Comissão de Direitos Humanos da OAB/AL cobra providências contra linchamentos e espancamentos

 

Daniel Nunes quer coibir os casos de espancamentos (Crédito: Divulgação)

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL) cobra providências das autoridades competentes em relação a casos de justiciamento – quando alguém é linchado ou espancado por populares – ocorridos em Maceió e Arapiraca. O presidente da Comissão, Daniel Nunes, está encaminhando ofícios sobre o assunto para o secretário de Estado de Defesa Social, Eduardo Tavares; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcus Pinheiro; o delegado-geral de Polícia Civil, Carlos Reis; e o procurador-geral de Justiça, Sérgio Jucá.

De acordo com o ofício, a Comissão está “preocupada com a ocorrência de dezenas de casos de justiciamento nas cidades de Maceió e Arapiraca, inclusive com o espancamento e morte de pessoas inocentes, deficientes mentais, adolescentes e crianças, e, ao mesmo tempo, falta e/ou ausência de posicionamento público contrário, bem como punição dos criminosos que praticam tais crimes de homicídio, lesão corporal, tortura e crimes conexos”.

Ainda no documento, é colocado que a Comissão apresenta “notícia crime, dando conta a quem tem jurisdição e competência para a matéria”, para que, caso ainda não exista, seja aberto inquérito policial “contra os autores de tais crimes, como também que haja algum posicionamento público esclarecendo a natureza criminosa e o risco social e pessoal que tais crimes ensejam”.

Dados

Segundo dados da Comissão de Direitos Humanos da OAB/AL, de setembro de 2013 até esta quinta-feira (27), foram registrados 18 casos de justiciamento em Maceió e Arapiraca, dos quais nove resultaram em mortes. Entre estes 18 casos, 10 aconteceram neste ano, entre os quais houve cinco homicídios.

“Não tem justificativa. Quem faz isso é criminoso. O Estado precisa tomar uma posição clara, de reprimir essa prática odiosa”, defendeu o presidente da Comissão. “Por isso, estamos encaminhando esses ofícios”, acrescentou Daniel Nunes.

Fonte: TNH1

+ sobre o tema

Lutando contra conceitos equivocados e a logística para captar fundos no Brasil

Questões logísticas e a falta de conhecimento entre os...

Defesa vai pedir prisão domiciliar para Rafael Braga, que contraiu tuberculose

A defesa do catador de material reciclável Rafael Braga...

Brasilienses arrecadam absorventes para detentas no Distrito Federal

A campanha surgiu após uma jornalista relatar que presas...

Coletivos da área da Saúde se mobilizam contra “projeto higienista” para Cracolândia

Diversas entidades, coletivos e pessoas autônomas aderem a carta...

para lembrar

Pesquisa revela que mulheres negras estão fora do cinema nacional

Apesar de ser a maior parte da população feminina...

Número de resgatados em trabalho análogo ao escravo em MG sobe 37,8% em 2022

O resgate de sete lavradores em situação análoga à...

Saúde íntima: quais são os equívocos mais cometidos durante o verão

Ginecologista aponta quais são os erros mais comuns e...
spot_imgspot_img

Raça e gênero são abordados em documentos da Conferência de Bonn

A participação de Geledés - Instituto da Mulher Negra na Conferência de Bonn de 2024 (SB 60), que se encerrou na última quinta-feira 13,...

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...
-+=