Legado de Sobrevivência

Arrancaram-nos de nossas origens.
Invadiram e tomaram nossas terras.
Nós, afro-brasileiros e indígenas,
Resistimos.
Nos mataram, nos adoeceram, nos fizeram muito mal.
Resistimos.
Nos usaram. Nos objetificaram. Tentaram nos anular. Nos desumanizar, mas
Resistimos.
No Brasil, maioria da população é afro-brasileira.
Muitos carregam no sangue também o DNA indígena.
Ainda existem indígenas, apesar da força bruta e desumana do “homem bran’ ko”,
Negros e índios não nos sujeitamos,
Resistimos.
Nossa grande maioria ainda vive de maneira social/historicamente desigual e injusta, ainda assim
Resistimos.
Não querem reparar os erros que cometeram e cometem conosco, então
Resistimos.
Criando o “Sim” e reinventando o “NÃO”, resistimos.
Conscientes, esperançosos, e, otimistas,
resistimos.
Reconhecemos que nossos ancestrais deixaram legado acadêmico, tecnológico, cultural, artístico, gastronômico, agro…
Resistimos.
Nossos povos que já se foram deixaram LEGADO de busca pela paz. Por dignidade.
Por JUSTIÇA,
Resistiram, Resistimos, Resistiremos.

Enquanto reflito, desabafo – Berenice Torres.


** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE.

+ sobre o tema

Mortes de negros pela polícia brasileira aumentam; de brancos caem, diz ONU

A ONU denuncia a disparidade de tratamento da polícia...

Chacinas, racismo e cidade: Qual o modelo de cidades seguras queremos?

Sem dúvida alguma o modelo de segurança pública do...

Racismo ambiental: Fortalecendo argumentos e enfrentando o racismo ambiental

Entrevista: Cristiane Faustino A equipe de comunicação do Terramar entrevista...

Após um ano de uso de câmeras em uniformes, mortes por policiais caem 80%

As mortes cometidas por policiais militares despencaram em 19...

para lembrar

Violência Racial

Por: Abraão Macedo     "Eu não quero...

Aos negros, o final da fila: um panorama da desigualdade na capital gaúcha

Dona Marlene Alexandre da Silva, 68 anos, aposentada, ainda...

Seppir divulga nota técnica contra redução da maioridade penal

Estudo aponta dados estatísticos e alerta para possíveis efeitos...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=