Prêmio Viva: Marie Claire e Instituto Avon pelo fim da violência contra a mulher

A grande noite de premiação acontecerá no dia 22 de novembro, no Palácio Tangará, em São Paulo. E além da revelação dos finalistas, terá o show de Karol Conka

no Marie Claire

Foto- Marie Claire

Ser mulher no Brasil é um desafio de sobrevivência. Dados do Mapa da Violência de 2015 não escondem: somos o 5º país que mais mata o gênero feminino no mundo. Os números da violência doméstica – aquela que acontece no âmbito familiar e geralmente vem por parte do parceiro amoroso da vítima – também assustam. Aqui, a cada dois segundos, uma mulher é vítima de violência física ou verbal. A informação é do Relógio da Violência, alimentado pelo Instituto Maria da Penha, minuto a minuto.

Reconhecer essa triste realidade é um caminho para que a violência contra as brasileiras não seja invisível ou impune, como é por tantas vezes em nossas sociedade e Justiça. “Quando a violência termina, a vida recomeça”, já disse a farmacêutica Maria da Penha, símbolo da luta contra a misoginia e tudo que ela pode causar.

É pela vida das mulheres que Marie Claire e o Instituto Avon se unem na primeira edição do Prêmio Viva. O intuito é colocar luz no trabalho de quem tenta, todos os dias, romper o ciclo de crueldade que alcança milhares de mulheres ano a ano no país. “Queremos mostrar que violência não é só física. Um relacionamento abusivo e a não equidade salarial entre mulheres e homens que exercem a mesma função, por exemplo, também são formas de violência. Com esse prêmio queremos levantar a discussão, alertar a população”, explica Laura Ancona, diretora de redação da revista.

Serão 21 finalistas e sete premiados nas categorias Saúde, Sociedade Civil, Revendedoras, Segurança, Justiça, Empreendedorismo e Ele por Elas. Os ganhadores serão escolhidos através de um júri de especialistas (composto por Laura Ancona, Nadine Gasman, da ONU Mulheres, Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil, Silvia Chakian, promotora de Justiça e Silvio Almeida, advogado) e através de votação popular – disponibilizada aqui mesmo, no site da revista, do dia 10 ao 16/11. A grande noite de premiação acontecerá no dia 22 de novembro, no Palácio Tangará, em São Paulo. E além da revelação dos finalistas, terá o show de Karol Conka e outras apresentações, como a do grupo Slam das Minas, que mistura poesia e resistência.

Juntas, aplicativo de Enfrentamento a Violência contra Mulher

+ sobre o tema

Mídia: Caso Eloá deve ser tratado como violência contra a mulher

Acontece desde o início da manhã desta segunda-feira (13),...

O tráfico de mulheres por meio de agências de modelos

PRDC move ação para que agências indenizem modelos vítimas...

Lei de combate à violência contra a mulher não impede crime

Apenas uma semana depois de ser solto, Jeffer Sandre...

para lembrar

Violência contra a Mulher: Aluna hostilizada por usar roupa curta na Uniban

'Eles estavam possuídos, fiquei com muito medo', afirmou estudante. Tumulto...

A lei “acariciou a onipotência” do goleiro Bruno

Por: FÁTIMA OLIVEIRA A personalidades delinquentes só a lei é...

Como resguardar as meninas da violência sexual dentro de casa?

Familiares que deveriam cuidar da integridade física e moral...
spot_imgspot_img

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Lula sanciona lei que protege mulheres de violência em bares e shows

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à...

Menina de 15 anos é vítima de estupro coletivo na noite de Natal; amigos são suspeitos, diz polícia

Uma adolescente, de 15 anos, foi estuprada na madrugada de Natal, 25 de dezembro, em Campo Grande (MS). De acordo com a polícia, os suspeitos...
-+=