sexta-feira, janeiro 14, 2022
InícioÁreas de AtuaçãoDireitos HumanosInspirado em Mandela, começa Fórum Mundial de Direitos Humanos

Inspirado em Mandela, começa Fórum Mundial de Direitos Humanos

Na abertura, ministra Maria do Rosário lembrou que “legados da ditadura” explicam a “forma como a polícia aborda negros e pobres, forjando autos de resistência”

Por Igor Carvalho, de Brasília

Com um minuto de silêncio em homenagem ao líder sul-africano Nelson Mandela, começou o Fórum Mundial de Direitos Humanos, nesta terça-feira (10), em Brasília. “Que esse fórum se inspire em seu exemplo. Um homem que uniu os contrários, ao invés de alimentar ódio e separação”, afirmou o presidente em exercício, Michel Temer, durante sua breve fala na abertura.

O embaixador da África do Sul no Brasil, Mphakama Mbete, recebeu um buquê de rosas brancas das mãos da deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ). “Mandela contribuiu imensamente para a promoção da paz na África do Sul. Ele é lembrado pela proteção e promoção dos direitos humanos e pela equidade entre todos”, afirmou o chanceler.

Entusiasmada com o evento, que é realizado pela sua pasta, a ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, apresentou o propósito do fórum. “Temos que trabalhar juntos para solucionar problemas como homofobia, a opressão contra a mulher, além da opressão contra os negros”, afirmou. A ministra lembrou que os “legados da ditadura” explicam a “forma como a polícia aborda negros e pobres, forjando autos de resistência. “Se falamos de inclusão para o mundo, temos que buscar inclusão no Brasil”, finalizou Maria do Rosário.

Enquanto discursava o representante na América do Sul do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (ACNUDH), Ameringo Incalcaterra, um grupo de indígenas interrompeu a solenidade para protestar contra os “500 anos de genocídio”, como diziam em seus cartazes.

FMDH

mesa2-300x179

O evento, que comemora os 65 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, ocorrerá até a próxima sexta-feira (13) e os encontros estão divididos em três eixos temáticos: “Os direitos humanos como bandeira da luta de povos”; “A universalização de direitos humanos em um contexto de vulnerabilidades”; e “A transversalidade de direitos humanos.”

O FMDH traz ao Brasil mais de 30 debatedores de diversos países, entre eles o líder indígena Guarani Kaiowá, Tonico Benites, o cientista social Pablo Gentili (Argentina), a procuradora Ela Wiecko, a política e ativista Aruna Roy (Índia),o economista Márcio Pochmann, Enriqueta Estela Barnes de Carlotto (Argentina), uma das avós da Plaz de Mayo, a médica e ativista dos direitos humanos, Hawa Abdi (Somália), o vice-presidente colombiano Angelino Garzón, entre outros. De última hora, o escritor paquistanês Tariq Ali cancelou sua participação no FMDH.

Igor Carvalho está no Fórum Mundial de Direitos Humanos a convite da organização

Fonte: Revista Fórum

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!
RELATED ARTICLES