Idosa fica 50 anos em trabalho análogo à escravidão e sem ver família em SP

Enviado por / FonteUOL

Yolanda, hoje com 89 anos, passou cinco décadas de sua vida em situação de trabalho análogo à escravidão em Santos (SP). Nesses 50 anos, a mulher não pode ter contato com a família, sofreu abusos físicos e psicológicos, não recebeu salário ou dias de folga. As informações são do programa “Fantástico”, da Rede Globo.

Uma vizinha, Zilmara de Souza Dantas, notou algo estranho e denunciou à polícia. “Ela estava trabalhando ainda com uma idade tão avançada. A roupa dela era muito gasta, muito puída, sempre de chinelo, muito humilde e um machucado na perna que não sarava nunca”, falou.

“Dava bom dia para ela, boa noite, mas ela não me respondia. Olhava sempre para baixo. Parecia coagida a não se comunicar”, contou a vizinha, que fez a denúncia em 2020. O caso, no entanto, só veio a público agora.

Recentemente, Ministério Público do Trabalho pediu que a Justiça reconheça Yolanda como vítima de situação de trabalho análogo à escravidão e que a família da patroa, Nirce, arque com R$ 1 milhão por danos morais coletivos, já que Nirce e duas de suas filhas morreram durante as investigações.

“Limpava, fazia faxina… serviço familiar; lavar, passar, cozinhar. Ela não me pagava ordenado. A filha dela, Rosana, queria me bater toda hora, berrava muito comigo”, falou Yolanda sobre sua situação.

Por ter passado 50 anos reclusa, os parentes da idosa achavam que ela já tinha morrido, até que uma de suas netas, Viviane, recebeu uma ligação da polícia contando que a avó estava viva.

“Só conseguia lembrar da minha mãe. Porque até o último dia da vida dela, ela acreditava que a mãe dela [Yoland] estava viva. Só que ela não teve a oportunidade de poder reencontrá-la”, contou Viviane.

+ sobre o tema

Jean Wyllys: uma reflexão sobre o linchamento de Fabiane Maria de Jesus

Que o defensor e praticante do linchamento consiga, num...

Entidades denunciam governo Temer na ONU

A ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis...

No Brasil, nos últimos tempos, a expressão direitos humanos se apequenou

Quis o destino — quem sabe, o Criador —...

para lembrar

Juíza diz que trabalhadores são “viciados” e defende retenção de documentos

“ Trabalhadores são, em sua maioria, viciados em álcool...

“Joguei do alto do terceiro andar, quebrei a cara e me livrei do resto dessa vida”¹

A trabalhadora doméstica Raiane Ribeiro da Silva, 25 anos,...

CNDH denuncia trabalho escravo em oficinas de costura em São Paulo

Uma comitiva do Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH)...

Mulher encontra pedido de socorro ao comprar vestido

Mulher compra vestido e encontra pedido de socorro na...
spot_imgspot_img

Cinco trabalhadores são resgatados em condições análogas à escravidão na serra gaúcha

Cinco trabalhadores foram resgatados em condições análogas à escravidão em uma propriedade rural no município de Farroupilha, na serra gaúcha, pelo Ministério do Trabalho...

Quem cata suas latinhas é trabalhador?

Todo Carnaval tem seu fim. E com ele toneladas e mais toneladas de lixo... Não importa como você decidiu comemorar o seu Carnaval. Se decidiu cair na folia, lá...

Trabalho análogo ao escravo persiste em lavouras de café brasileiras, aponta estudo

O trabalho análogo ao escravo em lavouras de café não é algo do passado. Mesmo com certificações e auditorias, a violação de direitos de...
-+=