Recife adere campanha global de 16 dias de ativismo pelo fim da violência de gênero

Haverá rodas de diálogo, seminários, oficinas e distribuição de material informativo

Do Diário de Pernambuco

Até o dia 10 de dezembro, serão realizadas ações voltadas ao empoderamento das recifenses e ao combate ao feminicídio. Serão 16 dias de atividades pelo fim da violência contra a mulher dentro do movimento internacional. As ações, que seguem o lema Juntas transformamos o mundo, vão englobar rodas de diálogo, seminários, oficinas e distribuição de material informativo. A programação começa nesta segunda, às 7h, com uma panfletagem na Praça do Derby.

A campanha da Secretaria da Mulher do Recife, elaborada especialmente para os 16 dias, traz imagens de diversas marchas de mulheres ao redor do mundo exigindo o fim da violência de gênero. Dentre as peças desenvolvidas, está o violentômetro, com o mapeamento de várias de formas de agressão psicológicas e físicas. O material será distribuído nos principais bares da zona Norte e do Centro do Recife.
As rodas de diálogo acontecem nos Compaz Governador Eduardo Campos e Ariano Suassuna, no edifício-sede da Prefeitura do Recife, no Centro da Mulher Metropolitana Júlia Santiago e no Pátio de São Pedro. Mulheres idosas, trans, negras e funcionárias da Prefeitura irão debater violência contra a mulher e suas mais diversas formas. As oficinas “O Eu feminino construindo outras histórias” são voltadas para as conselheiras municipais da mulher e ocorrerão na sede do Conselho, nos dias 27, 29 e 30 de novembro.
No Rec´n´Play, festival de tecnologia promovido pelo Porto Digital, que ocorrerá no Recife Antigo de 30 de novembro a 3 de dezembro, a Secretaria participa com um estande no hall da Sofitex. Este ano, um dos temas da maratona de programação Hacker Cidadão, elaborado pela Prefeitura do Recife, é Espaço Urbano Seguro para as Mulheres. Os programadores poderão utilizar os dados abertos da gestão municipal para desenvolverem soluções inovadoras que promovam espaços seguros para as recifenses. Os projetos podem explorar assuntos como mobilidade urbana, planejamento urbano, saneamento, iluminação pública e prevenção à violência urbana e combate ao assédio.
Além da maratona, também serão divulgados os serviços da pasta municipal e o público conhecerá os vencedores do concurso de jogos digitais do Maria da Penha vai à Escola, no auditório do shopping Paço Alfândega, no dia 3, às 16h.
No dia 6, é a vez  do VII Encontro da Mulher com Deficiência do Recife, às 8h30, no auditório do Banco do Brasil,  na Avenida Rio Branco. Dentre as convidadas, está a ativista Leandrinha Du Art. No mesmo dia, também será a realizada a campanha do Laço Branco, na sede da Prefeitura do Recife. A programação finaliza em 10 de dezembro, no dia mundial de Direitos Humanos. Serão distribuídos materiais informativos no Marco Zero e nas imediações do RecifeAntigo.
16 DIAS DE ATIVISMO – O movimento internacional tem início no dia 25 de novembro e segue até o dia 10 de dezembro. Existe desde 1991, por iniciativa do Centro de Liderança Global de Mulheres (Center for Women’s Global Leadership – CWGL), e conta com a participação de mais de 150 países. A campanha tornou-se uma das mais importantes estratégias de mobilização e sensibilização da sociedade para igualdade de gênero e o fim da violência contra a mulher.

+ sobre o tema

Conteúdo sobre direitos da mulher agora é obrigatório nas escolas do Destrito Federal

Medida estimula crianças a contar o que sofrem em...

Prêmio Jabuti: poesia ganha maior prêmio em noite com homenagem a Sueli Carneiro

Nesta quinta-feira (24), o Prêmio Jabuti, realizado pela Câmara Brasileira...

Uma gravação para escapar dos abusos

Menina de 9 anos registra uma conversa com o...

Parlamentares cobram mais avanços na aplicação da Lei Maria da Penha

Durante audiência pública por ocasião do aniversário de seis...

para lembrar

Minas Gerais é um dos estados que mais mata lésbicas, gays, bissexuais e transexuais no país

O MG2 exibe uma série de reportagens sobre homofobia....

Os jovens negros morrem e as mulheres negras também morrem

Já faz um tempo que o movimento negro vem...

Encontro discute direito de mulheres negras

Um Seminário ocorrido no Rio Grande do Sul, discutiu...
spot_imgspot_img

Brasil registra um crime de estupro a cada seis minutos em 2023

O Brasil registrou um crime de estupro a cada seis minutos em 2023. Com um total de 83.988 casos de estupros e estupros de...

Mortalidade materna de mulheres pretas é o dobro de brancas e pardas, diz estudo

Mulheres pretas têm quase duas vezes mais risco de morrer durante o parto ou no puerpério que mulheres pardas e brancas, segundo um estudo da Unicamp (Universidade Estadual...

Plataforma Mães Negras debate impactos do peso na vida profissional

A Plataforma Mães Negras do Brasil, startup (empresa emergente) de impacto social, cujo objetivo é a promoção do desenvolvimento socioeconômico de mães negras, promove nesta quarta-feira...
-+=