segunda-feira, maio 25, 2020

    Resultados da pesquisa por 'feminista'

    Imafem teriradao do site GSHOW

    BBB20: feministas liberais, monstrualização de corpos negros e hierarquização identitária na mídia de massa

    Muito foi falado sobre as ações e comentários racistas voltados ao ator Alexandre da Silva Santana (vulgo Babu Santana), homem negro e favelado, na 20ª edição do reality show Big Brother Brasil (BBB20) realizado pela Rede Globo. Tais falas e atitudes tiveram como protagonistas Marcela Mc Gowan, participante do programa autodeclarada feminista e assim qualificada pela mídia, e suas melhores amigas no reality, Gizelly Bicalho e Ivy Moares -- todas mulheres brancas associadas, sobretudo no começo do programa, com discursos pelo fim da opressão contra mulheres e em prol dos chamados empoderamento e liberdade femininas.   O tema e as análises a seu respeito chamaram nossa atenção por mobilizarem questões que, ao nosso ver, merecem ser ainda mais verticalizadas (o que nos propomos a fazer aqui), considerando: 1) a relação entre Big Brother Brasil, um produto midiático de massa, e a realidade de seus participantes, realizadores e espectadores; 2) a porosidade ...

    Leia mais

    Roda de Conversa: O direito sob o olhar feminista anti-racista – Salvador/BA

    O Consórcio Lei Maria da Penha, Cladem, Tamo Juntas e Grupo Madás irão promover o lançamento do livro Tecendo Fios das Críticas Feministas ao Direito no Brasil, organizado pelo Consórcio Lei Maria da Penha, e a Roda de Conversa O direito sob o olhar feminista anti-racista durante as atividades do Colóquio de Direitos Humanos e Contemporaneidade e V Congresso Internacional de Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Na Agência Patrícia Galvão Divulgação O lançamento do livro Tecendo Fios das Críticas Feministas ao Direito no Brasil, organizado pelo Consórcio Lei Maria da Penha, acontecerá às 12h, com distribuição gratuita de exemplares. Já a Roda de Conversa, às 18h30, contará com a participação de Laina Crisóstomo (Tamo Juntas e Consórcio Lei Maria da Penha), Ingrid Viana Leão (Cladem e Consórcio Lei Maria da Penha), Loyana Araújo (Grupo Madás) ...

    Leia mais

    No México, movimento feminista segue mais forte do que nunca para barrar o aumento dos feminicídios, diz Fernanda Acosta, porta-voz do coletivo Brujas del Mar

    No país em que dez mulheres são assassinadas por dia, feministas tomarão as ruas no 8M e planejam uma paralização para o dia 9, para chamar atenção para o que consideram uma emergência nacional Por Rafael Oliveira, Agência Pública Protesto no México contra feminicídio (Guadalupe Pardo/Reuters) No próximo 8 de Março, quando as mexicanas saírem às ruas para o Dia Internacional da Mulher, não será a primeira manifestação feminista de impacto ao longo dos últimos meses. No país em que dez mulheres são assassinadas em média por dia, em um crescimento de 137% do número de casos nos últimos cinco anos, a mobilização de grupos feministas tem se fortalecido em reação à crescente onda de violência de gênero, que muitas vezes resulta em impunidade. Há menos de um mês, em 15 de fevereiro, centenas de mulheres saíram às ruas vestidas de preto, protestando contra o feminicídio ...

    Leia mais
    Integrantes da Viradouro durante o desfile na Sapucaí.RICARDO MORAES / REUTERS (REUTERS)

    Viradouro homenageia “primeiras feministas do Brasil” e é campeã do Carnaval 2020 no Rio

    Com o enredo ‘De Alma Lavada’, escola de samba homenageou As Ganhadeiras de Itapuã, histórico grupo musical de mulheres na Bahia que trabalhavam para comprar alforrias no século XIX Por JOANA OLIVEIRA, do El País Integrantes da Viradouro durante o desfile na Sapucaí.RICARDO MORAES / REUTERS (REUTERS) Ao levar a Bahia ao Sambódromo do Rio de Janeiro, a Unidos do Viradouro consagrou-se, nesta quarta-feira, campeã do Carnaval carioca. Assinado pelo casal de carnavalescos Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira, o enredo De Alma Lavada homenageou o grupo musical baiano As Ganhadeiras de Itapuã, que faz samba de roda, para abordar o protagonismo feminino na história brasileira. A Vermelho e Branco de Niterói, como é conhecida a Viradouro, volta a levar o título depois de 23 anos —no ano passado, foi vice-campeã com um enredo sobre histórias encantadas—. A escola deixou para trás a Grande Rio, em segundo ...

    Leia mais

    Oito teses sobre a Revolução Feminista

    A quinze dias do 8 de Março, uma proponente das greves feministas explica como elas tornaram-se gigantescas e também radicais; por que inventam nova classe trabalhadora; e de que modo se chocam com a essência da condição neoliberal Por Veronica Gago | Tradução: Antonio Martins, Do Outras Palavras Arte: Rafael Werkema/CFESS “Tiemblan los Chicago Boys. Aguanta el movimiento feminista” (Grafitti na fachada da Universidade Católica de Chile, 2018) 1. Com a ferramenta da greve feministas, mapeiam-se novas formas de exploração dos corpos e territórios, a partir de uma perspectiva simultânea de visibilização e insubordinação. A greve revela a composição heterogênea do trabalho em chave feminista, reconhecendo labores historicamente depreciados, mostrando sua engrenagem com a precarização geral e se apropriando de uma ferramenta tradicional de luta para transbordá-la e reinventá-la A greve internacional abriu uma perspectiva feminista sobre o trabalho. Porque a perspectiva feminista reconhece o trabalho ...

    Leia mais
    Pastora Odja Barros
Imagem: Carlos Madeiro/UOL

    Usam palavra de Deus para manter a mulher submissa, diz pastora feminista

    O discurso de que a palavra de Deus coloca a mulher em posição de submissão ao homem sempre incomodou a pastora Odja Barros. "Argumentar dizendo 'É bíblico' é terrível. Impede o diálogo, é simplesmente para fechar uma postura conservadora e encerrar a conversa. Eu discuto, hoje, como especialista", diz a pastora da Igreja Batista do Pinheiro, em Maceió. Por Carlos Madeiro, no Universa Pastora Odja Barros(Imagem: Carlos Madeiro/UOL) Agora doutora em Teologia, ela concluiu sua tese estudando o feminismo sob a ótica cristã e afirma: existe um uso indevido do cristianismo para manter a mulher em papel de submissão. "Usam e abusam da palavra, dizendo que é de Deus, para tentar colocar de novo as mulheres em lugar de submissão e de inferioridade", afirma a Universa. A pastora Odja prepara um livro, que deve sair em abril, com achados de sua pesquisa. A ideia é ajudar ...

    Leia mais
    As criações da publicitária Taynara Cabral. Foto: BRENNO CARVALHO / Agência O Globo

    Agendas, cadernos e calendários com temáticas feminista e antirracista ganham destaque na papelaria nacional

    Falta de representatividade e a vontade de colocar em pauta personagens invisibilizados move artistas Por Talita Duvanel, do O Globo As criações da publicitária Taynara Cabral. Foto: BRENNO CARVALHO / Agência O Globo Nas folhas de um caderno cabem uma carta de amor, uma receita de bolo, um poema concreto ou a planta da casa dos sonhos. Nada mais justo que a capa desse item — ainda indispensável mesmo em tempos de smartphone — tenha uma imagem inspiradora. Mas tente encontrar, numa livraria ou papelaria, algo que saia do lugar comum e provoque algum tipo de reflexão. Foi essa a dificuldade da pedagoga paulista Ana Claudia Silva, da Afra, uma das marcas mais importantes no cenário da “papelaria de resistência”, um crescente negócio que imprime questões de raça e gênero nos outrora “triviais” cadernos e agendas. “Todo começo de ano, quando ia comprar material escolar, não ...

    Leia mais
    MARIELLE FRANCO, VEREADORA ASSASSINADA NO RIO DE JANEIRO. FOTO: MÁRIO VASCONCELLOS/CMRJ

    Instituto Marielle Franco anuncia concurso de ensaios feministas

    Vencedora será premiada com Troféu Marielle Franco, uma quantia em dinheiro e publicação impressa e online na 1ª edição do concurso Por GIOVANNA GALVANI, da Carta Capital  MARIELLE FRANCO, VEREADORA ASSASSINADA NO RIO DE JANEIRO. FOTO: MÁRIO VASCONCELLOS/CMRJ O Instituto Marielle Franco divulgou, na terça-feira 21, o futuro lançamento de edital para a publicação de um ensaio feminista inédito escrito por mulheres. Nomeada de “Concurso Marielle Franco de Ensaios Feministas”, a iniciativa é realizada pela Editora Contracorrente, parceira do Instituto no concurso. De acordo com o divulgado, a premiação tem o objetivo de “fortalecer o pensamento feminista e defender a memória e a luta de Marielle” por meio da seleção de ensaios sobre aspectos variados do feminismo, que devem ser escritos por mulheres cis e trans. O edital receberá candidaturas entre os dias 14 de março e 14 de julho, e o processo será feito no ...

    Leia mais
    Nilcéa Freire na época em que foi ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, em 2009 Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo

    Morre Nilcea Freire, ex-ministra e líder feminista

    A ex-ministra Nilcea Freire (Políticas para as Mulheres) morreu neste sábado (28), aos 66 anos, no Rio de Janeiro. Médica, professora, pesquisadora e ex-reitora da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), ela tinha câncer e recebia assistência médica em casa. Por Cristina Camargo, da Folha de S.Paulo  A morte foi confirmada pelo PT do Rio de Janeiro, que lamentou em nota a perda da militante feminista. Nilcea foi ministra durante o governo Lula (de 2004 a 2010) e se torno líder na área de políticas públicas para mulheres. Foi responsável pela realização da primeira Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, que teve como um dos resultados o Plano Nacional de Políticas para as Mulheres. Nilcéa Freire na época em que foi ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, em 2009 Foto: Givaldo Barbosa / Agência O Globo "Deixa uma lacuna na militância feminista brasileira", diz a nota divulgada pelo ...

    Leia mais
    LUPE DE LA VALLINA

    Chimamanda Ngozi Adichie: “Não estava em meus planos ser um ícone feminista”

    Mas é o que ela virou. Ganhou fama com sua palestra “Todos deveríamos ser feministas” e continua atuando como escritora celebrada, entre sua Nigéria natal e os Estados Unidos. Nesta conversa reflete sobre os rumos da sua figura pública e questões como raça, identidade, a evolução do MeToo a relação com os homens e o poder das mulheres no século XXI. Por Pilar Álvarez, do El País Ela é sempre parada nos aeroportos, e não é por sua fama. Chimamanda Ngozi Adichie (Enugu, Nigéria, 1977) mantém seu passaporte nigeriano para ser fiel a suas raízes, mas isso começa a pesar. Mudou-se para os Estados Unidos há mais de uma década. Vive em Maryland com seu marido e sua filha de quatro anos, a quem ensina a usar uma linguagem que lhe foi vetada quando criança. Viaja com frequência à Nigéria, onde vivem seus pais e seus irmãos. Lá é uma ...

    Leia mais

    A astuta reprodução do discurso patriarcal nos meios feministas

    É assustador como o feminismo midiático se conforma com migalhas. Como, de alguma forma, a exaltação de corpos negros em situações exclusivamente de hiperssexualização, por exemplo, tem sido vista como uma vitória e que pronto, não precisamos mais de debate. Isso é uma ofensa ao real intento do movimento, para dizer pouco. É mais do que isso, é um desserviço, pois só reforça a ideia de que "tá no sangue", de que ser uma mulher devassa e animalesca sexualmente é algo intrínseco à mulher negra. Isso é tudo menos um elogio. Por Letícia Castor Moura, enviado para o Portal Geledés  Mulheres se comparando umas às outras, buscando superioridade e notoriedade sobre suas irmãs, o que já é ruim o suficiente, baseadas no critério do quanto elas estão agradando o “seu” homem sexualmente. Precisamos redirecionar o nosso foco às pautas que realmente importam. Coisas como “quem está comendo não está reclamando”, ...

    Leia mais
    A candidata do Livre, Joacine Katar Moreira (D) acompanhada pelo fundador do partido, Rui Tavares (E) no início da campanha eleitoral, a 24 de setembro de 2019. (Foto: MIGUEL A. LOPES / LUSA)

    Livre no Parlamento: Joacine promete uma esquerda antifascista, antirracista, feminista radical e verde. E dançou…

    Candidata do Livre por Lisboa foi eleita deputada numa noite em que o partido fez história. Num discurso entusiasmado e ao som da canção que deu o mote à sua campanha, Joacine Moreira disse que será uma voz desconfortável no Parlamento Por Pedro lima, do Espresso A candidata do Livre, Joacine Katar Moreira (D) acompanhada pelo fundador do partido, Rui Tavares (E) no início da campanha eleitoral, a 24 de setembro de 2019. (Foto: MIGUEL A. LOPES / LUSA) A explosão de alegria na Fábrica Braço de Prata só chegou às 00h24 quando finalmente foi confirmada a eleição de Joacine Moreira como deputada. A mulher que fica na história destas legislativas por ser a primeira afrodescendente a chegar ao Parlamento (ex-aequo com uma eleita do Bloco) irrompeu pelo palco ao som da música que foi usada para a campanha, criada pelos Fado Bicha, em que se ...

    Leia mais
    Mulheres em um protesto em 16 de agosto em Monterrey.GABRIELA PÉREZ MONTIEL (CUARTOSCURO)

    O grito feminista ressoa no México

    Manifestações dos últimos dias constatam o auge das mobilizações das mulheres e evidenciam a saturação pelo clima generalizado de violência Por SONIA CORONA e AVIER LAFUENTE, do El País  Mulheres em um protesto em 16 de agosto em Monterrey - Foto: GABRIELA PÉREZ MONTIEL (CUARTOSCURO) O Anjo da Independência da Cidade do México amanheceu há alguns dias com pichações que narravam a realidade do país. “México feminicida”, porque a cada quatro minutos uma mulher sofre um estupro; “Autodefesa já”, porque as denúncias por crimes sexuais aumentaram 20% nesse ano em um país onde 93% dos crimes não são solucionados. Também “Nunca mais terão a cumplicidade de nosso silêncio”, porque centenas de mulheres mexicanas decidiram que seu grito de saturação ressoará cada vez mais forte, pelos milhares, milhões, que não podem fazê-lo. O estupro de uma menor de 17 anos supostamente por quatro policiais foi o detonador ...

    Leia mais
    Foto: Caroline Lima

    De Sueli Carneiro a Patricia Hill Collins, encontros esmiúçam pensamento feminista negro do Brasil e dos EUA

    De agosto a dezembro, o pensamento de mulheres negras que se tornaram marco na história do feminismo no Brasil e nos Estados Unidos será detalhadamente exposto, estudado e debatido em palestras de especialistas na temática. O projeto, que acontece no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, em São Paulo, está sendo realizado em parceria com a editora Boitempo. no Preta, Preto, Pretinhos Foto: Caroline Lima A brasileira Sueli Carneiro é a intelectual em estudo em agosto, em encontro que acontece na segunda-feira, 5. A contribuição da filósofa, ativista, fundadora e atual diretora do Geledés – Instituto da Mulher Negra estará no centro da exposição da pesquisadora Bianca Santana (que está escrevendo a biografia de Carneiro), com mediação de Carine Nascimento, educadora no Cursinho Popular Carolina de Jesus e apresentadora e produtora do podcast Ideias Negras, entre outros projetos. Em setembro, os participantes se aprofundarão no ...

    Leia mais

    Chimamanda: a voz do feminismo critica o racismo e defende homens feministas

    Chimamanda Ngozi Adichie é protagonista de dois TEDs com mais de 20 milhões de views, virou música da Beyoncé e tema de coleção da Dior. Trajetória para lá de incomum para uma escritora de ficção que jamais pensou em ser ícone feminista. A nigeriana de 41 anos, autora de seis livros e mãe de uma menininha de 3, encontrou-se com Marie Claire Brasil em Washington para uma conversa franca e exclusiva sobre liberdade, gênero, racismo e amor. Polêmica, cravou que os homens são essenciais na luta das mulheres e que podem (e devem) ser feministas Quando Chimamanda Ngozi Adichieentrou no estúdio em Washington D.C. onde foram realizadas as fotos e a entrevista desta edição de aniversário, chegava ao fim uma epopeia marcada por intensas emoções e muitos altos e baixos (por vezes, desanimadores), que começou há pouco mais de um ano e envolveu a dedicação e a energia de uma ...

    Leia mais
    Evento é realizado pela Marcha Mundial das Mulheres, movimento feminista que atua globalmente desde 2000 / Foto: Carmen Silva

    Feministas de todo o mundo se reúnem para debater o avanço do conservadorismo

    Evento da Marcha Mundial de Mulheres acontece em São Paulo e conta com mesas de debates com 30 lideranças mundiais Do Brasil de Fato Evento é realizado pela Marcha Mundial das Mulheres, movimento feminista que atua globalmente desde 2000 / Foto: Carmen Silva A Marcha Mundial das Mulheres, movimento feminista que atua globalmente desde 2000, realiza em São Paulo (SP) o seminário “Resistência e Reconstrução de Movimento: confrontando o neoliberalismo desde a economia feminista e os comuns”. O encontro, que acontece entre os dias 17 e 19 de junho, reúne 30 lideranças de países das Américas, Europa, África, Ásia e Oriente Médio, mais dezenas de outras ativistas. Um dos objetivos do evento é a discussão em torno do conservadorismo como uma tendência do capitalismo global e como isso afeta o avanço de pautas ligadas aos direitos das mulheres. Miriam Nobre, uma das organizadoras do seminário, afirma que é ...

    Leia mais

    Comitê feminista afasta advogada de Neymar: “cortamos na própria carne”

    Ao assumir nesta quinta-feira (6) a defesa do jogador Neymar Jr., no caso em que ele é acusado de estupro pela modelo Najila Trindade Mendes, a advogada Maíra Costa Fernandes afirmou estar convencida da inocência do atleta. Para justificar sua opinião, Maíra disse se ancorar em sua trajetória feminista e na defesa dos direitos das mulheres. "Uma falsa acusação de estupro não ajuda a causa feminista" afirmou, em sua página do Facebook. "A minha trajetória como feminista, ativista de direitos humanos e advogada criminal é longa e conhecida. Sempre me pautei pela defesa da verdade e sempre fui fiel a valores e preceitos éticos, tanto em minha militância, quanto em minha atuação profissional. Nesse episódio, me mantenho reta nessa direção e estou tranquila por defender a justiça e a verdade." Por Maria Carolina Trevisan, Do UOL (Foto: Andre Penner/ AP) A declaração de Maíra gerou constrangimento entre as ...

    Leia mais
    Kirsten, 75, e Catherine, 65, respectivamente a presidente e a secretária-geral da mítica Maison des Babayagas, em Montreuil, na região parisiense.

    Babayagas: Conheça o “anti-asilo” feminista que revoluciona visão da velhice na França

    Elas são divorciadas, viúvas ou solteiras. A maioria tem filhos, netos, e todas possuem mais de 60 anos. Independentes, politizadas e ativas, essas mulheres decidiram que sua velhice seria exatamente do jeito que elas desejassem. “Nem marido, nem patrão, nem família, nem Estado” decidem no lugar delas como, onde e de que maneira envelhecer. Elas moram bem em seus estúdios modernos, pagando um aluguel baixo, criando projetos coletivos e viajando o mundo. A RFI foi conhecer a Maison des Babayagas, no município de Montreuil, na região parisiense, durante um domingo de sol e de atividades coletivas. Por  Márcia Bechara, do Rfi Kirsten, 75, e Catherine, 65, respectivamente a presidente e a secretária-geral da mítica Maison des Babayagas, em Montreuil, na região parisiense. (FOTO: Márcia Bechara)   Baba Yaga, na mitologia eslava e russa, significa “fada”, “bruxa”, uma feiticeira solitária de mil disfarces, velha e poderosa, que monta dragões e ...

    Leia mais

    Diálogos Feministas: Análise de conjuntura e desafios para a defesa da democracia

    Esta publicação traz uma síntese do debate realizado: uma análise da conjuntura a partir de uma perspectiva feminista e quais os temas prioritários para uma agenda que se contraponha às reformas neoliberais e ao avanço do conservadorismo. Do SOS Corpo Capa da análise Analisar o contexto político do Brasil no período recente não tem sido um exercício fácil. Ainda mais complexo tem sido atuar nesse momento para defender direitos e a própria democracia. Pensar uma ação política unitária da esquerda e, dentro dela, das feministas para se contrapor ao avanço do neoliberalismo e dos fundamentalismos é um grande desafio e uma das tarefas prioritárias para esse campo. Refletir sobre essas questões foi o objetivo do segundo debate da série “diálogos feministas”, organizado pela Fundação Friedrich Ebert em parceria com o SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia. Os diálogos são feitos por um grupo de ativistas ...

    Leia mais
    Debate UM BRASIL/ Brazil Forum UK com Amara Moira e Djamila Ribeiro

    Ser feminista é assumir uma postura incômoda, afirmam militantes

    Debate do UM BRASIL conta com a escritora e militante LGBT Amara Moira e a filósofa e ativista do feminismo negro Djamila Ribeiro. Do HuffPost Parte da sociedade entende que os privilégios de que desfruta são oriundos apenas de seus esforços e não de uma sociedade desigual. Essa análise impede a mudança dessa situação nos casos de gênero e raça. O tema foi discutido pela escritora e militante LGBT Amara Moira e a filósofa e ativista do feminismo negro Djamila Ribeiro, entrevistadas pelo UM BRASIL. “Trazemos narrativas de incômodo porque os cidadãos precisam se incomodar e entender o que significa o privilégio que vem sistematicamente sendo produzido à custa da opressão de outros grupos. Ser feminista é assumir uma postura incômoda de um grupo que historicamente vem sendo menosprezado. Feministas são pessoas comuns que lutam por uma sociedade mais justa”, explica Djamila. “O lugar de onde você olha para a sociedade impede que ...

    Leia mais
    Página 1 de 169 1 2 169

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist