Guest Post »
Prestes a criar canal para meninas negras, Jeniffer Nascimento conta que já fez loucuras para mudar o cabelo

Prestes a criar canal para meninas negras, Jeniffer Nascimento conta que já fez loucuras para mudar o cabelo

Na televisão, Jeniffer Nascimento já teve tranças, usou o lenço como adereço fixo e investiu até nos fios louros e alisados. Segundo ela, raras foram as vezes em que mostrou seu cabelo como é. Recentemente, no entanto, a atriz que interpretou a Dita, de “Êta mundo bom” (2016) assumiu o black power e percebeu o visual e a rotina mudarem. Além de atriz, a paulista agora também faz parte do time de influenciadores digitais que une blogueiros e youtubers. A decisão a tornou embaixadora de uma marca de cosméticos para influenciar a aceitação feminina. Com foco em difundir a informação sobretudo para meninas negras, a paulista planeja criar um canal com tutoriais e dicas de beleza para seu público.

Por Thayná Rodrigues, do Extra 

triz esteve no ar em ‘Êta mundo bom’ e virou embaixadora da marca Niely Foto: Márcio Alves / Agência O Globo

— As meninas sempre me perguntavam como eu fazia para cuidar dos fios e, com o convite, quis entrar nesse mundo novo. Na adolescência, eu não tive muitas referências de mulheres negras em quem eu pudesse me inspirar — afirma a artista, de 23 anos, que deve lançar o canal nos próximos meses.

A visibilidade já possibilitou até que fãs tivessem uma outra aproximação com Jeniffer. Recentemente, ela se surpreendeu com o desabafo de uma seguidora e decidiu ajudar:

— Ela me mandou um e-mail dizendo que tinha se inspirado em mim para assumir os cachos mas que, por ter perdido o emprego, não tinha condições de manter o tratamento. Por isso, me pediu os restos dos cremes que eu usava. Enviei um kit para ela.

Antes de assumir o cabelo crespo, Jeniffer, assim como milhares de meninas de sua geração, fez sacrifícios para manter o cabelo alisado ou relaxado:

— Eu só via meninas do tipo Barbie, brancas, magras, com cabelos lisos e loiros na TV. Como eu ia me sentir tão maravilhosa quanto elas se eu era tão diferente? Já apliquei muita química no cabelo pela aceitação. As mulheres da minha família tinham o costume de alisar. Por isso, fiz escova progressiva durante toda a adolescência. Mais tarde, participei de uma banda e quiseram que eu tivesse cabelo louro e liso. Já passei tudo o que se pode imaginar no cabelo, até hidróxido de sódio! Meu couro cabeludo ficou todo machucado. Hoje toda mulher pode se sentir bonita do jeito que é.

No novo canal da web, ainda sem nome definido, a atriz pretende produzir conteúdos educativos sobre o negro no Brasil, além de mensagens sobre empoderamento feminino negro.

— Tem muita gente defendendo bandeiras sem sequer saber o motivo. Minha missão como jovem influenciadora é passar informação para essas meninas que não têm. Quero falar sobre assuntos como quem foi a primeira bailarina negra a pisar no Teatro Municipal. Passa-se tanto tempo nas redes sociais que eu quero fazer algo que possa somar, transmitir informações do bem — finaliza.

Jeniffer Nascimento na fase de ‘Malhação’, em 2015 Foto: Márcio Alves

Escreva um comentário e participe!

Related posts