Idosa fica 50 anos em trabalho análogo à escravidão e sem ver família em SP

Enviado por / FonteUOL

Yolanda, hoje com 89 anos, passou cinco décadas de sua vida em situação de trabalho análogo à escravidão em Santos (SP). Nesses 50 anos, a mulher não pode ter contato com a família, sofreu abusos físicos e psicológicos, não recebeu salário ou dias de folga. As informações são do programa “Fantástico”, da Rede Globo.

Uma vizinha, Zilmara de Souza Dantas, notou algo estranho e denunciou à polícia. “Ela estava trabalhando ainda com uma idade tão avançada. A roupa dela era muito gasta, muito puída, sempre de chinelo, muito humilde e um machucado na perna que não sarava nunca”, falou.

“Dava bom dia para ela, boa noite, mas ela não me respondia. Olhava sempre para baixo. Parecia coagida a não se comunicar”, contou a vizinha, que fez a denúncia em 2020. O caso, no entanto, só veio a público agora.

Recentemente, Ministério Público do Trabalho pediu que a Justiça reconheça Yolanda como vítima de situação de trabalho análogo à escravidão e que a família da patroa, Nirce, arque com R$ 1 milhão por danos morais coletivos, já que Nirce e duas de suas filhas morreram durante as investigações.

“Limpava, fazia faxina… serviço familiar; lavar, passar, cozinhar. Ela não me pagava ordenado. A filha dela, Rosana, queria me bater toda hora, berrava muito comigo”, falou Yolanda sobre sua situação.

Por ter passado 50 anos reclusa, os parentes da idosa achavam que ela já tinha morrido, até que uma de suas netas, Viviane, recebeu uma ligação da polícia contando que a avó estava viva.

“Só conseguia lembrar da minha mãe. Porque até o último dia da vida dela, ela acreditava que a mãe dela [Yoland] estava viva. Só que ela não teve a oportunidade de poder reencontrá-la”, contou Viviane.

+ sobre o tema

No Brasil, a medicina é branca e classe média – Por: Mara Gomes

Por Mara Gomes para as Blogueiras Negras Vale milhões...

Novos dados, antigos entraves: Aborto

Nos últimos 30 anos, o aborto tem sido objeto...

Na ONU, Brasil será alvo de acusação de genocídio de indígenas e negros

O governo brasileiro será alvo de denúncias nesta segunda-feira,...

Mais de 3 mil crianças indígenas morreram nos últimos 4 anos

O projeto Achados e Pedidos, iniciativa da Abraji e Transparência Brasil, em parceria...

para lembrar

Um olhar diferenciado sobre a saúde da mulher negra

 - Fonte: Mhário Lincol do Brasil - Algumas doenças atingem...

Cida Bento – A mulher negra no mercado de trabalho

Sinceramente eu nunca dei para empregada domestica acho que eu...
spot_imgspot_img

Renovação do EMLER beneficia organizações de combate ao racismo

Geledés – Instituto da Mulher Negra anuncia com grande satisfação a renovação por mais três anos do mandato do Mecanismo de Especialistas para Promover...

Encontro do PNUMA é marco de combate ao racismo ambiental

O encontro promovido em Recife pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), com apoio de Geledés - Instituto da Mulher Negra...

País tem 300,8 mil pessoas em situação de rua, mais de 80 mil em SP

Um levantamento feito pelo Observatório Brasileiro de Políticas Públicas com a População em Situação de Rua, da Universidade Federal de Minas Gerais (OBPopRua/POLOS-UFMG), revelou...
-+=