Campanha por ministra negra no STF toma as ruas de Brasília

Movimento Negro realiza ato em frente ao Ministério da Saúde e busca diálogo com lideranças

A expectativa para quem será indicado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ocupar a vaga de Rosa Weber no Supremo Tribunal Federal (STF) é grande. A ministra deve se aposentar oficialmente na próxima segunda-feira (2), data de seu aniversário de 75 anos, idade limite para atuação no STF.

Com a iminência do anúncio de um novo nome para ocupar a cadeira deixada por Weber, o Movimento Negro se organiza para pressionar o presidente Lula a escolher uma ministra negra. Essa seria a primeira jurista negra a ocupar um lugar no STF.

As reivindicações se intensificaram após a mais recente declaração de Lula, que afirmou que não levará em conta “questão de gênero ou de cor” na hora de fazer sua escolha.

Campanha por jurista negra

Nesta quarta-feira (27), às 16h, foi realizado uma ato em frente ao Ministério da Saúde em favor da pauta. A organização é da Coalizão Negra por Direitos, formada por organizações, entidades, grupos e coletivos do movimento negro brasileiro.

Além do ato, foram estendidas faixas e realizadas a colagem de lambes em territórios periféricos de todo o país com mensagens de reivindicação da importância da indicação.

Na terça-feira (26), foi realizado um coquetel com a presença de parlamentares, membros do Ministério da Igualdade Racial, atores políticos e representantes da sociedade civil, buscando ampliar e fortalecer o apoio pela indicação da primeira jurista negra para a Corte.

As intervenções fazem parte da campanha chamada “Em Defesa de uma Ministra Negra no STF e por mais juristas negras e negros nos espaços do judiciário brasileiro”. Segundo a Coalizão, o objetivo é “reduzir o hiato de representatividade no poder judiciário e contribuir para um projeto de país antirracista”.

Agenda continua em Brasília

As intervenções seguirão em Brasília até a sexta-feira (29). A programação conta com uma “agenda de diálogos com os poderes legislativos, executivo e judiciário sobre as pautas prioritárias do movimento negro no atual contexto brasileiro”.

A campanha também organiza um abaixo-assinado através da plataforma Ministra Negra no STF.

+ sobre o tema

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

para lembrar

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05)...

Onde está Amarildo? – Por: Allan da Rosa

no queixo grudado no peito, mãos pra trás e...

Marina diz ter “ligação de sangue” com siglas

Por: BRENO COSTA   Após críticas de que sua campanha teria...

Edital Elas Periféricas

Seja bem-vinda à terceira edição do Edital Elas Periféricas4 Este...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a tramitação em regime de urgência do projeto de lei que equipara aborto acima de 22 semanas...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira (13) atos de movimentos feministas contra o projeto de lei que equipara aborto a homicídio,...
-+=