Corpo do menino Juan será exumado nesta quarta-feira em Nova Iguaçu, no Rio

Será exumado no início da tarde desta quarta-feira (17), no Cemitério municipal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, o corpo do menino Juan Moraes, de 11 anos. As informações foram confirmadas pela assessoria de imprensa da Polícia Civil. A exumação, que chegou ser adiada, deve acontecer por volta das 13h.

Juan foi morto na comunidade Danon, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, em junho. A exumação foi um pedido do defensor público Antônio Carlos de Oliveira. Ele representa um dos quatro policiais suspeitos de envolvimento na morte da criança.

Oliveira se baseou no laudo de uma perita legista que atestou que o corpo encontrado no Rio Botas era de uma menina. Ele espera que novos exames sejam feitos no corpo.

Quando o corpo de Juan foi identificado, a chefe de Polícia Civil Martha Rocha deu uma entrevista coletiva afirmando que a perita havia errado o laudo e que exames de DNA provaram que os restos mortais eram de Juan. A perita foi afastada do caso.

Na noite do dia 20 de junho, Juan vinha da casa de um amigo com o irmão de 14 anos, quando foi atingido durante uma suposta operação da Polícia Militar na comunidade Danon. O irmão e outro jovem, de 19 anos, ficaram feridos. A reconstituição do caso foi feita no dia 8 de julho, dois dias após a chefe de Polícia Civil confirmar a morte do menino.

O delegado Ricardo Barbosa, da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminse, afirmou que o menino foi baleado por policiais militares. Segundo ele, a perícia constatou que não houve confronto entre PMs e suspeitos.

Os quatro policiais do 20º BPM (Mesquita) cumprem prisão temporária em relação a dois homicídios duplamente qualificados (a morte do menino Juan e de um suposto traficante), duas tentativas de homicídio duplamente qualificado (do irmão de Juan, e de um jovem de 19 anos – ambos estão no Programa de Proteção à Testemunha) e ocultação de cadáver de Juan.

O irmão e os pais de Juan foram inseridos no Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente Ameaçado de Morte (PPCAM). De acordo com a Secretaria, o programa é desenvolvido pela SEASDH em parceria com a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. A outra testemunha do caso também foi inserida no mesmo programa de proteção.

 

Fonte: g1

+ sobre o tema

Deixa a Elza Soares gingar, Feliciano

Não é todo dia que a história nos reserva...

Crivella veta projeto que amplia teste do pezinho na rede municipal de saúde

O prefeito Marcelo Crivella (PRB) vetou integralmente o projeto...

Romário faz repórteres da Veja saírem do Facebook

Senador divulgou ontem os links das páginas dos repórteres...

para lembrar

ONU critica trabalho escravo no Brasil

Documento destaca, porém, conhecimento do governo sobre o tema...

Goiás: trabalhadores resgatados dormiam com ratos e morcegos

Trabalhadores resgatados de condições análogas à escravidão no final...

Sem-tetos ocupam áreas para exigir Minha Casa, Minha Vida

MTST organiza ações na Região Metropolitana de São Paulo...

Audiência Pública – ‘Impacto Social das Grandes Obras’

Impacto Social das Grandes Obras A Comissão de Direitos...
spot_imgspot_img

NOTA PÚBLICA | Em repúdio ao PL 1904/24, ao equiparar aborto a homicídio

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns vem a público manifestar a sua profunda indignação com a...

Nota pública do CONANDA contrária ao Projeto de Lei 1904/2024

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA, instância máxima de formulação, deliberação e controle das polícas públicas para a...

Marcelo Paixão, economista e painelista de Geledés, é entrevistado pelo Valor

Nesta segunda-feira, 10, o jornal Valor Econômico, em seu caderno especial G-20, publicou entrevista com Marcelo Paixão, economista e professor doutor da Universidade do...
-+=