Contadora e youtuber Juh Sarah Oliveira e seu irmão o analista de sistemas acusam o Supermercado de racismo

A contadora e youtuber Juh Sarah Oliveira e seu irmão o analista de sistemas Jonatas Oliveira acusam o Supermercado Campeão na Abolição, Zona Norte do Rio de Janeiro, de racismo.

por Jéssica Oliveira no Notícia Preta

Nesta quarta feira(31), Jonatas, gravou toda a indignação de sua irmã e fez a denuncia nas redes sociais. O vídeo já conta com mais de 1100 compartilhamentos. Ele afirma que a família mora próximo ao supermercado e há mais de 12 anos sofrem com agressões verbais, perseguição e constrangimento por parte dos funcionários do estabelecimento.

“A minha família é pequena, somos eu, minha irmã e meus pais que já são
idosos. Frequentamos o mercado por ser próximo de casa. Ontem (30) a segurança do supermercado ficou seguindo a mim e a minha mãe de 82 anos na saída do Supermercado. Já no dia de hoje (31), eles se superaram: a segurança, de nome Elaine, ficou me seguindo no Supermercado Campeão até enquanto pagava as minhas compras! E quando fui perguntar o que estava ocorrendo ela disse que estava fazendo o trabalho dela”, afirma Jonatas.

O rapaz fez o pedido do livro de reclamações do procon – todos os estabelecimentos de bens e serviços são obrigados a ter- mas obteve das mãos do gerente, chamado João, uma folha de caderno para que o rapaz escrevesse sua reclamação. Ele afirma também que foi convidado a ir a uma sala para conversar com Edson, mas que, por medo, se recusou. “Com certeza, eu iria apanhar, na sala não havia câmeras. Fiquei com medo e não fui” conta.

Ainda segundo Jonatas, a família esta bem abalada e “muitas pessoas perguntaram por que não mudamos de supermercado. Mas mudar de supermercado não vai mudar o racismo. Tudo que eu quero é justiça”. Na tarde desta quinta-feira (01), Jonatas fez um boletim de ocorrência na 24°DP (Piedade) e vai processar o mercado. “Passei 12 anos calado, fui perseguido, agredido verbalmente, estou cansado, vou seguir com o processo”, desabafou.

Com a repercussão do vídeo, amigos planejam um protesto em frente ao
supermercado neste domingo (04) às 10h. Usando a hastag #negrostambemconsomem, a família luta pelo fim da discriminação racial, que muitas vezes ocorre em estabelecimentos. “Eu vou continuar indo ao Supermercado. Vou filmar, denunciar, não vou mais tolerar isso”, enfatizou Jonatas.

A direção do supermercado Campeão informou por meio de nota que “lamenta profundamente o ocorrido e reitera que está tomando todas as medidas cabíveis para apurar os fatos e penalizar os responsáveis. O Campeão repudia todo e qualquer tipo de racismo e preconceito. Atitudes individuais e isoladas como a mencionada pela cliente não representam a postura e a cultura da empresa e de seus funcionários”.

+ sobre o tema

Perda de direitos trabalhistas coloca em risco a dignidade humana

O século 20 foi marcado por muitas guerras, mas...

‘Já sofri e continuo sofrendo com racismo’, destaca Abel Neto

Em campanha contra o racismo da Uber em parceria...

para lembrar

Invisibilidade social: a cor da desigualdade

Hoje, 20 de novembro, dia em que escrevo este...

“Nos tempos do Imperador”: Globo afasta diretor acusado de racismo nos bastidores de novela

A Rede Globo afastou temporariamente dos trabalhos na emissora...

O livro é um assombro

‘A cor púrpura’, o musical’ põe o país diante...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=