Prisão de Mirian França é revogada

Farmacêutica é acusada pela morte de italiana, em dezembro; Mobilizações contra prisão tomaram as redes sociais acusando a polícia de racismo; A carioca não poderá se ausentar do Ceará pelo prazo de 30 dias

no Brasil de Fato

Após analisar informações divulgadas pela polícia, o juiz José Arnaldo dos Santos Soares, da comarca de Jijoca, de Jericoacoara (Ceará), revogou a prisão temporária da farmacêutica Mirian França, na manhã desta terça-feira (13).

Doutoranda da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Instituto de Microbiologia, Mirian estava presa há 14 dias, na Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), acusada pelo assassinato da italiana Gaia Molinari, no dia 26 de dezembro.

Primeiramente tratada como testemunha do crime, Mirian passou a ser acusada após, segundo a polícia, contradições em seu depoimento. A delegada Patrícia Bezerra pediu a prisão preventiva da carioca argumentando que o retorno de Miriam ao Rio de Janeiro “inviabilizaria a continuidade das investigações”.

Redes Sociais

As mobilizações contra a prisão da farmacêutica tomaram as redes sociais. Na última sexta-feira (9), por exemplo, diversos movimentos lançaram uma nota pública pedindo sua liberdade e acusando a polícia de fazer julgamento antecipado de Miriam por ela ser negra. “A prisão de Miriam fere o Princípio Constitucional da presunção de inocência (art. 5º, LVII, CF)”, afirma a nota.

Também na sexta-feira (9), cerca de 30 pessoas protestaram na frente da delegacia. Em entrevista ao G1, a assistente social e integrante do Instituto Negra do Ceará e do Fórum Cearense de Mulheres, Francisca Sena, disse que Miriam sofre de racismo. “Existem outras suspeitas, as outras pessoas não estão presas. Há um racismo institucional praticado pela polícia de um modo geral”.

De acordo com a decisão, a farmacêutica não poderá se ausentar do Ceará pelo prazo de 30 dias.

+ sobre o tema

Su poesía llama la atención a todos los hombres negros que odian a las mujeres negras

¡Todas las mujeres merecen respeto! Crystal Valentine y Aaliyah Jihad...

Quase 50 anos depois, clássico da literatura negra chegará ao Brasil

Clássico da literatura negra chegará ao Brasil: chegará às...

Grace Passô, a melhor atriz do Brasil

Apesar de desconhecida pelo grande público, ela é incensada...

Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo com Baile de Favela nas Olimpíadas

Um passo. Foi isso que separou Rebeca Andrade de...

para lembrar

Beatriz Nascimento, atlântica

Sem perder a atualidade, a poetisa e intelectual continua...

A primeira juíza mulher da NBA e sua história de resistência

“Eu sabia que todo mundo estava esperando que eu...

Pela primeira vez Boeing 737 é pilotado apenas por mulheres

A história da aviação ganhou um novo capítulo na...

Maria Júlia Coutinho será a primeira mulher negra a apresentar o Jornal Nacional

Jornalista entra para o rodízio de apresentadores do noticiários...
spot_imgspot_img

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Andréia Regina Oliveira Assunção Santos e os desafios da maternidade são destaque do mês no Museu da Pessoa

Quando estava no último ano do curso de administração de empresas, Andréia engravidou pela primeira vez e enfrentou uma série de desafios, como as...
-+=