Guest Post »

Escolas municipais valorizam diversidade étnico-racial

Há dez anos, a equipe gestora da escola municipal Quintino Pereira de Freitas, no bairro Canjica, tem desenvolvido ações de valorização da história e cultura afro-brasileira. O processo iniciou antes da sanção da Lei 10639/03, que preconiza a inserção desses temas no currículo escolar.

Fonte: Jornal Documento

@SAUCYPOT

Essa valorização da cultura afro-brasileira foi consequência do engajamento dos gestores da unidade de ensino no Grupo de União e Consciência Negra (Grucon) em Cuiabá, motivada pela ascendência africana. “Acostumamos a discutir esse assunto não apenas nas datas comemorativas, mas no decorrer de todo ano letivo”, explicou a diretora Antonia Corsina dos Anjos.

Na unidade escolar são atendidos 412 alunos, matriculados na Educação Infantil e no primeiro ciclo do Ensino Fundamental. Deste total, aproximadamente 58% são afro-descendentes, segundo informação da diretora escolar. “Há uma diferença numérica entre os que se declaram descendentes de negros e aqueles que são de fato”, lembrou.

A valorização da diversidade étnica é permanente na escola. No início do ano letivo, as crianças são acolhidas com festejos e relatam as origens da família. Quando esse processo foi iniciado na escola, eram propostas apresentações culturais. Posteriormente, foi expandido para os desfiles cívicos no bairro e desfiles de beleza afro na própria unidade escolar.

“Os alunos estão sempre com uma auto-estima muito bem trabalhada”, diz a diretora. Ela afirma que a participação dos pais na comunidade escolar é intensa. De acordo com Antonia Corsina, neste ano, aproximadamente 15 crianças deixaram de frequentar uma escola particular do bairro para se matricular na unidade de ensino municipal. Na percepção da diretora, é fundamental que os estudantes recebam uma educação de qualidade, independente do local onde foram matriculados.

As ações desenvolvidas pela escola municipal Quintino Pereira de Freitas encontram correspondência nas outras unidades escolares da rede pública municipal. Com o projeto Abraço, proposto pela Secretaria Municipal de Educação (SME) e em execução desde 2007, a diversidade étnico-racial tem sido valorizada, com o propósito de se construir uma educação anti-racista em todas as 98 unidades de ensino.

“A escola como espaço de excelência na formação do ser humano deve ser um local para ressignificar esses processos discriminatórios”, avalia a diretora de políticas educacionais da SME, Julieta Nunes Domingues. Ela explica que cada escola tem uma maneira de mediar as discussões sobre o tema. Com o apoio dos processos formativos, oportunizados por projetos como o Abraço e o Roda de Conversa, os gestores e equipe pedagógica das escolas encontram uma maneira de trazer esses temas, ignorados durante um longo período, para o universo escolar. “Cuiabá tem clareza sobre a importância de abordar essas questões”, assegura a diretora da Dipe/SME.

Com essa política, a Capital mato-grossense foi a única representação pública do país contemplada com o 4º Prêmio África Brasil 2009, concedido pelo Centro Cultural Africano. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2007, 59% da população mato-grossense é constituída por negros. Na Capital, o percentual é de 65%. “Recebo este prêmio na condição de prefeito e principal autoridade do município de Cuiabá, mas os premiados são todos os cuiabanos e mato-grossenses, em geral”, disse o prefeito Wilson Santos, a respeito da homenagem recebida.

 

Related posts