Casa Sueli Carneiro oferece curso sobre memória

A Casa Sueli Carneiro abre inscrições para o curso “Fazedoras de Memórias Negras”. Totalmente gratuito, a formação é uma parceria com a Fundação Rosa Luxemburgo e tem como objetivo apoiar pessoas e instituições que têm a intenção de organizar e disseminar a memória negra

O curso será ministrado de forma remota  por doze especialistas de diferentes áreas do conhecimento, como Leda Maria Martins e Tiganá Santana, com início  na tarde de 9 de agosto. A carga horária total é de 40 horas, divididas em  4 módulos de 10 horas cada um. Gabriela Leandro Pereira – Gaia e Bianca Santana participarão de todos os encontros como facilitadoras. Quem tiver interesse em participar,  pode se inscrever por meio de formulário até 03 de agosto.

Sobre os módulos:

Módulo 1: Temporalidades, história e memória 

Além da cronologia ocidental, cosmogonias afro-brasileiras têm diferentes e complexas percepções do tempo. O cosmograma bakongo, por exemplo, sistematiza temporalidades cíclicas a partir da ideia de kalunga. Tais acepções do tempo serão apresentadas em diálogo com o tempo histórico e as teorias de construção e disseminação de memória.

Aulas com:Ana Flávia Magalhães, José Eduardo Ferreira dos Santos, Tiganá Santana

Módulo 2: Arquivos – organização e pesquisa

Documentos escritos, fotografias, recortes de jornal, objetos, livros podem ser organizados e catalogados de forma intencional como arquivos públicos. A organização de acervos será um tema do módulo, bem como a pesquisa em acervos já organizados. 

Aulas com: Maria Aparecida Moura, Martha Rosa Queiroz, Jean Camoleze

Módulo 3: Corpo e oralidade

Povos e culturas tradicionais registram e disseminam memória por meio da oralidade e de práticas corporais como a dança e o canto. Nas famílias, vizinhanças, casas e santo e práticas culturais há memória negra a ser percebida e registrada.

Aulas com: Leda Maria Martins, Uã Flor Do Nascimento, Fabiana Cozza 

Módulo 4: Território e narrativa

A forma como os lugares são ocupados, formatados, constituídos carrega a memória. Algumas vezes valorizada e tantas vezes apagada, a memória negra pode ser percebida em marcas nos territórios. Na contemporaneidade, há diversas narrativas de memória que retomam informações guardadas no espaço físico.

Aulas com: Alex Ratts, Gabriela Leandro (Gaia), Dinha

Para saber mais acesse as redes sociais da Casa Sueli Carneiro 

Instagram

Twitter

+ sobre o tema

Kendrick Lamar coloca soldados para marchar contra o racismo no Grammy 2018

Kendrick Lamar foi um dos grandes destaques da noite...

5 vozes negras da Flip 2017 que você precisa conhecer

Destaques na programação oficial, escritores prometem alargar pontos de...

Mariana Ximenes se recusa a ser empregada da novela das 19h

A atriz Mariana Ximenes não quer saber de ser...

Pílula de cultura encerra semana da consciência negra

Festa PÉ NA AFRICA fecha a Semana da Consciência...

para lembrar

Onde estão os heróis negros na História do Brasil?

A resistência de Palmares nos remete a inúmeras reflexões....

Carta para quem deseja assumir o Cabelo Natural

Finalmente você cansou dos alisamentos químicos e do calor...
spot_imgspot_img

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...
-+=