STJ decide soltar mãe de cinco filhos que furtou R$ 21,69 em alimentos

O valor da mercadoria furtada pela mulher, que vive em situação de rua, corresponde a menos do que 2% do salário mínimo atual

Joel Ilan Paciornik, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), decidiu revogar a prisão de uma mulher desempregada, mãe de cinco filhos, moradora de rua em São Paulo há mais de dez anos.

No dia 29 de setembro, ela furtou dois refrigerantes, dois pacotes de macarrão instantâneo e um pacote de suco em pó, em um mercado da capital paulista. A mulher, que alegou que pretendia matar a fome dos filhos, foi presa em flagrante pela Polícia Militar (PM).

A mercadoria está avaliada em R$ 21,69, o que corresponde a menos do que 2% do salário mínimo atual.

A decisão foi tomada com base no princípio da insignificância. Na avaliação do relator do caso, a “lesão ínfima ao bem jurídico” e o estado de necessidade da mulher não justificam o prosseguimento do inquérito policial.

A 6ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP havia mantido a prisão preventiva da mulher. A alegação é que ela já havia sido detida quatro vezes pelos mesmos delitos e era reincidente.

Porém, o ministro do STJ ponderou que existem situações nas quais o grau de lesão ao bem jurídico tutelado pela lei penal é tão ínfimo que não se poderia negar a incidência do princípio.

Saciar a fome

“Essa é a hipótese dos autos. Cuida-se de furto simples de dois refrigerantes, um refresco em pó e dois pacotes de macarrão instantâneo, bens avaliados em R$ 21,69, menos de 2% do salário mínimo, subtraídos, segundo a paciente, para saciar a fome, por estar desempregada e morando nas ruas há mais de dez anos”, concluiu o ministro, ao determinar a soltura da mulher.

Leia Também:

A mais degradante das crises

A carestia do Brasil de Bolsonaro

Número de pessoas com fome no mundo aumentou cinco vezes devido à pandemia, crise climática e conflitos armados


Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.

+ sobre o tema

Pesquisa revela constante racismo a imigrantes no Brasil

A noção de que o Brasil é um país...

Nath Finanças: Pequenas economias do dia a dia que fazem diferença no fim do mês

Esqueceu de descongelar a comida e ficou com vontade...

Comércio entre Brasil e África cresce 416% em 10 anos

  Os números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio...

Dilma sobre a campanha: ‘Sou outra pessoa, muito melhor’

Esbanjando bom humor, candidata petista diz que campanha foi...

para lembrar

Governo federal ignora inflação e repassa menos de R$ 1 para alimentação de aluno

Imagine o que se consegue colocar em um prato...

Caminhada do privilégio

a caminhada do privilégio é um exercício para tornar mais...

Desigualdade aumentou em 2023, diz relatório do Banco Mundial

Em torno de 700 milhões de pessoas sobrevivem com menos de US$ 2,15 (R$ 10,50) por dia. São os mais pobres entre os pobres...

Saúde: 307 crianças ianomâmis desnutridas foram resgatadas em 2023

Ao longo do ano de 2023, 307 crianças ianomâmis diagnosticadas com desnutrição grave ou moderada foram resgatadas e recuperadas, segundo o Ministério da Saúde. Há quase...

Cidades do país têm fome escancarada nas ruas e oculta nas periferias

É impossível não notar, mas muita gente escolhe ignorar a manifestação mais explícita da fome nos centros urbanos do país. Ela está nos semáforos e...
-+=