Governo de SP lança projeto para alfabetizar jovens e adultos

Programa começa em agosto com a ajuda de parceiros

Fonte: Folha São Paulo 

O governo estadual inicia em agosto deste ano o programa Alfabetiza São Paulo, voltado para a alfabetização de jovens acima de 15 anos e adultos.

O curso será equivalente aos primeiros quatro anos do ensino fundamental -da primeira à quarta séries. Apesar da existência de outros programas semelhantes no Estado, São Paulo é hoje o segundo no país com maior número de analfabetos.
Para o secretário Paulo Renato Souza (educação), a segunda posição na lista se deve à concentração de 23% da população nacional em São Paulo.

“O Brasil tem 9,9% de analfabetos; nós temos 4,6% em relação ao total da população”, diz.

A secretaria da Educação ainda não sabe estimar quantos pessoas serão atendidas pelo projeto, que será executado em parceria com ONGs, universidades e profissionais do Programa Escola da Família.

O governo repassará a verba para as ONGs comprarem o material didático, e as organizações não governamentais ficarão responsáveis pelo recrutamento dos voluntários e pela cessão do espaço. Já no caso das universidades e dos integrantes do Programa Escola da Família, a secretaria fornece o material didático aos parceiros.

Questionada pela Folha por que as ONGs receberão o dinheiro e não os livros, a secretaria alegou que no contrato com as organizações ficou estipulado que, como elas já recebiam verba para infraestrutura e ajuda de custo para professores, irão receber dinheiro também para a compra dos livros usados no programa.

Não há um tempo predeterminado para os estudantes concluírem o curso, que será ministrado aos finais de semana. Os alunos serão divididos em turmas de acordo com o seu nível e a sua disponibilidade para os estudos.

Ao término do curso, o aluno poderá realizar um teste de escolaridade em qualquer unidade da rede. Se for aprovado e tiver interesse, o candidato poderá cursar a quinta série do ensino fundamental.

 

 

+ sobre o tema

Projeto de escolas cívico-militares é aprovado na Alesp após estudantes serem agredidos por policiais

O projeto de lei que prevê a implementação das escolas...

Educação domiciliar e seus impactos para a convivência democrática

A educação domiciliar, também conhecida internacionalmente como homeschooling, tem...

Candidatos do Rio Grande do Sul terão isenção no Enem

O ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou que todos...

Liberdade para Ensinar e Aprender: Pesquisa Nacional Analisa Violências Sofridas por Educadores/as no Brasil

O Observatório Nacional da Violência contra Educadoras/es (ONVE), sediado...

para lembrar

Professores iniciam greve a partir de segunda-feira

Em assembleia realizada na tarde de ontem na Avenida...

Explicando o uso do termo ‘bastante’ e do verbo ‘haver’ no sentido de ‘existir’

Professora de português do Colégio GGE, Ana Queiroz, exemplifica...

Como a USP, Harvard também têm política de cotas – há 30 anos!

A USP foi a última universidade pública brasileira a...

Obra e pensamento de Paulo Freire são temas de seminário

  O Conselho Nacional de Educação (CNE) promove, nesta segunda-feira...
spot_imgspot_img

FGV e Fundação Itaú oferecem bolsas de mestrado em comunicação digital e cultura de dados

A FGV-ECMI (Escola de Comunicação, Mídia e Informação da Fundação Getúlio Vargas) vai oferecer 30 bolsas integrais para o mestrado em comunicação digital e...

Projeto de escolas cívico-militares é aprovado na Alesp após estudantes serem agredidos por policiais

O projeto de lei que prevê a implementação das escolas cívico-militares na rede estadual e municipal de ensino foi aprovada na noite desta terça-feira (21) na...

Educação domiciliar e seus impactos para a convivência democrática

A educação domiciliar, também conhecida internacionalmente como homeschooling, tem sido objeto de debate em diversos contextos nacionais e internacionais, mobilizando famílias, a sociedade e...
-+=