Lula afirma que pode voltar a estudar após deixar Presidência

Presidente cogita ainda dar aulas sobre “como governar o país”


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem em um evento oficial em Juiz de Fora (MG) que poderá voltar a estudar depois de deixar a Presidência da República. Mas aventou também a possibilidade de dar aulas sobre como governar o país.

Em discurso durante inaugurações no campus da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora), Lula disse: “Adoraria ter um curso superior. Quem sabe agora, depois de [ser] presidente, eu possa “tirar” um curso ou dar aula para ensinar algumas pessoas [sobre] como governar este país”.

Em nenhum instante da sua fala de 21 minutos ele mencionou os escândalos que envolvem a Receita e a Casa Civil da Presidência.
Lula deixou a universidade sem dar entrevistas. Quem falou pelo governo foi o ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais).

Padilha disse que o governo quer “a apuração até o final” do caso de tráfico de influência que derrubou a ministra Erenice Guerra da chefia da Casa Civil. Disse que a apuração será feita “doa a quem doer, seja quem for e seja qual for o grau de parentesco”. “O governo não vai impedir nenhum processo de apuração”, disse.

Quando questionado sobre o motivo de não ter sido apurado o conteúdo do e-mail que o consultor Rubnei Quícoli enviou à Casa Civil em fevereiro, quando a ministra ainda era Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência, Padilha disse que isso será feito agora, pois só neste momento o governo tomou conhecimento do caso.

“O governo está sabendo disso agora, e a Polícia Federal vai fazer todo o processo de apuração, inclusive sobre o conteúdo: se existiu este e-mail, o conteúdo, quem recebeu e quais as pessoas informadas naquele momento.”

Ele acrescentou: “As pessoas informadas que não tomaram procedimentos vão ser punidas na forma que têm que ser punidas, ver inclusive quais são os interesses das pessoas que denunciam, se tem provas de fato a serem apresentadas”.

Padilha também disse que a oposição “tenta se aproveitar deste tema, levando para a campanha eleitoral”.
O ministro acrescentou que Lula tem dito a Dilma para se manter tranquila e “não cair na baixaria”.

Fonte: Folha

+ sobre o tema

Que escriba sou eu?

Tenho uma amiga que afirma que a gente só prova...

O Brasil de Diogo e o Brasil de Luiza; por Wagner Iglecias

Wagner Iglecias A entrevista de Luiza Trajano ao Manhattan...

Vox/Band/iG: Dilma cai de 56% para 54%

Candidata petista varia para baixo pela primeira vez dentro...

para lembrar

LITERATURA: 5º FAN 2009

OMO-OBA: HISTÓRIAS DE PRINCESAS Kiusam Oliveira OS NOVES...

Edgar Morin: demônio é sempre o outro

Morin filósofo, sociólogo, antropólogo e historiador e autor de...

Combate à desigualdade exige mudanças estruturais

Oxalá em 2012 haja maior participação popular nas mobilizações...

Produção de Madonna cancela encontro com AfroReggae, diz coordenador

Fonte: Folha OnLine-O coordenador da ONG AfroReggae, José Júnior,...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...

Em 20 anos, 1 milhão de pessoas intencionalmente mortas no Brasil

O assassinato de Mãe Bernadete, com 12 tiros no rosto, não pode ser considerado um caso isolado. O colapso da segurança pública em estados...
-+=