Testemunha acusa réu do caso Trayvon Martin de abuso sexual

MIAMI, 16 Jul 2012 (AFP) – Uma mulher declarou às autoridades americanas que George Zimmerman, o homem acusado pelo homicídio do jovem negro desarmado Trayvon Martin, abusou sexualmente dela durante 10 anos, indicaram registros divulgados nesta segunda-feira pela Promotoria da Flórida.

A mulher, identificada como “testemunha 9”, contou aos investigadores do polêmico caso que tinha seis anos de idade quando Zimmerman começou os abusos, que continuaram até seus 16 anos.

“Ele colocava as mãos por dentro da minha calça, por baixo da minha roupa íntima”, descreveu a testemunha, segundo uma nova série de documentos, entre os quais se encontram centenas de chamadas telefônicas de Zimmerman desde a prisão.

O advogado de Zimmerman, Mark O’Mara, apresentou uma ordem à corte para que esse material não viesse a público, mas, por trâmites administrativos, sua petição não chegou a tempo e a promotoria divulgou para a mídia uma série de provas que prejudicam a imagem de seu cliente.

Em um depoimento dado há várias semanas, a “testemunha 9” disse à polícia de Sanford, centro da Flórida, onde ocorreu o assassinato de Trayvon Martin, que Zimmerman sempre teve preconceito contra os negros.

A família do acusado, de origem peruana, “não gosta de gente negra que não age como gente branca. Gostam dos negros que agem como brancos”, afirmou, ainda que também tenha indicado nunca ter visto Zimmerman agindo com hostilidade em relação a nenhum membro da comunidade afroamericana.

A divulgação deste depoimento coincidiu com a publicação de uma pesquisa na Flórida (sudeste dos Estados Unidos) que mostra existir grande dúvida em relação aos motivos para o polêmico assassinato de Trayvon Martin por Zimmerman, em 26 de fevereiro deste ano.

Segundo a pesquisa dos jornais Tampa Bay e The Miami Herald, 44% dos entrevistados acreditam que Zimmerman – acusado por assassinato em segundo grau – atuou em legítima defesa quando atirou contra o jovem negro, pois teria sido atacado primeiro.
No entanto, outros 40% defendem o contrário, e 16% têm dúvidas sobre os motivos do vigilante.

Na Flórida, os últimos debates giram em torno de uma lei chamada Defenda sua Posição, que dá aos cidadãos do estado o direito de disparar contra qualquer pessoa percebida como uma ameaça à sua segurança em lugar público. Uma comissão estuda modificar a lei depois da morte de Trayvon Martin.

No sul do estado, a maioria dos negros (82%) votou pela modificação da lei, e não justificam o disparo de Zimmerman.

Os hispânicos, contudo, tendem a apoiar (52%) o argumento de Zimmerman de que atuou em defesa própria, seguidos pelos brancos (50%).

A pesquisa, que consultou 800 pessoas, também mostrou que a controversa lei, na qual Zimmerman se apoia, conta com quase 65% do apoio dos entrevistados, que consideram que ela não deve ser mudada.

 

 

Fonte: O Povo

+ sobre o tema

Assassinatos de homossexuais triplicaram em 5 anos no Brasil

O número de assassinatos de homossexuais quase que triplicou...

Sobre o dia em que saí do armário…

Anos atrás em um bate-papo com uma amiga de...

Docudrama Enquanto Viver, Luto! é lançado online no Dia dos Direitos Humanos

Filme retrata 10 casos de violências contra mulheres negras...

Mulheres ainda se dividem entre a casa e o trabalho, aponta o IBGE

Mesmo cada vez mais inseridas no mercado de trabalho,...

para lembrar

Violência contra mulheres segue com números alarmantes

Mais de um milhão delas ainda é vítima de...

Filósofa Sueli Carneiro recebe título de doutora honoris causa na UnB

Uma das maiores expoentes do pensamento negro brasileiro, a...

Mostra que homenageia mulheres negras é prorrogada até junho

Exposição traz imagens do fotógrafo Kraw Penas de 10...

Coletivo de mulheres da UFJF combate violências no ambiente acadêmico

Grupo formado por docentes, alunas e funcionárias promove escuta,...
spot_imgspot_img

Mãe de Simone Biles ofereceu apoio crucial quando ela decidiu não competir em Tóquio: “Eu te amo e saiba que estamos rezando por você”

A Netflix lançou recentemente "Simone Biles Rising", uma série documental que oferece uma visão íntima da vida pessoal e profissional da ginasta Simone Biles...

Zezé Motta recebe Preta Gil, Sheron Menezzes e Aline Wirley no ‘Especial mulher negra’

Artista que acabou de completar 80 anos, Zezé Motta recebe Aline Wirley, Preta Gil e Sheron Menezzes no “Especial mulher negra”, que será exibido...

Julho das Pretas: ‘Temos ainda como horizonte sermos livres das amarras históricas’, diz ativista

No dia 25 de julho será celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. E em alusão a data, o Julho das Pretas é realizado...
-+=