quinta-feira, janeiro 28, 2021

Tag: ricos

Sérgio Lima/Poder360 – 3.set.2018

Negros e ricos?

Eu sou rycaaa!?? Então, depende neh mores?! Brincadeiras a parte, há alguns anos desde que fiz meu trabalho de final de curso, há um questionamento que sempre me deixa inquieta, e não sou capaz de responder: Será que existe no Brasil algum negro plenamente rico? Para tentar explicar as causas dessa dúvida, traçarei uma linha de raciocínio, que vai explanar diferentes conceitos de pobreza, para posteriormente contrastar com a realidade em que estamos inseridos e, assim podermos refletir sobre essa questão. Afinal o que é pobreza? Embora sempre relacionada a escassez de algo, esse é um problema estrutural da sociedade que advem de inúmeros fatores, e como um fenômeno multi-facetado, a sua definição é algo complexo que vai se guiar pela vertente de estudo, pelo período e as características sociais desse intervalo, entre outros. De forma gradativa de complexidade trabalharei com três enfoques, que não são contrários entre si e, ...

Leia mais

Mais ricos do Brasil ganham, em média, US$ 100 mil a mais do que os da França

Dados divulgados nesta semana pelo estudo World Weatlh and Income Database mostram que a renda média de quem é rico no Brasil ultrapassa a de moradores abastados em países mais desenvolvidos, como a França. Enquanto por aqui o 1% mais rico recebe, em média, US$ 541 mil por ano, em terras francesas esse valor varia entre US$ 450 mil e US$ 500 mil. Do Yahoo  Pixabay E, como se pode imaginar, a maior parte dessas pessoas não precisa de salário para sobreviver. Além de famosos e donos de grandes companhias, a lista de “mais ricos” do Brasil conta com empresários. juízes, médicos e executivos. De acordo com a pesquisa, outro dado importante é a participação dessas pessoas no PIB nacional. Enquanto na França o valor se aproxima dos 32,2%, no Brasil o valor supera os 50%, o que comprova a desigualdade social. A média de renda da população brasileira é ...

Leia mais

A determinação para achar o sentido da vida: Eduardo Marinho

Eduardo Marinho, artista plástico com histórias fora do convencional, compartilhará suas perspectivas únicas e profundas da vida urbana. Ele consegue fazer as pessoas lembrar coisas que elas sabem, mas, geralmente, esquecem. No espírito de promover ideias que merecem ser espalhadas, as TEDx são conferências locais e auto-organizadas que reúnem pessoas para compartilhar uma experiência TED. Um evento TEDx tem palestras TED em video e palestrantes ao vivo combinados para iniciar discussões e conexões profundas em grupos pequenos. Estes eventos locais e auto-organizados são chamados TEDx, onde x = evento TED independentemente organizado. A Conferência TED fornece uma guia geral para o programa TEDx porém, os eventos TEDx individuais são auto-organizados. Do YouTube 

Leia mais

Desigualdade: estudos sobre as famílias ricas mostram que os pobres são os mesmos de sempre. Por Donato

No ano de 1427, a então pequena província de Florença elaborou um censo entre seus habitantes com a finalidade de cobrar impostos. Ali ficou registrado, além do nome, o que faziam, quanto ganhavam e qual o patrimônio dos moradores da cidade que já tinha dado ao mundo Dante Alighieri e ainda nos presentearia com Leonardo Da Vinci. Por Mauro Donato, do DCM Recentemente aquele levantamento foi digitalizado e disponibilizado na internet. Foi então que dois economistas da Banca D’Italia (o Banco Central italiano), realizaram um estudo com base nas informações disponíveis cruzando-as com as declarações de renda de famílias remanescentes na cidade até 2011. Guglielmo Barone e Sauro Mocetti ficaram espantados. Num arco de seis séculos, mais precisamente após 584 anos, as famílias mais ricas em 1427 eram as mesmas em 2011. E ainda: os sobrenomes dos contribuintes mais pobres também não haviam mudado. A tecnologia da digitalização permitiu não apenas ...

Leia mais

“No Brasil, ainda é normal homem pisar em mulher, branco em preto e rico em pobre”, diz Anna Muylaert

Diretora de Que horas ela volta? conta o processo de elaboração do filme que está colocando o dedo na ferida das relações entre empregadas domésticas e patrões no Brasil. Por Por Claudia Rocha e Guilherme Weimann Do Brasil de Fato  Que horas ela volta? é rotulado pela crítica como um filme de arte. Para a diretora Anna Muylaert, entretanto, o longa precisa ser assistido também nas periferias do país. Nada mais justo, já que o roteiro conta a história de Val (Regina Casé), uma empregada doméstica que passou anos trabalhando na casa de uma família rica do Morumbi e tem sua vida alterada com a chegada de Jéssica (Camila Márdila), sua filha que foi deixada no Nordeste e está em São Paulo para prestar vestibular. Ganhador do Festival de Berlim e com premiação também em Sundance, o filme é a representação brasileira na disputa pelo Oscar. A escolha rompeu uma hegemonia ...

Leia mais

Imposto sobre grandes fortunas tem apoio de 59,8% dos deputados

A regulamentação do imposto sobre grandes fortunas tem apoio de pelo menos 307 (59,8%) dos 513 deputados que assumem a Câmara a partir deste domingo (1º), segundo levantamento do G1 (clique na imagem ao lado para ver página especial). Outros 101 (19,6%) se posicionaram contra a proposta. Os 105 restantes (20,4%) não quiseram responder ou não se manifestaram sobre os pedidos de entrevista. No DCM  Entre o último dia 15 e esta sexta-feira (30), o G1 aplicou aos deputados um questionário sobre 12 temas que deverão constar da pauta de debates legislativos deste ano. Parte dos deputados respondeu pessoalmente ou por telefone e outra parte, por e-mail ou por intermédio das assessorias. Todos foram informados de que a divulgação das respostas não seria feita de forma individualizada. No total, 421 deputados responderam ao questionário (82%); 44 se recusaram a responder (8,5%); e 48 não se manifestaram sobre os pedidos de ...

Leia mais

E se em vez dos pobres o alvo do esculacho fossem os ricos? Por Nathali Macedo

Todo rico tem alguma coisa da qual se orgulhar, seja real ou imaginária. O rico mantém uma obrigação de ser impreterivelmente melhor que todo mundo, inclusive que os outros ricos (porque melhor que os pobres ele já se considera, mesmo que não tenha um pingo de educação e bom senso). Por Nathali Macedo Do DCM O rico adora bajular os filhos, não importa o quão ruins eles sejam. O garoto é viciado em cocoaína e vai à faculdade uma vez por semana, mas a mãe faz questão de gritar, a plenos pulmões, pra toda e qualquer pessoa que se aproxime (especialmente para aquelas que não estão interessadas em ouví-la): “Ele vai se formar em medicina!” Mesmo que o garoto faça racha com o carro do papai, passe as noitadas pedindo “a bebida que pisca” e agregando valor aos camarotes da vida, não saiba absolutamente nada sobre qualquer assunto (exceto sobre como ...

Leia mais

A verdade não dói. O que dói é a falta de caráter

A entrevista da jornalista Silvia Pilz, de O Globo, à BCC, tentando justificar a sátira aos pobres que usam planos de saúde, saiu pior que as ofensas por ela proferidas em seu preconceituoso artigo. Ontem, tive o desprazer de ler mais um artigo, onde ela ataca com ofensas pesadas o que chama de "o novo pobre". Por Davison Coutinho, no Jornal do Brasil  Para nossa alegria, o pobre pode um dia se tornar rico, mas a maior pobreza de todas, a de espirito, é incurável. E fazendo uso das palavras de Silvia, "essa doença o plano não cobre"! Se um texto ofensivo como esse pode ser chamado de humor, ou sátira, essa jornalista que quer ser engraçada e polêmica deveria ter escolhido trabalhar no circo ou animar festas. Com certas coisas não se brinca! Existem, sim, limites, e a condição social de cada um deve ser respeitada, e não ironizada com palavras ...

Leia mais

O Bolsa Família, o Bolsa Empresário e o Bolsa Banqueiro

O “Bolsa Família”, considerado o maior programa de transferência de renda com condicionalidades em operação no mundo, ganhou enorme destaque nas eleições presidenciais de 2014. O programa foi alvo de discussão em praticamente todos os aspectos relevantes. Entre outros, foram abordados os seguintes temas, invariavelmente de forma apaixonada ou incisiva: a) quantidade de beneficiários; b) volume de recursos empregados; c) evolução ou crescimento dos beneficiários; d) distribuição geográfica dos beneficiários; e) condicionalidades envolvidas e f) relação entre o programa e os resultados eleitorais.Do: pragmatismo politico Segundo o governo federal, “o Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país. O Bolsa Família integra o Plano Brasil Sem Miséria, que tem como foco de atuação os milhões de brasileiros com renda familiar per capita inferior a R$ 77 mensais e está baseado na garantia de renda, ...

Leia mais
”Impostos são o preço que se paga por uma sociedade civilizada”: o relato de uma jornalista brasileira que vive na Suécia

”Impostos são o preço que se paga por uma sociedade civilizada”: o relato de uma jornalista brasileira que vive na Suécia

Por Claudia Wallin, autora de Um País sem Excelências e Mordomias. DE ESTOCOLMO Em sueco, a palavra ”skatt” tem dois significados, que no juízo apressado de um forasteiro podem parecer conceitos tão distantes entre si como o céu e o inferno: ”impostos” e ”tesouro”. Mas como qualquer espantado alienígena constata ao chegar à Suécia, o termo ”impostos” tem por aqui uma conotação visceralmente positiva. Na lógica da maioria dos suecos, assim como dos demais povos da Escandinávia, os tributos são o preço justo que se paga por uma sociedade mais humana, igualitária e harmônica – e por isso menos violenta. Mesmo quando se cobra, como é o caso escandinavo, um dos impostos mais elevados do planeta. O pensamento escandinavo é uma esfinge de enigma quase indecifrável para muitos povos. A começar pelos seguidores do credo americano de que, quanto mais baixos os impostos, melhor. Mas a primeira explicação é elementar: ...

Leia mais
O abismo entre ricos e pobres cresce

O abismo entre ricos e pobres cresce

Com raras exceções, a desigualdade tem aumentado em todos os países do mundo por Claudio Bernabucci De Roma Em um mundo angustiado pela crise econômica, aprendemos que de março de 2009 a março de 2014, exatamente o período considerado mais crítico, depois da bancarrota do Lehman Brothers, o número de bilionários do planeta dobrou: eram 793 no começo do furacão e agora somam 1.645. Os 85 mais ricos entre eles, no mesmo período, incrementaram seus capitais em 668 milhões de dólares a cada dia e sua renda equivale àquela de metade da população mundial, 3,5 bilhões de outros seres humanos. Os dados constam, entre outras “pérolas”, do recente estudo sobre a desigualdade no mundo, publicado pela Oxfam, rede internacional de 19 ONGs que combatem a pobreza. Na sequência da divulgação do relatório, originalmente chamado Even It Up: Time to end extreme inequality, foi lançada a campanha mundial de sensibilização “Equilibre ...

Leia mais

Hábitos dos super ricos aumentam desigualdade, diz estudo

Quando a renda se concentra no topo e indústrias dependem mais dos super-ricos, desigualdade é alimentada em efeito bola de neve, diz estudo de Harvard POR: João Pedro Caleiro São Paulo – Os hábitos de consumo dos super-ricos podem parecer uma mera curiosidade para o resto da população, mas talvez estejam alimentando a concentração de renda de forma estrutural em um efeito ‘bola de neve’. A hipótese foi lançada recentemente por um estudo de Nathan Wilmers, da Universidade de Harvard. O processo funciona da seguinte forma: quando alguém atinge um alto nível de renda, o ganho que ela tem com determinado bem ou serviço fica cada vez mais concentrado na margem e mais insensível à mudança de preço, especialmente se o bem está relacionado a status. Ninguém toma um vinho de 5 mil reais esperando que ele seja exatamente 10 vezes melhor do que um de R$ 500 - mas ...

Leia mais

Colômbia ouve Piketty e impõe TFF e taxas grandes fortunas

Reeleito, Santos vai tributar 50 mil colombianos ultra ricos e impor taxa sobre transações financeiras; o conselho é do economista francês, lido e debatido nos círculos governamentais do país   Seguindo as propostas do economista francês Thomas Piketty em seu best-seller “Capital do Século XXI”, a Colômbia vai aumentar a tributação da riqueza líquida de seus cidadãos mais ricos. O governo vai impor um imposto anual de 2,25 % sobre fortunas de mais de 8 bilhões de pesos (4,1 milhões de dólares), disse a jornalistas o ministro adjunto das Finanças Andres Escobar dia 8 de setembro, em Bogotá. Fortunas menores serão taxadas em percentuais mais baixos, e aqueles que têm capital inferior a 750 milhões de pesos não serão taxados, disse Escobar. “O importante é dizer aos colombianos ricos, aqueles que têm grande capacidade econômica, que é necessário contribuir com um pouco mais”, disse o ministro das Finanças Mauricio Cárdenas, ...

Leia mais

A contribuição de Luciana Genro ao debate político presidencial

por : Paulo Nogueira Luciana Genro não será uma campeã de votos em 2014. Mas, ainda assim, a contribuição que ela deu ao debate eleitoral é milionária. Dois assuntos vitais para o Brasil teriam ficado na gaveta se ela não os trouxesse à cena com sua ousadia gaúcha: a tributação das grandes fortunas e a regulação da mídia. O sistema tributário brasileiro é um absurdo. É regressivo. Isso significa que, proporcionalmente, paga mais quem tem menos dinheiro. Luciana Genro tem uma proposta para começar a corrigir essa aberração. Taxar em 5% ao ano fortunas acima de 50 milhões de reais. Com seu estilo divertido e incisivo, amplificado pelo indomado sotaque gaúcho, ela diz que quer taxar o “ricaço”, e não o riquinho. Luciana Genro está propondo algo que vigora da Escandinávia, e que explica, em grande parte, o avanço extraordinário da sociedade da região. Os escandinavos ricos se orgulham de ...

Leia mais
O dia em que os ricos descobriram a periferia, por Florestan Fernandes Jr

O dia em que os ricos descobriram a periferia, por Florestan Fernandes Jr

A abertura da Copa do Mundo no Brasil não vai entrar para história do futebol apenas pelos gols de Neymar ou pelo péssimo comportamento dos torcedores da ala Vip do Itaquerão. Mas sobretudo por ter acontecido na periferia pobre da maior cidade do país. Da noite para o dia Itaquera virou a atenção do planeta. Mais que isso: Foi visitada por artistas como; Leonardo Di Caprio, Jennifer Lopes, o presidente da ONU, Ban Ki-moon, e vários chefes de Estado. Um povo que estava à margem da nossa sociedade "civilizada" agora passa a ter orgulho de sua região. Pena que o preço escorchante dos ingressos da Fifa tenha feito a distinção entre ricos e pobres. Os com grana, que nunca tinham posto o pé nessa periferia, foram pra dentro do estádio, e os sem grana ficaram do lado de fora. Esse é o nosso país. Mas, mesmo assim, valeu. Muita gente ...

Leia mais
Getty Images

Luiz Caversan: “Desculpas, dona Dilma; não fomos nós da ZL que xingamos a senhora”

Desculpas, dona Dilma por Luiz Caversan, Cara dona Dilma, dirijo-me à senhora Dilma Rousseff pessoa física mesmo, não à presidente do meu país, e chamando-a de dona porque foi assim que aprendi a me dirigir a pessoas do sexo feminino que já tenham uma certa idade e sejam mães ou avós de família. E sabe onde aprendi como me dirigir educadamente a quem quer que seja, mas principalmente às senhoras? Foi na zona leste, dona Dilma, lá mesmo pras bandas do estádio em que a senhora foi tão rude e desrespeitosamente tratada na última quinta-feira. Tendo nascido e sido criado naquele cantão da cidade e conhecedor da índole daquele povo todo, dona Dilma, eu humildemente peço desculpas pelo tratamento que a senhora recebeu ali no nosso pedaço. E tenho toda a serenidade do mundo para lhe garantir: não fomos nós, povo da Zona Leste, que a ofendeu daquele jeito. Ah, não ...

Leia mais
Jogadores negros, público branco

Jogadores negros, público branco

Antonio Jiménez Barca A relação entre as tensões raciais (ou distensões) e o futebol no Brasil é extensa Em 1914, um jogador mulato do elitista clube Fluminense, do Rio de Janeiro, para dissimular a cor de sua pele, lambuzou sua cara com pó de arroz. No começo tudo bem. Mas quando começou a suar, seu truque foi descoberto. O jogador ficou marcado, para sempre, como o Pó de Arroz, assim como o próprio clube. A relação entre as tensões raciais (ou distensões) e o futebol no Brasil é extensa. Na verdade, há muitos historiadores e especialistas que sustentam que o futebol serviu precisamente para unir as diferentes raças que povoam este país-continente, que é uma das poucas coisas que todos fazem juntos, ricos e pobres, brancos e negros, ou que todos assistem juntos. E a seleção seria o ponto alto desse sentimento de irmandade acima das cores. Sim, mas há ...

Leia mais
"É esta gente sem educação que quer assumir o poder?"

“É esta gente sem educação que quer assumir o poder?”

Jornalista Laura Capriglione, que já foi editora-executiva da revista Veja, questiona as ofensas proferidas ontem contra a presidente Dilma Rousseff (PT) na abertura da Copa do Mundo; em seu blog no Yahoo, ela afirmou que os torcedores que xingaram a presidente "são os mesmos endinheirados que passaram os últimos anos dizendo que o estádio não sairia e que não haveria aeroportos" A jornalista Laura Capriglione, que já foi editora-executiva da revista Veja, questiona as ofensas proferidas ontem contra a presidente Dilma Rousseff (PT) na abertura da Copa do Mundo. Em seu blog no Yahoo (aqui), ela afirmou que os torcedores que xingaram a presidente "são os mesmos endinheirados que passaram os últimos anos dizendo que o estádio não sairia". "Saiu", opõe ela. "Há quem ache que o presidenciável Aécio Neves deve usar o linchamento verbal contra Dilma em seu horário eleitoral gratuito. Sabe de nada, inocente! Experimenta pôr a grosseria ...

Leia mais

O pior dos racismos é o da cor da alma

O mundo seguirá sendo violento e despedaçado enquanto pensarmos que nossa alma de privilegiados é mais nobre do que a dos despossuídos Por: Juan Arias Existe um racismo da cor da pele e outro da cor da alma: o que admite que nem todos os seres humanos têm o mesmo direito à felicidade. Qual deles é o mais perigoso e atroz? No fundo, ambos afetam o mesmo sujeito: os que dispõem de menos recursos, sempre os mais pisoteados. Talvez porque, no fim das contas, consideramos que se tratam de humanos inferiores, dos quais o poder tem menos medo, até que um dia se cansam de ser humilhados, despertam e põem tudo de pernas para cima. Digo isto porque me tocaram algumas declarações de Joseph Blatter, presidente da FIFA, em relação às manifestações de protesto com os esbanjamentos da Copa do Mundo que será disputada no Brasil. “É impossível deixar todos ...

Leia mais
Taxação de heranças: o problema não é herdar riqueza, e sim pobreza

Taxação de heranças: o problema não é herdar riqueza, e sim pobreza. Por Leonardo Sakamoto

Dia desses, após participar de um debate, fui abordado por uma mulher muito simpática que tentou me convencer a abandonar o libelo comunista da taxação de grandes heranças. Explicou que poderia me recomendar boas leituras para entender como esse tipo de medida afundou Cuba. Quando contei que um outro país notoriamente comunista, os Estados Unidos, mordia até 40% da herança, ela ficou indignada. Comigo, não com o Tio Sam. Afinal, isso não é argumento que se use! Afinal, nos Estados Unidos é diferente. Sempre é… Disse a ela que seria ótimo se, no Brasil houvesse algo semelhante, com progressividade (os mais ricos sendo mais cobrados) e teto de isenção (o do Tio Sam é de 5 milhões de dólares por pessoa). Por aqui, nós temos o Imposto sobre Transmissão, Causa Mortis e Doação (ITCMD), que pode adotar valores como 2,5%, 4% ou 6%, com tetos de isenção que chegam a algumas centenas de ...

Leia mais
Página 1 de 2 1 2

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist