Guest Post »

Aplicativo irá ajudar no combate à violência contra a mulher

Rio Grande do Sul será o primeiro estado brasileiro a instituir parceria com o poder público para uso do aplicativo. Foto: Rodrigo Ziebell/SSP RS/ Divulgação

Foi lançado na tarde desta quinta-feira (17), na sede da SSP (Secretaria da Segurança Pública), o aplicativo PLP 2.0 contra a violência a mulher, que prioriza o atendimento da segurança pública às mulheres com medida protetiva. A ferramenta é uma iniciativa da ONG (organização não-governamental) Themis, em parceria com o Instituto da Mulher Negra Geledés.

no Plantão RS

Conforme a SSP, o PLP 2.0 permite o acionamento do serviço de atendimento de emergência, que receberá a informação e a localização da vítima, através de informação via GPS. Os operadores também obterão todo o histórico do caso da mulher. O aplicativo estará disponível para os sistemas operacionais Android e iOS.

Inicialmente, o PLP 2.0 será usado por duas mulheres em situação de violência, moradoras do bairro Restinga. Após a fase de teste, o uso será estendido para toda a cidade de Porto Alegre. As usuárias sempre serão selecionadas pelo Poder Judiciário, responsável pela expedição das medidas protetivas, que utilizará como critério primordial o grau de violência investido contra a vítima.

Conforme a coordenadora de projetos da entidade, Lívia de Souza, o propósito do aplicativo é “dar agilidade no atendimento de casos extremos de violência e fortalecer a rede de proteção à mulher por meio da tecnologia social”.

O Rio Grande do Sul será o primeiro estado brasileiro a instituir, oficialmente, a parceria com o poder público para a utilização do aplicativo.

Artigos relacionados