Equador reconhece casamento civil entre pessoas do mesmo sexo

Por cinco votos contra quatro, a corte mais alta do país aprovou a união civil entre pessoas do mesmo sexo

Da Veja 

O Equador se soma assim a Brasil, Argentina, Costa Rica e Colômbia no reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo na América Latina (Tyrone Siu/Reuters)

Equador passou a reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo nesta quarta-feira 12, após decisão da Corte Constitucional do país. Por cinco votos contra quatro, o tribunal aprovou a união civil entre pessoas do mesmo sexo.

“A decisão é obrigatória porque as sentenças da Corte Constitucional submetem às autoridades equatorianas”, disse o constitucionalista Gustavo Medina.

A resolução “é vinculante e obrigatória”, o que significa que deverá ser aplicada em todo o país, destacou Medina, ex-presidente da Suprema Corte de Justiça e ex-procurador do Estado.

O Equador se soma assim a Brasil, Argentina, Costa Rica e Colômbia no reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo na América Latina.

A Corte Constitucional se pronunciou a favor do casamento gay ao examinar um recurso de dois casais de homens que alegavam o direito de união diante das autoridades civis. Um dos casais era formado por Efraín Soria e Javier Benalcázar.

“Quero cumprimentar Javier, está em Guayaquil. Minha vida, te amo”, disse Soria a jornalistas em Quito. Soria se disse alegre por “poder obter a igualdade” e incentivou os homossexuais a não se esconder mais e a “aproveitar” a igualdade.

A Constituição de 2008 define o casamento como a união entre um homem e uma mulher, dando continuidade à versão precedente da Carta Magna. Também proíbe a adoção de crianças por casais do mesmo sexo, mas os juízes se basearam nos princípios “favoráveis à igualdade da pessoa” e à rejeição a “todo tipo de discriminação”.

+ sobre o tema

Ela atuou em uma série da Globo: “Meus 15 minutos de fama quase me destruíram”

A fama é uma amante cruel. Num momento, Jaqueline...

30 frases machistas que tentam te controlar e você não percebe

1. Você é uma mocinha. Aprende a sentar. Por Dany Santos,...

Projeto pune crimes de ódio

Nova proposta para combater e prevenir discriminação social está...

Pobreza e abusos estimulam casamentos infantis no Brasil

Imagine que sua filha vai se casar. Engravidou do...

para lembrar

Marília Moschkovich: O machismo sutil de quem nos cultua

Na luta feminista, há muito espaço para os homens....

Elza Soares: “Ainda me choca o racismo nos dias atuais”

Elza Soares é uma mulher de fibra. Com uma...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=