Tag: sororidade

    blank

    Sororidade: o valor da aliança entre as mulheres

    Sororidade é um pacto social, ético e emocional construído entre as mulheres . É, antes de tudo, saber que, juntas, somos mais fortes, que a capacitação só é possível se criarmos fortes alianças entre nós, tratando-nos como irmãs e não como inimigas. Uma relação baseada em nosso valor como um coletivo com a intenção de gerar uma mudança real em nossa sociedade. Do Portal Catarinas Reprodução da página La Mente es Maravillosa Nós todas tropeçamos ultimamente com esta palavra: “sororidade”. Está cada vez mais presente em nossa língua e na mídia escrita, apesar disso, o termo tem mais de 50 anos. Foi em 1970, quando a escritora Kate Millett, líder feminista daquela época, propôs essa palavra com o fim de construir uma ideia para lutar em seu dia a dia como ativista ferrenha: obter a união social entre mulheres sem que haja diferença de classes, de religiões ou de grupos étnicos. SORORIDADE É UM TERMO POLÍTICO ...

    Leia mais
    Marcha de Mulheres em La Plata

    Não é feminista nem anti-capitalista e anti-patriarcal se é racista, xenofóbica, transfóbica e não questiona seus privilégios

    O evento Encontro Latino Americano de Feminismos foi marcado por inúmeros episódios racistas, xenofóbicos e transfóbicos *Por Denise Braz do Revista Amazonas para o Portal Geledés Foto: Arquivo da Comissão Organizadora do Dia 8 de Novembro Foi realizada de 7 a 10 de dezembro de 2018 em La Plata, Argentina, a 4ª edição do Encontro Latino Americano de Feminismos (ELLA). O evento contou com a participação de muitas mulheres do meio político, artistas e ativistas de várias partes de América Latina e Caribe. Foram, aproximadamente, mais de 21 países participantes e mais de 150 atividades. O encontro teve tudo para fechar o ano com “chave de ouro”, depois de tantas conquistas do feminismo argentino. As companheiras de outros países estavam ansiosas para saber mais sobre a luta a favor da descriminalização do aborto, que em breve esperamos que seja lei, e compartir suas vivências. Porém, o evento ...

    Leia mais
    blank

    A experiência da Themis e a sororidade em prática

    Na coluna Sororidade em Pauta de hoje, convidamos as meninas da ONG Themis – Gênero, Justiça e Direitos Humanos para escrever um texto contando um pouco mais sobre os seus projetos, que há tantos anos têm alterado a realidade social de mulheres gaúchas. Como o título do artigo sugere, não basta debatermos a igualdade de gênero, temos também que colocar a sororidade em prática. À luta! Por Lívia Zanatta Ribeiro e Michele Savicki, no Justificando  Nas últimas semanas, assistimos as mídias tomadas por notícias relacionadas ao machismo e aos direitos das mulheres: a figurinista Su Tonani denunciou ter sofrido assédio de José Mayer, o cantor sertanejo Victor foi acusado de agressão pela esposa, a mulher de Lasier Martins registrou queixa contra o Senador gaúcho também por agressão e um participante do BBB foi expulso após intervenção da Delegacia da Mulher. As situações, infelizmente, não surpreendem, já que se estima que uma em ...

    Leia mais
    blank

    Somos mulheres, somos negras, somos mães: essa é a tríade que nos une!

    Dizer que “juntas somos mais forte” não é apenas um jargão ou uma frase de efeito, mas sim uma expressão que representa a força de um Grupo! Por Clélia Rosa Do Mundo Negro É no grupo que a gente se reconstrói, expõe nossas dores, nossos desejos, praticamos a escuta. E nele, recuperamos nossa dignidade. É no coletivo que nós, mulheres negras e mães podemos falar sem medos ou receios dos nossos desafios, e também sobre  as conquistas nesse mundo da maternidade. Inevitavelmente todas nós, em algum momento de nossas vidas passamos por situações de racismo. E justamente por termos sofrido na pele os efeitos do preconceito, da discriminação e da humilhação social, que estamos coletivamente pensando e agindo de maneira estratégica para nos fortalecer e a partir disso fortalecer também os nossos filhos e filhas desse sistema opressor estrutural que é o racismo. Sabemos que a maternidade exige muito de nós ...

    Leia mais
    blank

    Sagrado Feminino , os riscos para as rodas de mulheres.

    Rodas de sagrado feminino estão acontecendo em cada esquina e há muitos grupos na busca de se conectar e honrar o feminino, a linhagem feminina ancestral, reconhecer as mulheres que a precederam fazendo as pazes e abrindo caminhos para que cada uma possa simplesmente ser. Por Andrea Schiavi Do Matri Gaia Entretanto há ao mesmo tempo muitas distorções perigosas que em vez de gerar bem estar e liberdade, podem aprisionar e dar continuidade à certos tipos de opressões de recaem de mulheres sobre mulheres. É preciso antes de tudo saber o que se pretende e o que se imagina que seja o Sagrado Feminino. Ou apenas criamos mais um grupo de fantasiosas místicas que se acham  especiais por serem mulheres, mais especiais do que os homens, e ainda pior, podemos criar regras, dogmas onde algumas mulheres se identificam, se encaixam e outras não. Ou seja, algumas são sagradas e outras…nem ...

    Leia mais
    blank

    Mulheres fazem novo ato na Avenida Paulista contra a cultura do estupro

    Com cartazes e faixas, grupo lembrou violência contra jovem no Rio e pregou sororidade; Temer também é alvo de protestos Do Ultimo Segundo Com uma caminhada entre o Museu de Arte de São Paulo (Masp) e a Praça Roosevelt, ambos na região central de São Paulo, centenas de mulheres protestaram na noite desta quarta-feira (8) contra o machismo e contra a cultura do estupro. O protesto "Por Todas Elas" foi convocado pelas redes sociais e acontece em vários lugares do País. Em São Paulo, a caminhada foi pacífica e durou cerca de duas horas. O ato começou por volta das 17h no vão livre do Masp, onde as mulheres fizeram jograis, cantaram, pintaram faixas contra o estupro. Por volta das 18h30, as manifestantes saíram em caminhada, fechando todas as pistas da Avenida Paulista no sentido Consolação. A Polícia Militar não informou a estimativa de público. Na primeira fila da caminhada, estavam mulheres que ...

    Leia mais
    blank

    Grupos secretos em rede social viram comunidades de apoio entre mulheres

    Perdida dos amigos e preocupada por haver bebido demais, a estudante Mika Franco, 19, pediu ajuda a três grupos de meninas em uma festa. Ninguém a socorreu. Estava longe de casa, em Barretos (a 423 km de SP), nos "Jogos Jurídicos", competição esportiva de faculdades de direito. Por Angela Boldrini e Juliana Gragnani, no Paraíba.com Mas encontrou Nariman Gonzales, 21. Ela acalmou Mika e a deixou em segurança em seu hotel. Enquanto ajudava a nova amiga, perguntou: "Você é uma pepeka?". "Pepeka" é como são apelidadas as integrantes do grupo feminino de Facebook "Share Your PPK" (compartilhe sua pepeca), comunidade secreta –só entram indicadas por amigas– cujos laços extrapolam a internet. "Na hora, eu comecei a chorar", conta Mika, que diz ter se sentido acolhida quando soube que ambas eram do grupo. Criada em 2015, a comunidade reúne 22 mil jovens mulheres (de 15 a 30 anos) para falar sobre sexo, relacionamentos "e, ...

    Leia mais
    blank

    Trashing: o lado sombrio da sororidade

    A detonação não é apenas destrutiva para os indivíduos envolvidos, mas serve como uma ferramenta muito poderosa de controle social. Por Jo Freeman Do Passa Palavra Este artigo foi escrito para a revista Ms. e publicado na edição de Abril de 1976, páginas 49-51 e 92-98. Ele atraiu mais cartas de leitoras que qualquer outro artigo anteriormente publicado na Ms., quase todas relatando suas próprias experiências de trashing . Alguns desses relatos foram publicados num número posterior da Ms. Faz muito tempo que me detonaram. Eu fui uma das primeiras no país, talvez a primeira em Chicago, a ter minha reputação, meu comprometimento e o meu próprio eu atacados pelo Movimento de mulheres de um jeito que me deixou em pedaços, incapaz de agir. Levei anos para me recuperar, e mesmo hoje as feridas não cicatrizaram inteiramente. Assim, circulo às margens do Movimento, nutrindo-me dele porque preciso, mas muito amedrontada ...

    Leia mais
    DOC Galeria - Imagens para divulgação da exposição "Men de Sá, 100", com fotos de Ana Carolina Ferndes. (contato@docgaleria.com.br, 11 39380130, 11 996 142813, DOC Galeria Rua Aspicuelta, 662, Vila Madalena, SP)

    Sororidade seletiva: travestis, transexuais e os limites da categoria mulher

    Há algum tempo venho reparando um crescimento de discursos transfóbicos dentro dos espaços feministas (online e offline) nos quais circulo. E isso me incomoda, pra dizer o mínimo. Por Luísa Loes Do Clitóris Livre As Terfs, Trans Exclusionary Radical Feminist, como convencionou-se chamar aquelas feministas contrárias a inclusão de pessoas trans, parecem ofendidas com o fato de que pessoas não designadas mulheres ao nascer possam posteriormente se identificar como tal. Elas satirizam tal identificação, tratando-a simplesmente como uma alucinação, uma escolha pessoal (num sentido individualista) sem maiores consequências, descolada de qualquer contexto. Vejo o ‘construcionismo caindo nas emanações radiantes do cinismo’, como diz Donna Haraway. Quando ressalto que todo gênero é desde sempre uma forma de construção profundamente real, para pessoas cis ou trans, as Terfs perguntam: “Ah! Então o que é ser mulher“? Muitas até admitem: “Ter buceta não determina o ser mulher. O que determina é a socialização que recebemos ...

    Leia mais
    blank

    Mulheres negras: sororidade e luta

    “8 de março o que é o que é? É o dia internacional da mulher!” Esse grito de guerra eu aprendi aos 9 anos de idade – em  1988 – ainda me arrepio quando lembro daquele dia. E também da avenida Paulista inteira tomada por milhares de mulheres cantando a música Maria, Maria (do Milton Nascimento e Fernando Brant). No dia seguinte contei com muito orgulho o motivo da minha ausência para a professora da quarta série. Nessa época, minha mãe – Sandra Regina – era militante da ARMMA: Associação Regional de Mulheres Margarida Alves, na cidade de Santos. Ainda tenho a lembrança de muito acolhimento naqueles tempos em que sobrevivíamos com muitas dificuldades financeiras. Lembro-me do cheiro de café e do gosto do chá com bolachas na cozinha da casa da Gemma Rebello, e dos abraços das companheiras que nos fortaleciam. O termo utilizado para traduzir esse sentimento de ...

    Leia mais
    blank

    Mulheres movimentam internet com causas feministas e lutam pela igualdade

    Blogs, perfis no Twitter e fanpages no Facebook têm reunido milhares de mulheres  para discutir a defesa dos direitos Por Luana Ribeiro Do d24am Entre os diversos movimentos que têm usado o poder da rede para lutar por diferentes causas, o feminista está entre os mais populares. Manaus - Na geração da internet, os palanques para as reivindicações sãos as redes sociais. E, entre os diversos movimentos que têm usado o poder da rede para lutar por diferentes causas, o feminista está entre os mais populares. Blogs, perfis no Twitter e fanpages no Facebook têm reunido milhares de mulheres com idade na faixa dos 20 a 40 anos para discutir sobre assuntos como padrões de beleza, violência doméstica, abuso sexual, aborto e outros assuntos que têm, em comum, um ponto central: a defesa dos direitos das mulheres. Entre as páginas mais populares estão a ‘Empodere Duas Mulheres’ e a ‘Não Aguento Quando’, ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist