Mulheres que faziam campanha contra preconceito são agredidas em blocos do Rio

Elas foram substituídas por homens após xingamentos e puxões, dizem organizadores

Do O Globo 

Mulheres que promoviam uma campanha contra o preconceito e o assédio no carnaval tiveram que ser substituídas por homens após terem, elas mesmas, sofrido agressões físicas e verbais, segundo a Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio (CAARJ), responsável pela ação. De acordo com a entidade, enquanto as mulheres falavam sobre a campanha “Carnaval sem preconceito” e distribuíam material de divulgação em blocos de rua no Rio, ouviram obscenidades e xingamentos, além de sofrerem agressões físicas como apalpadas, puxões de cabelo, agarrões e até copos de água no rosto.

A campanha foi criada pela CAARJ para incentivar o respeito e o combate ao assédio sexual, o racismo e a violência contra mulheres e homossexuais durante o carnaval.
— Há quem entenda que o carnaval autoriza a pessoa a exibir, publicamente, a falta de respeito e de educação. O que aconteceu com as promotoras mostra, lamentavelmente, que até hoje esses comportamentos machistas não são reprimidos em casa, sendo muitas vezes até incentivados. Por isso, ainda em 2017, são importantes as campanhas como essa e de todas as outras entidades, por todo o país, que alertam para o preconceito e a ignorância — diz o presidente da CAARJ, Marcello Oliveira.

Carnaval sem Preconceito

A campanha Carnaval sem Preconceito foi lançada pela CAARJ na última semana. Ao longo dos dias de folia, a entidade vai percorrer diversos blocos para realizar ações de conscientização e entregar ventarolas com o mote da campanha. Até o fim da festa, os promotores vão percorrer blocos no Rio de Janeiro, Niterói, Barra do Piraí, Piraí, Nilópolis, Rio das Ostras, Mendes e Valença, levando as mensagens de respeito ao próximo e contra o assédio sexual e o racismo.

Carnaval sem Preconceito

A campanha Carnaval sem Preconceito foi lançada pela CAARJ na última semana. Ao longo dos dias de folia, a entidade vai percorrer diversos blocos para realizar ações de conscientização e entregar ventarolas com o mote da campanha. Até o fim da festa, os promotores vão percorrer blocos no Rio de Janeiro, Niterói, Barra do Piraí, Piraí, Nilópolis, Rio das Ostras, Mendes e Valença, levando as mensagens de respeito ao próximo e contra o assédio sexual e o racismo.

 

+ sobre o tema

Site Minas Mais espalha preconceitos contra ‘nordestinos’ no site Reclame Aqui

Empresa de internet chama nordestinos de "vagabundos" em site...

“Mapa da Intolerância Religiosa 2011″, por Márcio Alexandre M. Gualberto

“Mapa da Intolerância Religiosa 2011″ O “Mapa da intolerância religiosa...

Elba Ramalho: “Imagine o Nordeste independente”

Imagine o Nordeste independente Na voz de Elba Ramalho, uma...

Após ser provocada, Pitty dá uma aula de igualdade a seguidor no Twitter

"Não volto pra cozinha, nem o negro pra senzala,...

para lembrar

Racistas agridem nordestinos no Twitter por votarem em Haddad

De sábado para domingo, repetiu-se fenômeno que se viu...

Dado Dolabella compara apoio a Dilma a ter ebola

O ator Dado Dolabella disse nesta terça-feira (14) que...

Lady Gaga recebe prêmio por combate ao preconceito e a intolerância

Entre 2012-13, período em que estava viajando o mundo...

Conar vai julgar comercial da Pepsi que diz que o ‘mundo tá chato’

O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) vai julgar...
spot_imgspot_img

Estrela do Carnaval, ex-passista Maria Lata D’Água morre aos 90 anos em Cachoeira Paulista, SP

A ex-passista Maria Mercedes Chaves Roy – a ‘Maria Lata D’Água’ – morreu na noite dessa sexta-feira (23), em Cachoeira Paulista, no interior de São...

Depois de um carnaval quente, é hora de pensar em adaptação climática

Escrevo esta coluna, atrasada, em uma terça-feira de carnaval. A temperatura da cidade de São Paulo bate 33°C, mas lá fora, longe do meu ventilador,...

Leci Brandão sai em defesa da Vai-Vai: ‘Nenhuma instituição está acima da crítica’

'A crítica social é necessária na medida em que ela força as instituições a se autoavaliarem e melhorarem', disse a parlamentar A deputada estadual Leci...
-+=