Mulheres fazem ato contra PEC do aborto no Centro do Rio

PEC 181 é a favor da criminalização do aborto em casos de estupro e risco de vida para a mulher

Do O Globo 

Passeata de mulheres na Cinelandia, contra a nova lei do aborto. Foto Domingos Peixoto/Agencia O Globo – Domingos Peixoto / Domingos Peixoto

Um grande grupo de mulheres realiza uma manifestação na noite desta segunda-feira no Centro do Rio contra a PEC 181, a favor da criminalização do aborto em casos de estupro e risco de vida para a mulher. A PEC foi votada na última quarta-feira na Câmara dos Deputados.

A convocação para o protesto foi feita pelas redes sociais e acontece em diversas capitais do país. Em São Paulo, cerca de 400 mulheres estão na Avenida Paulista. No Rio, as manifestantes gritam palavras de ordem como “Nós somos muitas contra 18, quero ver quem decide sobre aborto” — referência aos 18 deputados que votaram a favor da criminalização — e carregam cartazes como dizeres “aborto seu patriarcado” e “ser mãe deve ser uma escolha”. O movimento de empoderamento feminino Baque Mulher também participa do protesto. A Polícia Militar informou que o Batalhão de Policiamento em Grandes Eventos (BPGE) acompanha a manifestação.

Protesto de mulheres no Centro do Rio – Domingos Peixoto / Domingos Peixoto

De acordo com o Centro de Operações, o protesto, que teve início na Cinelândia, está na altura da Alerj. A linha 1 do VLT chegou a ser interrompida por causa da manifestação. Por volta das 19h50, houve um princípio de tumulto com a chegada do grupo à Alerj. A Polícia Militar reagiu com bombas de gás contra manifestação. As manifestantes tomaram a escadaria da Assembleia e, após a confusão, deixaram o local.

Mulheres tomaram escadaria da Alerj – Domingos Peixoto / Domingos Peixoto

Originalmente a PEC previa a ampliação de direitos trabalhistas às mães de crianças prematuras, com maior período de licença maternidade nestes casos. No entanto, em comissão especial, foi incluída a proibição do aborto quando há risco de vida para a mulher e em casos de estupro. O direito ao aborto nessas circunstâncias é assegurado desde 1940 pelo Código Penal Brasileiro.

RI – Rio de Janeiro – 13/11/2017 – Passeata de mulheres na Cinelandia, contra a nova lei do aborto. Foto Domingos Peixoto/Agencia O Globo – Domingos Peixoto / Domingos Peixoto

+ sobre o tema

Teu corpo não é estranho

Eu nunca vi um corpo como o meu na...

Ana Maria Gonçalves fala de leituras, escritas e produção literária negra

Em outubro, a Fundação Pedro Calmon/Secretaria de Cultura do...

Covas sanciona lei que cria Praça Marielle Franco em São Paulo

O prefeito Bruno Covas (PSDB) sancionou nesta terça-feira (28)...

Estudante de moda cria coleção de lingerie para mulheres mastectomizadas

A descoberta de uma nova beleza Ao receber o diagnóstico...

para lembrar

Mulheres negras e a felicidade no meio do caminho…

Há algumas semanas, na Inglaterra, eu conversava com uma...

Patrícia Santos, a missão de revelar talentos ofuscados pelo racismo

Profissional de RH criou consultoria focada na diversidade étnico-racial...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=