Educação

    Carlos Alberto Decotelli era presidente do FNDE, autarquia do ministério da Educação Imagem: Luis Fortes/Ministério da Educação

    Decotelli adota fala neutra, mas afirma cotas para diminuir desigualdades

    O ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, disse hoje em entrevista à Rádio Bandeirantes que as cotas são mecanismos para tentar diminuir diferenças no acesso à educação. "Não podemos exigir resultados iguais para aqueles que não tem igualdade no acesso. Cotas dependerão sempre de reflexão de toda a sociedade", disse. Decotelli adotou um discurso neutro ao se referir a questão, mas reconheceu estruturas que mantêm o racismo na sociedade brasileira. "Passamos mais de 300 anos com esse conceito de escravocrata. Hoje, ainda temos muitas contaminações de metodologias, subjetividades. Eu nunca, como negro, fui um George Floyd. Nunca sofri o racismo de tomar dois tiros nas costas. Mas perceber olhares, de eugenia de ambientação, ou seja, criar um ambiente que não seja para negros", contou. Ele ainda citou que os Estados Unidos criou uma "pandemia racial" com os protestos antirracistas, evidenciando que o país "não aprendeu a conviver com...

    Leia mais
    O professor Carlos Alberto Decotelli, que estava há menos de seis meses na presidência do FNDE. Foto: Divulgação

    ‘Não tenho nem preparação para fazer discussão ideológica, minha função é técnica’, diz novo ministro da Educação

    O professor Carlos Alberto Decotelli, anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira, como o novo ministro da Educação pretende fazer uma gestão pautada no diálogo. Segundo ele, sua gestão será técnica e não há espaço para polêmicas relacionadas à ideologia. Em entrevista ao GLOBO, o ex-presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) afirmou que pretende estabelecer relacionamento estreito com estados e municípios para traçar a retomada das aulas e irá conversar com o Congresso na articulação do Fundeb. Oficial da reserva da Marinha, Decotelli é professor da área de finanças na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e atuou junto ao governo desde a transição, quando participou do plano voltado para a área da educação. Qual será sua prioridade à frente do MEC? São três as prioridades: a primeira é ampliar o diálogo e interlocução para que haja divulgação correta em relação às políticas do MEC; atualizar o cronograma dos...

    Leia mais
    Imagem retirada do site Lunetas

    Professor(a), a educação antirracista esta entre as suas tarefas históricas?

    Em toda minha memória escolar, dois contextos me marcaram muito: 1.:  todas as situações de racismo explícito, especialmente as chacotas ao meu cabelo. Na época eu usava muito tranças. Tão certo assim, logo quis alisá-lo. Passei guanidina, escovava, passava prancha e até ferro. Tudo isso era muito mais hostil com as meninas pretas retintas, de cabelos crespos. Alguns professores (as) sabiam e não falavam nada, era tudo muito naturalizado como “brincadeira”.  2.: Inquietações nas aulas de história. Para mim era realmente muito difícil entender a revolução francesa, seu ideal "liberdade, igualdade, fraternidade", ao mesmo tempo em que a frança escravizava pessoas negras. Eu me lembro de muitos detalhes desse aula, sentada na frente enquanto quase todos conversavam, e a professora branca não levava a sério as minhas perguntas.  As inquietações em sala se tornaram uma constante. Não se tinha internet, nem acesso a outras fontes como temos hoje. Tudo isso...

    Leia mais
    Djamila Ribeiro, mestre em filosofia política, ativista feminista e secretária-adjunta de Direitos Humanos de São Paulo. RICARDO MATSUKAWA

    A escola de sua cidade aplica a Lei 10.639/03, uma consequência da luta negra?

    Muitas pessoas têm me perguntado recentemente o que elas podem fazer em prol da equidade racial no país. Quando Angela Davis afirmou que não basta não ser racista, mas é necessário ser antirracista, fez um chamado à ação, à transcendência do mero repúdio moral à discriminação. Por ação, precisamos entender que há uma estrutura posta que intermedeia todas as relações sociais e uma semana de mobilização pela internet não será suficiente para transformá-la. Então, perguntam: qual seria uma ação antirracista possível na minha realidade? O que posso fazer? Linoca Souza/Folhapress Bom, há muito o que ser feito, mas neste texto gostaria de destacar o que é um elemento central na formação e constante atualização do sistema racista: a educação. A luta de movimentos negros pela transformação no sistema educacional remonta às fundações deste país. Desde a Constituição do Império, que proibia as pessoas negras e indígenas...

    Leia mais
    "Fachada do Ministério da Educação (MEC).| Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

    MEC revoga portaria de Weintraub que acabava com o incentivo a cotas na pós-graduação

    O Ministério da Educação revogou a portaria assinada pelo ex-ministro Abraham Weintraub no dia 18 de junho que acabava com normas que estimulavam cotas voltadas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação no País. O ato foi publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira, 23. A medida tomada por Weintraub recebeu críticas do Congresso e foi alvo de despacho do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que deu prazo de 48 horas para a Advocacia Geral da União se manifestar sobre a ação nesta segunda-feira, 22. Revogação da portaria assinada por Weintraub foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira, 23 (Imagem retirada do site Estadão) As normas que incentivavam o debate sobre a criação de ações afirmativas de inclusão nos programas de pós-graduação foram criadas em 2016, quando o então ministro da Educação, Aloizio Mercadante, assinou uma portaria...

    Leia mais
    "Fachada do Ministério da Educação (MEC).| Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

    Revogação joga luz sobre políticas afirmativas na pós-graduação

    Nos últimos momentos antes de sua demissão, o então ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou a portaria 545/2020 revogando a portaria normativa 13/2016, que versava sobre ações afirmativas na pós-graduação. Como se sabe, a pós-graduação brasileira é composta predominantemente por pessoas brancas e reproduz desigualdades regionais e sociais, como a baixa participação da população negra, historicamente excluída das universidades brasileiras. A norma de 2016 estabelecia que as instituições federais de ensino superior (Ifes) deveriam apresentar propostas sobre a inclusão de pretos, pardos, indígenas e estudantes com deficiência em seus programas de pós-graduação no prazo de 90 dias. O objetivo era incentivar a criação dessas políticas e, ao mesmo tempo, respeitar a autonomia universitária A despeito de não ter a mesma força normativa das leis de cotas na graduação e concursos públicos, a portaria foi interpretada como obrigatória por programas e universidades, que passaram a discutir o tema em seus colegiados...

    Leia mais
    Livros foram doados por diversas instituições e estão sendo incluídos nas cestas básicas doadas a pessoas em situação de rua e famílias pobres - Corra pro Abraço

    Arroz, feijão e livros; cestas básicas estão incluindo literatura na Bahia

    “Um livro como um abraço” é o mote de uma campanha realizada em Salvador. Além da tradicional cesta básica com alimentos e produtos de higiene, pessoas em situação de vulnerabilidade na capital baiana também estão recebendo literatura durante a pandemia do coronavírus. "A gente resolveu propor a inclusão de literatura nas cestas básicas e disponibilizar também nas ruas esses livros, para que sejam uma alternativa de entretenimento. As pessoas estão nessa situação de empobrecimento que leva à fome de comida, mas que está também relacionada à ausência de outros 'alimentos'. Os alimentos para o espírito, como livros, a educação, uma boa estrutura de redes e relações que lhe permitam ter condições dignas de vida”, afirma Trícia Calmon, coordenadora geral do Corra pro Abraço, um programa de redução de danos da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia, que desenvolveu o projeto de literatura. Trícia diz que as...

    Leia mais
    Leitura infantil: quarentena pode ser uma boa hora para conscientizar a criançada (Imagem: Getty)

    Oito livros infantis para engajar a família contra a discriminação racial

    Num momento em que a luta contra o racismo ganha o mundo, é importante que as crianças tenham acesso a conteúdos que combatam a discriminação racial e incentivem a igualdade. Há diversos livros infantojuvenis com interessantes abordagens sobre o preconceito e a representatividade negra. O momento de isolamento social é propício para que as famílias leiam juntas e possam combater o preconceito. Veja sugestões de leitura sobre a diversidade racial: O Pequeno Príncipe Preto – Rodrigo França. O Pequeno Príncipe Preto: livro de Rodrigo França, que virou peça, questiona padrões Divulgação/Divulgação O livro do ator, escritor e ativista já virou peça de teatro. Em um minúsculo planeta, vive o Pequeno Príncipe Preto. Além dele, existe apenas uma árvore Baobá, sua única companheira. Quando chegam as ventanias, o menino viaja por diferentes planetas, espalhando amor e empatia. Editora: Nova Fronteira. Mzungu – Meja Mwangi. [caption id="attachment_153288" align="aligncenter"...

    Leia mais
    blank

    Semana de Ação Mundial 2020

    A Semana de Ação Mundial (SAM), que neste ano acontece entre os dias 15 e 22 de junho de 2020, tem seus dias de webinários (seminários online) confirmados, assim como seus convidados. Assista a cada uma das lives no Facebook e simultaneamente no YouTube da Campanha! Confira: Campanha Nacional Pela Educação #ParaTodosVerem 15/06 Segunda (17h-19h) - “Educação contra a Barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar” Mediação: Andressa Pellanda Confirmados: Fernando Cássio (UFABC); Daniel Cara (FE/USP), Carlos Alberto Caetano (UFMT) e Ana Julia Ribeiro. 16/06 Terça (17h-19h) - “Censura e perseguição como ameaças à educação de qualidade” Mediação: Daniel Cara Confirmados: Priscylla Silva, Fernando Penna (UFF), Analise da Silva (UFMG) e Rodrigo Ratier (Cásper Líbero) 17/06 Quarta (17h-19h) - “Raça e Educação: construindo escolas antirracistas” Mediação: Catarina de Almeida Santos Confirmadas: Iracema Nascimento (FE/USP), Deputada Estadual Erica Malunguinho (PSOL-SP), Suelaine Carneiro (GELEDÉS Instituto da Mulher Negra), Macaé Evaristo (ex-secretária de Educação de Minas Gerais), Fernanda Lapa (IDDH) 18/06 Quinta (17h-19h) - “A ideologia de gênero existe,...

    Leia mais
    Peter Tabichi (Foto: AFP/Getty Images)

    Coronavírus: as dicas do ‘melhor professor do mundo’ para ensinar as crianças no isolamento

    Segundo ele, é importante que os pais estabeleçam uma rotina para os filhos, sem esquecer de momentos para diversão. "As crianças precisam de liberdade assim como de limites", diz Tabichi. Professor de ciências na zona rural do Quênia e membro da ordem religiosa franciscana, ele ganhou o Global Teacher Prize de 2019, conferido pela Fundação Varkey, organização de caridade dedicada à melhoria da educação para crianças carentes. Tabichi foi elogiado por suas realizações em uma escola sem infraestrutura, em meio a classes lotadas e poucos livros didáticos. Ele quer que os alunos vejam que "a ciência é o caminho certo" para ter sucesso no futuro. O prêmio, no valor de US$ 1 milhão (R$ 5 milhões) anunciado em uma cerimônia em Dubai, reconhece o compromisso "excepcional" do professor com os alunos em uma parte remota do Vale do Rift, no Quênia. Tabichi doava 80% de seu salário para apoiar os...

    Leia mais
    Enem/Divulgação

    Mais de 1 milhão de inscritos no ENEM 2020 cursam o último ano do ensino médio em escolas públicas

    Um dia após o encerramento das inscrições para o ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio, o INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – divulgou em 28 de maio dados dos estudantes candidatos à prova. Mesmo em meio a uma série de reivindicações, a única proposta neste momento é adiar as provas por até 60 dias, após uma possível consulta aos cerca de 6 milhões de inscritos. Em relação aos dados de candidatos ao próximo exame o INEP contatou que: O percentual de 23% dos concluintes representa 1.406.323 inscritos. Desses, 81,7% (1.149.759) estão matriculados atualmente em escolas públicas, número 11,2% maior do que o registrado em 2019. Esses dados são indicados pelos próprios participantes na hora da inscrição. Pode ocorrer uma variação no numero de participantes e nos dados apresentados, um novo balanço com numero de inscritos será divulgado após o período de compensação bancária...

    Leia mais
    Getty Images/iStockphoto

    Em nova decisão, STF afirma que é dever do Estado abordar gênero e sexualidade na escola

    Na noite desta quinta-feira (28/05), o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou, com unanimidade, a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 467, que versava sobre legislação de Ipatinga (MG) que excluía da política municipal de educação qualquer referência à diversidade de gênero e à orientação sexual.   Trata-se do terceiro julgamento do ano em que o Tribunal reitera com unanimidade a inconstitucionalidade de leis municipais que proíbem a abordagem de gênero em escolas. No dia 8 deste mês, foi anunciada a decisão sobre a ADPF 526, que tratava de legislação antigênero do município de Foz do Iguaçu (PR). Anteriormente, no dia 24 de abril, a Corte havia julgado a ADPF 457, reconhecendo a inconstitucionalidade de lei de conteúdo similar do município de Novo Gama (GO).    Na decisão de Itapatinga, o voto do relator, Ministro Gilmar Mendes, entende não apenas que a censura ao debate é inconstitucional, como também que...

    Leia mais
    Adobe

    Estudantes têm tempo. Por que não estudam?

    “Estar sendo é uma condição para ser”. Desta forma asseverava o mestre Paulo Freire sobre a necessidade do encontro entre o que se faz o que se diz. As características que devem caracterizar o caracterizado. Ou seja, a busca do óbvio. Assim sendo, para ser estudante precisa-se de estudar. Pode até haver pessoas que estudam e não são estudantes, mas, não cabe no arcabouço qualificador o estudante que não estuda. Este perde por insuficiência comprobatória o status que o nome lhe outorga. Vindo do latim a palavra estudante significa a pessoa dedicada, zelosa. Que ama o que faz e que aprende ao fazer também. Diferente de aluno, que hoje ambas possuem o mesmo status semântico, e significa ser sem luz, a palavra estudante está na dianteira do uso, inclusive no campo mais progressista de usuários da língua. Mas, não irei discorrer aqui sobre a função de estudante que, remete a...

    Leia mais
    Divulgação

    Impacto da desigualdade social durante a pandemia é tema de live realizada pelo Prioridade Absoluta, nesta sexta-feira

    A atual pandemia tem evidenciado, ainda mais, as desigualdades da sociedade brasileira: segundo o IBGE, um quarto da população está abaixo da linha da pobreza e enfrenta maiores restrições de acesso à internet, saneamento básico, educação, condição de moradia e proteção social. Quase metade das crianças de 0 a 14 anos no país também está nesse grupo e têm seus direitos fundamentais - à escola, à saúde, à vida, etc - violados cotidianamente. Para conversar sobre essas questões e trazer reflexões sobre a importância de considerar as desigualdades sociais e a absoluta prioridade de crianças e adolescentes, como determina o artigo 227 da Constituição Federal, durante o enfrentamento à pandemia, o programa Prioridade Absoluta, do Instituto Alana, realiza a live “Expresso 227: coronavírus: infâncias e desigualdades”, dia 29/5 (sexta-feira), às 19h, com transmissão ao vivo no canal do YouTube do Instituto Alana.  A conversa terá a participação de Suelaine Carneiro,...

    Leia mais
    Jovem lê um livro digtal em Sevilla, na Espanha, no último dia 20 de maio.(Foto: PACO PUENTES / EL PAIS)

    Ler em um formato diferente é ler pior?

    O circuito neural que nos dá a capacidade cerebral para ler está mudando rapidamente para todos. Tablets, computadores, laptops, Kindles e celulares estão substituindo os antigos livros, promovendo uma transformação silenciosa em cada um de nós. O ser humano não nasceu para ler. A aquisição da alfabetização é uma das conquistas mais importantes do Homo sapiens. O ato de ler reorganizou completamente um circuito de nosso cérebro. Mudou a própria estrutura das conexões neurais e isso transformou a natureza do pensamento humano. Em 6.000 anos, a leitura deu impulso ao nosso desenvolvimento intelectual. A qualidade de nossa leitura não é apenas um indicador de nosso pensamento, é a melhor maneira que conhecemos para desenvolver novos caminhos na evolução cerebral de nossa espécie. Mas, como mudou a qualidade de nossa atenção à medida que lemos mais e mais em telas e dispositivos digitais? Este processo vem sendo reforçado durante o confinamento. Nossa capacidade...

    Leia mais
    Divulgação

    UNEB estreia projeto “PRAES Entre Nós” com live sobre racismo institucional

    A UNEB vai realizar, nesta quinta-feira (28), às 16h, a live “Refletindo sobre o Racismo Institucional no Contexto da Pandemia“, no perfil do Instagram @praesuneboficial. A atividade será o lançamento do projeto PRAES Entre Nós, promovido pela Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Praes) em parceria com a Secretaria Especial de Articulação Interinstitucional (Seai), o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e o Movimento de Casa de Estudante (MCE). A live inaugural vai contar com a participação das pró-reitoras Elivânia Alves (Praes) e Amélia Marux, de Ações Afirmativas, e do professor Samuel Vida, coordenador do Programa Direito e Relações Raciais (Ufba), com mediação da estudante da UNEB Geisa Rocha. O projeto promove a articulação institucional para realizar debates online sobre temáticas relativas à juventude, durante o período de distanciamento social imposto pela pandemia da COVID-19. Informações: Instagram @praesuneboficial.

    Leia mais
    Ivan Aleksic/Unsplash

    Paremos, porque a vida não pode parar

    O contexto imposto pela pandemia de covid-19 me faz questionar, como mãe e professora, os itinerários da educação na contemporaneidade, especialmente, quanto ao distanciamento da escolarização com tempo presente e com a vida: Quando a vida está coletivamente em risco, o que cabe à educação? Por que mantemos padrões pedagógicos hegemônicos em uma situação tão distinta? Nos parece aceitável que a educação seja pensada para o futuro? Como relacionamos a atividade educativa à vida? Frente à calamidade da pandemia, a educação, que deveria atuar na criação e difusão de éticas em prol da vida, tem contribuído no alargamento do fosso de nossas relações com o mundo, inclusive com as desigualdades sociais. Há um apelo para que mantenhamos o ritmo de produção que nos subjetiva como o homo faber arendtiano e, em relação à atividade educativa, isso significa a ininterrupção do conteudismo no ensino e na aprendizagem. Assim, diversas instituições educacionais...

    Leia mais
    Quatro parcelas poderão ser suspensas para os contratos em fase de amortização - Foto: Arquivo/Agência Brasil

    MEC autoriza suspensão de parcelas do Fies durante pandemia; confira as regras

    O Ministério da Educação (MEC) definiu as diretrizes para que estudantes beneficiários do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) possam suspender o pagamento de parcelas enquanto durar o estado de calamidade pública decretado em resposta à pandemia do novo coronavírus no país. O decreto com as regras foi publicado no domingo (24). Para os estudantes que possuem contratos em fase de utilização ou carência, até duas parcelas poderão ser suspensas. Já para os beneficiários em fase de amortização, o limite é de quatro parcelas. A resolução do ministério endossa que não serão cobrados juros ou multa por atraso de pagamento sobre as parcelas suspensas. Os valores em questão serão incorporados ao saldo devedor do contrato do estudante. A medida, que já havia sido sancionada pelo governo federal no último dia 15, vale apenas para os estudantes que estavam com o pagamento das parcelas do Fies em dia, antes do decreto da...

    Leia mais
    Crédito: iStockPhoto/TommL

    Pandemia de coronavírus deve piorar desigualdade racial no ensino médio

    A pandemia do novo coronavírus deve agravar um quadro já preocupante no ensino médio no Brasil: a desigualdade racial. Dados do Ministério da Saúde mostram que cresce o percentual de pretos e pardos entre internados e mortos por COVID-19. Além disso, um estudo na cidade de São Paulo concluiu que pretos têm 62% mais chance de morrer pela doença do que brancos. Ao mesmo tempo, a população negra tem, historicamente, mais dificuldades para permanecer na escola e concluir a educação básica, como mostram dados analisados pelo Observatório da Educação do Instituto Unibanco. A plataforma com 14 mil documentos, entre análises e curadoria de artigos, teses, dados estatísticos e eventos, além de produção audiovisual sobre ensino médio e gestão em educação pública, será fonte principal, a partir de hoje, de uma série de reportagens sobre o ensino médio no Brasil, realizada pelo Porvir em parceria com o Instituto Unibanco. Uma análise...

    Leia mais
    FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASI

    “O Enem não pode adiar?”: O MEC dá nota 1000 para as injustiças sociais

    O ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) é uma espécie de vestibular produzido pelo Ministério da Educação. A prova tem como objetivo medir o conhecimento das/dos estudantes do Brasil inteiro para que eles tenham a oportunidade de ingressar nas universidades públicas e o pleito de bolsas nas faculdades particulares através do Prouni. A chegada e o avanço do coronavírus no Brasil e as medidas de isolamento social ocasionaram a suspensão das aulas em todas as escolas públicas e particulares, deixando milhares de educandas e educandos sem acesso ao espaço físico das instituições. O não acesso ao espaço físico de aulas não impede que as escolas particulares, instituições privilegiadas, continuem com suas atividades pedagógicas por meio das plataformas online, principalmente, com um enfoque maior para as turmas de ensino médio que prestarão o ENEM em novembro de 2020. Logo, as escolas públicas seguem sem aulas sob qualquer instância. As/os estudantes seguem...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist