Picharam ‘Jesus cura lesbianismo’ e estudantes da UFRJ deram o troco contra a homofobia

Um banheiro da Escola de Comunicação da Universidade federal do Rio de Janeiro (UFRJ), situado na zona sul do Rio, virou um painel repleto de pichações lesbofóbicas, incitando a homofobia no começo de junho.

no HuffPost

Na porta do banheiro feminino: “Jesus cura lesbianismo”. A gente responde também, com mais cor!

Ação rápida. Intervenção dos vigias. Resolvemos. Outras se juntaram à ação para pintar todas as portas também por dentro. A ECO somos nós!

A estudante Ivone Pita – idealizadora da iniciativa – falou sobre a intervenção:

“A ideia surgindo, o apoio, a união para fazer acontecer, a gente pintando as portas, mais gente chegando para participar, depois tanta gente entrando nos banheiros para fazer foto junto às portas e as comemorações, os comentários todos, tanta gente vindo falar comigo para dizer que nunca ficou tão feliz na ECO, que aquele se tornou outro lugar, que ao entrar no banheiro e ver cores tão familiares sente acolhimento.”

E ressaltou a importância do ato para a comunidade LGBT da universidade:

“Vamos disputando espaços, significados, sentidos. Nós vamos dizendo que estamos aqui, sim, que esse mundo também é nosso, para nós e feito por nós. Eu queria abraçar cada pessoa que se sente contemplada pela ação. Quero caminhar com elas e que a gente faça muitas outras ações.”

jesus salva o lesbianismo2 jesus salva o lesbianismo3 jesus salva o lesbianismo4 jesus salva o lesbianismo5

+ sobre o tema

Uso do tempo e as desigualdades de gênero são tema de seminário no Ipea

Durante toda a próxima quarta-feira, 18, evento reunirá especialistas...

Após ser alvo de ataques transfóbicos e racistas, Érika Hilton irá processar 50 pessoas

Após ser alvo de ataques transfóbicos, machistas e racistas,...

25 de julho impulsiona imagem da mulher negra

Mulheres negras lançam suas imagens através da campanha de...

Filme Kbela é homenagem a todas as mulheres negras

Idealizado por Yasmin Thayná e realizado coletivamente, Kbela nasceu...

para lembrar

Serena Williams questiona: “por que sou negra, então, pareço má?”

Para ser dominante no circuito feminino e uma das...

Morre a travesti Luana Muniz, símbolo da Lapa

Ela ficou famosa pelo bordão 'Travesti não é bagunça'...

Happy Birthday, Lélia Gonzalez – English version

Today, February 1st, I dedicate this post to what...

Custo do machismo no país de Rafinha Bastos: placas e pinos no braço porque disse não

Sexta feira passada eu e mais nove blogueiras feministas...
spot_imgspot_img

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...
-+=