Praça Dom José Gaspar, em São Paulo, é a primeira a receber sinal aberto para Wi-Fi

Projeto de internet gratuita deve ser finalizado em um mês e se estende para 120 praças da cidade

 

São Paulo – A primeira praça de São Paulo a receber internet Wi-Fi de graça teve seu teste iniciado ontem (1º). O projeto foi lançado na Praça Dom José Gaspar, próximo à Biblioteca Mario de Andrade, região central, e vai se estender para 120 praças da capital paulista, uma em cada distrito da cidade.

Para oferecer o sinal aberto para internet o projeto propõe 512 kbytes por usuário, o que permite transmissão de documentos, envio de fotos e utilização de vídeos e inclui 270 aparelhos, disponíveis aos usuários, para medir a potência do sinal e a velocidade. No primeiro dia de teste, 140 pessoas utilizaram a rede gratuita.

Em entrevista à Rádio Brasil Atual, o membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil e coordenador do Projeto Praças Digitais, Sérgio Amadeu, presente no lançamento, avisou que será necessário mais link para garantir o bom funcionamento do projeto. “Há uma preocupação nossa com a força e a velocidade do link. Vamos discutir isso com a Embratel, que ofereceu o serviço gratuitamente, para garantir a infraestrutura e fazer as correções necessárias”.

O Praças Digitais deve custar R$ 15 milhões por ano para a prefeitura. O processo de licitação está em andamento e em aproximadamente um mês o processo deve ser finalizado. “O maior custo do nosso projeto é pagar a banda larga para as operadoras de telecomunicações”, afirma Amadeu.

O secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira afirma que esse serviço é o inicio de uma nova relação com o espaço público. “Estamos vivendo um momento importante na cidade de São Paulo que é a reapropriação dos espaços públicos. A praça é um lugar de convivência e momento importante da vida urbana”.

O Praças Digitais é desenvolvido pela Secretaria de Serviços da Prefeitura de São Paulo, em parceria com a Prodam Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do município.

 

Wifi Livre: Grupo pede que moradores liberem wi-fi durante protesto de segunda

 

Fonte: Rede Brasil Atual

+ sobre o tema

Munduruku expulsam 25 pesquisadores de terra indígena

Cerca de 25 pesquisadores foram retirados da terra...

Controle de emissoras por políticos leva à falsificação da democracia

Ação no STF pede inconstitucionalidade de outorgas concedidas a...

Idosa fica 50 anos em trabalho análogo à escravidão e sem ver família em SP

Yolanda, hoje com 89 anos, passou cinco décadas de...

Lado a Lado – Os negros nas telenovelas

Por Guilherme Fernandes A emancipação feminina e o divórcio em...

para lembrar

Sete em 10 mulheres descobrem câncer de ovário ‘tarde demais’

Histórico familiar e obesidade estão entre os fatores de...

Fui demitida depois dos 40. E agora?

Dia desses, enquanto navegava pelos comentários de uma publicação...

Rosane Borges é Conferencista em Congresso Internacional de Comunicação

Professora Rosane da Silva Borges, jornalista e doutora em...
spot_imgspot_img

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...

Impacto do clima nas religiões de matriz africana é tema de evento de Geledés em Bonn  

Um importante debate foi instaurado no evento “Comunidades afrodescendentes: caminhos possíveis para enfrentar a crise climática”, promovido por Geledés -Instituto da Mulher Negra em...

Comissão da Saúde aprova PL de garantia de direitos à pacientes falciformes

A Comissão de Saúde da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (5), o Projeto de Lei nº 1.301/2023, que reconhece a doença falciforme como...
-+=