Supermercado é acusado de racismo após associar mulher negra a vassoura

Uma rede de supermercados do Paraná foi acusada de racismo após uma propaganda que associa uma mulher negra a uma vassoura. A imagem gerou indignação dos usuários e de movimentos sociais. Na foto, feita em um supermercado da Rede Condor, em Ponta Grossa (PR), aparece a figura de uma mulher negra, de cabelos crespos e vestida de vermelho. Na frente dela, uma pilha de vassouras de cerdas pretas e cabo vermelho.

Por Larissa Freitas Do Polemica Paraíba

Foto da boneca negra segurando uma vassoura
Foto: Cíntia Veloso Capri/Reprodução Facebook

A publicação foi feita na última quarta-feira (13), no perfil pessoal da jornalista Cíntia Velasco Capri, no Facebook. “Minha publicação virou um show de horror”, narrou a jornalista, que apagou a postagem. Em nota de repúdio, o Movimento das Mulheres Negras de Ponta Grossa e Instituto Sorriso Negro dos Campos Gerais (Moolaadé) critica a publicidade e mostra os motivos pelos quais ela é considerada racista.

“A representação da mulher negra fora construída por meio dos mais repulsivos esteriótipos, que partem da sexualização do corpo, chega ao cabelo de ‘vassoura’, caminha pelo lugar de serviçal até chegar à ‘nega maluca”. A nota ainda comenta que a imagem não deve ser vista com “naturalidade e apreço”, mas sim, com “criticidade e empatia”.

“A imagem do negro e da negra segue estereotipada e estigmatizada desde o século XIX em nossa sociedade. A sociedade não consegue se desprender da imagem da(o) negra(o) enquanto servil, mesmo depois da(o) negra(o) liberta(o)”. O material ainda cita a pesquisa, realizada em 2011, que aborda a Representação de Negros e Negras na Publicidade de Catálogos de Lojas.

A pesquisa mostra que que os negros e negras aparecem nas propagandas, principalmente, em papéis estereotipados como: trabalhador braçal, artista, “mulata”, carente social, atleta, primitivo, caricato e em campanhas de doenças sexualmente transmissíveis.

A rede de supermercados Condor também se pronunciou por meio de uma nota, afirmando que respeita a diversidade e que a publicidade pertencia a uma empresa terceirizada.

Confira a íntegra da nota:

O Condor Super Center afirma que nestes 45 anos de história sempre primou por atender aos clientes da melhor maneira possível, sempre pautado pela ética e no respeito pela diversidade. Com relação ao merchandising feito por um funcionário de uma empresa terceirizada, a rede destaca que retirou o material prontamente. Também foi conversado com o profissional, que se desculpou e deixou claro que jamais faria algo racista. Sendo assim, a rede destaca que não compactua com nenhum tipo de preconceito, que continuará trabalhando a favor da diversidade dentro de suas lojas e que as diferenças, sejam elas qual forem, devem ser respeitadas

 

+ sobre o tema

Polícia é espelho de sociedade racista, diz diretora de instituto

A morte do adolescente Thiago Menezes Flausino, 13 anos,...

A chance do negro fazer 18 anos é três vezes menor que do branco

E, nos últimos anos, o risco relativo de...

O racismo também vai à festa

Negros em uma formatura com turbante na cabeça? Negros...

para lembrar

Segurança alega que empresário o discriminava e o chamava de “macaco”

O segurança bancário Alexsandro Abilio de Farias disse nesta...

Estudante de design de faculdade em BH acusa professora de injúria racial

Uma aluna da faculdade Estácio de Sá de Belo...

Ele não é o nosso branco

Travis Wilkerson olha para o racismo institucional americano do...

Mulheres pobres são as maiores vítimas do racismo

O Maré de Notícias traz reportagem sobre como o...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=