Em SP, só aluno do 1º ano terá aula de espanhol

O governo de SP anunciou ontem que apenas alunos do primeiro ano do ensino médio terão acesso à língua espanhola no currículo regular -o idioma passou a ser obrigatório por meio de lei federal

Além da restrição, a disciplina será implementada somente no segundo semestre deste ano, conforme a Folha antecipou no último sábado.
Lei federal aprovada em 2005 determinou que as escolas públicas deverão oferecer o idioma a todos os alunos do antigo colegial interessados na matéria. A regra concedeu cinco anos para adaptação.

A gestão José Serra (PSDB-SP) entende que o prazo expira em agosto, mês que a lei foi aprovada, e que poderia ser restrita a uma das séries.
O concurso para contratar professores para o idioma está previsto para o final de março, quando as aulas já terão começado há mais de um mês -10 mil vagas estarão disponíveis.

O autor da lei, deputado Átila Lira (PSB-PI), criticou o governo paulista. Para ele, a matéria deveria ser oferecida no início deste ano letivo e para todos os alunos do ensino médio interessados. “Parece uma saída de quem está com dificuldade. Acho que cabe representação do Ministério Público.”

Descumprimento de legislação educacional pode acarretar ação judicial por improbidade administrativa. Uma das punições ao gestor é a perda do cargo. Mas dificilmente as ações chegam a esse ponto, pois os Estados têm autonomia para implementar as normas.

Para o secretário da Educação, Paulo Renato Souza, o começo da matéria no segundo semestre não atrapalhará os alunos. “Eles não estavam tendo [o espanhol] antes.”

Sobre a restrição da disciplina ao primeiro ano do ensino médio, ele diz que “o próximo governo poderá estender isso”.

Já o governador disse que a lei foi aprovada “de maneira atropelada”, trazendo dificuldades de implementação.

Cursos terceirizados
O governo anunciou ontem que o número de vagas em aulas extracurriculares de idiomas a alunos da rede subirá dos atuais 53 mil para 450 mil.

Para isso, serão contratadas instituições privadas, que receberão R$ 56,90 mensais por aluno. Serão atendidos apenas estudantes do segundo ano.

Excepcionalmente em 2010, também serão atendidos estudantes do terceiro ano.

Fonte: Folha de São Paulo

+ sobre o tema

Fuvest divulga prova e gabarito da primeira fase do vestibular

Exame foi aplicado neste domingo (28). Lista de aprovados será...

STJ suspende todas liminares do Enem e Sisu

As liminares concedidas em todo o país garantindo...

Cai qualidade das escolas estaduais do Grande ABC

Por: Camila Galvez     O Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação...

Sancionada lei que prevê apoio a indígenas na educação superior

O apoio ao acesso de povos indígenas ao ensino...

para lembrar

Projeto leva carimbós a alunos da rede pública

A Amazônia é quase uma entidade. Estende-se por...

Prazo para pedir correção invertida do Enem termina nesta sexta-feira

Sistema ficará no ar até as 23h59. Cabeçalhos do...

ProUni encerra inscrições nesta terça para 123 mil bolsas de estudo

Programa oferece mais de 123 mil bolsas em universidades...
spot_imgspot_img

Faculdade de Educação da UFRJ tem primeira mulher negra como diretora

Neste ano, a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem a primeira mulher negra como diretora. A professora Ana...

O que a proibição de livros nos diz sobre o futuro que nos aguarda

Reportagem da Agência Pública mostrou que existe um movimento coordenado para barrar a entrada de determinados livros no sistema prisional de Minas Gerais. Apenas títulos...

Encontro anual do SETA definiu ações e estratégias para uma educação antirracistae emancipatória.

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou do planejamento anual Projeto SETA  (Sistema de Educação Por Uma Transformação Antirracista) em Paraty, Rio de Janeiro....
-+=