Jovens denunciam ato racista em shopping de BH; estabelecimento nega

“Tire o racismo do caminho que eu quero passar com a minha cor”, diz um dos cartazes dos jovens que protestavam na tarde desta terça-feira na porta do ShoppingCidade, no Centro da capital mineira.

Fonte: Jornal Floripa

Segundo os manifestantes, três mulheres e dois adolescentes negros que circulavam pelo centro de compras na última sexta-feira teriam sido seguidos por seguranças do estabelecimento, o que provocou o protesto. A estudante de pedagogia Ayana Amorim, de 22 anos, conta que os funcionários teriam tentado expulsar do local dois adolescentes que estavam com ela.

Ela sustenta que desde o momento em que chegaram, elas foram observados pelos seguranças. “Foi então que eu perguntei: ‘Por que isso está acontecendo?’ e o segurança disse: ‘A presença de vocês está ameaçando a segurança do shopping'”, disse a jovem. Segundo Ayana, durante a discussão, um dos funcionários teria empurrado um dos meninos pelas costas contra a vidraça de uma loja do estabelecimento.

A estudante afirma que eles sofreram discriminação devido à cor de suas peles e alega ter feito um Boletim de Ocorrência (BO). O relato completo foi publicado na página da rede social da universitária: A Polícia Militar (PM) esteve no local e, de acordo com o registro, o fato de o adolescente ter sido empurrado foi confirmado. Ainda segundo o registro, o segurança afirmou que os meninos estavam “brincando” no corrimão da escada rolante do estabelecimento e, por isso, foram abordados pelos seguranças.

As jovens alegaram aos policiais que se sentiram constrangidas pela ação dos seguranças. Com o microfone na mão, cartazes e gritos de “shopping racista” o grupo chamava atenção de quem passava. “Se fossem com pessoas brancas, isso não teria acontecido”, disse a jovem. Em um determinado momento, o grupo resolveu entrar no centro de compras.”O pessoal que passava pelo local apoiou a manifestação.

Outras pessoas usaram o microfone para também denunciar casos de racismo“, afirma. Segundo os organizadores, cerca de 200 pessoas fizeram parte do ato. O Shopping Cidade esclareceu, por meio de nota, que sempre agiu com respeito a seus clientes, lojistas e colaboradores, independentemente de raça, cor, religião e sexo. “E tem como missão garantir a segurança e bem estar de todos que frequentam o shopping. Há 25 anos somos direcionados pelo lema ‘Para todos. Para Você’, o que reforça o nosso posicionamento democrático e acolhimento à diversidade”, diz o texto.
Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/12/20/interna_gerais,834202/jovens-protestam-contra-ato-racista-em-shopping-do-centro-estabelecim.shtml

+ sobre o tema

Dia da Consciência Negra: Um longo caminho para a liberdade

Da abolição da escravidão às ações afirmativas, as lutas...

Professora chamada de “macaca” por diretora ainda sofre discriminação

Por: Suzana Vier Episódio em escola paulista chamou atenção...

76% veem racismo no Brasil, mas só 28% admitem preconceito contra negros

Pesquisa DataPoder360 mostra que 76% dos brasileiros dizem haver...

para lembrar

Supermercado paga R$ 260 mil a criança que sofreu racismo

Garoto de 10 anos diz que seguranças do Extra...

Das 3.782 terras quilombolas do país, só 193 foram tituladas

Das 3.782 terras quilombolas do país, só 193...

Auto de Resistencia e Racismo em Londres!

O Auto de Resistencia, tecnologia das polícias do Rio...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...
-+=