Deputadas do PCdoB afirmam que votarão contra a PEC 37

As deputadas do PCdoB Jô Moraes (MG) e Alice Portugal (BA), a exemplo do que já fez o deputado Daniel Almeida, também do PCdoB da Bahia, adiantaram que votarão contra a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 37, a chamada PEC 37, que retira do Ministério Público o poder de investigar crimes cometidos contra o patrimônio público e a cidadania.

Embora tenha posição crítica em relação às atitudes e às omissões do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, Alice Portugal declarou que “o verdadeiro Ministério Público não é o procurador-geral Roberto Gurgel, seus vazamentos para a mídia, suas manobras para trancar ou destrancar inquéritos de acordo com suas conveniências políticas”.

Segundo ela, “o verdadeiro Ministério Público são centenas de procuradores honrados que atuam cotidianamente na defesa do Estado e do cidadão e que são verdadeiros anteparos para coibir arbitrariedades que porventura venham a ser cometidas no inquérito policial”.

Ela avalia ainda que “os procuradores são garantia para os bons policiais, uma vez que seu trabalho complementa o da polícia e assegura aos cidadãos uma avaliação criteriosa de cada caso, evitando o arbítrio”, declarou a deputada.

Jô Moraes, para se manifestar contrária à proposta, lançou nota oficial neste domingo (23), onde diz que “em consonância com os mais legítimos interesses da população, desde o início da tramitação da Proposta de Emenda Constitucional PEC 37 nesta Casa Congressual eu tenho me posicionado contrária à proposição por considerá-la um retrocesso político-jurídico para o Brasil do século 21”. 

Segundo a parlamentar, “não devemos restringir, mas aperfeiçoar os mecanismos; apoiar e equipar as instituições de investigação e punição para efetivar uma democracia plena”.

A parlamentar comunista disse ainda que, como presidente da Comissão Parlamentar Mista (CPMI) da Violência Contra a Mulher, tem no Ministério Público “o caminho para condenar os agressores e assassinos de mulheres. Trabalho com ele desde a vigência da Lei Maria da Penha”, esclarece.

Para desfazer as notícias erradas de que teria votado a favor da PEC 37, Jô Moraes esclareceu as regras da Câmara, dizendo que a proposta foi aprovada na comissão especial que analisa a proposta e que somente o parlamentar pertencente à comissão onde a proposição é apreciada pode dar seu voto nesta fase da tramitação. 

“É no plenário da Câmara que o conjunto dos deputados poderá se manifestar através da votação”, explicou Jô, transcrevendo a página da Câmara dos Deputados que mostra quem estava na Comissão Especial e, neste colegiado, votou a PEC:

“Aprovado o Parecer em votação nominal contra os votos dos deputados Lourival Mendes e Alessandro Molon. Votaram a favor os deputados Arthur Oliveira Maia, Eliseu Padilha, Fábio Trad, João Campos, Reinaldo Azambuja, Arnaldo Faria de Sá, Ricardo Izar, Eliene Lima, Francisco Araújo, Edio Lopes, Fernando Francischini, Vilson Covatti, Bernardo Santana de Vasconcellos, Acelino Popó. Apresentaram votos em separado os deputados Vieira da Cunha e Alessandro Molon. Foi rejeitado o art. 2º do Substitutivo, objeto do Destaque nº 2, do deputado Ronaldo Fonseca.”

Da Redação em Brasília

 

Fonte: Vermelho

+ sobre o tema

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

para lembrar

Sindicatos e pesquisadores contestam parecer que pede exoneração de professora

É equivocado o parecer da Procuradoria Federal da Advocacia...

Kahn, a camareira e o direito feudal – MARIO VARGAS LLOSA

Quando jovenzinho, nos anos 50, muitas vezes ouvi meus...

Porto Seguro: Tenente gay concede entrevista

Fonte: Radar PORTO SEGURO - As denúncias feitas pelo...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a tramitação em regime de urgência do projeto de lei que equipara aborto acima de 22 semanas...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira (13) atos de movimentos feministas contra o projeto de lei que equipara aborto a homicídio,...
-+=