Câncer de mama: espera de negras para iniciar tratamento é mais longa

Enviado por / FonteViva Bem | UOL

Um estudo publicado recentemente no periódico científico Cancer sugere que, após um diagnóstico de câncer de mama, mulheres negras têm uma espera mais longa para o início do tratamento do que as mulheres brancas, além de maior chance de ter um tratamento com duração prolongada.

A equipe de pesquisadores avaliou se esses dois aspectos do atendimento —tempo para atendimento e duração do tratamento— podem ser fatores contribuintes para um dado já levantado por outras pesquisas mais antigas: as mulheres negras enfrentam um risco maior de morrer por causa da doença, apesar das taxas semelhantes de diagnóstico em mulheres brancas, e essa disparidade é especialmente alta entre as mulheres mais jovens.

Como o estudo foi feito

A análise incluiu 2.841 participantes (números aproximadamente iguais de mulheres negras e brancas) com câncer de mama em estágio entre um e três, com dados do Carolina Breast Cancer Study, um estudo populacional de mulheres com câncer de mama invasivo.

O tempo médio geral para o início do tratamento foi de 34 dias. Mais mulheres negras experimentaram um atraso no tempo de tratamento (13,4% contra 7,9%) e uma duração prolongada do tratamento (29,9% contra 21,1%) em comparação com as mulheres brancas.

Cerca de 32% das mulheres negras jovens estavam em fases de prolongamento de duração do tratamento, em comparação com 22,3% das mulheres brancas mais jovens; da mesma forma, 27,9% das mulheres negras mais velhas tiveram uma duração prolongada do tratamento, em comparação com 19,9% das mulheres brancas mais velhas.

Além disso, entre as mulheres com alto nível socioeconômico, 11,7% das mulheres negras tiveram atrasos no início do tratamento, em comparação com 6,7% das mulheres brancas.

Como os autores explicam os resultados

De acordo com Marc Emerson e Melissa Troester, dois dos cientistas envolvidos na análise, mesmo entre as mulheres com baixo nível socioeconômico, ainda é possível notar menos atrasos que entre as mulheres brancas, enfatizando a experiência das mulheres negras, que “parecem enfrentar barreiras únicas’.

“É importante reconhecer que as causas do atraso são complexas e refletem as barreiras individuais e os fatores do nível do sistema”, acrescentou Troester.

O estudo identificou uma série de barreiras específicas no grupo mais afetado, incluindo questões financeiras e de transporte.

 

+ sobre o tema

Campanha marca Dia Mundial de Conscientização dos Transtornos Alimentares

Criadores de conteúdo e especialistas de saúde brasileiros unem-se...

Papanicolau não precisa ser feito todo ano; saiba mais sobre o exame

O papanicolau é o exame utilizado para avaliar precocemente alterações pré-malignas...

Outubro Rosa: desafios na luta contra o câncer de mama em mulheres idosas

No cenário da campanha Outubro Rosa, que tem como...

para lembrar

1,5 milhão de mulheres negras são vítimas de violência doméstica no Brasil

Elas representam 60% das 2,4 mi de agredidas. Reportagem...

Bitonga Travel tem como pretensão democratizar viagens entre mulheres negras. Projeto será lançado no Aparelha Luzia

Grupo formado por quatorze viajantes, influenciadoras digitais negras almeja...

É Tempo de Anastácia!

Quantas de nós, mulheres negras, ainda somos silenciadas nos...

E-book “Mulher faz ciência” reúne histórias de cientistas brasileira

Quando alguém pensa em um cientista, o esquema mental acionado,...
spot_imgspot_img

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços, compraria nas bancas costumeiras. Escolhi as raríssimas que tinham mulheres negras trabalhando, depois as de...

Casos de câncer devem aumentar 77% até 2050 ligados ao envelhecimento da população

À medida que a população mundial envelhece, um novo relatório alerta que o número de pessoas com câncer pode aumentar 77% até 2050. No relatório, publicado na quinta-feira...

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...
-+=