Google premia projetos sociais do Brasil com R$ 1 mi

Júri formado por MV Bill e Luciano Huck escolheu ONGs que estejam buscando solucionar problemas por meio de tecnologia

Por Murilo Roncolato

SÃO PAULO – O Google premiou hoje quatro projetos sociais brasileiros com R$ 1 milhão, vencedores do seu Desafio de Impacto Social – concurso feito anteriormente na Inglaterra e na Índia. A empresa escolhe ONGs que estejam buscando solucionar problemas por meio de tecnologia.

Os projetos vencedores foram o PLP 2.0, do Geledés Instituto da Mulher Negra (eleito por voto popular); Rede Minha Cidade, da Rede Mobilizadora Meu Rio; SMSBebê, do Instituto Zero A Seis; e Pesca Mais Sustentável, do Conservação Internacional. Os vencedores foram escolhidos por um júri formado pela coordenadora do Google.org, Jaquelline Fuller, o empresário Josué Gomes da Silva, o apresentador Luciano Huck, o rapper MV Bill e a ativista Vivianne Senna.

Outros finalistas, premiados com R$ 500 mil cada, foram os projetos Máquina de Gelo Solar, do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá; Juntos.com.vc, do Juntos Com Você;Child Security Index, do Instituto Igarapé; Gastos Abertos, do Open Knowledge Foundation Brasil; Rede Info Amazônia, da Associação O Eco; e Mini-Usinas Open Source, do Instituto Socioambiental.

PLP 2.0, do Geledés Instituto da Mulher Negra
Trata-se de aplicativo para “apoiar mulheres vítimas de violência doméstica”. Quando executado, o app “aciona as redes de atendimento e grava áudio e vídeo pelo celular, para fornecer provas do ocorrido e oferecer respostas rápidas às vítimas”.

Rede Minha Cidade, da Rede Mobilizadora Meu Rio
O projeto se propõe a criar “ferramentas inovadoras”, por meio de aplicativos, que permitam a “participação na formulação e implementação de políticas públicas locais” em 20 cidades.

SMSBebê, do Instituto Zero A Seis
O projeto propõe um sistema por meio de SMS para ajudar mães “no desenvolvimento das crianças na primeira infância, a época mais importante para seu crescimento”.

 

Pesca Mais Sustentável, do Conservação Internacional
Um sistema “para dar transparência às cadeias de produção e comercialização do pescado e tornar a pesca mais sustentável”. O aplicativo terá algum tipo de ferramenta que permite ao consumidor se certificar de que o peixe comprado é certificado. “Em dois anos, estará disponível para 60 mil famílias de pescadores tradicionais e poderá ser acessado por qualquer brasileiro interessado no consumo consciente de pescados.”

 

 

 

Fonte: Estadão

 

+ sobre o tema

Aplicativo permite prioridade no atendimento a mulheres vítimas de violência

O Rio Grande do Sul tem, desta quinta (17),...

Vídeo PLP 2.0 – App de enfrentamento a violência contra mulher

PLP 2.0 aplicativo de combate a violência contra mulheres...

Geledés: Vencedor do Desafio de Impacto Social Google 2014 – Vídeos PLP 2.0

Geledés: Vencedor do Desafio de Impacto Social Google 2014...

para lembrar

“Um dia vou te matar”: como Roraima se tornou o Estado onde as mulheres mais morrem no Brasil

HRW aponta falha na investigação e arquivamento de denúncias...

Dossiê mulher: maior parte da violência contra a mulher ocorre dentro de casa

Companheiros e ex-companheiros, familiares, amigos, conhecidos ou vizinhos foram...

Erros não, machismo: o caso Laís Andrade

A história é das mais tristes. Uma mulher, Laís Andrade,...
spot_imgspot_img

Coisa de mulherzinha

Uma sensação crescente de indignação sobre o significado de ser mulher num país como o nosso tomou conta de mim ao longo de março. No chamado "mês...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...

Dois terços das mulheres assassinadas com armas de fogo são negras

São negras 68,3% das mulheres assassinadas com armas de fogo no Brasil, segundo a pesquisa O Papel da Arma de Fogo na Violência Contra...
-+=