quinta-feira, fevereiro 25, 2021

Resultados da pesquisa por 'direitos das mulheres'

Divulgação

Defensoria de SP lança guia com informações e orientações sobre direitos das Mulheres no contexto da pandemia do Covid-19

A Defensoria Pública de SP lançou um guia sobre os direitos das mulheres no contexto da pandemia do coronavírus. Elaborado pelo Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos das Mulheres da Defensoria, o guia traz, em uma linguagem clara e direta, informações sobre violência doméstica, violência sexual e violência obstétrica, além de e orientações sobre como proceder nestes casos. O motivo da disponibilização do guia é por, historicamente, em um contexto de crise na sociedade, haver aumento de violações aos direitos das mulheres, adolescentes e meninas e, principalmente, o crescimento da violência doméstica e familiar, como tem sido observado por diversas entidades no contexto atual. “Esse guia foi criado a partir das principais dúvidas que chegaram até a Defensoria e também a partir das informações que compreendemos importante sobre o funcionamento de serviços e órgãos que auxiliam na garantia dos direitos das mulheres”, disse a Defensora Paula Sant’Anna Machado ...

Leia mais

Seminário em Brasília aborda direitos das mulheres nos 30 anos da Constituição

No dia 12 de novembro, o grupo de advogadas de Brasília Elas Pedem Vista promove o seminário 30 anos da Constituição de 1988: um olhar sobre os direitos das mulheres, na Faculdade de Direito da Universidade de Brasília. no Conjur Estão previstas as participações da ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, da Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil e da Procuradora-Geral da República Raquel Dodge. As convidadas ainda não estão confirmadas. Durante o encontro será entregue o prêmio ELAS - edição Débora Diniz, criado para incentivar a produção científica sobre quatro assuntos abordados no evento: direitos políticos, direitos sexuais e reprodutivos, direitos da personalidade e violência contra a mulher. Serão premiados os dois melhores artigos de um estudante e um bacharel em Direito. O concurso aceita os textos, que devem ser inéditos, até o dia 5 de novembro por e-mail ([email protected]). Clique aqui para ler o edital de convocatória para ...

Leia mais
Créditos da foto: Mulheres seguram uma faixa dizendo 'Mulheres em luta pela democracia' durante um comício eleitoral do candidato presidencial Fernando Haddad (Andre Penner/AP Photo)

Eleições no Brasil: lutando para colocar os direitos das mulheres em primeiro plano

A mulheres dizem que estão sendo deixadas de lado nas eleições de outubro, tanto nas promessas de campanha quanto nas urnas Por Al Jazeera, da Carta Maior    Créditos da foto: Mulheres seguram uma faixa dizendo 'Mulheres em luta pela democracia' durante um comício eleitoral do candidato presidencial Fernando Haddad (Andre Penner/AP Photo) São Paulo - Erica Malunguinho é um dos 27.000 brasileiros que estão concorrendo nas eleições de outubro do Brasil. Ela é parte dos 31% de candidatos que são mulheres, dos 4% que são negros e dos 0,19% que são transgêneros. "Decidi me candidatar porque não tinha outra opção", disse ela. "Pessoas como eu não têm outra alternativa a não ser enfrentar o sistema. Mais do que uma necessidade de continuar vivos, temos uma necessidade de estar em posições de poder", afirmou Malunguinho, que é candidata a deputada estadual em São Paulo, à Al Jazeera. ...

Leia mais
Stef Arreaga

Juana Ramirez Santiago, ativista dos direitos das mulheres é assassinada na Guatemala

Juana Ramirez Santiago era uma das lideranças influentes da “Rede de Mulheres Ixil” e recebeu ameaças por trabalho contra violência de gênero; até o momento, autores de disparos não foram identificados por Lucas Berti no Opera Mundi A ativista de origem maia Juana Ramirez Santiago, 57, foi morta a tiros no oeste da Guatemala no último domingo (22/09), de acordo com um comunicado emitido pela Unidade de Proteção a Defensores dos Direitos do país. Os autores ainda não foram identificados. Segundo a declaração, a representante de causas sociais da “Rede de Mulheres Ixil” relatou que recebeu ameaças de morte por conta de seu trabalho de apoio a vítimas femininas de violência na região onde foi alvejada. O local é conhecido por ter sido uma das áreas mais atingidas por assassinatos e conflitos durante a guerra civil de 1960-1996, que incluiu casos de limpeza étnica contra os nativos maias e guerrilheiros ...

Leia mais

Lei institui Fundo Estadual de Defesa dos Direitos das Mulheres em Alagoas

Documento foi publicado na edição do Diário Oficial desta quarta-feira (20) . Verba será destinada ao financiamento de ações de política públicas voltadas para as mulheres Do G1 Reprodução / Portal Alagoas Brasil Notícias Uma nova lei publicada nesta quarta-feira (20) no Diário Oficial do Estado (DOE) institui o Fundo Estadual de Defesa dos Direitos das Mulheres em Alagoas. O documento foi assinado na segunda-feira (18), pelo governador Renan Filho (MDB). O Fundo, de natureza contábil, será destinado a financiar ações de política públicas voltadas para as mulheres, e será composto por recursos orçamentários próprios do estado ou a ele transferidos, por meio de convênios e doações. De acordo com a publicação, o Fundo Estadual de Defesa dos Direitos das Mulheres será gerido pela Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (SEMUDH), por meio da Superintendência de Políticas para a Mulher. A gerência deve acontecer a partir das ...

Leia mais

30 anos de Geledés: Três décadas de resistência e luta pelos direitos das mulheres negras

O Geledés- Instituto de Mulheres Negras, nesses trinta anos de existência, vem reafirmado os direitos das mulheres negras e da população negra como fundamental para o enfrentamento do raciamo patriarcal e para a transformação do mundo em um lugar melhor. Criola parabeniza o Geledés por essa trajetória e se solidariza com todas as companheiras da instituição, no sentido de fortalecer mutuamente a luta pelos direitos das mulheres negras. Que venham mais 30 e que as mulheres negras possam desfrutar de todos os direitos e continuar contribuindo para a a construção de um mundo sem racismo, sem machismo, sem sexismo e sem desigualdades.

Leia mais

Geledés: 30 anos de amor e luta pelos direitos das mulheres negras

O termo "geledé" (pronuncia-se "gueledé") pode soar estranho aos ouvidos, mas está por aí desde os primeiros momentos da humanidade. A Geledé foi um tipo de sociedade exclusivamente feminina das comunidades iorubá, responsável pelos rituais com máscaras guerreiras para celebrar as grandes mães e as forças femininas poderosas da fé iorubana. No Brasil, Geledés foi o nome escolhido para o Instituto da Mulher Negra, fundado em 30 de abril de 1988, e hoje a maior e mais importante entidade dedicada às mulheres negras no país. “O foco primordial da atuação do Geledés é dar visibilidade às mulheres negras como um grupo social que merece prioridade no âmbito do compromisso com a democracia e a equidade”, diz presidenta da instituição, Maria Sylvia Oliveira. O instituto mantém projetos nas áreas da educação, saúde e direito, além de manter um portal de notícias voltado aos assuntos da população negra. Às vésperas de completar 30 anos de existência, a ...

Leia mais

#MeToo é ponto de inflexão na luta por direitos das mulheres, dizem relatores da ONU

Especialistas em direitos humanos das Nações Unidas elogiaram nesta terça-feira (6) o poderoso movimento global #MeToo, que levou luz à desigualdade de gênero e à violência sexual contra mulheres, e elogiaram aquelas que ousaram falar e exigir mudanças. Do Nações Unidas Manifestação de mulheres e meninas em Nova Jersey, nos Estados Unidos, este ano. Foto: Flickr/Joan Eddis-Koch (CC) “Por meio de suas ações corajosas, essas mulheres lançaram um movimento global que quebrou o silêncio sobre o assédio sexual e outras formas de violência sexual frequentemente toleradas”, disseram os especialistas independentes em comunicado conjunto para o Dia Internacional da Mulher, 8 de março. Especialistas em direitos humanos das Nações Unidas elogiaram nesta terça-feira (6) o poderoso movimento global #MeToo, que levou luz à desigualdade de gênero e à violência sexual contra mulheres, e elogiaram aquelas que ousaram falar e exigir mudanças. “Por meio de suas ações corajosas, essas mulheres lançaram ...

Leia mais

Nota pública da ONU Mulheres em solidariedade à Kenia Maria, defensora dos Direitos das Mulheres Negras, e à atriz Gabriela Dias e contra a violência de gênero e o racismo

A ONU Mulheres Brasil se solidariza com Kenia Maria, defensora dos Direitos das Mulheres da entidade, e Gabriela Dias, atriz e filha da defensora, as quais foram alvo de violência de gênero e racismo na quarta-feira (28/2), no Rio de Janeiro, por ação de turista. Da ONU Foto: Lucas Gabriel São inaceitáveis os ataques dirigidos à Kenia Maria e Gabriela Dias, os quais evidenciam, às vésperas do Dia Internacional das Mulheres, os tipos de violência sexista e racista a que as afro-brasileiras estão expostas. O racismo e o machismo são veementemente repudiados pela ONU Mulheres, sendo alvo do trabalho cotidiano da organização para transformações estruturais voltadas à eliminação de tais práticas. Como defensora da ONU Mulheres Brasil, Kenia Maria atua sistematicamente para a conscientização pública sobre a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres. Durante o carnaval 2018, Kenia apoiou campanhas contra o assédio. A ...

Leia mais

Marcha Mundial das Mulheres reforça calendário de lutas pelos direitos das mulheres

Agenda de ação política foi tirada do III Encontro Estadual da MMM-PE realizada no começo de setembro   Por Catarina de Angola, do Brasil de Fato  Mulheres organizadas e em luta contra os ataques aos direitos que a população vem sofrendo com força após o golpe contra a democracia. Assim tem se articulado a Marcha Mundial de Mulheres em Pernambuco (MMM-PE), debatendo a posição da mulher na sociedade, trabalho e violência, a partir do que está colocado na conjuntura, de aumento da pobreza e violência com as medidas que retiram direitos da classe trabalhadora. O encontro reuniu mulheres de todos o estado de Pernambuco / MMM No começo de setembro, a MMM-PE esteve reunida no seu III Encontro Estadual, realizado em Caruaru, que teve como centralidade do debate a unidade na luta e auto-organização das mulheres. O encontro articulou mais de 150 mulheres de todo o estado. “Para nós da Marcha ...

Leia mais
Foto: Sergio Zalis/Globo

Taís Araújo recebe título de defensora de Direitos das Mulheres Negras

No posto, a atriz terá a missão de apoiar iniciativas da organização no combate ao preconceito no Noticia aos Minutos Conhecida por levantar a bandeira da luta contra o racismo e por dar voz a mensagens de cunho político em geral, a atriz Taís Araújo vai receber da ONU Mulheres Brasil o título de defensora dos Direitos das Mulheres Negras. s redes sociais são o espaço primordial para as causas que Taís Araújo defende. Com 4,3 milhões de seguidores no Instagram e a descrição “a pessoa sai do Méier, mas o Méier não sai da pessoa” (a atriz nasceu na Zona Norte, mas foi criada na Zona Oeste), ela gosta de fazer jus ao nome escolhido para a conta: @taisdeverdade. Recentemente, por conta do dia 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT, ela fez um post com "textão", conclamando seus seguidores a terem "orgulho do que são". "Quando falamos sobre orgulho, estamos ...

Leia mais

ONU nomeia atriz Kenia Maria como defensora dos direitos das mulheres negras no Brasil

No Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, lembrado nesta terça-feira (21), a ONU Mulheres Brasil anunciou a nomeação da atriz, escritora e roteirista Kenia Maria como defensora dos Direitos das Mulheres Negras. Do Nações Unidas No Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, lembrado nesta terça-feira (21), a ONU Mulheres Brasil anunciou a nomeação da atriz, escritora e roteirista Kenia Maria como defensora dos Direitos das Mulheres Negras. “É uma grande satisfação para a ONU Mulheres Brasil receber o voluntariado de Kenia Maria, cuja trajetória de vida tem sido marcada pela valorização da cultura e da arte negra em contraponto ao racismo e às desigualdades de gênero”, afirmou a representante nacional do organismo das Nações Unidas, Nadine Gasman. A decisão da agência da ONU faz parte das ações de apoio à Década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024) e à iniciativa global “Por um Planeta 50-50 em 2030: um passo decisivo ...

Leia mais

4 fatos para celebrar e 5 fatos que mostram que é preciso lutar (ainda mais) pelos direitos das mulheres no Brasil e no mundo

Não dá pra negar que 2016 foi um ano difícil. Fonte: Huffpost Brasil por Andréa Martinelli Mas em meio a estupros coletivos, casos de feminicídio e retrocessos nos direitos das mulheres, existe um lado de 2016 que manteve a direção de 2015 e mostrou que a força e o protagonismo das mulheres em escrever sua própria história e lutar por seus direitos estão mais vivos do que nunca. Aqui estão 4 fatos para celebrar: 1. Uma Olimpíada cheia de protagonismo As Olimpíadas do Rio bateram o recorde de participação de mulheres: elas foram 45% dos atletas. Em nenhuma outra edição olímpica o protagonismo feminino teve tanto destaque, com resultados memoráveis como os da ginasta e da nadadora Katie Ledecky, a ginasta Rebeca de Andrade, da judoca Rafaela Silva e uma lista que continua. Apesar de brilharem nas quadras, as competidoras não escaparam da cobertura midiática sexista, que muitas vezes escolheu destacar ...

Leia mais
BRASÍLIA, DF, BRASIL,  14-04-2015, 09h30: Nadine Gasman, representante do escritório da ONU Mulheres no Brasil, durante o painel Pequim+20: Mais Mulheres na Política.  (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Nadine Gasman sobre aborto: ‘O Congresso é responsável por garantir os direitos das mulheres’

Desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu descriminalizar o aborto até o terceiro mês de gestação em um caso específico na última semana, o tema voltou à discussão. Por Luiza Belloni, do HuffPost Brasil A legalização ou não do aborto virou pauta principalmente na Câmara dos Deputados, na qual o presidente Rodrigo Maia já criou uma comissão especial que pode incluir na Constituição uma regra clara sobre o aborto. No caso, tornar mais rígida a legislação sobre a interrupção de gravidez, contrariando a decisão do STF.   Nadine Gasman(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil) Hoje, o aborto no Brasil é considerado crime. Pelo Código Penal, a mulher só pode interromper a gravidez em caso de estupro ou quando corre o risco de morte. Criminalizar o aborto, porém, é algo criticado por médicos e especialistas em direitos humanos, uma vez que a lei não impede a realização dos procedimentos -- apenas deixa-os ainda mais ...

Leia mais

Racismo no Brasil choca relatora da OEA sobre direitos das mulheres e afrodescendentes

Responsável pela fiscalização do cumprimento das leis e tratados internacionais que regulam os direitos de mulheres e negros nos países integrantes da Organização dos Estados Americanos (OEA), a jamaicana Margarette Macaulay chegou a questionar se o Brasil seria efetivamente uma democracia, diante do nível das violações cometidas contra nacionais, ou permitidas pelas instituições brasileiras por omissão, e que foram relatadas a ela em audiência pública. Por Luciana Araújo, da Agência Patrícia Galvão Foi encerrada no último dia 30 de setembro a missão oficial da comissária da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre os Direitos das Mulheres e das Pessoas Afrodescendentes, Margarette May Macaulay. A relatora atua com direitos humanos desde 1966 e já foi juíza da CIDH antes de assumir as relatorias atuais. Mesmo assim, na audiência pública promovida pelo Geledés – Instituto da Mulher Negra em São Paulo, a relatora ficou com os olhos marejados ...

Leia mais
Elezioni: Jula De Palma mentre vota

Itália celebra 70 anos da República e dos direitos das mulheres ao voto

A Itália celebrou nesta quinta-feira, com um grande desfile militar e civil no centro de Roma os 70 anos do referendo que deu lugar à sua República e ao direito das mulheres ao voto. Do IstoÉ "A Europa e a República são nossos pilares", insistiu o presidente Sergio Mattarella em uma entrevista ao jornal Corriere della Sera. Mattarella assegurou que havia detectado, em um ano e meio como presidente, um "país em geral melhor do que às vezes mostramos". "Os valores da liberdade e da justiça, o respeito aos direitos humanos e dos povos são hoje em dia os fundamentos da coesão de nossa sociedade e os pilares sobre os quais se apoia a construção da Europa", declarou em uma mensagem às Forças Armadas, em um momento em que a chegada dos imigrantes gera rechaço em grande parte dos europeus e dos italianos. Um partido militar através dos Fóruns Imperiais, uma ...

Leia mais

Jennifer Lopez defende os direitos das mulheres em novo clipe

Jennifer Lopez faz vídeo para a música 'Ain't Your Mama' com mensagens para as mulheres no Caras A cantora Jennifer Lopez lançou o clipe da música Ain’t Your Mama. No vídeo, a artista defende o empoderamento das mulheres. Ela começa com um telejornal em que uma voz diz que “direitos humanos são direitos das mulheres e direitos das mulheres são direitos humanos. (...) Isso não é uma simples reforma: é uma revolução!”. Logo depois, a artista afirmou: “Nós temos um grande problema, garotas! Mas primeiro de tudo, você precisa de rebelar”. O clipe continua com cenas de JLo vestida como mulheres de décadas passadas, por exemplo, uma dona de casa dos anos 60 ou uma funcionária corporativa dos anos 80. Durante a música, ela canta que não irá cozinhar ou lavar as roupas.

Leia mais

‘Volto mais forte para lutar pelos direitos das mulheres’, diz juíza feita refém

Magistrada foi agredida pelo agressor e teve o corpo coberto de gasolina; homem é réu em processo de violência doméstica Do iG A juíza Tatiane Moreira Lima voltou nesta segunda-feira (4) ao trabalho, no Fórum do Butantã, na zona oeste de São Paulo, após ser feita refém por um homem acusado de maus tratos contra a ex-mulher. A magistrada foi agredida, ameaçada de morte e teve parte do corpo coberta com gasolina. O caso aconteceu na última quarta-feira (30) no gabinete dela. A magistrada contou que durante os quase 20 minutos em que ficou em poder do agressor temeu pela própria vida. Alfredo José dos Santos, de 36 anos, segurava um isqueiro e ameaçava atear fogo na juíza e se matar depois. "Eu pensei, em alguns momentos, que ele acenderia aquele isqueiro. Ele me esganava com muita força e fazia ameaças o tempo todo". Alfredo foi rendido por policiais militares ...

Leia mais

Ao reprimir direitos das mulheres Congresso coloca Brasil na contramão

O deputado Eduardo Cunha (PMDB) apresentou, nesta quarta-feira (21), um projeto de lei cujo objetivo é dificultar o acesso de vítimas de estupro a um aborto seguro. A matéria foi amplamente defendida pela bancada evangélica e aprovada na Comissão de Constituição e Justiça no Congresso. Enquanto isso, no Chile, mulheres lutam para ter o direito ao aborto seguro em caso de estupro. Lá a Constituição ainda é a mesma da ditadura militar de Augusto Pinochet. Por Dayane Santos e Mariana Serafini, no Vermelho Enquanto no Chile o debate é para ampliar direitos das mulheres e libertar o país dos resquícios da ditadura militar, no Brasil o Congresso conservador age de forma arbitrária para retirar as conquistas obtidas em decorrência de lutas históricas. Ao apresentar o projeto de lei, no início deste ano, a presidenta Michelle Bachelet argumentou que a dignidade das mulheres é um atributo inviolável e deve ser respeitada ...

Leia mais

ONGs pelos direitos das mulheres querem maior orçamento para novo ministério

A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje (2) a criação do Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos dentro da reforma administrativa feita pelo governo. Após a junção das secretarias de Direitos Humanos, de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e de Políticas para Mulheres em uma única pasta, os movimentos sociais que atuam em favor dos direitos humanos e igualdade racial e de gênero pedem um orçamento maior para a sustentação e implementação de políticas públicas. Por Andreia Verdélio, do EBC Segundo Jacira Melo, diretora executiva do Instituto Patrícia Galvão, organização voltada à comunicação e direitos das mulheres, as três secretarias têm um orçamento de cerca de R$ 250 milhões. “Isso é muito pouco em um país constituído de 50% de mulheres e 52% de negros. Não podemos conviver com esse orçamento, o ajuste não pode ser somente corte”, disse. A coordenadora da ONG Crioula, Jurema Werneck, criticou a junção. ...

Leia mais
Página 1 de 297 1 2 297

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist