Marina diz em NY que não mudará a economia

Por: CRISTINA FIBE

Candidata do PV pede fim de taxação a etanol

Candidata do PV à Presidência, Marina Silva defendeu ontem, em Nova York, a manutenção da política macroeconômica atual. Pediu, porém, mais investimentos em infraestrutura e redução de gastos públicos.

Em almoço com empresários brasileiros e americanos, no Council of the Americas, a senadora afirmou que o Brasil “vive momento privilegiado” e precisa “transformar essa janela de oportunidade em uma grande porta”.

Acompanhada do economista Eduardo Giannetti da Fonseca, Marina disse que “o Brasil passou por essa crise [iniciada em 2008] sem grandes sobressaltos, e o que nós queremos é manter o tripé da política econômica”.

Ela prometeu manter “o controle de inflação, o câmbio flutuante e as nossas reservas, o superavit primário”. Disse ainda que o país precisa reduzir gastos públicos, mas sem diminuir investimentos em “áreas estratégicas, como saúde e educação”, e sim “evitando o desperdício de recursos”.

No encontro com cerca de 40 empresários, Marina foi questionada sobre a infraestrutura do Brasil para investimentos externos.

A candidata respondeu que é preciso investir “na infraestrutura física, planejando, e na humana, investindo muito forte em educação”.

Marina pediu ainda o fim da taxação americana ao etanol brasileiro e afirmou que “o Brasil tem dado uma contribuição importante [aos EUA], inclusive no processo de recuperação americana, porque o nosso país importa mais do que exporta”.

 

POLÍTICA EXTERNA
Sobre outra questão que opõe Brasil e Estados Unidos, o Irã, a candidata fez duras críticas ao apoio do governo Lula ao regime de Mahmoud Ahmadinejad.

“Conversar não é proibido, mas eles [iranianos], infelizmente, têm uma tradição de tentar construir a bomba atômica, e o tempo todo estão perseguindo esse objetivo”, afirmou Marina a jornalistas.

O governo brasileiro defende o direito de o Irã enriquecer urânio com fins pacíficos. Para os EUA, o país persa busca armas nucleares.

Marina inaugurou ontem a primeira Casa de Marina no exterior. Hoje, ela volta a se reunir com empresários, em encontro promovido pela Bovespa que já levou Dilma Rousseff (PT) a Nova York.

 

Fonte: Folha de S.Paulo

+ sobre o tema

Detenção de Mano Brown exemplifica a mensagem de Cores e Valores

Pedro Paulo Soares Pereira, 44 anos, também conhecido como...

Um quinto dos americanos acha que Obama é muçulmano, diz pesquisa

Obama frequenta a igreja e já reiterou publicamente sua...

Olimpíada é aprofundamento do modelo militarizado de segurança

Para diretor da Anistia Internacional, aumento da violência do...

Em prol das crianças e jovens

Menino, negro, 13 anos, vivendo na zona rural do...

para lembrar

Justiça cassa 13 vereadores em São Paulo; advogado diz que lei não proíbe doações

Fonte:UOL - A Justiça Eleitoral de São Paulo cassou...

Machismo e racismo dentro e fora do BBB

por Karen Polaz de Blogueiras Feministas Não sou fã...

‘Demos mole’, diz fundador do PV sobre Rede de Marina Silva

  Alfredo Sirkis lamenta rejeição à criação do...

Maioria acha que Obama não mereceu Nobel

Fonte: Blog Sérgio Dávila - Pesquisa Gallup divulgada hoje confirma...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=