceu o jazz e em que nasceu o pai do escritor James Baldwin, a voz literária do movimento pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos. Na obra do autor, a via ganha status de epítome da identidade afro-americana. "Há uma Beale Street em cada cidade da América", disse o cineasta Barry Jenkins, vencedor do Oscar por "Moonlight", antes de apresentar seu novo longa em Toronto, aplaudidíssimo por uma plateia em grande parte negra que lotou o teatro Princess of Wales. "If Beale Street Could Talk" (se a rua Beale pudesse falar) é uma adaptação do romance homônimo de Baldwin ...

    Leia mais
    Foto: Cena do filme Kbela, de Yasmin Thayná (2015).

    Quem tem medo do cinema negro?

    Créditos iniciais por Marco Aurélio da Conceição Correa no Justificando Foto: Cena do filme Kbela, de Yasmin Thayná (2015). Vivemos em tempos sombrios, tempos onde as diferenças são cada vez menos respeitadas, tempos onde direitos sociais são cada vez mais atacados por gritos de ódio e intolerância. Porém, mesmo dentro dessa neblina de poeira emerge um movimento que nos dá esperanças. O cinema negro emerge e levanta, o cinema negro é o hoje, é o agora. E este levante assusta, dá medo, cria alvoroço dentro de uma sociedade que está bem conformada com suas desigualdades raciais. O filme Kbela lotando o tradicional Odeon em 2016 e circulando pelo mundo todo sendo premiado; a extensiva premiação de filmes de cineastas de pele negra no Festival de Brasília de 2017; a comemoração de 10 anos do Encontro de Cinema Negro Brasil, África e Caribe reforçam o momento de insurgência que ...

    Leia mais
    blank

    Me vi no cinema – Por Elisa Lucinda

    Se, na primeira vez, o filme “Café com canela” me avassalou, agora então, sem qualquer cerimônia, atravessou meu coração! Estou, desde menina, chafurdada na magia dessa sétima arte que tanto admiro e na qual também trabalho. Portanto acostumada às salas de cinema e sua película tão parecida com sonho. Lo que passa és que o filme de Glenda Nicácio e Ary Rosa me é inaugural e o é para o cinema brasileiro, que é também o do mundo. Ao falar a partir da própria aldeia com extrema maestria, Cachoeira, cidade do Recôncavo onde se passa a premiada obra, consegue abrigar nos seus 122 minutos todas as Áfricas e as não Áfricas também. É de e sobre o afeto. A afetividade é sua liga, argamassa, presença invisível e aderente em todos os “frames”. É o pontilhado discretíssimo que forma a imagem. O filme foi identificado já em seu lançamento em Brasília ...

    Leia mais
    Ricardo Borges / Folhapress

    Cineasta Yasmin Thayná busca ação política fora dos partidos

    Em nova série da GloboNews, Yasmin Thayná viaja para conhecer novas práticas nas comunidades por Ricardo Kotscho no Folha de São Paulo Ricardo Borges / Folhapress   "O que você veio fazer aqui?", perguntavam à jovem cineasta Yasmin Thainá durante suas viagens por cinco estados brasileiros para produzir a série Política: Modo de Fazer, que estreia neste sábado (1º), na GloboNews. Em primeiro trabalho para a televisão, ela explicava às pessoas que queria descobrir as novas práticas políticas da sociedade civil fora do contexto dos partidos tradicionais. "Ah, você deve estar tendo muita dificuldade, né? Porque aqui não tem nada sendo feito, só roubalheira..." Pois Yasmin não desistiu. Ao contrário, encontrou dezenas de movimentos de participação popular, formados em sua maioria por grupos de jovens nas periferias de São Paulo, Recife, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Yasmin conhece bem este mundo desde pequena e é ...

    Leia mais
    Getty Images / Pascal Le Segretain

    Spike Lee fala ao ‘Estado’ de ‘Infiltrado na Klan’, filme libelo contra a segregação racial

    Longa será exibido na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em outubro Do Mariane Morisawa, do Terra  Getty Images / Pascal Le Segretain LONDRES - Spike Lee reluta um pouco a falar sobre o presidente americano Donald Trump, a quem se recusa a chamar pelo nome - é o Agente Laranja. Mas é um assunto inevitável porque seu novo filme, Infiltrado na Klan, vencedor do Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2018, fala disso diretamente, apesar de se passar nos anos 1970. O filme, que deve estrear no Brasil em 22 de novembro e será exibido na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo em outubro, é baseado na história real de Ron Stallworth (John David Washington, filho de Denzel), o primeiro policial negro na cidade de Colorado Springs, que se infiltrou na Ku Klux Klan (organização que defende a supremacia branca), com a ajuda ...

    Leia mais
    blank

    Encontro de cinema negro ocupa diferentes espaços no Rio

    A programação ocorre no Cinema Odeon, no Centro Cultural Justiça Federal, no MAR Museu de Arte do Rio e no Cine Arte UFF Do  Destak Jornal Divulgação O Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África e Caribe, que começa nesta quarta-feira (29), selecionou 74 filmes nacionais, de cinco regiões do Brasil e 18 filmes internacionais para celebrarem a maior janela de exibição afrodiaspórica de cinema negro no país. A programação ocupará os espaços do Cinema Odeon, Centro Cultural Justiça Federal, Museu de Arte do Rio e Cine Arte UFF. O encontro é o organizado pelo Centro Afrocarioca de Cinema. O objetivo de seu fundador Zózimo Bulbul era fortificar a identidade negra e incentivar o intercâmbio cultural Brasil-África através de exibições, debates e de um processo formativo com palestras e seminários, promovendo relações entre realizadores negros brasileiros, africanos e da diáspora. O evento é uma alternativa para diminuir a lacuna ...

    Leia mais
    imagem: Centro Afro Carioca de Cinema Zózimo Bulbul

    ‘Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul’ exibe mais de 90 filmes

    Fortificar a identidade negra e incentivar o intercâmbio cultural Brasil-África: é esse o principal objetivo do “Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul – Brasil, África e Caribe”, que chega ao 11º ano de 29 de agosto a 9 de setembro, com atrações em quatro espaços culturais do Rio e convidados como Lázaro Ramos e Djamila Ribeiro. imagem: Centro Afro Carioca de Cinema Zózimo Bulbul Para esta edição, foram selecionados 76 filmes nacionais, de cinco regiões do Brasil, e 29 filmes internacionais, entre longas e curtas-metragens, sob a curadoria do diretor Joel Zito Araujo e de Janaína Oliveira. As exibições acontecem no Cine Odeon, no CCJF (Centro Cultural Justiça Federal), no MAR (Museu de Arte do Rio) e no Cine Arte UFF (Universidade Federal Fluminense), em Niterói. Crédito: Divulgação Na programação, 'Carta Sobre o Nosso Lugar Mulheres do Vila Nova' tem direção de Rayane Penha [caption ...

    Leia mais
    Diáspora Lab / Divulgação

    Diáspora Conecta convoca realizadores afrodescendentes do nordeste para cursos e laboratório de desenvolvimento de projetos cinematográficos

    Diáspora Conecta é uma plataforma que articula ações de inovação e criatividade, promovendo atividades de experimentação, capacitação e reflexão em torno da produção artística afrodiaspórica. O projeto, que tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia, e conta com a parceria do Sebrae, da Aliança Francesa Salvador, da A Firma e do Cine Theatro Cachoeirano, da Prefeitura Municipal de Cachoeira, visa propiciar um espaço de encontro entre realizadores, produtores, agentes do mercado e o público em geral. no Aldeia Nagô Diáspora Lab / Divulgação Até o dia 31 de agosto estão abertas as inscrições para o Diáspora Lab, que vai selecionar seis projetos de longa-metragem em fase de desenvolvimento de realizadores negros/as da região Nordeste do Brasil, sendo 03 (três) de ficção e 03 (três) de documentário. A proposta do laboratório é que os ...

    Leia mais
    blank

    BlacKkKlansman: filme de Spike lee conta a historia de um negro na Ku Klux Klan

    Em uma fria manhã de novembro de 1978, o jovem policial americano Ron Stallworth deteve seu olhar em um classificado no jornal. "Ku Klux Klan. Para sua informação", dizia o anúncio, seguido de um endereço para envio de cartas. Por Patricia Sulbarán Lovera Do BBC Filme de Spike Lee conta história de investigação da polícia americana que informou o FBI sobre movimentação da Ku Klux Klan nos anos 1970 (FOCUS FEATURES) Ele respondeu o anúncio, imaginando que isso poderia levá-lo a uma investigação que daria um impulso em sua carreira de detetive. Mas havia um detalhe: Stallworth, de 25 anos, era um homem negro querendo se infiltrar no grupo mais conhecido de supremacistas brancos dos Estados Unidos, famoso por suas perseguições racistas. Mas o que parecia impossível aconteceu e, décadas depois, a história do policial se transformou no filme BlacKkKlansman (Infiltrado na Klan, em português), dirigido pelo cineasta Spike Lee, que estreou na última ...

    Leia mais
    O famoso letreiro Hollywood, em Los Angeles. Foto: Kevork Djansezian/ Reuters

    Apenas 4 mulheres negras dirigiram filmes de Hollywood nos últimos dez anos

    Apesar de avanços, a diversidade racial e de gênero no cinema norte-americano cresceu pouco e atrizes ainda são ridicularizadas Por CAIO NASCIMENTO, do Estadão O famoso letreiro Hollywood, em Los Angeles. Foto: Kevork Djansezian/ Reuters As discussões recentes sobre racismo em Hollywood levaram vitórias ao mundo do audiovisual. Depois de um Oscar 2016 polêmico, sem indicações de atores negros pelo segundo ano consecutivo, a edição de 2017 foi a primeira em que três mulheres negras foram indicadas a uma mesma categoria. Viola Davis, Naomie Harris e Octavia Spencer concorreram ao prêmio de melhor atriz coadjuvante. Apesar dos avanços, o cinema norte-americano continua branco e masculino. Um estudo da Universidade do Sul da Califórnia (USC) alertou que em dez anos, em meio aos 1.100 principais filmes hollywoodianos, apenas quatro diretoras negras estiveram à frente das produções. Além disso, 70% dos personagens das cem melhores obras de 2017 são brancos. A autora da tese O sensível ...

    Leia mais
    blank

    Novo filme de Spike Lee traz música inédita de Prince

    "Mary Don't You Weep" foi gravada pelo falecido cantor em 1983 e estava esquecida em seu arquivo pessoal Do NOTÍCIAS AO MINUTO Foto: © REUTERS/Chris Pizzello O novo filme de Spike Lee, 'Infiltrado na Klan', conta com uma trilha sonora de peso: a música inédita do falecido cantor Prince, "Mary Don't You Weep". Gravada em 1983, a canção estava esquecida no arquivo pessoal do cantor e só foi divulgada após sua morte, segundo o site Adoro Cinema. O diretor conta como a música veio parar em suas mãos em entrevista à Revista Rolling Stone. "Sabia que precisava de uma canção para os créditos finais. Fiquei muito próximo de Troy Carter, um dos executivos do Spotify. Então, o convidei para uma exibição privada. E depois, ele disse, 'Spike, tenho a música'. E era "Mary Don’t You Weep", gravada em fita K7 em meados dos anos 1980. Prince queria que eu usasse essa música, ...

    Leia mais
    REPRODUÇÃO/TVT

    Para produtores e diretores negros, fazer cinema no Brasil ainda é ‘uma guerra’

    Exemplo do problema é personificado em Viviane Ferreira, segunda cineasta negra, à frente da direção solo de um longa de ficção no Brasil. "A gente não tem referência", disse, no programa "Entre Vistas", da TVT Da Rede Brasil Atual  Viviane Ferreira afirma que negros têm mais dificuldades em acessar recursos para fazer cinema (REPRODUÇÃO/TVT) Um debate profundo sobre a realidade da produção audiovisual feita por negros no Brasil. Assim foi a participação da cineasta Viviane Ferreira no programa Entre Vistas, da TVT, na última terça-feira (7), apresentado pelo jornalista Juca Kfouri. Diretora dos documentários Dê sua ideia, debata, Festa da Mãe Negra e Marcha Noturna e Peregrinação, Viviane trouxe à tona mais uma faceta do racismo existente na sociedade brasileira: a dificuldade de pessoas negras fazerem cinema. Seu próprio caso é exemplo desta realidade. Ela é apenas a segunda cineasta negra, à frente da direção solo de um longa de ficção no Brasil. Ainda ...

    Leia mais
    Página 5 de 16 1 4 5 6 16

    Últimas Postagens

    blank
    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist