Haitianos em Manaus são recrutados para trabalharem no Sul e Sudeste

Igreja Católica e SRTE-AM registraram a saída de cerca de 200 haitianos. 
Maioria seguiu para São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina.

Se o ano de 2010 foi marcado pela chegada dos primeiros haitianos no Amazonas, 2012 é o ano em que centenas deles deixaram Manaus, recrutados por empresários das regiões Norte, Sudeste e Sul do país para trabalhar nos setores da construção civil, petróleo e gás, mineração e outras áreas.

Segundo o superintendente regional de Trabalho e Emprego do Amazonas (SRTE-AM), Dermílson Chagas, cerca de cem haitianos foram embora de Manaus para trabalhar em São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Paraná e Tocantins, a convite de empresários que vieram à capital amazonense para recrutá-los. Os selecionados terão, além de salário, auxílio transporte e alojamento para morar.

As empresas que os recrutaram tiveram que assinar termos de compromissos na SRTE-AM para garantir a segurança deles no transporte de Manaus até as cidades onde irão trabalhar.

“Nós registramos a saída de cerca de cem haitianos, mas sabemos que o número é maior. Muitos deixaram a cidade sem informar o poder público. Quando há o registro legal de saída, podemos assegurar um transporte seguro e um emprego digno, já que as empresas interessadas são sérias e tiveram a aprovação do Ministério do Trabalho. Quando não há essa garantia, há o risco de alguns trabalharem em ambientes insalubres e até sob regime de semiescravidão”, afirmou.

O padre Valdecir Mayer Molinari, que é pároco da Igreja de São Geraldo, na Zona Centro-Sul de Manaus, onde foi recebida a maioria dos haitianos em Manaus, informou que cerca de 200 já deixaram a capital, para trabalhar em outras grandes cidades.

Segundo ele, o trabalho realizado pelos haitianos tem sido elogiado pelos empregadores amazonenses, o que rendeu boas referências lá fora. “Eles vieram ao Brasil com o objetivo de reconstruir suas vidas, por isso, são muito determinados, obstinados. Nunca ninguém reclamou para nós, da Igreja, do trabalho ou do comportamento deles”, disse.

Fonte: G1

+ sobre o tema

Vai-Vai deixará sua sede no Bexiga, em SP, após 50 anos

A escola de samba Vai-Vai irá deixar sua sede entre as...

Decepcionada como missionária evangélica na África do Sul, brasileira vira chef

Maria da Conceição Lima da Silva tem 48 anos...

Daiane dos Santos: “Ousem mais!”

“Bah, a guria tem que ouvir que é linda...

para lembrar

Atriz brasileira está no elenco de ‘Pantera Negra’, sucesso nos EUA

Nabiyah Be, de 26 anos, é filha do músico...

Primeira ópera negra do Brasil, ‘Lídia de Oxum’ terá releitura em Salvador

Escrita há 25 anos por Ildásio Tavares em parceria...

Partido Socialista francês terá primeiro líder mestiço da história do país

O eurodeputado Harlem Désir, ex-líder da associação SOS Racismo,...
spot_imgspot_img

Grávida, Iza conta que pretende ter filha via parto normal: ‘Vai acontecer na hora dela’

Iza tem experienciado e aproveitado todas as emoções como mamãe de primeira viagem. No segundo trimestre da gestação de Nala, fruto da relação com Yuri Lima, a...

‘Bad Boys 5’ já está sendo discutido, afirma produtor

‘Bad Boys: Até o Fim‘ estreou há apenas uma semana, mas um 5ª filme para a franquia estrelada por Will Smith e Martin Lawrence já está sendo discutido. A...

Sambista ligada ao rap, Leci Brandão rebate críticas de Ed Motta: ‘Elitista’

Leci Brandão, 79, rebateu com estilo as recentes declarações de Ed Motta, que chamou de "burros" os fãs de hip hop, "sem exceção". Sem citar...
-+=