sexta-feira, outubro 16, 2020

    Tag: ideologia

    Arte: Iago Francisco

    Discurso e poder: tudo começa na linguagem

    O texto bíblico e a ciência convergem: no princípio era o verbo. No Gênesis, Deus cria o mundo, ordenando e nominando as coisas. A linguística define a linguagem passando pela própria definição dos seres humanos no mundo1. É via linguagem que transformamos a nós mesmas e a realidade em que vivemos, dando sentido a existência. Não qualquer existência, mas a de indivíduos reais, situados historicamente e atravessados por ideologias e vivências. A experiência concreta da linguagem nos conecta à fascinante teoria dos Atos de Fala, formulada na década de 1960 pelo americano Jonh Austin. Mirando o uso cotidiano da língua, Austin percebeu e provou que o ato de falar é, sobretudo, um instrumento para realizar ações, ultrapassando a função narrativa-descritiva da realidade que os estudos lhe conferiam até então. Falar é fazer Austin constatou que todos os enunciados são performativos (do inglês “to perform”, que significa realizar), mesmo quando não ...

    Leia mais

    Nada mais ideológico do que uma escola sem partido

    O que seria a tão falada, e pouco explicada, ‘escola sem partido’? Basicamente, trata-se de uma falsa dicotomia, pois não diz respeito a não partidarização das escolas, mas sim à retirada do pensamento crítico, da problematização e da possibilidade de se democratizar a escola, esse espaço de partilhas e aprendizados ainda tão fechado, que precisa de abertura e diálogo. Por Cleo Manhas Do A pauta que precisamos debater é a da qualidade da educação, e não falácias ideológicas sobre a “não ideologização da escola”, algo que se vê até mesmo em alguns diálogos sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O Plano Nacional de Educação foi aprovado há dois anos e, durante sua tramitação, uma das polêmicas suscitadas foi acerca da promoção das equidades de gênero, raça/etnia, regional, orientação sexual, que acabou excluída do texto do projeto. Por consequência, isso influenciou a tramitação dos planos estaduais e municipais, que também sucumbiram ...

    Leia mais
    Image processed by CodeCarvings Piczard ### FREE Community Edition ### on 2015-06-24 18:28:05Z | http://piczard.com | http://codecarvings.com

    Realidade e Ideologia no Sistema de Justiça Criminal

    A percepção da realidade não é neutra. O que cada um de nós identifica como “realidade” é o resultado de uma trama simbólico-imaginária: o indivíduo (ser-no-mundo) ao nascer é lançado na linguagem/no simbólico (o que sempre antecipa sentidos) e passa a produzir imagens-ideias a partir dela. Há, na percepção da realidade, um conteúdo coletivo, algo “comum”, imagens construídas socialmente, mas também a contribuição de dados individuais, das imagens-ideias criadas em razão da experiência de cada um e dos desejos que são, por definição, infungíveis. Assim, por exemplo, quem acredita no uso da força, tem menos recursos intelectuais ou tem medo da liberdade tende a uma visão mais autoritária da realidade. Por Rubens Casara Do Justificando Tanto o aspecto “coletivo” quanto o “individual” da formação da percepção da realidade sofrem diversos condicionamentos, alguns inconscientes. Para entender como a realidade do Sistema de Justiça Criminal é construída, ou mais precisamente, como se dá ...

    Leia mais

    Violência e ideologia

    Assistimos ao espetáculo da violência. A própria frase encerra seu significado mais dramático. Parte das pessoas encara a violência no papel de espectadores e a consomem pelo filtro dos meios de comunicação – seja a televisão, o rádio, as redes sociais. Sujeitos apassivados adornianamente pela indústria cultural, transformados em espectadores que expectoram catarticamente para o vídeo burro seus anseios e frustrações, para vê-los realizados pelo outro inexistente, tornando-os vazios. Por  Mauro Luis Iasi Do Blog da Boitempo A raiva, a violência, a fúria, mas também a paixão romântica, a aventura ou fantasia, projetam desde fora os elementos do ser social, projetado para fora de si mesmo para se reconhecer no outro. Tal mecanismo não é necessariamente de estranhamento, se pensarmos que assim nos constituímos como seres sociais, se reconhecendo no outro. O problema é a natureza e qualidade deste outro. A mercantilização da arte e da comunicação reconstrói o objeto de ...

    Leia mais
    A objetividade na pesquisa social e suas contaminações ideológicas

    A objetividade na pesquisa social e suas contaminações ideológicas

    Na física, disse um recente prêmio Nobel de verdade, a teoria apresentada precisa ser certa, enquanto na economia basta ela ser brilhante. (*) Gunnar Myrdal – Objectivity in social research – Wesleyan University Press, Middletown, 1983 ISBN 0-8195-6091-x   Por Ladislau Dowbor, do  Carta Maior Arquivo/Carta Maior A deformação ideológica na economia é uma praga. Um eminente professor de Harvard explica com calma que Keynes não podia entender de economia porque era gay e não tinha filhos. Vale tudo. A defesa escancarada de interesses aparece como ciência, e se os interesses são poderosos, a divulgação é poderosa. A explicação do professor de economia passa tranquilamente na nossa TV Escola, dizendo que Pinochet valeu a pena. E estamos falando de 2014. Na física, disse um recente prêmio Nobel de verdade, a teoria apresentada precisa ser certa, enquanto na economia basta ela ser brilhante. Como avaliar o que tem ...

    Leia mais
    Tudo junto e misturado? Nem tanto...

    Tudo junto e misturado? Nem tanto…

    Por Silvia Elaine Santos de Castro Os brasileiros têm vivenciado uma situação intrigante. Com o advento da Copa do Mundo, os olhos do planeta se voltam para cá. E que imagem este mundo tem de nós, brasileiros? Alguns mitos precisam ser problematizados, como a nossa tão ilusória “democracia racial”. A ideia de que nossas relações sociais se dão harmoniosamente no campo racial. Algumas características marcam o racismo enquanto ideologia. Entre elas, podemos citar a animalização do outro e a naturalização das hierarquias sociais. A animalização quase sempre acontece por meio da piada, ou da chacota, e interioriza um pensamento de inferioridade deste outro. “Cada macaco no seu galho”, como diz a música e ironizou, em seu programa semanal, Fernanda Lima no contexto da sua indicação a apresentadora oficial do sorteio da Copa do Mundo, no fim do ano passado. Segundo rumores, Camila Pitanga e Lázaro Ramos (negros) teriam sido vetados ...

    Leia mais

    Quem tem minha aparência: A complexa ideologia de cores por trás da vitória de Barack Obama – Por: Liv Sovik

    Fonte: Revista Pernambuco: Suplemento Cultural do Diário Oficial do Estado. No.36, jan 2009, p.8. Por: Liv Sovik Reprodução/Facebook O que até um ano atrás era inimaginável, aconteceu. Nos Estados Unidos, um negro foi eleito presidente. Mas ele é negro, mesmo? Vive expressando sua gratidão filial à mãe e avó brancas. Herdeu sua aparência negra de um pai ausente, um imigrante queniano que permaneceu muito pouco nos Estados Unidos. Ainda criança, teve a experiência extraordinária de viver na Indonésia, com o padrasto muçulmano. No entanto, afirma ser americano por excelência ("em nenhum outro país no planeta minha história seria sequer possível"), até por causa da diversidade que lhe compõe. Afirma tudo, inclusive a relação nominal com o islã, tabu americano do momento: na posse ele será Barack Hussein Obama. Ele não parece inteiramente negro por isso: pelas múltiplas associações e pelo poder que conquistou e emana. No entanto, nos Estados Unidos pode ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist