terça-feira, setembro 29, 2020

    Tag: escravatura

    Moçambique foi um dos antigos territórios colonizados pelos portugueses visitados pelo fotógrafo César Fraga (autor destas fotografias) e pelo historiador Maurício Barros de Castro (Imagem retirada do site Visão)

    À procura das raízes do racismo no país onde “morrem Georges Floyds todos os dias”

    Dois brasileiros confrontaram-se com o papel dos portugueses na escravatura ao percorreram nove países africanos em busca da herança negra do Brasil. Perante as manifestações antirracistas que varrem o mundo, o fotógrafo César Fraga e o historiador Maurício Barros de Castro denunciam o “negacionismo racial” do governo de Bolsonaro Quando era criança, o afro-brasileiro César Fraga, 47 anos, ouviu a mãe contar-lhe que a sua bisavó materna só não foi escrava graças à Lei do Ventre Livre. Também conhecida como Lei Rio Branco, esta legislação, aprovada em 1871, previa que as crianças nascidas de mães escravas seriam livres no Brasil. “A minha bisavó morreu quando eu tinha 10 anos, nunca soube pormenores muito específicos, mas sei que ela sentiu um enorme conflito interno por ter direitos que os pais não tinham, por serem escravos. Ela achava isso muito injusto”, conta o fotógrafo. Sentindo o peso da escravatura na história da ...

    Leia mais
    blank

    Qual o legado da abolição da escravatura?

    Todo dia 13 de maio relembramos que o Brasil patrocinou um dos regimes mais bestiais da história: o tráfico e a escravização de seres humanos. Por Luis Gustavo Reis Do Enviado para o Portal Geledes A escravidão vigorou por essas paragens de meados de 1530 até 1888. Fomos um dos últimos países do planeta a abolir esse hediondo regime. São vários os títulos sádicos atribuídos aos brasileiros, desonrosos episódios que nos envergonham e nos apequenam definitivamente. Foram quase 400 anos de cativeiro e um número incalculável de sonhos dizimados, famílias despedaçadas e vidas interrompidas. Brasil e Roma ostentam o título de maiores sociedades escravistas da história da humanidade. Assim como os romanos, forjamos com o sangue daqueles que trucidamos nos pelourinhos o DNA da nossa identidade nacional. Calcula-se que o infame comércio de escravos tenha consumido entre 10 e 15 milhões de seres humanos, que foram arrancados da África para serem ...

    Leia mais
    blank

    A memória da escravatura é “dolorosa de se ver” e não cabe numa vitrine

    Exposição do museu de Arqueologia associa-se a um projecto que quer resgatar das colecções de museus, arquivos e bibliotecas de Lisboa testemunhos do tráfico de escravos, em que Portugal teve um papel central durante 400 anos. Por lucinda canelas Do Publico É de ferro maciço, fria, rugosa, pesada. O fecho parece uma cavilha ou uma chave tosca. Sabemos que foi feita para prender seres humanos, o que já de si é muito mau, mas tudo piora quando nos sugerem que a imaginemos colocada no pescoço de uma criança ou de um adulto que poderia ter ainda algemas nos pulsos e grilhetas nos pés. “Como é que se vive assim? Como é que se dorme?”, pergunta a arqueóloga Ana Isabel Santos, enquanto vai tirando das caixas estes objectos que dominam a exposição com que o Museu Nacional de Arqueologia (MNA) se associa a Testemunhos da Escravatura. Memória Africana, um projecto do Gabinete de ...

    Leia mais
    blank

    Portugal reconheceu injustiça da escravatura quando a aboliu em 1761, diz Marcelo

    Na ilha de Gorée, Marcelo Rebelo de Sousa disse que Portugal aboliu a escravatura e aí reconheceu a injustiça. Neste mesmo local, o Papa João Paulo II pediu perdão pela escravatura Do Publico O Presidente português considerou esta quinta-feira, no Senegal, que o poder político português reconheceu a injustiça da escravatura quando a aboliu em parte do seu território, "pela mão do Marquês de Pombal, em 1761". Marcelo Rebelo de Sousa deixou esta mensagem no final de uma visita a uma antiga casa de escravos do tempo dos holandeses, na ilha de Gorée, em frente a Dacar, lugar que foi um entreposto do tráfico de escravos desde o século XVI, sob domínio português, até ao século XIX, e onde o papa João Paulo II pediu perdão pela escravatura. Falando primeiro em francês, o chefe de Estado declarou: "Quando nós abolimos a escravatura em Portugal, pela mão do Marquês de Pombal, ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist